veneração das imagens

16-03-2012 16:52
 
 
 
 

Saiba como responder as principais objeções contra o uso e veneração das imagens:

 

VENERAÇÃO DAS IMAGENS

   Não falta quem diga: “Os católicos são idólatras”, porque além de fazerem imagens de esculturas, o que a bíblia proíbe absolutamente cf. Ex 20, 4-5. 23; Lv 19, 4; 26,1; Dt 4, 16-20; 27, 15; Sl 113 ou 115, 4-8; Is 44, 9-20 ...   estão indo atrás de ídolos mudos cf. Is 45, 20; 46, 7; Jr 10, 3-5 ... Muitos por não conhecerem o contexto bíblico de tais textos e por não conhecerem  realmente a doutrina da igreja católica, chegam à conclusão que a bíblia condena a fabricação e o uso de qualquer tipo de imagens, até mesmo das imagens sagradas dos santos, ou qualquer procissão com imagens e que, por conseguinte condena a doutrina e prática da igreja católica. E “por isso,” por falta de conhecimento bíblico e da doutrina católica, deixam a Igreja católica para participarem de igrejas ou seitas fundadas por homens”.

   Por meio deste estudo você verá através da bíblia e da doutrina católica que tais textos não condenam a fabricação e uso das imagens sagradas nem todas as procissões religiosas com imagens, e, por conseguinte não condenam a doutrina e prática católica. Citaremos e responderemos as principais objeções, perguntas e dúvidas dos protestantes contra o que "supostamente" imaginam ser a doutrina  e prática católica em relação ao assunto, para que você tenha o conhecimento do fundamento bíblico das mesmas, ou seja, para que saiba que a bíblia não as condena.
   Façamos, antes de tudo, umas distinções básicas entre “Santo” e “imagem”. Santo ou Santa é um homem ou mulher, servos de Deus, os quais são santos exatamente por terem obedecido fielmente a Deus e se tornado assim modelos de vida cristã. Maria disse: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim, segundo a vossa Palavra" (Luc 1,38).
   Imagem é uma representação de um ser, alguém ou alguma coisa em seu aspecto físico, assim imagem é uma fotografia, desenho, estátua, um quadro, etc. Uma imagem é só uma imagem, um símbolo, uma lembrança ou um sinal, até o momento em que é adorada, a partir dai então vira ídolo. As imagens sagradas são "representações" de Cristo e dos seus santos.
   Outra distinção fundamental precisa ser feita entre adorar e honrar (venerar). E devemos  saber o que significa ídolo e idolatria.
   Adorar é reconhecer alguém como seu Deus e Senhor, e a Ele se submeter em obediência, prestando-lhe culto como Criador do Universo e dono absoluto da nossa vida. O culto de adoração somente se pode dar a Deus porque só ele é o criador e Senhor do universo e da nossa vida.  Venerar é honrar, homenagear, respeitar, louvar ... Mas não reconhecer aquela pessoa ou objeto como Deus.

   Ídolo é uma imagem de um falso deus, de uma falsa divindade, é um falso deus inventado pela fantasia humana, é "tudo" que ocupa o lugar de Deus em nosso coração, é " tudo" que damos prioridade e amamos igual ou mais do que Deus, por conseguinte, nem todo ídolo é imagem e nem toda imagem é ídolo. Idolatria, etimologicamente, é a composição de duas palavras ídolo + latria, isto é,  adoração de ídolo, é o ato de adorar o falso deus.

   Idolatria não é o uso de imagens no culto divino, mas prestar à criatura ou objeto o culto de adoração que devemos exclusivamente a Deus. É por isso que são Paulo em Col. 3,5 nos adverte que a avareza é uma idolatria, e como sabemos avareza é um sentimento e não uma imagem, a avareza é idolatria uma vez que o avarento coloca o dinheiro no lugar de Deus, como valor supremo da sua vida, idolatrar é colocar alguém ou alguma coisa no lugar de Deus. Podemos então refletir: onde estariam os verdadeiros ídolos e idólatras na sociedade moderna? Infelizmente os artistas, os cantores, os jogadores, os times de futebol, os programas de televisão "principalmente as novelas", o sexo, a beleza física, o dinheiro, o poder, a fama e tantas outras coisas é que ocupam o primeiro lugar do coração e pensamentos de muitos! A idolatria é o pior e mais grave pecado que se possa fazer !
   A Igreja Católica ensina que devemos adorar somente a Deus! Já em relação aos santos e suas imagens devemos apenas  respeito, honra e veneração. Aliás, a Igreja só venera os santos e os honra, porque foram fiéis seguidores de Cristo e por isso se tornaram para nós modelos de vida evangélica. Suas imagens tem, para nós a finalidade de  lembrar a pessoa e seus bons exemplos em  nosso meio; Merecem respeito pelo que representam, tal como um retrato de nosso pai ou nossa mãe.

   O que diz mesmo a Bíblia sobre imagens?

   No célebre trecho de Ex 20, 4-5 tão citado pelos irmãos protestantes, eles deixam de lado o versículo 3: “Não terás outros deuses diante de minha face”.

   Ora, naquela época não havia imagens de Jesus, Maria ou dos Santos, até mesmo porque eles nem existiam ainda. O Êxodo foi escrito aproximadamente 1.250 anos antes do nascimento de Jesus. São Francisco morreu em 1.226 depois de Cristo, São Benedito em 1563, Santa Teresinha em 1897, então não poderia estar se referindo a eles. A Bíblia fala de “deuses”, “ídolos” para substituir o lugar do verdadeiro Deus. Isso nunca quiseram os Santos! Maria se declarou a “Serva do Senhor” (Luc 1,38) S. Francisco dizia “Meu Deus e meu Tudo”.

   Em outra passagem muito usada pelos evangélicos está escrito: “Com a sobra faz um deus, um ídolo, diante do qual se prostra para adorar e orar, dizendo: “Salva-me, tu és o meu Deus” (Is 44,17). Ora, a própria citação já fala que o que Deus proíbe é fazer imagem na forma de ídolo, de fato ,  leia  Dt 4,16, na  tradução revista e atualizada no Brasil, SBB, que são considerados como deus em substituição ao Deus único e verdadeiro cf. Ex 20, 3-5. 23; Dt 7, 25; Is 44,17. fala que adorar imagem é considerá-la como deus cf. Ex 32, 4; Is 44,7, ou teologicamente falando, é também valorizá-la igual ou mais de que Deus. Ora , nenhum católico(a) "que conhece e obedece a doutrina católica" considera os santos e suas imagens a coisa mais importante de sua vida, menos ainda os (as) considera como Deus, afirmar o“terminantemente” contrário é mentira e calúnia, que assim como a idolatria, fecha a porta do céu para quem morre com ou em tais pecados. Já fala em se prostrar para adorar, o que não é o nosso caso de católicos, diante das imagens. Ajoelhar-se diante de alguém ou alguma coisa não significa logo, adoração. Os noivos que se ajoelham diante dos pais e lhes pedem a bênção, não estão adorando os seus pais!
Moisés se prostrou diante do seu sogro Jetro (Ex 18, 7); Betsabé se prostrou diante de Davi (1Rs 1,16 ), Josué e todo o povo se ajoelharam diante da arca a qual tinha duas imagens de esculturas de anjos ( Js 7, 6 ) e nem por isso cometeram idolatria, porque não se prostraram em adoração e sim em reverência. Citarei mais textos depois.

   No versículo 4-5 de êxodo 20, Deus não está proibindo fazer qualquer espécie de imagem ou com qualquer finalidade, pois se assim fosse, toda humanidade estaria condenada, pois quem é que não tem ou não manda fazer retrato, pintura, escultura, desenho , estaria proibindo a profissão do escultor, desenhista, pintor ... Mas está proibindo qualquer tipo de imagem de ídolo e fazer imagem para serem adoradas. Todas as vezes que Deus condena as imagens ele se refere à  " idolatria", na qual se reconhece e considera a imagem como único Deus em substituição ao Deus verdadeiro. E a prova que Deus só proíbe fazer ídolo ou fazer imagens com a finalidade de serem adoradas está no fato de que ;

   Quando não é para adoração, Deus permite e  manda fazer imagens:

   Por ordem de Deus Moisés fez e colocou duas imagens de esculturas  de anjos sobre o propiciatório da arca. “O Senhor disse a Moisés: Farás dois querubins de ouro. Estes querubins terão suas asas estendidas para o alto e com as asas protegerão a tampa da Arca da Aliança. E ali eu virei ter contigo”. (Ex 25,18-22 ).

   No  templo construído por Salomão foram confeccionadas imagens de querubins de madeira( cf. 1 Rs 6, 23-28); todas as paredes do templo e até as portas  foram revestidas de imagens de querubins( cf. 1 Rs 6, 29-35), tais obras se fizeram com a ordem do próprio Deus (cf. 1 Crônicas 22, 10. 15-16; 28, 18-19) e com a sua divina aprovação pois vemos que Deus abençoa este templo, porque sabia que as imagens lá não eram ídolos ( deuses ), e sim, imagens sagradas (cf. 1 Rs 9, 3), pois foram feitas por ordem divina, que, já no deserto encheu Bezaleel de seu próprio espírito- espírito de sabedoria, inteligência e ciência- para realizar toda espécie de obras em ouro, prata e bronze ... assim como para talhar ( esculpir) a madeira( isto é, fazer imagem de escultura de madeira) confira: Ex 31, 1-5, de fato leia 1 Rs 6, 29 na edição revista e corrigida de João F. de Almeida. Vê-se assim com que apreço Deus considerava as esculturas de seu templo. Por isso os querubins da arca da aliança( Ex 37, 1. 3-5. 7-9) não eram para serem adorados, mas também não eram simples adorno, eles lembravam que tudo devia convergir para o Deus que fizera aliança com o povo, lembravam ainda a mediação "secundária " dos anjos(cf. Heb 1,14) e integravam os objetos do culto, ou seja, participavam do verdadeiro culto a Deus, de fato, Deus além de pedir a Moisés para fazer essas duas imagens de anjos, diz que é ali, no meio dos querubins, que ele viria dar as suas ordens aos israelitas (cf. ex 25, 22; Num 7, 89)  em vista disso a bíblia costuma dizer que Deus está sentado sobre os querubins (cf. 1 Sm 4, 4; 2Sm 6, 2; 2 Rs 19,25; Sl 79(80). Eram imagens sagradas, abençoadas por Deus ( cf. 1 Rs 9, 3; 8, 10-11 ) e por Moisés ( cf. Ex 39, 42-43 ) - deixando-nos o exemplo de termos nossas imagens abençoadas- por isso eram imagens que conjuntamente com todo o templo do altíssimo, eram reverenciadas, pois está escrito : "Reverenciareis" meu santuário ( Lv 19, 30 ) e ainda, me prosto -"inclinar-me-ei" -  para o teu sagrado templo ( Sl 138 ou 137, 2 )  o santuário, como é bem sabido, estava cheio de imagens, vemos Josué e todo o povo ajoelhados "prostados" diante da arca da aliança , por conseguinte, diante das duas imagens de querubins que estavam em cima da arca ( Js 7,6 ) e nem por isso estavam cometendo idolatria, adorando tais imagens. O templo e tudo que havia nele eram sagrados! portanto, cada objeto de lá, inclusive as imagens, não podiam ser tidos como simples enfeites- eram ornamentos sacros com significados simbólico-religiosos preciosos e por isso respeitados, reverenciados, ou seja, venerados. de fato , perguntamos: por que uzá morreu fulminado ao tocar na arca da aliança cf. 2 Sm 6, 7; 1 Cro 13,7-14 ? eis a resposta de um site protestante: "por que uzá se acostumou com a presença da arca, tratando-a sem " reverencia" .   Confira : http://www.edificando.com.br/estudos.asp?id=211. Portanto era diferente de um simples adorno, enfeite.

   O mar de bronze ou reservatório de água lustral colocado à entrada do palácio de Salomão era sustentado por dois bois de metal ( 1Rs 7, 23-25 ), havia também figuras de leões, touros e querubins ( 1 Rs 7, 29 ), leia ainda Ez 41, 17-22

   Quando mostramos estes textos para os protestantes eles respondem imediatamente: mas essas imagens não foram feitas para serem adoradas, pois o propiciatório com os querubins apenas era a figura da ( representava a ) redenção de Cristo ( Heb 9, 5-9 ), cf. manual de apologética cristã, pag. 178, CPAD, os querubins não faziam parte do culto, permaneciam trancados no templo, no lugar santo dos santos, onde só penetrava o sumo sarcedote uma vez por ano, conforme Heb 9, 2-7; Ex 30, 10, e as figuras do templo de Salomão tinha  a finalidade única de adornar, cf. Doutrinas Católicas Analisadas, págs 50-52, de Delcyr de Sousa Lima.

   RESPOSTA: A questão aqui não é o que as imagens representam, mas se todo e qualquer tipo de imagem são proibidas por Deus, é saber se a proibição é absoluta, isto é, com qualquer finalidade, mesmo que não seja para adorá-las, estar em saber se  é bíblico ou não fazer imagens. O fato dos querubins ( de ouro ou madeira ) representar isso ou aquilo, não nega a realidade que eram imagens de anjos em forma de esculturas e figuras que o próprio Deus mandou fazer, não nega a verdade que a proibição divina de fazer imagens  não é absoluta, ou seja, que a proibição de fazer e adorar ídolos, não proíbe fazer imagens que não são ídolos e que não são para serem adoradas. quando os protestantes dizem que os querubins  foram feitos não para serem adorados, não estão fazendo nenhuma objeção à doutrina católica pois a igreja católica e nenhum católico diz que foi, ao contrário, estão  aceitando a doutrina e interpretação do catolicismo a respeito do assunto, e rejeitando a dar maior parte do protestantismo que ensina que a proibição divina é absoluta, ou seja, que  Deus proíbe fazer todo tipo de imagens e com qualquer finalidade, que proíbe fazer não só para adoração mas até mesmo para veneração! que ensina que Deus proíbe não apenas adorar imagens, mas até mesmo fazer-las, e para tentarem provar isso, vivem citando para os católicos o salmo 115, 4-8 , esquecendo que o texto trata de ídolos (cf. Sl 115, 4) e não de qualquer imagem. Se as imagens que Deus mandou fazer não foi para serem adoradas, isto implica dizer que :" quando as imagens não são para serem adoradas, Deus as manda e permite fazer-las ". Ora, essa é a pura doutrina e interpretação católica"! Quanto a afirmação que os querubins ficavam trancados no templo ... cai por terra diante dos textos que apresentam a arca da aliança com os querubins sendo carregados pelo povo de Deus solenemente em procissão religiosa ( cf. 1 Sm 6, 1 .4 - 5. 10 - 18; 2 Sm 6, 12 - 18; Js 6, 4-16; 2 Cr 5, 2-8; Ne 12, 27-43; Nm 10, 33-34 ), veja uma dessas procissões em um site de um pastor assembleiano na 4° foto com o nome" queda dos muros de Jericó " ( www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao5-ldj-aconquistadejerico.htm-Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2009 ),  quanto a dizer que eram simples ornamentos ... já foi respondido a cima.

   O povo veio a Moisés e disse-lhe: Pecamos, murmurando contra o Senhor e contra ti: Roga ao Senhor que afaste de nós essas serpentes. Moisés intercedeu pelo povo e o Senhor disse a Moisés: “Faze para ti uma serpente ardente(de bronze) e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela será salvo” (Nm 21,7-8). é claro que a serpente não foi feita para ser adorada, considerada como um deus ou deusa, mas para mostrar aos israelitas que Deus tinha mais poder do que todas as enfermidades ou tragédias da terra, e por isso não tinham motivos para não confiar nele ou em Moisés seu escolhido para libertá-los, tinha a finalidade de  mostrar o perdão e a misericórdia de Deus para os israelitas arrependidos. Quando associamos Nm 21,8-9 a Jo 3,14; 12,32 entendemos que a serpente levantada no deserto por Moisés era uma prefiguração de Jesus Cristo suspenso na cruz curando e libertando toda humanidade, assim como quem ferido por serpentes olhava para a serpente de Moisés suspensa numa haste era curado das picadas mortíferas, assim também quem ferido pelo pecado olha para Jesus crucificado com os olhos da fé, reconhecendo nele o salvador do mundo, será salvo do pecado e da condenação eterna. enquanto a serpente de bronze era apenas venerada como recordação da cura prodigiosa das venenosas mordidas das serpentes, a mesma era conservada, porém, quando no tempo do reinado de ezequias (721-693 A.C) o povo cercou-a com crenças e práticas supersticiosas com evidente perigo de idolatria, ezequias quebrou essa venerável relíquia da era mosaica (cf. 2 Rs 18,4).

     Muitos protestantes citam o texto da destruição da serpente de bronze cf. 2 Rs 18, 3-4,  para tentarem provar que, aprovando a destruição da serpente de bronze, Deus estava por isso desaprovando a fabricação, "adoração e veneração" de imagens, pois ambas são a mesma coisa.


    RESPOSTA Que fique bem claro : a serpente de bronze foi destruída não porque era uma imagem de escultura que o próprio Deus mandou fazer, mas devido o mau uso que dela o povo começou a fazer, isso não anula nem vai contra o princípio que" o mau uso não exclui o bom uso, que o uso incorreto não exclui o uso correto", a prova disso é que, mesmo depois de destruída, cerca de cinco séculos depois, Jesus encontrou valores na serpente de bronze pois ilustrou sua morte através dela (cf. Jo 3, 14), Deus aprovando a destruição da serpente de bronze, não estava desaprovando a(as) imagem(ns) que ele mesmo mandou fazer, mas a atitude errada do povo para com ela, da mesma forma Moisés ao quebrar as tábuas da lei não estava desaprovando a lei que o próprio Deus as mandou escrevê-las, mas a desobediência do povo para com ela. De fato, enquanto a bíblia mostra Deus aprovando a destruição da  imagem da serpente de bronze ( cf.2 Rs 18, 3) porque o povo a transformou de imagem em ídolo, considerando-a como a deusa da magia( Neustã), porque o povo deixou de venerá-la e passou a adorá-la, enquanto mostra Deus mandando destruir as imagens em forma de ídolos (cf. Ex  20, 3-5. 23; 32,20; Dt  4,,16-20; 7,5. 25; Is 31, 7; Mq 1, 7; Ez 6,4-6 ... )  A própria bíblia considera como inimigo de Deus aqueles que destruíram as imagens sagradas do templo cf. levanta os pés para tudo o que " o inimigo" tem feito de mal no santuário; toda obra entalhada ( imagens de esculturas 1 Rs 6, 29 Ed, revista e corrigida- protestante) de uma vez quebram com machados e martelos ( cf. Sl 74, 3-6, Ed, revista e corrigida- protestante ), e mostra Deus abençoando o templo cheio de imagens sagradas ( cf. 1 Rs 8, 10-11; 9, 3 ) se Deus abominasse todo tipo de imagem, como se todo tipo de imagem de escultura fosse ídolo, não teria enchido o templo com sua glória e benção garantindo a aprovação de tudo que foi feito.

 
    Obrigado pela prova de que temos razão, que veneração não é o mesmo que adoração!
Pois o que prova esse texto que eles citam?
Prova:
1) Que Moisés fizera de fato uma serpente de bronze;
2) que essa serpente fora conservada pelos judeus durante longo tempo;
3) que eles acabaram por adorá-la ou a prestar-lhe culto indevido;
4) que por isso, Ezequias a quebrou.

   Teria agido mal Moisés ao fazer a serpente de bronze? É claro que não, pois foi o próprio Deus quem ordenou fazê-la e olhar para ela para que os judeus se curassem.
   Erraram os judeus conservando-a? É evidente que não, porque mostravam gratidão e obediência a Deus. E entre os que conservaram estavam Moisés, Josué, os Juízes, Davi, Salomão. Será que todos eles estavam errados? Será que nenhum deles tinha um "Aurélio" -- um dicionário à mão para saber que adorar, venerar, reverenciar, amar extremamente é tudo a mesma coisa?
    Por que, durante tantos séculos, Deus e seus enviados permitiram que se guardasse a serpente de bronze?

   É evidente que permitiram porque ela não era adorada. Quando a transformaram abusivamente em ídolo, Ezequias a destruiu. Mas fique sabendo, caros protestantes, que abusus non tolit usum. E não pense que isso é lei da Igreja: é um princípio jurídico do Direito Romano. O abuso não tolhe o uso. Se alguém abusa do culto de Dúlia de um santo e de sua imagem, e passa da veneração a idolatria, isso é um abuso condenável que não proíbe nem invalida o culto de Dúlia ( veneração ) -- e não de latria -- de um santo e de sua imagem.

   Erraram depois os judeus transformando-a em ídolo? Evidente que sim, e, por isso fez bem Ezequias em destruí-la.
Portanto, enquanto não se adora uma imagem como se fosse Deus, é lícito tê-la e mesmo "olhar para ela para ser curado" como Deus mandou.

   E nenhum católico de verdade olha para uma imagem de Nossa Senhora e dos santos julgando que sejam Deus e adorando essas imagens. Nós as veneramos. em suma: veneração não é o mesmo que adoração. Quando os israelitas veneraram a serpente de bronze, foram curados. Quando posteriormente os israelitas adoraram a mesma serpente, cometeram uma abominação e Deus mandou destruí-la.

   No primeiro caso, o ato curava; no segundo caso, o ato era abominável diante de Deus. No primeiro caso, veneração; no segundo, idolatria, adoração de uma criatura. A imagem era sempre a mesma, porém, o ato era diferente! Se veneração fosse o mesmo que adoração, então Deus teria permitido a adoração aos ídolos ainda que somente no antigo testamento, o que é um absurdo. A sã doutrina não comporta tal absurdo! Portanto não adianta citar a destruição da serpente de bronze contra a veneração das imagens, pois o texto é claro: Deus mandou ou aprovou destruir a serpente de bronze quando os israelitas passaram a adorá-la, mas a mandou fazer e aprovou o povo conservá-la enquanto a veneravam, mostrando claramente a diferença entre veneração permitida e adoração proibida. Portanto, se Deus proibiu as imagens para idolatria, para serem adoradas, e essa proibição continua valendo, também continua valendo a permissão às imagens para veneração, para serem veneradas.

    Estes textos bíblicos associados a outros referentes ao mesmo assunto, deixam bem claro que Deus proíbe ter ou fazer imagens para serem adoradas, isto é, para serem consideradas como Deus, criador e senhor absoluto de todas as coisas (cf. Ex 20, 3-5; Is 44, 9-20; Sl 113 ou 115, 4-8 ... ),  para serem valorizadas igual ou superior a Deus, " a lei eterna jamais pode ser abrogada e assim será sempre pecaminoso adorá-las ". “Ensinam que  Deus condenou, condena e sempre continuará condenando ídolos;” imagens que ocuparam ou ocupam o lugar de Deus ". Que Deus proíbe a idolatria : substituir o criador em nosso coração por quaisquer coisa ou criatura, com por exemplo: objetos" imagens, taslimã ..." , poder, prazer, dinheiro, sexo, esporte, pessoa humana ... Ensinam que se alguém substitui Deus por quaisquer coisa ou criatura está cometendo o pior e mais grave pecado "a idolatria, e portanto é idólatra" que caso morra com este pecado-sem ter se arrependido e deixado ele - não se salvará nem entrará no céu ( 1 cor 6, 9-10; Apoc 22, 15 ...). Ensinam também que quando as imagens não são para serem adoradas Deus permite e as manda fazer como vimos nos textos já mencionados acima.

   Visto que é impossível haver contradição em Deus, fica claro que a proibição de fazer imagens na bíblia não é absoluta " com quaisquer finalidade, válidas para sempre e em todas as circunstâncias" , mas relativas " referente e dependente unicamente da finalidade e circunstância-  "intenção e condição " com a(s) qual é proibida. esta é a interpretação da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Em suma; Deus proíbe fazer imagens para serem adoradas, porém, não proíbe fazer imagem com outra finalidade,  como por exemplo, para serem veneradas. Deus proíbe fazer ídolos, porém, não proíbe fazer imagem que não são ídolos. Por isso a Igreja católica, que compreende e aceita tudo o que Deus disse na sagrada escritura e que não isola uma frase de outra, mas a todas harmoniza, sempre permitiu o uso de imagens( jamais de ídolos) e sua veneração, mas nunca a sua adoração.

   Infelizmente alguns protestantes, por preconceito ( talvez até por ódio) da Igreja Católica, por avareza, introduzem seitas e heresias perniciosas no meio do povo ( 2 ped. 2, 1-3), e por falta de conhecimento e má fé deturpam e adulteram a própria palavra de Deus para sua própria perdição ( 2 ped. 3, 16) e apenas com a má fé, com a má e diabólica intenção de difamar, caluniar, criticar a Igreja Católica, dizem e escrevem :

   Basta alguém fazer ou ter imagens para já estar afrontando a lei de Deus, os pretensos retratos do Pai (capela Sistina), do Filho ( crucifixos, etc.), do Espírito Santo (pomba), dos apóstolos, etc. etc. São proibidos por Deus. Deus não somente proíbe adorá-los ou venerá-los, mas também fazê-los. ( cf. a idolatria desmascarada, pág. 4-5, editora PES )


  RESPOSTA: Ora, estamos diante de uma decisão séria: ou aceitamos que a Bíblia se contradiz ou teremos que reconhecer ser falsa a argumentação protestante. Se como os Protestantes explicam: “não farás para ti imagem de escultura, nem figura alguma do que está em cima nos céus ou embaixo sobre a terra... não te prostrarás diante delas...” (Ex 20,4-5) significa que não se pode fazer imagem com qualquer finalidade," exceto adoração", quer dizer que pelos textos acima Deus se contradisse.
Os querubins que Ele mandou fazer são seres que “estão acima nos céus” e a serpente está “embaixo sobre a terra”. Além disso, se considere o fato de que o Templo e a Arca da Aliança eram os lugares mais sagrados para o Povo de Deus. O Senhor se manifestava na Arca! Pior ainda a serpente de bronze não só foi feita, mas quem olhasse para ela ficaria curado!
Como ainda afirmar com a Bíblia na mão que Deus proíba fazer todo tipo de imagens e com quaisquer finalidade ? ! !

No Novo Testamento

   Passaram-se os séculos... O mesmo Senhor que se mantivera invisível, quis tomar corpo humano e viver na terra; quis assim dirigir-se aos homens mediante uma figura (a do Cristo Jesus), que, sem dúvida, devia ser impressionante.  Em sua pregação, Jesus houve por bem ilustrar as realidades transcendentais (o Reino de Deus, a Misericórdia do Pai, o dinamismo da graça ...) mediante imagens inspiradas pelas realidades visíveis; tal foi o significado das parábolas e alegorias utilizadas pelo Divino Mestre, que aludiu aos lírios do campo, à figueira, aos pássaros do céu, ao bom pastor, à videira e a seus ramos, às crianças que brincam na praça pública, à mulher que perdeu sua moeda, ao administrador infiel, aos operários chamados à vinha, em outras palavras : O Deus invisível se tornou visível em Jesus. Por isso a Bíblia diz: “Cristo é a imagem de Deus invisível, o primogênito de toda criatura”. (Col. 1,15) A imagem mais sagrada de Deus que temos em nosso meio é o ser humano: “Façamos o homem a nossa imagem e semelhança” (Gn 1,26). Já que Deus quis tornar visível o seu ser através de Cristo e do ser humano, isso nos diz que as coisas criadas podem ser um reflexo de sua beleza, de sua bondade e de seu poder. Ele quer se manifestar também pelas coisas visíveis. Esse é o sentido da “encarnação” do Filho de Deus. “Quem me vê, vê o Pai” (Jo 14,9) e o que Filipe estava vendo era a face humana de Cristo.
    Todavia, os cristãos foram percebendo que a proibição de fazer imagens no Antigo Testamento tinha o mesmo papel de pedagogo (condutor de crianças destinado a cumprir as suas funções e retirar-se) que a Lei de Moisés em geral tinha junto ao povo de Israel.  Por isto o uso das imagens foi-se implantando.  As gerações cristãs compreenderam que, segundo  o método da pedagogia divina, atualizada na Encarnação, deveriam procurar subir ao Invisível passando pelo visível que Cristo apresentou aos homens; a meditação das fases da vida de Jesus e a representação artística das mesmas se tornaram recursos com que o povo fiel procurou aproximar-se do Filho de Deus. Considerem-se os antigos cemitérios cristãos (catacumbas), onde se encontram diversos afrescos geralmente inspirados pelo texto bíblico:  Noé salvo das águas do dilúvio, os três jovens cantando na fornalha, Daniel na cova dos leões, os pães e os peixes restante da multiplicação efetuada por Jesus, o Peixe (Ichthys), que simbolizava o Cristo... A Igreja primitiva tinha sim uma grande veneração pelas imagens prova disso são as Imagens contidas nas Catacumbas Romanas dos primeiros séculos.
Trago as fotos das Catacumbas dos Primeiros séculos, vejam que os primeiros Cristãos usavam as imagens e isso séculos antes de Constantino!  confira : ( praelio.blogspot.com.br/2009/02/igreja-primitiva-x-protestantismo.html ).

   A revista defesa da fé, ano 4, n° 26/ 2000,- 12 de outubro, quem é o senhor do Brasil ?, pág.  23, ICP,  cita : "  O culto aos santos só começa a partir de cem anos, aproximadamente, depois da morte de cristo, com uma tímida "veneração" aos mártires".

RESPOSTA: Prova - se  assim que a veneração dos santos e, por conseguinte das suas imagens não é uma inovação no cristianismo nem do romanismo como dizem alguns, pois vem dos primeiros séculos cristãos, da igreja primitiva. Prova-se assim que a veneração dos santos e das suas imagens é uma doutrina e prática  cristã e bíblica, pois segundo o pastor assembleano, Raimundo F. de Oliveira em seu livro Seitas e heresias um sinal dos tempos, pág. 16, 1° edição, CPAD, mesmo tentando provar que a igreja católica paganizou-se, admite:" do 1° ao 2° séculos - II - anos 33 - 196; Neste período da história, a igreja não aceitou nenhuma doutrina antibíblica". por conseguinte vendo os cristãos  ensinando e praticando a veneração aos santos como uma doutrina genuinamente cristã, são João, que escreveu seu evangelho, aproximadamente no ano 100 d.C, certamente falaria sobre o assunto descentivando e condenando tal prática, se a considerasse errônea,  se não o fez é porque "através do seu silêncio " ! ? Incentivou e aprovou tal prática - resposta à afirmação contrária da revista defesa de fé, idem. Ainda bem que tais pastores e protestantes são os primeiros a refutarem suas infundadas objeções! Quanto a afirmação de alguns, que  a veneração dos santos não faz parte do patrimônio original deve-se entender dentro do contexto de quem as escreveu, por conseguinte assim : " A reflexão sobre a virgem Mãe do Senhor começa já com o novo testamento e se desenvolve rapidamente na patrística, por isso os primeiros dogmas marianos estão completamente situados num contexto cristológico ", pág. 14, " A reflexão cristológica permitiu estabelecer a posição teológica de Maria", pág. 30, " A veneração dos santos tem início no momento em que se dedica mais atenção à figura (pessoa) de Jesus",  pág. 33, " Maria faz parte do evangelho ... É apresentada como aquela que ouviu de forma exemplar a palavra de Deus... É com efeito , o modelo original dos homens que se abrem a Deus e se deixam enriquecer por ele, é o modelo da comunidade dos crentes, da Igreja ( catecismo evangélico -  protestante - dos adultos) ", pág. 11, cf. O culto a Maria hoje, vários autores, ep. Ou seja,  mesmo que o culto de  veneração aos santos não seja citado "explicitamente" na bíblia, o mesmo já começa nos primeiros séculos do cristianismo, aproximadamente no ano 100 D.C, estando são João ainda vivo e o mesmo não o condenou, A reflexão nos ensinamentos e exemplos de Jesus e dos apóstolos levaram os primeiros cristãos (dos primeiros séculos) a venerarem os mártires, os santos e, por conseguinte Maria.

   Protestantes também usam imagens de esculturas em seus templos para fins religiosos, confira :

   caiafarsa.wordpress.com/imagens-em-templos-prostestantes/

   groups.gloog.com.br/answer/pt_br/answer_20100522161156AAsVIW3.html?categoryId=396545163

   Na praça dos reformadores em genebra, os protestantes fizeram 4 imagens de esculturas dos mesmos, para através delas venerá-los. Veja a foto no livro, manual de apologética cristã, pág170, CPAD, na capa da revista " institutas"; em linguagem simplificadas, livro I, capítulos 7, 8 e 9, no Google buscando imagens, escreva na caixa de pesquisa: muro dos reformadores em genebra.

   Na revista protestante ultimato " indenominacional" n° 235, págs. 52-53, da editora Betânia, está escrito que: " na America do Norte, Europa, Ásia, Austrália ... figuras de Jesus e Maria, além do uso generalizado da cruz não cria menor problema. Na Coréia do sul é possível encontrar nas fachadas de todos os templos, inclusive das assembleias de Deus, imagens de esculturas em tamanho natural representando pessoas e cenas bíblicas" .

   O próprio Martinho Lutero fundador do protestantismo foi a favor do uso de imagens , como se depreende do texto abaixo, datado de 1528:

"Tenho como algo deixado à livre escolha as imagens, os sinos, as vestes litúrgicas ... e coisas semelhantes. as imagens inspiradas pela Escritura e por histórias edificantes me pareçam muito úteis... Nada tenho em comum com os Iconoclastas" (Da Ceia de Cristo). e mais :

 

Martinho Lutero sobre os crucifixos, imagens de santos e o Sinal da Cruz  

 Artigo traduzido do livro Martinho Lutero: Analise Crítica. Contem uma série de citações de Lutero a respeito do crucifixo e imagens :

CRUCIFIXOS

O costume de segurar um crucifixo diante de uma pessoa que esteja morrendo tem mantido muitos na comunidade Cristã e permitiu-lhes morrer com uma Fé confiante no Cristo crucificado. (Sermão sobre João, Capítulos 1-4, 1539; LW, Vol. XXII, 147)

Foi uma prática boa segurar um crucifixo de madeira diante dos olhos dos moribundos ou pressionar nas mãos deles. Isto trouxe o sofrimento e a morte de Cristo a mente, e confortava os moribundos. Mas para os outros, que arrogantemente se basearam em suas boas obras, entraram num céu que continha um fogo crepitante. Pois eles foram afastados de Cristo e falharam em impressionar a Paixão e morte vivificante de Jesus, em seus corações.(Sermão sobre João, Capítulo 6-8, 1532; LW, Vol. XXIII, 360)

Quando eu escuto falar de Cristo, uma imagem de um homem pendurado numa cruz toma meu coração, assim como o reflexo de meu rosto aparece naturalmente na água quando eu olho nela. Se não é pecado, mas sim bom em ter uma imagem de Cristo em meu coração, porque deveria ser um pecado de tê-lo em meus olhos? (Contra os Profetas Celestiais, 1525; LW, Vol. 40, 99-100)

IMAGENS E ESTATUAS DE SANTOS

Agora, nós não pedimos mais do que gentileza em considerar um crucifixo ou a imagem de um santo, como testemunha, para a lembrança, como um sinal, assim como foi lembrado à imagem de César. (Contra os Profetas Celestiais, 1525; LW, Vol. 40, 96)

E eu digo desde já que de acordo com a lei de Moises, nenhuma outra imagem é proibida, do que uma imagem de Deus no qual se adora. Um crucifixo, por outro lado, ou qualquer outra imagem santa não é proibida. (Ibid., 85-86)

Onde, porém, imagens ou estatuas são produzidas sem idolatria, então a fabricação delas não é proibida.

Meus confinadores devem também deixar-me ter, usar, e olhar para um crucifixo ou uma Madonna… Contanto que eu não os adore, mas apenas os tenha como memoriais. (Ibid., 86,88)

Porém, imagens para memoriais e testemunho, como crucifixos e imagens de santos, são para ser tolerados… E não são apenas para ser tolerados, mas por causa do memorial e  testemunho eles são louváveis e honrados… (Ibid., 91)

SINAL DA CRUZ

Oração da Manhã

De manhã, quando você levantar, faça o sinal da santa cruz e diga:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém…

À noite, quando fores dormir, faça o sinal da santa cruz e diga:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

(Pequeno Catecismo, 1529, Seção II: Como o Chefe da Família Deve Ensinar a Sua Família a Orar Pela Manha e Noite, 22-23)

Assim se originou e continua entre nós o costume de dizer a graça e retornando graças às refeições, e outras orações de manhã e à noite. Da mesma fonte veio a prática com crianças de benzer-se a visão ou audição de ocorrências aterrorizantes… (Grande Catecismo, 1529, O Segundo Mandamento, seção 31, p.57)

BIBLIOGRAFIA E FONTES PRIMÁRIAS

Grande Catecismo, 1529, traduzido por John Nicholas Lenker, Mineapolis: Augsburg Publishing House, 1935.

Os Trabalhos de Lutero (LW-Luther’s Work), Edição Americana, editado por Jaroslav Pelikan (volumes 1-30) e Helmut T. Lehmann (volumes 31-55), São Luis: Concórdia Pub House (volumes 1-30); Filadélfia: Fortress Press (volumes 31-55), 1955.

Armstrong,  Dave. Martinho Lutero sobre os crucifixos, imagens de santos e o Sinal da Cruz. [Traduzido pela colaboradora Ana Paula Livingston]. Disponível em: http://socrates58.blogspot.com/2008/04/martin-luther-on-crucifixes-images-and.html. Acesso em : 05/03/2011

Citado por http://www.paraclitus.com.br/2011/apologetica/protestantismo/martinho-lutero-sobre-os-crucifixos-imagens-de-santos-e-o-sinal-da-cruz/

   Se não é anti-bíblico nem idolatria para os protestantes, fazerem imagens de esculturas para fins religiosos e para venerar através delas pessoas que eles admiram etc., por que seria apenas  para nós católicos ?.

FINALIDADE DAS IMAGENS SAGRADAS NA IGREJA CATOLICA

   Tendo a certeza bíblica que Deus não proíbe fazer qualquer tipo de imagem ou com qualquer finalidade, mas só proíbe fazer ídolos ou fazer imagem para serem adoradas, a igreja católica  usa as imagens sagradas  de Jesus, dos seus santos (as), cruzes, crucifixos ... E as usa com as seguintes finalidades:

   As imagens sacras, presentes  em nossas Igrejas e em nossas casas, destinam-se a despertar e alimentar nossa fé no mistério de Cristo, (cf. CIC: Catecismo da Igreja Católica, n° 1192.).  As imagens de Jesus e dos santos (as) são feitas ou admitidas para se ensinar (ilustrar) a história do antigo e novo testamento, não só para os venerarmos através de suas imagens (representações), mas também para que ensinados pelos seus bons exemplos, regulemos nossas vidas pelas virtudes e santidade deles (cf. Catecismo Romano, do primeiro mandamento, n° 17-18. 24). Quer a Igreja que se exponha em nossas igrejas as imagens dos santos para que imitemos as virtudes de quem veneramos as imagens, devemos fazermos imitadores dos santos em cujas virtudes brilha, sobre vários aspectos a própria virtude de Cristo.,a igreja nas festas dos santos do céu (homenageando os santos nas novenas, procissões ...) tem sempre em vista propor aos fiéis seus exemplos de santidade, (cf. encíclica Mediator Dei, págs 105-106, do Papa Pio XII ). A honra prestada a uma imagem se dirige à pessoa representada na imagem, pois quem venera uma imagem venera a pessoa que nela está pintada(que ela representa), a honra prestada às imagens sagradas é uma " veneração respeitosa", e não uma adoração, que só compete a Deus cf. CIC: catecismo da igreja católica, n° 2132. Destas declarações oficias da Igreja verifica-se quer :

   a)  A grande finalidade e o principal motivo pelo qual a igreja as tem é a evangelização. Devido um dos elementos mais eficazes para o ensino intuitivo ser o desenho, a gravura, a imagem, a representação, a igreja o vem empregando desde os primeiros séculos, e justamente por isso nas igrejas as imagens tornaram-se a bíblia ou livro dos analfabetos , é o que notam alguns escritores cristãos antigos:

"O desenho mudo sabe falar sobre as paredes das igrejas e ajuda grandemente"  (S. Gregório de Nissa, Panegírico de S. Teodoro, PG 94, 1248c).

"O que a Bíblia é para os que sabem ler, a imagem o é para os iletrados" (São João Damasceno, De imaginibus I 17 PG, 1248c).

O Papa São Gregório Magno (+ 604) escrevia :

" As imagens são colocadas nas Igrejas não para serem adoradas, mas simplesmente para serem veneradas.  Uma coisa é adorar uma imagem, outra coisa é aprender, mediante essa imagem, a quem se dirigem as tuas preces.  O que a Escritura é para aqueles que sabem ler, a imagem o é para os ignorantes; mediante essas imagens aprendem o caminho a seguir.  A imagem é o livro daqueles que não sabem ler"  (epist. XI 13 PL 77, 1128c).

   Protestantes reconhecem o valor didático das imagens:

   " As obras primas dos maiores pintores foram inspiradas pela vida de Jesus, notadamente no que diz respeito a Tissot, Rafael e rembrante.Tais quadros tem um tremendo valor didático em si mesmo, visto que muito do nosso conhecimento nos vem pelos olhos" cf. A pedagogia divina, págs. 156-157, 8° edição, J. M. Prince,Ed Juerp. leia novamente acima as palavras de Martinho Lutero sobre imagens ...

    b) A outra finalidade é que elas têm por fim excitar  e alimentar a fé dos fiés. Fazem-se as estátuas dos grandes homens e heróis nacionais e se põem aos olhos de todos na praça pública, para avivar sempre a sua memória e para que o exemplo de sua vida fique sempre acessível e elogiado de diante de todos. É o mesmo que acontece com as imagens de Jesus, Maria e outros santos nas nossas igreja e casas, sem que ninguém precise fazer um sermão, elas estão continuamente relembrando as pessoas por elas representadas e seus feitos, para que procuremos meditar nos seus bons ensinamentos e exemplos, em outras palavras; a Igreja quer que tenhamos as imagens dos santos para quer olhando para elas possamos meditar nos bons exemplos e edificantes ensinamentos da pessoa santa nela representada, e procuremos pedir a Deus a graça de imitar a santidade de suas vidas. Para isso não basta o católico ter imagem de um santo (a) no qual admira a sua fidelidade a Jesus Cristo, mas também conhecer a história de sua conversão, vida de santidade e ensinamentos. A igreja ensina que mais importante do quer ter a imagem de um santo é sermos uma imagem santa no meio em quer vivemos.

    c) A veneração às imagens (através de sentimentos e gestos externos) é relativa; só se explica e só é lícita (aprovada pela igreja) na medida em que é tributado indiretamente àqueles(as) que as imagens representam. Não se trata, para nós católicos, de adorar imagens, mas apenas de adorar a Deus - Jesus Cristo ou venerar seus santos mediante o estímulo que os sinais visíveis possam oferecer à mente dos cristãos. Este, sendo psicossomático, é sempre sustentado por elementos sensíveis, mesmo quando exerce os atos da mais elevada espiritualidade. Não veneramos os santos por causa de suas imagens, mas porque foram fiéis servos de Cristo, e veneramos suas imagens devido as pessoas santas que representam. Honramos a bíblia por conter a palavra de Deus e aos santos por tê-la posto em prática. Os santos são para nós católicos setas que apontam para Cristo e estímulos para aceitar, servir e seguir Jesus nosso único Salvador.

   O ICP “instituto cristão de pesquisa" pergunta através da revista defesa da fé, pág. 24,  ano 4° n° 26, setembro de 2000:

   Levando em consideração que um dos objetivos da Igreja Católica Romana é ensinar a bíblia ao povo através das imagens, surge-nos algumas perguntas; por que se faz culto a ela se o objetivo é ensinar a bíblia? por que apesar de tantos anos, com milhares de católicos evangelizados, ainda se insistem em cultuar imagens? Porque os católicos alfabetizados são tão devotos e apegados às imagens?

   RESPOSTA: A resposta está no início das perguntas, embora a evangelização seja a principal finalidade da igreja católica  no uso das imagens sagradas, não é , porém, o único objetivo. Convém lembrar o que já foi dito nas letras b e c, leia sem preconceito e verás que nós católicos não veneramos os santos por causa das imagens, ao contrário, veneramos as imagens devido as pessoas santas que representam. As imagens não tem nenhum valor por si mesmo,  valem não pelo que são materialmente em si como um pedaço de pano, papel, madeira, gesso... Porém, valem muito em virtude daquilo ou da pessoa que representam, visto que as imagens sagradas representam os melhores amigos e os mais fiés servos de Jesus Cristo, a saber: seus santos (as),  justamente por isso representam pessoas dignas do nosso respeito (veneração), e quem respeita uma pessoa respeita também o que lhe representa como, por exemplo; imagem, relíquia etc. Venerar é demonstrar  o amor, a honra, a homenagem, o respeito que temos àqueles que "abaixo" de Deus, merecem a admiração do povo de Deus pelo imenso amor e fidelidade que tiveram ao Senhor e criador. É só Deus que merece adoração e total admiração nossa, mas isso não quer dizer que não devamos venerar, admirar e colocar como exemplo para os cristãos a vida dos santos, nada mais humano e também  bíblico do quer isso!

   De fato, assim como a sociedade costuma demonstrar veneração, admiração, homenagem aos homens virtuosos e heróis da pátria erguendo em honra deles monumentos, imagens... (nas praças, edifícios públicos, selos do correio, museus de arte, moedas, notas de dinheiro...),  Guardando em lugar de honra os sepulcros, Relíquias e imagens deles. A igreja como uma sociedade também honra seus filhos (as) virtuosos (as),  heróis da fé e da santidade fazendo o mesmo. Até Deus venera o nome dos santos  patriarcas, permitindo na bíblia ser denominado " o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó" cf. Ex 3,6. Até Moisés levou neste sentido de veneração, os ossos de José, do Egito para a terra prometida cf. Ex 13.29. De sorte que até os lenços e aventais (de Paulo) se levavam aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles cf. Atos 19, 11-12. Ora, dizer que Deus, o criador e doador de todas as virtudes se melindraria com isso, só o pode dizer um louco ou um analfabeto, portanto, a razão e a bíblia aceita o uso de imagens e relíquias como veneração às pessoas que elas representam ... Não esqueçamos que a bíblia proibindo fazer imagens para ser adoradas, não proíbe fazer imagens para serem veneradas.

   Mas insistem alguns protestantes: não se ver ninguém ajoelhado ou fazendo oração diante dos monumentos dos heróis nacionais nem dos retratos dos pais, coisas que os católicos fazem diante das imagens dos santos!

RESPOSTA: Ora, o motivo da veneração aos pais e heróis nacionais não são os mesmos motivos da veneração aos santos e suas imagens, se tem motivos diferentes são demonstrados com sentimentos, atitudes e gestos diferentes, expliquemos: Culto ou veneração é um ato de honra , reverência, estimação ou louvor que se presta a uma pessoa para reconhecer as suas qualidades, seus direitos ou merecimentos. Temos o culto patriótico ( comemorações, homenagens e respeito aos heróis e símbolos nacionais ), social  e familiar ( comemorações, homenagens e respeito aos amigos, familiares e a personalidades significativas da vida social ), religioso ( só quando este  profundo respeito se refere a Deus é que atinge o nível de adoração! é por isso que o culto soberano e absoluto que damos a Deus nós o chamamos de adoração, devido a sua infinita majestade, excelência, qualidades, infinitos merecimentos e poderes, por conseguinte, só ele é digno de ser adorado. O culto aos santos é religioso não no sentido pagão, como alguns protestantes costumam falar, mas religioso no sentido genuinamente cristão por que é relativo a Deus, isto significa que quando nós cristãos católicos cultuamos - veneramos os santos representados nas imagens é a Deus que se dirige nosso culto. Pois foi Deus que os santificou, foi a Deus que os santos amaram e serviram. E a santidade que neles brilha é a própria santidade de Deus e não outra. Ninguém de fato é santo por natureza a não ser Deus.

   Deus é o absoluto, todo o resto é relativo, ou seja, está relacionado a ele, pois bem, é a santidade de Deus refletida nos santos que nos motiva a venerá-los e a respeitar suas imagens, nossa veneração aos santos é incentivada por um motivo religioso " santidade" de Deus neles refletida, e por isso é demonstrada por sentimentos, atitudes e gestos religiosos que são relativos a Deus, visando reconhecer e glorificar a Deus em sua obra prima da natureza "os santos", porém, tais sentimentos, atitudes e gestos religiosos aos santos e suas imagens só são lícitos e aprovados pela Igreja Católica se são feitos "APENAS" com a finalidade de demonstrar veneração ( por isso o culto que atribuímos aos santos representados em  suas imagens chamamos de culto de veneração - homenagem de respeito ) e jamais de  adoração, pois esta só é devida a Deus.

    A Igreja Católica continua a ensinar, como sempre fez, que as imagens dos Santos são para nossa veneração e jamais para adoração, visto que apenas representam servos e servas de Deus.

   Obs.: muitos membros de seitas dizem: a afirmação dos católicos de que não adoram os santos e suas imagens, mas apenas os veneram não justifica, pois venerar é o mesmo que adorar. E desenvolvem esse argumento da seguinte maneira:

   A idolatria confunde as pessoas que iludidas, por este engano repetem: “Não adoro ídolos. Ídolos é outra coisa, essas imagens são de santos, eu não as adoro apenas venero  ...” Ao compararmos  o significado exato das expressões adoração e veneração, veremos que são equivalente ( iguais ). Abra seu Aurélio e veja que adorar- ( do Latim adorare ) - significa reverenciar, amar extremamente," venerar", idolatrar. Portanto, adorar é o mesmo que venerar! Cf. Debate do protestante Saul com orlando fedeli, mencionado no final da resposta.

   RESPOSTA: o protestante que faz tal afirmação deve aprender em primeiro lugar, que nenhum dicionário é tratado de epistemologia, de hermenêutica ou de exegese. Saber que qualquer estudo mais sério de sinonímia lhe dirá que não há sinônimo que seja "absolutamente" equivalente. Deve aprender ainda que, se existem duas palavras distintas para designar algo ou alguma ação, é porque cada uma delas dá uma matiz ( sentido ) diferente à coisa ou ação designada, se duas palavras são absolutamente idênticas, a língua tende a eliminar uma delas.

   Assim, adorar não é venerar, nem, menos ainda idolatrar. Cada uma dessas palavras tem sentidos diferentes. Adorar significa reconhecer como Deus, criador de todas as coisas. Idolatrar, embora o dicionário não explique isso, significa em certo sentido o oposto, pois designa a ação de adorar uma criatura em vez do criador. Materialmente, a ação de adorar e a ação de idolatrar são idênticas. Formalmente são oposta. Para entender isso o protestante deve saber a diferença entre matéria e forma, na consideração de uma ação, porém, os dicionários não tratam disso, mas para ajudá-lo a entender citaremos um exemplo didático:

   Um médico que opera o coração de um doente e um assassino, materialmente, age da mesma forma: abrem o peito de um ser humano com instrumento perfurador e cortante ( bisturi ou punhal ). Entretanto, formalmente suas ações são opostas, pois um tem por fim curar o homem de quem abriu o peito ( é o médico ), enquanto o outro visa tirar a vida de quem abriu o peito com o punhal ( é o assassino ). Assim quem adora a Deus e quem adora o ídolo materialmente fazem a mesma coisa, que formalmente são opostas. Por isso é que existe as palavras adorar e idolatrar. Semelhantemente, materialmente adorar e venerar são a mesma coisa, formalmente, contudo são opostos. Citemos mais um exemplo didático para ajudar a entender:

   Venerar: respeitar.
   Adorar: prestar culto a divindade, venerar, amar extremosamente.

   Está armada a confusão! O fato de a palavra adorar trazer entre seus significados, o termo venerar, já bastou pra chutarem o raciocínio lógico de lado.      Mas como pessoa culta que você é certamente você se utilizará do seguinte raciocínio:

Hierarquizando as duas palavras, podemos considerar que adorar é uma atitude superior a venerar. Portanto, quem adora, venera. Quem adora, respeita. Não há como existir um sentimento de adoração se não houver respeito. Em contrapartida, é errado dizer que quem venera, adora. Uma pessoa não precisa ser Deus pra ser venerada, respeitada. Pra efeitos didáticos, me utilizarei da seguinte analogia: Observemos um casal que começou a namorar. Como esse casal ainda não se conhece, eles apenas trocam entre si declarações do tipo: “eu te admiro”. Mas esse casal passou anos namorando. Até que chegou o dia em que um virou pro outro e disse: “eu te amo”. Ora, o fato de eles dizerem “eu te amo”, não quer dizer que eles não mais se admiram, mas apenas que o sentimento evoluiu e se tornou superior.

Assim acontece com a veneração e a adoração; Então, quem ama, admira. Mas nem sempre ao admirarmos, amamos. Quem adora, venera. Mas nem sempre ao venerarmos, adoramos.

Seguindo a maneira errônea de entender do protestante, quando alguém diz:" eu adoro chocolate", estaria considerando que o chocolate é o criador do céu e da terra, quando ele mesmo dissesse: amo extremamente meus filhos, ele estaria cometendo idolatria, já que para ele e o Aurélio, amar extremamente é o mesmo que adorar. Ademais, “no Dicionário Aurélio 3.0 - Século XXI” também é dito que honrar é venerar. E agora? Será que os protestantes que dizem que venerar é o mesmo que adorar  não honrará mais seus pais porquanto - no Aurélio - venerar significar honrar? . E como fica o santo mandamento que diz: "Honra teu pai e tua mãe" (Luc 18,20); bem como a seguinte sentença bíblica que diz: "Se alguém me serve, meu Pai o honrará" (Jo 12,26); ou ainda: "Honrai a todos" (1 Ped. 2,17). Aliás, no mesmo dicionário, "venerar” significa respeitar. Será que o protestante não mais respeitará nada e ninguém, exceto Deus?... Eu creio que não! Pois, certamente, o mesmo continuará respeitando muitas coisas; bem como dando a honra a quem é devida a honra ( Rm 13, 7; Fl. 4, 8 ), não é mesmo?... Neste caso diga-me meu caro protestante: você honra os santos de Deus? Você os respeita? Sim ou não?

   Será que os protestantes  não sabem que a própria bíblia nos pede para venerarmos ( honrarmos ) os santos(as) ? De fato, nos convida para bendizermos Maria Santíssima cf. “Maria inspirada pelo Espírito santo profetizou: desde agora todas as gerações me plocamarão bem- aventurada, ( Luc 1, 48 ) não se trata de uma simples constatação como traduzem algumas traduções, mas a todos que aceitam a bíblia pede-se uma participação ativa nos louvores a Maria, pois a mulher que teme ao Senhor essa sim será ( deve ser ) louvada ( Prov. 31,30 ). está escrito; Senhor quem habitará no teu santo monte? ... aquele que "honra" os que temem ao Senhor ( Sl 14 ou 15, 1. 4 ), em Jo 12,26 lemos que "Deus honra aqueles que lhes servem" ( obedecem ), isto é, os santos( as ), pois eles o serviram da maneira mais perfeita, e em Ef 5,1 lemos que devemos imitar a Deus. Portanto, se Deus honra seus santos e nós devemos imitá-lo, necessariamente para bem imitá-lo devemos honrá-los também, e como não os  honraríamos nós, vermes da terra, quando os enche de honra o soberano dos céus?. 2 Ts 1, 10 . 12 nos ensina que Jesus é glorificado e  admirável nos seus santos, visto que Cristo se sente perseguido quando são seus servos ( atos 9, 4 ) e se sente amado, honrado e acolhido quando os são aqueles que lhes amam, honram e servem  ( Mt 10, 40;  25, 40; 1 Jo 4, 20-21 ... ) será que os justo falecidos deixaram de amar ... a cristo? deixaram de fazer parte da Igreja, corpo místico de Cristo? estes textos ensinam que a honra  que se atribui a um santo(a), é em última análise honra a Cristo e a Deus pai, que são a fonte de toda santidade e se sente honrados em seus santos.

   Segundo o mesmo dicionário, adorar é amar extremamente. E me responda, então: 'Deus amou o mundo: pouco, medianamente, ou em extremo?  A ponto de - conforme está escrito - entregar o seu Filho amado para salvação do mesmo: "Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho único" (Jo 3,16). por conseguinte, segundo tal protestante e aquele que vulgarmente é denominado de "Pai dos Burros", Deus teria cometido o pecado da idolatria!

leia o debate do pastor Saul com Orlando fedeli: www.montfort.org.br/old/perguntas/imagens2.html

comentário sobre o artigo do site: www.montfort.org.br/old/perguntas/herege_saul.html

afeexplicada.wordpress.com/2011/05/06/venerar-x-adorar-x-rosario/

afeexplicada.wordpress.com/2011/05/06/venerar-x-adorar-x-rosario/

  Quando um protestante dizer para você que venerar é o mesmo que adorar, pergunte-lhe: você venera ou adora seus pais?se responder sim ou que apenas o respeita, lembre-lhe que segundo o dicionário venerar significa " honrar, respeitar" mas que segundo a sua maneira de entender, venerar(= honrar, respeitar) uma criatura é adorar, e adorar uma criatura é idolatria. Diga-lhe que se for dar crédito em suas palavras ou modo de entender, ele não passa de um idólatra por venerar= adorar uma criatura( seu pai e sua mãe) e que portanto o mal caiu em cima do feiticeiro, ou seja, que a acusação de idólatra caiu em cima do acusador. Na própria bíblia em atos 5, 34, tradução revista e corrigida, está escrito que Galamiel era venerado pelo povo. Ora não há nenhuma tradução ou  texto que diz que ele era adorado pelo povo, mas sim venerado=respeitado, acatado, provando segundo a bíblia que venerar não significa adorar. Para tirar o protestante da arapuca em que ele caiu armando-a para você, lembre-lhe que os dicionários, de fato, dão um vasto significado do verbo adorar tomando sempre em consideração o contexto no qual é usado, assim como a intenção do autor da época; venerar os ídolos pode significar adorar ídolos ou deuses pagãos, visto serem apresentados e considerados como deuses (as), é neste sentido que a bíblia de Jerusalém ao traduzir atos 19,27 diz que toda a Ásia e o mundo veneram a deusa Ártemis, São Paulo dizia que Ártemis não era deusa cf. Atos 19, 26  porque assim a consideravam cf. Atos 19, 37.

   É neste sentido que em relação aos ídolos a Igreja Católica proíbe e nos pede que não se acredite em outros deuses afora Deus e até mesmo que não se "venere" outras divindades afora a única cf. CIC n° 2112. Portanto, o católico(a) que conhece e obedece a doutrina católica não acredita nem tem sequer veneração pelos ídolos, falsas divindades, outros deuses, ao contrário, no contexto da veneração dos santos, segundo a doutrina católica, venerar quer dizer dedicar reverência, homenagem, respeito e amor àqueles(as) que abaixo de Deus merecem tais sentimentos pelo povo Deus, pois conseguiram em sua vida de santidade, provar que é possível viver o evangelho de Jesus e atingir a perfeição até onde o homem pode ser perfeito, e por isso é(são) colocado(os) pela igreja como modelo a ser imitado. Esta é a intenção da Igreja, afirmar o contrário é mentira, calúnia e má-fé.

   De fato, ensina oficialmente a Igreja : Nós adoramos Cristo qual filho de Deus. quanto aos mártires, os amamos quais discípulos e imitadores do Senhor, o que é justo, por causa de sua incomparável devoção por seu Rei e Mestre, cf. CIC; catecismo da igreja católica, n° 957. Em 993 “o Papa João xv através da sua encíclica “Cum conventus esset” realça um dos princípios da veneração dos santos: “ Honramos os servos para que a honra recaia sobre o Senhor que disse; quem vos acolhe, a mim acolhe ( Mt 10, 40), citado na revista pergunte e respondermos 348/1991,pág. 265-266. O que fica bem claro o que já foi dito, que a igreja só venera os santos e os honra, porque foram fiéis seguidores de cristo e por isso tornaram para nós modelo de vida evangélica. Em relação a veneração das imagens ensina: "quem venera uma imagem venera a pessoa que nela está pintada( representada). A honra prestada às imagens sagradas é uma "veneração respeitosa", e não uma adoração, que só compete a Deus, cf. CIC n° 2132.

   Portanto a igreja quer que tenhamos as  imagens dos santos ( as) para que olhando para elas possamos meditar nos bons exemplos e edificantes ensinamentos da pessoa nela representada, e pedir a Deus a graça de imitarmos suas virtudes e vida de santidade. É isso que o papa Pio XII nos ensinou e pede na sua encíclica Mediator Dei: Quer a Igreja que se exponham em nossas igrejas as imagens dos santos, para que imitemos as virtudes de quem veneramos as imagens, cf. pág. 106. Devemos fazermos imitadores dos santos em cujas virtudes brilha sobre vários aspecto a própria virtude de Jesus Cristo. a igreja nas festas dos santos do céu tem sempre em vista propor aos fiéis seus exemplos de santidade, pelos quais  os mesmos se animem procurar a beleza  das virtudes do próprio redentor Jesus Cristo cf. pág 105.   não existe em nenhum documento da igreja nenhum ensino ou incentivo para nós adorarmos os  santos ou suas imagens, para praticar-mos idolatria. Os protestantes instruídos admitem que é bíblico a veneração dos santos: a confissão de augsburgo e a confissão helvética, art. 21 e art. 5 estabelecem como verdadeira doutrina protestante que um culto relativo e inferior ao que se presta a Deus  é devida aos santos e aos anjos, e a apologia pela confissão de augsburgo art. 13 declara que são Bernardo, S. Francisco, S. Boa ventura eram realmente santos e no art. 21. 27 declara: Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau. o calendário da Igreja anglicana admite também outros santos.

   Para os protestantes  que dizem: se ajoelhar diante de imagens, carregá-las em procissão, incensar e ascender velas diante delas, orar à imagens, fazer e pagar promessa aos santos, dirigir a eles orações, ações de graças, hinos de louvor ...  não significa adoração fica difícil saber o que os papistas entendem por adoração. Chamar tudo isso de simples veneração respeitosa é subestimar a inteligência humana! parece até piada teológica ! ( cf. Manual de Apologética Cristã, pág. 177, CPAD, catolicismo: verdade ou mentira? págs 30-31, Ed A. d. santos ... e outras literaturas protestantes)

   RESPOSTA: Nenhum Católico pede ou faz oração à imagem, orar diante de uma imagem não é o mesmo que orar à imagem. Se até uma criança tem descortino intelectual suficiente, a ponto de saber que a boneca(imagem) em suas mãos não é uma criança de verdade, sabe apesar da boneca  " falar, chorar, fazer xixi", que ela não tem vida, como não saberemos nós adultos diferenciar a imagem( um simples objeto inanimado) da pessoa santa que ela representa . Deixemos um pastor e ex- padre ( aliás, muito citado por escritores protestantes para criticar a igreja católica ) refutar tais escritores e demais protestantes:" quando o católico se ajoelha diante de uma imagem, ele sabe que é uma imagem, um símbolo ( representação) do santo de sua devoção. di-lo o próprio vocábulo; imagem quer dizer símbolo, cf. os meus graves pecados de padre, págs 47. 117, Aníbal Pereira dos Reis.

   Não pedimos nada à imagem, mas pedimos a intercessão dos santos falecidos porque  para o cristão, "não para o materialista", a morte não significa a extinção da vida, mas a passagem de uma maneira de viver para outra. Sabemos que embora os santos estejam fisicamente mortos, estão espiritualmente vivos e habitando com o Senhor Jesus Cristo no céu  cf. 2° Cor 5,1 . 6 . 8; Fl. 1, 21 . 23; Apoc 6, 9-10 ... “Por conseguinte, o fato dos santos da glória não estarem fisicamente no nosso meio não impede deles conhecerem nossas orações, pois os anjos não estão fisicamente entre nós, entretanto, “pelo poder de Deus”, conhecem as nossas orações, e” por vontade divina" intercedem por nós ( cf. Zac 1, 12-13; Gn 48, 16 ...) e nos protegem ( cf. Sl 91, 11-12; Heb 1, 14; Atos 12, 14-15; Mt 18, 10) ), podemos dizer a mesma coisa relativamente aos santos já falecidos, pois eles são como os anjos de Deus no céu ( Mt 22, 30 ) ou melhor, são iguais aos anjos de Deus no céu ( Luc 20, 23 ). Ora, já que não são iguais por natureza, os são pelo mesmo poder que Deus deu aos anjos do céu : de conhecerem as nossas orações e intercederem por nós.

  De fato, vemos em  Apoc 5,8  os 24 anciões ( que não são uma corte angelical, "os anjos ", pois segundo Apoc 5, 11; 7, 11. Os anjos ficam em derredor desses anciões, portanto não eram eles, mas sim os justos, "santos" , que já estão na glória) apresentando ao cordeiro-Jesus Cristo- as orações dos santos, ou seja, dos fiéis da terra, chamados de santos (cf. Rm 1, 7;  1° Cor 1,1;  2° Cor 1,1;  8,4; Ef 1,1, por terem sidos- por serem- purificados pela água do batismo( atos 2 ,38; Ef 5, 25-26) e por serem fiéis à palavra de Deus (Jo 17, 17; 1° Ped. 1, 15 ... ) ademais, os que estão na glória não precisam de orações, visto que já estão na glória, mas sim, os fiéis da terra, que mesmo vivendo uma vida de santidade, correm o risco de perderem a sua salvação eterna. Ora, apresentar a Jesus a oração de alguém é interceder diante de Cristo, por esse alguém, e como poderiam apresentar a Deus nossa oração se delas não tomassem " PELO PODER DE DEUS" conhecimento?.

   Lemos em 2 macabeus 15, 11-14, que Judas macabeus contemplou no céu Onias e Jeremias, já falecidos, há  muito tempo, orando ( intercedendo ) pelo povo. Aos protestantes que dizem que este livro não é inspirado, pedimos para provarem tal afirmação pela sua regra de fé, ou seja, unicamente pela bíblia, perguntamos-lhe: onde, qual o texto da bíblia diz que o livro de 2 macabeus não é inspirado? Como saber que um livro é inspirado? Onde, qual o texto da bíblia que diz quantos e quais são os livros inspirados? se não responderem unicamente pela bíblia não tem autoridade para dizerem quantos e quais são os livros inspirados!

    Quanto a promessa aos santos faz parte da nossa fé que os santos que estão no céu, mais do que enquanto viviam na terra, continuam intercedendo por nós. Será que agora que estão no céu estão valendo e podendo menos do que quando viviam na terra? Será que Deus tendo preceituado o amor e a caridade na terra para com nossos semelhantes, proíbe ambos no céu, mesmo nos tendo ensinado que o amor, e a solidariedade fruto do verdadeiro amor, jamais acabará cf. 1 Cor 13, 8? Responder que sim, é o mesmo que dizer que o céu é a tortura e destruição do amor e da solidariedade, o que seria uma blasfêmia para com Deus fonte do verdadeiro amor.

   Acreditamos que só Deus como fonte e através do seu poder nos concede a graça e faz milagres e que os santos apenas pedem, "intercedem" por nós diante de Jesus Cristo nosso único mediador entre Deus e os homens cf. 1 tm 2, 5-6. Jesus é único mediador " necessário" junto ao pai, o único mediador "necessário" que nos mereceu todas as graças e a salvação eterna pela sua vida, morte e ressurreição. Só ele pode nos dar dos seus méritos, sem recorrer a nenhum outro mediador. Em outras palavras: Jesus é o único mediador de salvação, é o único salvador pois só ele nos resgatou pela sua morte, como explica o próprio apóstolo paulo no mesmo texto 1 Tm 2, 6.

   Enquanto os santos são nossos intercessores "úteis" junto a Jesus. Eles intercedem por nós por meio de Jesus, recorrendo a seus méritos e a sua única mediação. Assim como Jesus é o único Rei, o único Sacerdote e nos faz participar deste seu único Sacerdócio e reinado cf. Apoc 1,6 semelhantemente nos faz participar desta sua única mediação. O fato de Jesus ser o único mediador de "salvação", por natureza própria, não impede que sejamos mediadores de intercessão, ou seja, intercessores por participação, missão e vontade divina, em tudo dependente e inferior a Jesus, porém úteis, como o próprio Cristo quer que sejamos cf. Mt 5, 44; 1 Tm 2, 1-3; Tg 5,16 ...  isto é intercessão, a esta doutrina, chama-se comunhão dos santos. Quando recebemos de Deus uma graça por intercessão do santo que invocamos, agradecemos através de um  propósito, gesto ou sacrifício de amor e gratidão a Deus como doador, fonte e benfeitor da graça e ao santo como intercessor e canal da graça, considerando-o apenas como um instrumento nas mãos de Deus. Portanto não há nada de heresia nesta doutrina nem nada de idolatria nesta prática.

   Os Protestantes dizem que quem intercede por nós são os que estão vivos, e os que morreram não pode interceder por nós, pois estão dormindo e esperando a ressurreição.  Alguns apresentam o seguinte argumento, tão antigo como a resposta que já lhe foi dado: os santos (canonizados do catolicismo) representam pessoas que já morreram. Pense; se a pessoa estar morta e aguarda a ressurreição, como poderia interceder pelos vivos? Isso implicaria na ideia espírita de que os vivos podem ter contato com os mortos, segundo Dt 18, 10-11 rezar aos santos e padroeiros é abominação a Deus, pois induz a pessoa à consulta aos mortos. Cf. 100 respostas Bíblicas para o catolicismo, Edino Melo, edições ferramenta, pág 15. Antes de tudo perguntamos ao Sr. Edino melo: Desde quando para o cristão, a morte é a extinção da vida? veja a verdadeira resposta Bíblica;

RESPOSTA: Os Santos (as) Morreram fisicamente, não morreram, porém, as suas almas, pois continuam vivendo espiritualmente, de fato: quem disse que estão mortos aqueles que estão VIVOS diante do Trono de Deus, pois o nosso Deus não é Deus de mortos nem de adormecidos, mas de vivos, como ensinou Jesus:

“Moisés chamou ao Senhor: Deus de Abraão, Deus de Isaac, Deus de Jacó. Ora Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos porque todos vivem para Ele.” (Lc 20, 37-38)

Portanto, Jesus nos diz que os santos falecidos (como Abraão, Isaac e Jacó) estão vivos na Presença de Deus, pois VIVEM para Ele. Não estão mortos, nem inconscientes! O livro do Apocalipse também ensina que os santos falecidos não estão adormecidos, mas mesmo antes da ressurreição, suas almas dialogam e intercedem junto a Deus:

“Vi sob o ALTAR as ALMAS DOS HOMENS IMOLADOS por causa da Palavra de Deus e por causa do testemunho que dela tinham prestado. E CLAMARAM EM ALTA VOZ: Até quando ó Senhor, Santo e Verdadeiro, tardarás a fazer justiça, vingando o nosso sangue contra os habitantes da terra? A cada um deles foi dada, então, uma veste branca, e foi-lhes dito, também, que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos seus companheiros e irmãos, que iriam SER MORTOS COMO ELES.” (Apc 6,9-11)

Neste diálogo, as almas dos santos falecidos clamam a Deus para que apresse o Dia do Juízo Final. Observe que as almas não estão adormecidas, mas estão sob o altar de onde falam com Deus. Elas clamam ansiosas pelo Dia do Juízo Final, que será também o dia da aguardada ressurreição da carne. Deus lhes dá uma veste branca (símbolo da santidade) e ordena que aguardem mais um pouco. E, enquanto aguardam, o que fazem estas almas? Aguardam adormecidas ou vivas e acordadas?

Vejamos:

“Então um dos anciões falou comigo e perguntou-me: Esses, que estão revestidos de vestes brancas, quem são e de onde vêm? Respondi-lhe: Meu Senhor, tu o sabes. E ele me disse: Esses são os SOBREVIVENTES da grande tribulação. Lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro. Por isso, ESTÃO DIANTE DO TRONO DE DEUS, E O SERVEM, DIA E NOITE, NO SEU TEMPLO.” (Apc 7,13-15)

Portanto, esta é a situação das almas enquanto aguardam pelo ansioso dia do Juízo Final e da ressurreição da carne, quando finalmente “Deus os abrigará em sua tenda e não haverá nem fome, sede, sol ou calor e Deus enxugará toda lágrima de seus olhos” (Apc 7,15-16). Veja também como estas almas (os santos, pois estavam com vestes brancas, símbolo da santidade), intercedem diante do Trono de Deus:

“Outro anjo pôs-se junto ao ALTAR, com um turíbulo de ouro na mão. Foram-lhe dados muitos perfumes para que os oferecesse com as ORAÇÕES DE TODOS OS SANTOS NO ALTAR de ouro, que ESTÁ ADIANTE DO TRONO. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com AS ORAÇÕES DOS SANTOS, DIANTE DE DEUS.” (Apc 8,3-4)

Eis aí uma passagem bíblica que nos garante a intercessão dos santos falecidos, e que agora estão diante do Trono de Deus. São oferecidas a Deus as orações de TODOS os santos. Se são de todos os santos, são tanto as orações dos santos da terra (cristãos que levam uma vida santa) quanto dos santos do Céu (que estão vestidos de branco diante do Trono de Deus). Embora este trecho da abertura dos 7 selos esteja se referindo aos santos do Céu (no quinto, sexto e sétimo selos), podemos entender as orações que chegam a Deus, também vindas dos santos da terra, pois é afirmado ser as orações de TODOS os santos.

   A própria Bíblia de estudo pentecostal, editada pela CPAD, explicando Ap 8,3-4 admiti e confirma: "João menciona as orações de todos os santos. Sendo assim, as orações dos santos da tribulação, na terra, são reforçadas pela "intercessão" de todos os santos no céu(cf. 6, 9-11). Os santos no céu estão muito interessados nos eventos da terra". Obs: os grifos são meus, em outras palavras, os teólogos da Assembleia de Deus editores e responsáveis pela tradução da Biblia de estudo pentecostal, ensinam que as orações dos santos da terra são reforçadas pela "intercessão" dos santos do céu, pois eles, representados no apocalipse como 24 anciãos, intercedem por nós(santos da terra) apresentando nossas orações ao cordeiro, que é Jesus Cristo Cf. Ap 5,8.(veja a explicação de Ap 4,4 que cita Ap 5, 11; 7,11 para mostrar a impossibilidade dos 24 anciãos serem ou representarem anjos governantes). Tais dizeres significam a afirmação categórica que os santos falecidos estão no céu e que no céu intercedem por nós apresentando nossas orações a Jesus, pois se interessam por nossa salvação. Ora, mas essa é a pura doutrina e interpretação da Igreja Católica, confirmada por aqueles que a negam e criticam, caindo mais uma vez, dentre milhares de vezes, em contradição consigo mesmo e demais protestante.

  Para aqueles que dizem que depois que uma pessoa morre não pode mais interceder, vemos ainda na parábola do rico e do lázaro Cf. lucas 16, 19-31 que uma pessoa (o rico) após sua morte, estando no inferno, pediu para que fosse permitido Lázaro ir evangelizar seus irmãos que ainda viviam na terra, pediu algo em favor de seus irmãos que ainda viviam na terra, em outras palavras, intercedeu por eles, pois interceder é pedir algo em favor de alguém. Ele não foi atendido por dois motivos muito justo: 1- quem está no inferno não tem mérito nenhum para ser atendido, 2- pediu duas coisas contrário à palavra de Deus, a saber; amenização das penas do inferno que são eternas e um contato físico de falecidos e vivos da terra, o que seria espiritismo quando a iniciativa (tentativa) parte do homem. Porém, ninguém pode negar em perfeito juízo e com um mínimo de inteligência que ele intercedeu. Pois bem, se uma pessoa depois de morta estando no inferno pôde interceder pelos que ainda viviam na terra, por que não podem os santos falecidos que estão no céu? quer dizer então que, quem está no inferno vale mais e pode mais diante de Deus do que aqueles que estão no céu? Como ainda afirmar que, de acordo com a bíblia, uma pessoa depois que morre não pode mais interceder? só porque Jesus falou em parábola? que dizer então que Jesus usou comparações falsas para ensinar as verdades sobre a vida após a morte? Jesus falaria (ou teria falado) em intercessão após a morte Lc 16, 27-28, se a mesma fosse impossível?

   Vemos assim que o protestantismo  é  uma torre de babel construída com e em cima de contradições. O próprio Sr. Edino melo deixa subtendido que os santos e padroeiros por estarem mortos não estão vivos, e por isso não podem interceder, pois pergunta: se apessoa estar "morta" como poderia interceder pelos "vivos" ?. Entretanto, o Sr. Edino melo é a melhor refutação daquilo que ele mesmo escreve e deixa subtendido, pois ao refutar o adventismo em seu livreto:  combatendo seitas e heresias I, pág 38, escreve; "Há vários textos que enfatizam a continuidade (da vida consciente) após a morte cf. At 7, 59; Fp 1, 21; Lc 23, 42-43; Hb 12, 22-23; Ap 6, 9-10; 7, 9-14; Lc 16, 19-31; Mt 17, 1-8; Ec 12, 7; II Cor 5, 1. 6. 8; I Ts 5, 10". Assim o próprio escritor anula e refuta suas críticas à doutrina Católica nesse ponto. Se ele responde que é porque tal intercessão consistiria em prática espírita da evocação aos mortos, então ele apenas vai engrossar o caldo (venenoso) da sua ignorância e má fé, é o que veremos abaixo.

   É de fundamental importância distinguir as palavras "invocação" e "evocação". Nós católicos invocamos os santos conforme a primeira acepção do verbo "invocar" de acordo com o Dicionário Aurélio: "Implorar a proteção ou auxílio de; fazer súplicas a". Isso nada tem a ver com “evocação dos mortos” (de acordo com o Aurélio: "1. Chamar de algum lugar. 2.Fazer aparecer, chamando por meio de esconjuros,"). Quem dirige uma prece a um santo não está, de forma alguma, “consultando” a um morto, mas está se dirigindo a uma pessoa viva, e podemos dizer até muito mais viva do que nós, pois já goza da bem-aventurança eterna junto a Deus, e por isso mesmo pode interceder por nós com muito mais eficácia.

   Invocar significa pedir a ajuda ou intercessão de alguém, enquanto evocar é bem diferente, pois consiste em reclamar a presença da pessoa junto a si. Note que o próprio uso e prática que se faz na Igreja Católica e o que se faz entre os espíritas denuncia estes sentidos: os católicos buscam a intercessão dos santos junto a Deus e para isso não precisam de médium; já os espíritas buscam "trazer" alguém conhecido de volta (normalmente um ente querido que se foi) e para isso precisam de médium.
   Se invocar fosse errado, como poderíamos invocar o próprio Cristo em nossas orações, como Ele mesmo ordenou que fizéssemos, ao pedir em Seu nome todas as coisas ao Pai? É evidente que se pode invocar a Cristo, para que O Intercessor por excelência possa apresentar nossas súplicas diante do Pai Eterno. E também o mesmo se aplica aos santos, que intercedem junto a Jesus Cristo, pois estão em sua presença, e querem nosso bem. Não se condena na Bíblia o pedido de auxílio aos santos e a Nosso Senhor mesmo.

   A propósito, esclarece Frei Boaventura Kloppeburg, renomado Teólogo brasileiro, em sua obra “O Espiritismo no Brasil, Orientações para os Católicos”: "Várias vezes nos objetaram que também os católicos evocamos os mortos, quando rezamos aos santos. Mas isso não é verdade: não evocamos, mas invocamos os Santos. Dirão que as palavras ‘evocar’ e ‘invocar’ são sinônimas. Etimologicamente pode ser, mas realmente os conceitos são bem diferentes: Quando o espírita ‘evoca’ um espírito ele quer que o espírito desça, baixe e se comunique perceptivelmente com a gente; quando o católico ‘invoca’ um Santo, ele quer que o Santo por assim dizer suba ao trono de Deus para interceder por nós, para tornar-se o nosso intercessor e não que baixe e fale conosco. Não há, na devoção católica aos Santos, nem vestígio de mentalidade espírita" (Op. cit., 2ª Ed., Petrópolis: Vozes, 1964, p.183). 

   Ora, a evocação dos mortos, ou necromancia, se dá com base na crença espírita de que os espíritos dos falecidos podem perambular pelo mundo atendendo às nossas exigências. Neste sentido, o homem poderia perfeitamente evocar sua presença ou seus conselhos, donde surgem as práticas espíritas de psicografia, psicofonia, vidência, entre outras. A evocação dos mortos sugere que o homem tem o poder de trazer um espírito à terra. Há, portanto, uma pretensão de domesticar os poderes divinos; é a soberba do homem que se acha Deus.

   Já a invocação dos santos tal como a Igreja Católica ensina e pratica, se baseia na comunhão dos santos, isto é, comum- união( espiritual de amor e solidariedade) entre todos os membros da Igreja militante e triunfante, visto que todos somos membros da igreja de Cristo cf. Ef 4,16; 1° Cor 12, 12-27; Rm 12, 4-5; Hb 12, 1. 22-24... Por conseguinte, Assim como as partes que compõem o corpo se servem (ajudam-se) mutuamente, do mesmo modo todos os que pertencem ao corpo místico de Cristo (sua Igreja) nós na terra e os santos do céu, nos interessamos e servimo-nos uns aos outros cf, 1° Cr 12, 24-26. Invocando os santos os católicos não pretendem fazer  eles baixar à terra e falar, nem ter um contato ou comunicação sensível com eles, mas humildemente lhes pedem que intercedam pelos irmãos peregrinos da terra. Deus, que fez os membros da Igreja solidários entre sí, não permite que a morte rompa essa comunhão(solidariedade) fraterna, de modo que ele dá a saber aos santos da glória os pedidos que lhes fazemos. Pedir o auxílio de um santo (ou apresentá-lhe nossos anseios ...)  não se configura com necromancia(consulta aos mortos), uma vez que o próprio Jesus conversou com Moisé, o qual já havia falecido cf. Mt 17, 3 e nem por isso praticou necromancia.

   Há, portanto, uma cabal diferença entre a perniciosa necromancia praticada pelos espíritas(condenada pela Bíblia e pela doutrina católica) e a intercessão dos santos, à qual recorre a Igreja Católica. São como óleo e água.

    De fato, a  Igreja condena claramente o espiritismo: “Todas as práticas de magia ou de feitiçaria com as quais a pessoa pretende domesticar os poderes ocultos, para colocá-los a seu serviço e obter um poder sobrenatural sobre o próximo – mesmo que seja para proporcionar a este a saúde –, são gravemente contrárias à virtude da religião. Essas práticas são ainda mais condenáveis quando acompanhadas de uma intenção de prejudicar outrem, ou quando recorrem ou não à intervenção dos demônios. O uso de amuletos também é repreensível. O espiritismo implica frequentemente práticas de adivinhação ou de magia. Por isso a Igreja adverte os fiéis a evitá-lo (Catecismo da Igreja Católica, n° 2116-2117). Leia ainda em; Doutrina Católica compendiada hoje para adultos, pág 122, edições loyola, 11° edição.

   E O Senhor Deus ordena: “Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou à evocação dos mortos,  porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações.  Serás inteiramente do Senhor, teu Deus” (Deuteronômio 18,10-13; Lv 19, 31; 20, 6 ...).

   Pretender fazer exegese bíblica com um dicionário é um absurdo enorme. A linguagem e a complexidade das Sagradas Escrituras superam em muito a simplicidade e pragmatismo que caracterizam os dicionários. Como exemplo, se consultarmos o verbete "fé", segundo o Aurélio, temos uma noção muito superficial, a de "confiança" ou de "adesão irrestrita". Porém, fé assim considerada perde muito de seu sentido, para não dizer que é um sentido falso. Segundo São Paulo, fé é 'o fundamento das coisas que se esperam, e uma demonstração das coisas que não se veem' (Hebreus, XI, 1). E Segundo São Tomás, é "a adesão da inteligência às verdades reveladas por Deus". Veja o abismo que separa o Sr. Aurélio de São Paulo e São Tomás, e como uma verdade tão fundamental como a fé não pode sujeitar-se às estreitezas do dicionário.

   O protestante que faz tal objeção  confundindo ou querendo assemelhar evocação dos mortos (prática espírita) com invocação dos santos (prática católica), e, por conseguinte, querendo assemelhar catolicismo com espiritismo, apenas mostra que não conhece ou finge não conhecer a doutrina católica nem a História e doutrina do espiritismo.

   O feitiço caiu em cima do feiticeiro: a armar que o objetante quis disparar contra o catolicismo disparou em cima do protestantismo. De fato: As primeiras manifestações do espiritismo moderno realizaram-se em casa da família fox, que era protestante metodista, e nenhuma dessas pessoas mesmo evocando os mortos cria nem praticava a invocação dos santos. Ademais, o codificador do espiritismo; Allan Kardec, foi educado no protestantismo. Cf. O espiritismo no Brasil e em portugal, pág 118, Rio 1896. Citado por Carlos de Laet em Heresia protestante, pág 134, em 1907.

   O protestante que faz tal objeção (Pastor Álvaro reis, Pastor Aníbal pereira dos reis, Sr. Edino melo e companhia...) peca por ignorância ou má fé: ou desconhece a severa doutrina católica no tocante ao espiritismo e suas práticas, ou se a conhece, maliciosamente a esconde, só para ter o efêmero gostinho de fomentar objeções de todo fúteis (sem valor) e aleivosas (falsas e sem fundamento). Se o fez por malícia não é um adversário (opositor) leal (sincero, honesto...), e se for por ignorar não é cajado de pastor (ou de cristão veraz) isso que impunha, mas um bordão de cego, e de cego imprudente (malicioso, falso...) Cf. Carlos de Laet, em Heresia protestante, pág 139, editor A. Campos, 1907.

  SAIBA COMO RESPONDER AS PRINCIPAIS OBJEÇÕES CONTRA A INTERCESSÃO DOS SANTOS JÁ FALECIDOS, EM:

  larcatolico.webnode.com.br/news/intercess%C3%A3o-dos-santos/

 

   Quanto às demais atitudes e práticas convêm saber que:  

   Algumas vezes, os gestos externos da adoração e veneração podem ser totalmente idênticos, como: inclinar-se, ajoelhar-se, incensar e etc., mas todos devem saber que os gestos devem ser interpretados de acordo com a intenção de quem os realiza, pois um mesmo gesto pode ser feito com várias intenções, por exemplo: ajoelhar-se ou prostrar-se, na Bíblia, nem sempre significa adoração (cf. Mt 4,9-10), mas também súplica, homenagem, respeito, reverência, saudação, confira :

   Josué e todos os anciãos se prostraram frente à arca da aliança (a qual tinha duas esculturas em cima – os querubins) até a tarde (cf. Js 7,6). Será que Josué e os anciãos foram idólatras e trocaram o Deus verdadeiro pela arca da aliança?
   Abraão, o pai de uma multidão, escolhido por Deus, se prostrou frente aos três anjos que desceriam a Sodoma e Gomorra (cf. Gn 18,2). Teria sido Abraão idólatra por ter se ajoelhado diante dos anjos?
   Moisés se prostrou frente ao seu sogro (cf. Ex 18,7). Será que aquele que foi o portador dos mandamentos de Deus foi o primeiro a não obedecer, praticando a idolatria pelo simples fato de se ajoelhar diante de seu sogro?
   Davi se inclinou três vezes diante de Jonatas (cf. 1Sm 20,41) e inclinou-se com o rosto em terra, fazendo reverência a Saul (cf. 1Sm 24,8-9).
   Jacó, ao ver Esaú e quatrocentos homens com ele, inclinou-se sete vezes em terra, até chegar perto do seu irmão (cf. Gn 33,1-3).
   Isaac, próximo de sua morte, abençoou Jacó dizendo-lhe: nações se encurvem a ti e os filhos de tua mãe se encurvem a ti (Gn 27,29, J. F. de Almeida, edição revista e corrigida). Estaria o patriarca Isaac, no fim de sua vida, pedindo para que as nações (os povos) adorassem o seu filho ao se encurvarem diante dele, incentivando, assim, a idolatria?
Sabemos através de Mt 27,29 que ajoelhar-se pode significar até mesmo escárnio, zombaria, pois lemos que os soldados se ajoelharam diante de Jesus para zombar dele, provando assim que ajoelhar-se nem sempre significa adoração. Leia ainda: Gn 23,7; 42,6; 44,14; Ex 18,7; 43,28; Nm 22,31; 2Sm 14,4-22; 1Rs 1,16-23; 2Rs 4,36-37; 1Cr 29,20; Sl 138(137),2; At. 16,29; 7,60; Ap 3,9. Estude: www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/imagens/480-prostrar-se-indica-sempre-adoracao
   Como se vê, existem várias finalidades em que se pode existir licitamente a prostração. Se prostração fosse, em si, proibida, então nenhuma forma de prostração poderia ser permitida ou biblicamente lícita. Todavia, fica claro, biblicamente, que a prostração proibida se refere justamente à que tem por finalidade adorar as criaturas. A prostração adorativa, essa, só a Deus.    Se prostração fosse sinônimo unicamente de adoração (à divindade, como querem os protestantes) então, seria difícil explicar os textos bíblicos citados acima, onde existe prostração sem a finalidade de adoração, sem a prática da idolatria.
   Ademais, lemos na palavra de Deus que tanto Davi, Josué e os filisteus fizeram procissões religiosas levando solenemente a arca da aliança, na qual havia duas imagens de esculturas em cima (cf. Ex 25,17-22) – cf. 1Sm 6,1.4-5.10-18; 2Sm 6,12-18; Js 6,4-16; 2Cr 5,2-8; Ne 12,27-43; e enquanto faziam a procissão eram guiados e protegidos por Deus (cf. Nm 10,33-34). Nenhum destes textos mostra que eles adoraram a arca ou as imagens de esculturas que iam à cima da mesma. Afirmar o contrário é blasfemar, dizendo que Deus guiava o seu povo para a idolatria, protegendo-o enquanto a praticava.
Isto prova biblicamente que não é o fato de se fazer procissão levando imagens, nem de se ajoelhar diante delas, que faz ou leva as pessoas a adorá-las, e nem isto é prova de que as estão adorando. Sim, está provado biblicamente que a adoração não está intrinsecamente ligada a posição, gestos ou atos externos, mas à intenção de quem os faz; que o povo de Deus, Davi,    Josué, os filisteus... prestavam culto a Deus diante (e usando) sinais visíveis como a arca da aliança e imagens (cf. Js 7,6; 2Sm 6,12-18; Nm 21,8-9...).
   Para que haja idolatria não basta algum ato externo. É necessário que “o outro ser, pessoa (santo(a)) ou objeto (imagem)” seja considerado Deus, com qualidades e poderes divinos, que seja valorizado igual ou mais do que Deus. Ora, nenhum católico (a) "que conhece e obedece a doutrina católica" considera nenhuma criatura (pessoa), por mais santa que seja, nem sua imagem, a coisa mais importante de sua vida e menos ainda como Deus. Dizer o contrário é calunia e mentira que assim como a idolatria fecha as portas do céu para quem morre com tais pecados.
   Ser católico é seguir os ensinamentos e preceitos da Igreja. Não posso dizer que sou católico se não me esforço para conhecer e obedecer ao que a Igreja ensina. Logo, se a Igreja ensina que não devemos adorar nenhum santo (a) nem suas imagens, se há algum católico que faz isso deixa de ser católicos autêntico, pois esta não é uma atitude verdadeiramente católica, visto que a Igreja não a ensina e lhe é contra.

    Infelizmente alguns protestantes caluniando e mentindo dizem e escrevem: a essência da adoração na Igreja Católica Romana gira não em torno do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas da pessoa da virgem Maria, cf. Seitas e Heresias Um Sinal dos Tempos, página 30, CPAD. O culto aos santos e a adoração a Maria, à luz da bíblia, desclassificam o Catolicismo Romano como Religião Cristã. É idolatria!. Maria é reconhecida como deusa no catolicismo, os fatos falam por si mesmo, pois o livro católico "glórias de Maria" , de Afonso de Ligório, Atribui a Maria toda a honra e toda a glória que a bíblia confere ao senhor Jesus Cristo, cf. Manual de apologética cristã, pág. 179, CPAD. A mesma afirmação se encontra também na revista defesa da fé, ano 2, n° 8, 1998, páginas 27-36, ICP, ambos, semelhantes a  papagaios que repetem o que escutam sem entender nada do que falam, apenas repetem o que já havia dito Loraine Boettner em seu livro " Roman Catholicism, 1962"catolicismo romano, págs 114-125, 1° edição, imprensa batista regular, 1985, que por sua vez já repete de Joseph  Zacchello, editor de The Convert ... etc., etc. Loraine boettner na pág. 124 após admitir que: " a Igreja Católica Romana, oficialmente ensina que Maria é apenas uma criatura, altamente exaltada, mas ainda uma criatura, de maneira nenhuma igual a Deus"  diz : mas a intenção e a prática resultante do sistema são duas coisas diferente, temos de insistir que é adoração e que, portanto, é idolatria. Os protestantes que insistem em difamar, caluniar, mentir contra a Igreja católica e contra os católicos chamando-os de idólatras... Assim os fazem, seguindo o mau conselho e tática de Martinho Lutero - pai e fundador do protestantismo - que dizia abertamente: os hereges não são bem acolhidos se não pintam a igreja como falsa, má e mentirosa ( cf.caiafarsa.wordpress.com/o-estado-do-vaticano/) estão seguindo o mau conselho do filósofo francês Voltaire que dizia: menti, menti que alguma coisa sempre há de ficar. Parecem  que são cristãos santos, porém, com tal atitude demonstram que não são, pois usam táticas e meios diabólicos (o diabo é o pai da mentira, calunia... ) para difamando a igreja católica conseguirem adeptos para suas seitas, fazendo realizar-se em suas vidas e "igrejas" a profecia de 2 Ped. 2, 1-3; Atos 20, 29-30.

   RESPOSTA: Ora, como já dizia santo Agostinho " a práxis cristã deve está em conformidade com a fé", portanto, a prática católica ( orações, devoções, "terços, ladainhas, veneração dos santos e de suas imagens ..." ) bem como as declarações e afirmações de escritores católicos "padres, teólogos ... sobre doutrina, moral, espiritualidade ... católica", devem ser interpretadas, aceitas e vivenciadas segundo a intenção que a igreja ensina. E seguindo a intenção e ensinamento oficial da Igreja é impossível haver ou se cometer idolatria ou heresia, se algum católico(a) faz ou diz verbalmente ou por escrito algo contra a intenção e doutrina oficial da igreja, não estar sendo um católico autêntico, e assim como não é justo  condenar a medicina por causa do erro ou desobediência do médico, a lei por causa do erro ou desobediência do juiz, a educação por causa do erro ou falta de interesse do estudante ... também não é justo nem cristão condenar a mãe Igreja por causa dos erros que seus filhos cometem justamente por não se interessarem em saber os bons conselhos, ensinamentos e ordens edificantes de sua mãe, ou porque mesmo sabendo-os não os seguem nem obedecem. De fato, Ao contrário do que diz o pastor assembleiano e outros, a Igreja Católica ensina em seus documentos oficias que : cristo é o centro de toda a vida cristã, o vínculo com ele está em  primeiro lugar, na frente de todos os outros vínculos e nenhuma criatura jamais pode ser equiparada (considerada igual, menos ainda superior) a Jesus Cristo, pois ele tem em tudo a primazia ( prioridade) cf. catecismo da igreja católica n° 1618. 970 e 792, Compêndio Vaticano II,pág. 109, edição 18°. faço questão de começar citando os principais livros católicos mais mal interpretados por alguns protestantes para tentarem provar que a Igreja ensina adoração a Maria. Depois citarei alguns catecismos.

   glórias de Maria, 21ª edição, editora santuário :

   Maria não tem mais poder que Jesus Cristo, nosso único salvador, o qual com seus méritos nos obteve e ainda  obtêm a salvação, não é mais poderosa que Deus pág. 118. Unicamente em Jesus Cristo está nossa salvação, vida e ressurreição,  pág. 25. Seja-me permitido acentuar a diferença entre a mediação de justiça, em vista dos méritos, e a mediação de graça, por via de intercessão. Nós confessamos que Deus é a fonte de todos bens e o senhor absoluto de todas as graças.   Confessamos também que Maria não é mais que uma criatura e que, quanto obtém, tudo recebe de Deus Pág. 133. Confessamos que Jesus Cristo é o único mediador de justiça, por natureza, o único que em virtude de seus próprios méritos nos obtém a graça e a salvação , Mas ajuntamos que Maria é medianeira de ( por) graça (por participação), e como tal pede por nós em nome de Jesus Cristo, pelos méritos dele. pag. 134 e 163. Diz-se que Maria é onipotente ...  mas é do modo que se pode entender de uma criatura que não é capaz de atributo divino pág. 153. Aquele que põe sua esperança na criatura, independente de Deus, é sem dúvida amaldiçoado pelo senhor. Pois tão somente ele é a única fonte e distribuidor de todo bem. Sem ele nada tem e nada pode dar a criatura pág. 147. Quem ignora que a honra prestada às mães redunda em glória para os filhos? Os pais são as glórias dos filhos, lemos nos provérbios 17, 6. Quem muito enaltece a mãe, não precisa ter receio de obscurecer a glória do filho, pois quanto mais se honra a mãe, tanto mais se louva o filho. É tributada ao filho e ao Rei toda honra que se presta à Mãe e à Rainha pag. 131. se o leitor encontrar na presente obra (que não passa de um tributo de amor, de um  hino afetuoso e cordial em honra da virgem pag. 14-15. 21) algumas proposições temerárias e obscuras hão de ser interpretadas de acordo com a santa Igreja Católica Romana da qual me declaro filho obediente; por isso submeto a seu juízo tudo o que vem em meu livro pag. 24 e 20.

   Sendo a obra um tributo e hino de amor de santo Afonso de ligório à Maria, convêm lembrar que as expressões de quem realmente amam nem sempre são "literalmente" verdadeiras, ou seja,  nem sempre deve ser interpretadas literalmente, porque o ardor do sentimento dilata, produz muitas vezes exagero na linguagem,  através do gênero literário poético, figurado... Sendo assim, haveis de exigir do amante que fale em termos  precisos e técnos à sua amada? À boa mente admitimos que, quem interpreta falsamente as fervorosas expressões de devoção de alguns escritores católicos, poderá encontrar em seus livros heresias ou blasfêmias; mas é isso honesto? Para quem ao ler tal obra fique em dúvida do amor "incomparável" de S. Afonso à Jesus Cristo, peço que leia o livro "a prática do amor a Jesus Cristo" editora santuário, do mesmo autor. O qual ele considera como o livro mais importante, útil e necessário de todas as suas obras espirituais, na qual ele nos ensina, incentiva e comove a amar Jesus Cristo acima de tudo, de todas as criaturas e de todo coração.  Nos ensina também as principais virtudes a serem praticadas e os defeitos a serem evitados para conservar e aumentar em nós o santo amor a cristo. É o livro mais vendido e lido do autor e instrumento de milhares de conversões a nosso  salvador Jesus Cristo, traduzido em quase todas as línguas faladas do mundo.

   Tratado da verdadeira devoção a santíssima virgem, 3ª edição :

   Com toda a Igreja confesso que Maria, não sendo mais que uma simples criatura saída das mãos do Altíssimo, é menor que um átomo, ou antes, não é nada em comparação com a sua majestade infinita, visto que só Deus é "Aquele que é" cf. êxodo 3,14.  pag. 25. Não existe em nossa senhora nenhuma grandeza que não seja apenas reflexo da infinita grandeza de Jesus, comentário ao n° 31, pag. 35. Jesus Cristo nosso salvador, deve ser o fim último de todas as nossas devoções; de outro modo seriam falsas e enganadoras, Porque só nele habita toda a plenitude da divindade, e todas as outras plenitudes de graça, virtude e perfeição. Ele é o único mestre que nos deve ensinar, o único senhor de quem devemos depender, o caminho único que nos deve conduzir, a única verdade em que devemos crer, a única vida que nos deve animar, o único tudo, que nos deve bastar em todas as coisas. Não nos foi dado , debaixo do céu, outro nome pelo qual devamos ser salvos, senão o nome de Jesus, Deus não constituiu outro fundamento da nossa salvação, perfeição e glória senão Jesus Cristo, pag. 61 n° 61.

   Alguns protestantes não querem conceder à igreja católica o direito de ter a sua doutrina julgada e interpretada da maneira que ela mesma a entende e com a intenção que ela a ensina, ao contrário, interpretam as palavras de santo Afonso, de são Luís Maria montfort,  de outros escritores católicos e de documentos oficiais da igreja em um sentido expressamente condenado por eles. Em relação aos dois mencionados, ambos deixam bem claro, por diversas vezes, que as qualidades atribuídas a Maria, o são por graça, por causa de Deus, pelo poder e vontade do senhor, apenas por participação da glória divina e não por privilégio ou poder próprio dela. Lembram repetidas vezes que Maria é apenas uma criatura e não o criador.

   A fé da Igreja e a teologia nunca ignoram ou nivelam ( igualam) a diferença entre veneração a Maria e a adoração que somente corresponde a Deus, Maria nunca  é venerada como divindade mãe, à moda das divindades pagãs. A veneração tributada  a Maria se distingui essencialmente da adoração devida só a Deus. Devemos distinguir sempre a linguagem de devoção da linguagem dogmática, é preciso levar em consideração  as regras da hermenêutica, mesmo quando em alguns textos e orações da liturgia da igreja ( como por exemplo: na salve rainha, ladainhas ... ) se aplicam a Maria títulos " que em sentido original" se aplicam a Jesus Cristo ( nossa vida, esperança, advogada ... ) tais declarações entusiásticas não pretendem ser afirmações teológicas, dogmáticas, muitas vezes se trata de poesia, expressões de amor, e a forma literária da poesia exige um método de interpretação diferente do que se aplica às declarações dogmáticas. Em virtude da inclusão da atividade humana no evento redentor, as declarações que em seu sentido original e primário corresponde a Cristo, numa forma derivada, dependente, relativa podem também aplicar-se ao redimido, enquanto a santidade e virtudes  de Jesus é salvificamente operante para seus servos ( cf. a fé da igreja, volume VI, págs 143-144,de Michael schmaus, editora vozes ).

   Em outras palavras: tudo de bom, de grande, de honroso que possui as criaturas ( pessoas ), Deus o possui por natureza e poder próprio, porque é a fonte de toda bondade, santidade, honra e demais virtudes; toda prerrogativa ( privilégio, virtude ) das criaturas é participação ( reflexos) das infinitas grandezas e perfeições de Deus. Maria é invocada na igreja sob os títulos de advogada, auxiliadora, medianeira ... Isto, porém, se entende de tal modo que nada derrogue ( diminua), nada acrescente à dignidade e eficácia de Cristo, o único mediador, pois nenhuma criatura jamais  pode ser colocada no mesmo plano ( ser considerada igual ou superior ) a Jesus Cristo nosso salvador ( cf. concílio vaticano II, lumem gentium, n° 60.62, compêndio vaticano ll,  págs 108-109 ).

   Ora,  Não é usando a mentira, calúnia, deturpação, má fé ... com o intuito diabólico de difamar e caluniar  a Igreja Católica e os católicos que tais pastores e demais protestantes conseguirão salvar suas almas, irão para o céu, não é se comportando como filho do diabo (pai da mentira, calúnia ...) que terão Deus por pai ou reinarão com o Criador por toda eternidade ! Sabemos que só Jesus è nosso salvador, entretanto, são Paulo diz que Timóteo "perseverando fiel à doutrina"  tem por missão salvar a si mesmo e salvar os outros (cf. 1 Tm 4, 16:" te" salvarás, tanto a ti mesmo , como aos que te ouvem), será que tais pastores e demais protestantes ousariam dizer que S. Paulo estava negando que Jesus é o salvador ou considerando Timóteo igual ou superior a Cristo? O crítico literário, Giovanni Boccaccio, honrou o famoso poema italiano de Dante Alighieri com o título de: A " Divina" comédia, será que tais pastores e demais ... Ousariam  dizer que Giovanni estava endeusando tal poema? Será que tais pastores e demais protestantes nunca cantaram o hino nacional que diz: " ó pátria amada, idolatrada, salve, salve ...! ? estariam então idolatrando a pátria por chamá-la de idolatrada ? poderia citar vários outros exemplos onde não se absolutizam tais palavras originalmente aplicadas a Deus- Jesus, mas aplicadas a outras pessoas e coisas.  Por que somente quando aplicada a Maria e outros santos tais pastores e demais ... absolutizam para difamar e caluniar a igreja católica?

   Manual da legião de Maria, 1ª edição :

   Qual a posição de Maria em relação a Deus ? Como todos os mortais foi tirada do nada; e embora Deus a sublimasse a um estado de graça imenso, diante do criador ela não passa do nada, 5ª capítulo, artigo 1 "Deus e Maria", pag. 18.

   Com Maria, rumo ao o novo milênio, 3° edição, CNBB, conferência nacional dos bispos do Brasil :

  Não podemos colocar Maria no mesmo nível de Jesus," ela não é deusa", nem entra no meio da trindade. Reconhecemos e acreditamos que só Jesus é o nosso salvador ( Atos 4, 12), o único Senhor ( Fl.  2, 11), o único mediador entre Deus e a humanidade (1 Tm 2, 5-6), nós, cristãos católicos, adoramos somente a Deus : ao pai criador, pelo filho redentor, no Espírito santificador, e continuamos respeitando e venerando os santos pois eles são como pequenos riachos, afluentes que nos levam ao grande rio que é Jesus, cf. páginas 14, 63, 11-13.

   Vemos assim que a Igreja Católica nunca ensinou nem ensina adoração a nenhuma criatura (pessoa, por mais santa que seja), menos ainda algum objeto. Apesar disso alguns protestantes tornam seu pecado de mentira, calúnia... mais grave ainda "tornando-os por isso mais dignos do inferno", dizendo e escrevendo que : A Igreja Romana ensina adoração de imagens, se o católico disser que não adora não se lhes deve dar crédito, 20 razões por que não pertenço à Igreja Romana, pág. 14-15. Os romanistas podem ser chamados legitimamente não somente de idólatras, e sim também de politeístas, A idolatria desmascarada, pág. 6. O Sr. Edino Melo(escritor protestante muito citado atualmente) escreve : as imagens católicas é o mesmo que ídolo, é condenada expressamente por Deus, e cita todas as condenações da bíblia à idolatria e aos ídolos como se estivesse se referindo às imagens e práticas  católicas, cf. 100 respostas bíblicas para o catolicismo, páginas 18-24 edições ferramenta, Édino melo em outro livreco chega ao absurdo de dizer que "na bíblia imagem é o mesmo que ídolo", cf. A bíblia católica e a fé do devoto, pág. 32, idem, quer dizer então que as imagens que Deus mandou fazer são ídolos ... ? veja a quer absurdos e blasfêmias contra Deus e a sua palavra o preconceito contra a igreja católica levam alguns protestantes ! ( veja repostas às objeções deste autor em:

 sadoutrina.wordpress.com/2010/08/16/refutando-o-livro-20-verdades-sobre-catolicismo-parte-i/

sadoutrina.wordpress.com/2010/08/18/refutando-o-livro-20-%E2%80%9Cverdades%E2%80%9D-sobre-catolicismo-%E2%80%93-parte-ii/

sadoutrina.wordpress.com/2010/08/20/refutando-o-livro-20-%E2%80%9Cverdades%E2%80%9D-sobre-catolicismo-%E2%80%93-parte-iii/

sadoutrina.wordpress.com/2010/08/24/refutando-o-livro-20-%E2%80%9Cverdades%E2%80%9D-sobre-catolicismo-%E2%80%93-final

sadoutrina.wordpress.com/2010/06/17/imagens-x-idolatria/ ).

Contra tais mentiras, calúnias... A Igreja Católica ensina oficialmente que:

O PRIMEIRO MANDAMENTO

  2083«...”. Não terás outros deuses perante Mim. Não farás de ti nenhuma imagem esculpida, nem figura que existe lá no alto do céu ou cá em baixo, na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas nem lhes prestarás culto (Ex 20, 2-5) .

«Está escrito: "Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto"» (Mt 4, 10).

 2084.  Não ireis atrás de outras divindades» (Dt 6, 13-14). O primeiro apelo e a justa exigência de Deus é que o homem o acolha e o adore.

2085 «Não haverá jamais outro Deus e nunca houve outro, desde os séculos [...], senão Aquele que fez e ordenou o Universo.Nós não pomos as nossas esperanças em qualquer outro, que não há, mas no mesmo que vós, o Deus de Abraão, Isaac e Jacob» .

2086. « ... Devemos necessariamente aceitar as suas palavras e ter n'Ele uma fé e confiança plenas.

A ADORAÇÃO

2096. A adoração é o primeiro ato da virtude da religião. Adorar a Deus é reconhecê-Lo como tal, Criador e Salvador, Senhor e Dono de tudo quanto existe, Amor infinito e misericordioso. «Ao Senhor teu Deus adorarás, só a Ele prestarás culto» (Luc 4, 8) – diz Jesus, citando o Deuteronômio (Dt 6, 13).

2097. Adorar a Deus é reconhecer, com respeito e submissão absoluta, o «nada da criatura», que só por Deus existe... A adoração do Deus único liberta o homem da escravidão do pecado e da idolatria

«Não terás outros deuses perante Mim»

2110. O primeiro mandamento proíbe honrar outros deuses, além do único Senhor que Se revelou ao seu povo: e proíbe a superstição e a irreligião

A SUPERSTIÇÃO

2111. A superstição é um desvio do sentimento religioso e das práticas que ele impõe, por exemplo: Atribuir só à materialidade das orações ou aos sinais sacramentais a respectiva eficácia, independentemente das disposições interiores que exigem, é cair na superstição.

A IDOLATRIA

2112. O primeiro mandamento condena o politeísmo. Exige do homem que não acredite em outros deuses além de Deus, que não venere outras divindades além da única. A Sagrada Escritura está constantemente a lembrar esta rejeição dos «ídolos, ouro e prata, obra das mãos do homem, que «têm boca e não falam, têm olhos e não veem...». Estes ídolos vãos tornam vão o homem: «sejam como eles os que os fazem e quantos põem neles a sua confiança» (Sl 115, 4-5.8) . Deus, pelo contrário, é o «Deus vivo» (Js 3, 10) .

2113. A idolatria não diz respeito apenas aos falsos cultos do paganismo. Continua a ser uma tentação constante para a fé. Ela consiste em divinizar o que não é Deus. Há idolatria desde o momento em que o homem honra e reverencia uma criatura em lugar de Deus(substituindo Deus por ela). A idolatria recusa o senhorio único de Deus; é, pois, incompatível com a comunhão divina.

2114.  A idolatria é uma perversão do sentido religioso inato no homem. Idólatra é aquele que «refere a sua indestrutível noção de Deus seja ao que for, que não a Deus» .

«Não farás para ti nenhuma imagem esculpida...»

2129... não vos deixeis corromper, fabricando para vós imagem esculpida» do quer que seja (Dt 4, 15-16). Quem Se revelou a Israel foi o Deus absolutamente transcendente. «Ele está acima de todas as suas obras» (Sir 43, 27-28). Ele é «a própria fonte de toda a beleza criada» (Sb. 13, 3).

2130. No entanto, já no Antigo Testamento Deus ordenou ou permitiu a instituição de imagens, que conduziriam simbolicamente à salvação pelo Verbo encarnado: por exemplo, a serpente de bronze  a arca da Aliança e os querubins .

2131. Com base no mistério do Verbo encarnado, o sétimo Concílio ecumênico, de Nicéia (ano de 787) justificou, contra os iconoclastas, o culto dos ícones: dos de Cristo, e também dos da Mãe de Deus, dos anjos e de todos os santos. Encarnando, o Filho de Deus inaugurou uma nova «economia» das imagens.

2132. O culto cristão das imagens não é contrário ao primeiro mandamento, que proíbe os ídolos. Com efeito, «a honra prestada a uma imagem remonta  ao modelo original» e «quem venera uma imagem venera nela a pessoa representada». A honra prestada às santas imagens é uma «veneração respeitosa», e não uma adoração, que só a Deus se deve:

«O culto da religião não se dirige às imagens em si mesmas como realidades, mas olha-as sob o seu aspecto próprio de imagens que nos conduzem ao Deus encarnado. Ora, o movimento que se dirige à imagem enquanto tal não se detém nela, mas orienta-se para a realidade de que ela é imagem».

Resumindo:

2133. «Amarás o Senhor teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças» (Dt 6, 5).

2134. O primeiro mandamento chama o homem a crer em Deus, a esperar n'Ele e a amá-Lo sobre todas as coisas.

Cf. CIC: Catecismo da Igreja Católica, edição revisada de acordo com o texto oficial em latim, 9° edição.

Leia-o em: www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p3s2cap1_2083-2195_po.html

A idolatria é condenada pela bíblia, não há nenhuma dúvida. Conseqüentemente a Igreja Católica também a condena e desde os primeiros séculos :


Veja outras citações abaixo, da igreja católica condenando a idolatria.

 

  O papa São Gregório Magno (+604) escreveu que as imagens são colocadas nas Igrejas não para serem adoradas, mas simplesmente para serem veneradas (cf. Epístola XI,13).
   O Concílio de Nicéia (787) definiu que “as imagens de Jesus, Maria e demais santos(as) são dignas apenas de uma respeitosa veneração, e não de adoração, pois esta só convém, segundo a nossa fé (católica) a Deus” (cf. Concílio de Nicéia, sessão 7ª, nº 600).
   O Catecismo Romano, fruto do Concílio de Trento (1545-63) e o primeiro oficial da Igreja é mais rígido:
“Um dos principais meios de ofender a Deus e transgredir o 1º mandamento é quando se adoram as imagens ou ídolos, como se fossem deus, quando nelas se acredita haver algum atributo ou virtude divina, quando se lhes pede alguma coisa ou confia que delas se há de alcançar, o que a Bíblia condena a cada passo. As imagens de Jesus e dos santos (as) são feitas ou admitidas para se ensinar (ilustrar) a história do antigo e novo testamento, não só para  os venerarmos através de suas imagens (representações), mas também para que ensinados pelos seus bons exemplos, regulemos nossas vidas pelas virtudes e santidade deles” (cf. Catecismo Romano, Do primeiro mandamento, 17-18.24).

   Só Deus tem o direito e é digno de nossa adoração ... É digno de ser  amado sobre todas as coisas: sustentar o contrário seria defender a idolatria. cf. catecismo da perseverança, págs 221. 232, volume v, 6° edição de pariz pelo PE. H. L. Barbosa em 1854.

   Deus é um Espírito perfeitíssimo, eterno, criador do céu e da terra. Há um só Deus e não pode haver mais de um. O primeiro mandamento nos proíbe a idolatria, prestá à criatura o culto de adoração, devido somente a Deus. cf. 2° catecismo da doutrina cristã, págs. 14-15, 46, edição 104°, ED vozes
   E o Catecismo Maior do Papa São Pio X nos ensina: o 1º mandamento proíbe-nos a idolatria; prestar a alguma criatura, a um homem, a uma estátua ou imagem, o culto supremo de adoração, devido só a Deus (cf. Do 1º Mandamento, nº 357-360). Alerta para os protestantes: idolatria leva ao inferno, porém calúnia também!

   Poderíamos ainda citar centenas ...  de textos oficias da Igreja Católica condenando a idolatria e os ídolos, mas só  estes são suficientes para reconhecer e afirmar o que com grande justiça e verdade já em 1903 afirmou o grande apologista católico Carlos de Laet : " em verdade, desde que a doutrina católica, tanto nos seus graves livros ( compêndios ) de teologia como nos catecismo que andam por todas as mãos, explícita e formalmente declara que não adoramos os santos ( menos ainda suas imagens ), mas os honramos como amigos que são do Senhor. Razão não ha por quer se obstinem ( insistem ) os protestantes em imputar-nos o que não professamos, em ( querer ) confundir ( o que para nós católicos ) é tão claro ". cf. Heresia protestante, pág. 11-12. " as discussões religiosas com os protestantes são intermináveis porque, quando se lhes mostra que os textos ( citados por eles ) absolutamente  não provam o que eles querem, impassíveis, tornam a produzi-los (repetí-los verbalmente ou por escritos ) esperando vencer, pela fadiga, o que não logram alcançar por boa razão ( e pela verdade ) ".cf., pág. 92-93, idem.


 

    Surge a pergunta: o que significa, ou seja, qual a finalidade das procissões, de que a Igreja católica incentiva os católicos a participar, andando atrás de imagens de santos?

   Resposta: Lemos na palavra de Deus que tanto Davi, Josué e os filisteus fizeram procissões religiosas levando solenemente a arca da aliança, na qual havia duas imagens de esculturas em cima (cf. Ex 25,17-22) – cf. 1Sm 6,1.4-5.10-18; 2Sm 6,12-18; Js 6,4-16; 2Cr 5,2-8; Ne 12,27-43; e enquanto faziam a procissão eram guiados e protegidos por Deus (cf. Nm 10,33-34). Nenhum destes textos mostra que eles adoraram a arca ou as imagens de esculturas que iam em cima da mesma. Afirmar o contrário é blasfemar, dizendo que Deus guiava o seu povo para a idolatria, protegendo-o enquanto a praticava.Isto prova biblicamente que não é o fato de se fazer procissão levando imagens  que faz ou leva as pessoas a adorá-las, e nem isto é prova de que as estão adorando. veja uma dessas procissões em um site de um pastor assembleiano na 4° foto com o nome" queda dos muros de Jericó " ( www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao5-ldj-aconquistadejerico.htm-Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2009 )

   Por favor, leia atentamente 1 Samuel 6, 1-6. 14-16 este texto deixa claro que a arca do Senhor foi devolvida solenemente em procissão religiosa. Os filisteu perguntaram aos sacerdotes como fazer para devolver a arca para o seu lugar, e que orientação receberam? em primeiro lugar, que deviam oferecer oferta expiatória; depois, que fizessem, para esta oferta a Deus, objetos de ouro, figuras de tumores e esculturas de ratos, porque alguns foram curados de tumores e porque os ratos tinham sido uma grande praga que havia devastado a terra dos filisteu. E por fim, que esses objetos e imagens fossem enviados em procissão, dentro de um cofre, que seguiria no mesmo carro em que seria transportada a Arca do Senhor, esses objetos e imagens foram colocados na grande pedra, o altar, e depois ofereceram holocaustos e sacrifícios a Deus. Qual protestante teria a ousadia de blasfemar contra Deus dizendo que aceitando essa oferta expiatória em forma de figuras e esculturas estaria o próprio Deus aceitando e incentivando a idolatria? aqui fica provado mais uma vez que: a idolatria está no coração da pessoa e não em objetos visíveis e imagens, que a questão da idolatria não se prende simplesmente a esculturas, imagens ou figuras, mas àquilo que está no coração do homem. Deus feriu os homens de Bete-Semes porque acolheram a Arca sem respeito, desobedecendo a ordem divina em relação a Arca mencionada em: Êx 19,21; Num 4, 5. 15. 20, provando mais uma vez que a Arca e os demais objetos sagrados do templo" imagens dos querubins ... " não eram simples objetos de ardonos, enfeites e menos anda ídolos.  O que Ele proíbe são imagens de ídolos, falos deuses. E já que Deus aceitou até imagens de ratos e tumores, não vai ser a imagem da mãe de Jesus que Ele vai renegar. Deus sabe a diferença entre imagem sagrada e ídolo! Nós católicos aprendemos de Deus esta diferença.

   Hoje, principalmente nos santuários marianos, o povo continua apresentando suas ofertas expiatórias, não mais ratos e tumores, mas parte do corpo que simbolizam as curas obtidas, e isto não é invenção da Igreja Católica, mas trata-se de uma continuação do povo de Deus, dos sinais e gestos de um povo que tem fé e deseja, com sinais visíveis, demonstrar o seu agradecimento ao Senhor pela graça que ele nos concedeu  pela intercessão de determinado Santo (a). As procissões aparecem na Bíblia sagrada em diversas situações e elas exprimem, no gesto de caminhar sempre em frente, além de penitência, devoção, súplica, gratidão, também a nossa peregrinação terrena até chegarmos à nossa morada definitiva Cf. Católico, Sim! Idólatra, Não! pags 71-75, editora: palavra & prece .

 

 

   Ainda hoje se realizam procissões, caminhadas e louvor a Deus pelos santos da Igreja que ele nos deu, cujas imagens são, a exemplo dos querubins da arca, conduzidas para lembrar os heróis do cristianismo, da santidade e da fé.

  Será isso idolatria? Se não é idolatria e nem errado homenagearmos os heróis da pátria, do futebol... Também não é fazermos o mesmo com os heróis da fé, da santidade... do cristianismo. Uma procissão é uma maneira simbólica que a Igreja usa para levar o povo a entender, pelo gesto de caminhar atrás de uma imagem, que devem seguir o bom exemplo e as virtudes daquele (a) santo (a) representado (a) na imagem. cf. Nós, os Católicos Romanos, pag 129, 6° edição, ed: santuário
   Visto que os santos (as) seguiram os passos (exemplos e ensinamentos) de Jesus mais de perto, imitá-los é o mesmo que  imitar a Cristo (cf. 1Cor 11,1; Fl. 3, 17). Assim como os maus exemplos nos afastam de Cristo (1Cor 15,33; Pr 13,20), os bons nos aproximam (1Cor 11,1; Pr 12,26).
   Os santos são a “obra prima de Deus por excelência”. Ora, convém reconhecer o autor em suas obras. Quando veneramos os santos representados nas imagens através de louvores, procissões... é na intenção de contemplar o trabalho da graça divina livremente aceita, é para que Deus seja glorificado em suas obras (cf. Sl 14,4; 2Ts 1,10.12; Eclo 44,1.10-15; Jo 12,26; Ef 5,1), é  porque a memória dos santos é, para nós, um estímulo para imitarmos Jesus Cristo.  

   Respondendo outras objeções de alguns protestantes:

  OBJEÇÃO: O clero vem destronando Deus e Jesus do coração dos católicos substituindo-os pela devoção às imagens e culto à Maria. Ignoram o profeta Isaias que disse:" Deus não reparte sua glória com imagens de esculturas cf. Is 42,8 e Paulo que referindo-se à idolatria  lamentava ...Rm 1,25 cf. Documentário o Estado do Vaticano, pág. 12, 11° edição, do pastor assembleano, Lauro de Barros Campos.

   RESPOSTA: o pastor  e demais protestantes que gostam de citar Is 42,8 contra a veneração das imagens deveriam saber que a glória que Deus não reparte é sua glória de divindade; mas que, por outro lado, com exceção da glória de ser o único Deus e, como tal  de ser adorado, todas as demais glórias ele dar aos seus santos e deseja que façamos o mesmo. Como prova, está escrito: Deus concede graça e glória cf. (Sl 84, 11ou Sl 83, 12 ), o que ... Deus preparou para nossa glória ( 1 Cor 2, 7), eu lhes dei a glória que me deste ( Jo, 17, 22 ), glória, honra e paz ( sejam dadas ) a todo aquele que pratica o bem ( Rm 2, 10 ) será que Maria e os demais santos não praticavam o bem ??? leia ainda : Apoc 18,1; São Lucas 12,37; Romanos 2,29; I Coríntios 4,5; I São Pedro 1,7; São João 12,26; Romanos 2,7; 2,10; I Timóteo 3,13; I São Pedro 1,7; I São Pedro 2,7 ; São Mateus 23,12; São Lucas 1,52; 14,11; 18,14; São João 13,32; Atos dos Apóstolos 13,17; Romanos 8,17; 8,30; I Timóteo 3,13; I São Pedro 1,7; I São Pedro 2,7; São Tiago 4,10. ... Leia todo estudo do artigo "resposta ao falso documentário o estado do vaticano" em ( caiafarsa.wordpress.com/o-estado-do-vaticano/ ) este estudo como os demais do site refuta as objeções, mentiras, calúnias, críticas ... contra á doutrina, práticas, história e moral  católica retiradas de sites protestantes.

OBJEÇÃO: Os verdadeiros adoradores  adorarão  o pai em espírito e verdade ... cf. Jo 4, 23, Adorar em espírito é usar a mente e o  coração em direção a Deus, sem fitar imagens de esculturas que anulam a adoração. cf. Documentário o estado do vaticano, pág. 8, 11° edição.

   RESPOSTA: insistir que a veneração das  imagens se trate de "adoração", é ser muito rude e ignorante no assunto. Os católicos adoram somente a Deus uno e trino, não às imagens, o uso do auxílio físico, como as imagens, pode ajudar a elevar a mente e o coração do homem à presença do invisível, único e verdadeiro Deus, a quem adoramos em espírito e verdade. de fato, Deus sempre foi espírito e isso não impediu o uso de imagens sagradas no culto judaico. “Como vimos o próprio Deus eternamente  Espírito aprovou o uso e mandou fazer tais tipos de imagens, Moisés e outros servos de Deus adoravam em espírito, mesmo tendo feito e usado imagens,” Davi dançando diante da arca, e, por conseguinte das esculturas de querubins, estava louvando e adorando a Deus cf. 2 Sm 6, 13-16, Josué e todo o povo, mesmo estando ajoelhado diante da arca, e por conseguinte das imagens de querubins, estavam adorando a Deus cf. Js 7, 6. Os servos de Deus não acreditavam só no que viam, e no entanto usavam imagens, as imagens não eram e nunca serão, sinais de falta de fé no invisível.

   Ao contrário do que alguns protestantes dizem. Embora acentuasse o caráter íntimo e profundo da verdadeira adoração interna, Cristo estava longe de querer abolir ( acabar ) as manifestações rituais ( culto externo ), ou seja, Jesus em Jo 4, 21-24 simplesmente nos ensina que os ritos externos devem ser a manifestação sincera dos sentimentos e das disposições internas, Jesus não condena o culto externo, mas determina o seu verdadeiro sentido. A prova disso é que ele mesmo participava das cerimônias rituais, do culto externo de Israel: ia ao templo para orar e celebrar as solenidades da páscoa, dos tabernáculos, da dedicação... cf.Jo 5, 1; 7, 14; 10, 22-24 . Instituiu ritos como o batismo cf. Jo3, 3. 5; a ceia sagrada ou eucaristia cf. Mt 26, 26-29 ... Em outras palavras:

   Para lembrar, com mais intensidade, a presença de Deus no meio de nós, usamos naturalmente motivação externa: bíblia, imagens ilustrativas, flores, cânticos, dando um visual nobre e acolhedor, sem pararmos aí evidentemente. Se alguém quisesse tudo excluir na oração e adoração em espírito e verdade, deveria igualmente, rejeitar tudo o que é exterior: templo, iluminação da igreja, bíblia, culto, ornamentação, cânticos... Ficando apenas com o espiritual. Não é assim que descreve a bíblia, Deus usa o material para ajudar a fé espiritual: por isto, além das imagens que Deus mandou fazer, temos água aspergida cf. Ez 36,25; Nm 19,18; incenso cf. Ex 30, 7-8; Apoc 8,3; azeite da unção cf. Ex 30, 25; Tg 5,14; lampadários cf.Êx 39, 37; At. 20,8; tábuas da lei cf. 31,18. Cristo igualmente emprega coisas materiais para criar fé espiritual: água no batismo; pão e vinho na santa ceia, lodo na cura do cego, tempestade apaziguada, a serpente de bronze para ilustrar sua morte cf. 3, 14-15, de sorte que até os lenços e aventais de Paulo se levavam aos enfermos cf. At. 19, 12.

   Não é o fato de alguns protestantes não usarem imagens de Jesus, Maria e demais santos que prova que eles adoram Deus em espírito e verdade, por que se adorar é reconhecer o supremo domínio de Deus sobre todas as coisas, sobre nossa vida e inteligência, quando um protestante se põe a torcer e a manipular a bíblia, diante de uma doutrina da mesma, que não quer aceitar ou acreditar, não estar sendo um verdadeiro adorador em espírito e verdade, e a prova que isso acontece, é o fato de haver protestantes que não acreditam na doutrina da trindade, da divindade de Jesus, do inferno, da imortalidade da alma, da necessidade das boas obras para a salvação, da necessidade do batismo... Etc., etc. afinal, existem milhares de igrejas protestantes justamente por quer nenhuma acredita em todas as doutrinas das outras, e isso, pasmem, usando a mesma bíblia!     

   OBJEÇÃO: E a “Adoração da Cruz”?
   *Alguns irmãos protestantes, achando-se espertos, pensam ter desmascarado a Igreja como sendo “idólatra”, apontando no Missal Romano, na Sexta-feira da Paixão do Senhor, a expressão “Adoração da Cruz” ou então a Antífona cujo texto diz “Adoramos, Senhor, vosso madeiro”. cf. As Imagens, pag. 29, de Jorge Linhares, Ed, Getsêmeani
   RESPOSTA : Exatamente quando o celebrante entra com a cruz ele canta: “Eis o lenho da cruz, do qual pendeu a salvação do mundo.” A cruz em si mesma não é a salvação, mas dela pendeu o nosso Salvador. Se a cruz por si mesma merecesse algum culto, alguém poderia cultuar a cruz do “bom ladrão”. Porém, explica-nos o grande São Tomás de Aquino (cf. Suma Teológica, Parte III, Questão 25, Artigos 3 e 4), que o culto a uma imagem pode significar dois movimentos: um à imagem como sendo fim (o culto dos pagão, a idolatria) e outro à imagem como sendo representação/meio do verdadeiro fim, ou seja, um culto relativo (como nós católicos fazemos).
   O culto feito através de uma imagem é o mesmo feito àquele que ela representa. O culto se dirige ao ser representado, não à imagem em si. Ajoelhar-se diante da imagem de Cristo é um culto relativo, direcionado ao próprio Cristo. O crucifixo que eu compro numa loja hoje não me salvou, mas o Crucificado nela representado, vive e reina para sempre, é Deus e Senhor! É a ele que eu me dirijo quando estou diante da imagem. É a ele que os católicos adoram quando se ajoelham e beijam sua imagem durante a “Adoração da Cruz”.
   Assim como no Antigo Testamento se prostravam com o rosto por terra diante da Arca, contendo as pedras da Lei, e com isso adoravam a Deus, o autor da Lei; ajoelhando-nos e beijando a imagem de Cristo Crucificado, adoramos aquele que leva a Lei à perfeição, o Verbo Divino, nosso Salvador. Por isso o Missal traz um hino para o momento da “Adoração da Cruz” que diz, numa de suas estrofes: “Inclina, ó árvore, os ramos, acolhe o teu Criador; (...) para o rei que hoje adoramos sejas um leito de amor!” Pelo visto os protestantes se esqueceram de olhar a página seguinte.( cf. obrigado Luís Augusto Rodrigues Domingues pela explicação do significado do termo "adoração da cruz", Lardpi@ gmail.com)

   OBJEÇÃO: E as igrejas, são consagradas aos santos e não a Deus?
  Já outros irmãos protestantes dizem que a prova de que nós católicos adoramos os santos – “valorizando-os mais do que a Deus” – é que os templos da Igreja são erigidos com o nome de alguns santos e não somente com/em nome das Pessoas Divinas (Pai, Filho, Espírito Santo). por exemplo: A Igreja Católica é mariocêntrica( Maria é o centro de sua vida eclesiástica) e não Cristocêntrica, pois existem mais templos católicos dedicados em honra e adoração a Maria do que a Jesus cf. Heresiologia I, pág. 31, 1° Ed, EETAD : escola de educação teológica das assembléias de Deus.

   RESPOSTA: De fato, para cada templo que se vai inaugurar existe o “Ritual da Dedicação de Igreja”. Basta conhecê-lo e se verá que a objeção acima não passa de mais uma calúnia de alguns protestantes contra a igreja. Lemos no mesmo:
   “Pelo fato de ser um edifício visível, esta casa é um sinal peculiar da Igreja que peregrina na terra e uma imagem da Igreja que já chegou ao céu. Segundo um costume muito antigo da Igreja, é conveniente dedicá-la ao Senhor com um rito solene ao ser erigida como edifício destinado exclusiva e estavelmente a reunir o Povo de Deus e celebrar os sagrados mistérios” (Pontifical Romano, Dedicação de Igrejas e Altares, Ritual da Dedicação de uma Igreja, 2).
   “De acordo com a tradição comum da Igreja, tanto do Oriente como do Ocidente, se diz também uma especial Oração de Dedicação, mediante à qual se expressa o propósito de dedicar para sempre a igreja ao Senhor e se pede sua bênção” (Idem, 15).
   “Deus, santificador e guia de vossa Igreja, com festivo precônio é-nos grato celebrar vosso nome, porque hoje o povo fiel com rito solene deseja consagrar-vos para sempre esta casa de oração, onde venha vos adorar, instruir-se pela palavra, alimentar-se pelos sacramentos” (Trecho da Oração de Dedicação).

   Fica claro que nós católicos não consagramos nossos templos e nem nosso altares aos santos, e nem lhes oferecemos o Santo Sacrifício da Missa. Nossos templos e altares são dedicados, consagrados, somente a Deus, e só a Deus se oferece o Sacrifício da Missa.
   A missão da Igreja é nos ajudar e incentivar a sermos santos, por isso, após consagrar o templo a Deus (Pai e Filho e Espírito Santo), a Igreja lembra, através de alguns templos, o nome de algum santo(a) para, antes de tudo, agradecer a Deus pela santidade que operou na vida de seus filhos(as), para nos lembrar que a santidade é possível e nos estimular a sermos santos (espelhando-nos nos bons exemplos do santo lembrado), pois sem santidade ninguém verá a Deus, se salvará (cf. 1Ts 4,3.7; 1Pd 1,15; Hb 12,14), pois imitar os santos é imitar a Jesus Cristo que os santificou por terem sido fiéis servos do Senhor (1Cor 11,1). para nos mostrar que é possível seguir fielmente os ensinamentos e exemplos de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, apresentando ao mundo através do nome de alguns templos da Igreja, a vida e exemplo de seus fiés que dignamente e heroicamente o seguiu. Visto que para nós católicos a memória, testemunhos e exemplos dos santos são setas que apontam para Cristo, são incentivos para segui Jesus, mesmo que todos os templos tivessem o nome dos santos, o alvo é sempre Cristo para quem os santos apontam e incentivam a seguir. Ademais, trata-se de nomes diferentes de alguns templos da mesma e única igreja de cristo, não de nomes do fundador ou dono da igreja de Jesus. Infelizmente não podemos dizer o mesmo das igrejas protestantes, pois  muitos de seus templos recebem não o nome de Cristo, mas do fundador da seita ou da doutrina da mesma, por exemplo: Luterana, de Lutero, menonita, de Menno Simons, Igreja Pentecostal do Pastor Sassá, Cruzada Evangélica do Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade, IGREJA EVANGÉLICA DO PASTOR PAULO ANDRADE (O HOMEM QUE VIVE SEM PECADOS   ... outras tem nomes ridículos, exemplos: igreja pentecostal sapato de fogo, ... bola de neve, ... fogo azul, ... Cuspe de Cristo, Igreja a Serpente de Moisés (a que Engoliu as Outras) - RJ, ASSEMBLÉIA DE DEUS CANELA DE FOGO, confira: visaocarismatica.blogspot.com.br/2012/02/nomes-de-igrejas-evangelicasparece.html   Quanto ao fato de alguns templos protestantes terem o nome que se refere a Jesus Cristo, Deus, Espírito Santo não prova que tais "igrejas" foram fundadas por Cristo nem que não tem o seu fundador(a) humano.

    OBJEÇÃO: Está escrito: "Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás [ou renderás culto]" (Mat. 4:10; Luc 4, 8; Dt 6, 13), esse ‘só a ele’ exclui portanto a possibilidade de render culto também a outros além de Deus. Cf. http://portoghese.lanuovavia.org/portoghese_faq_cattolici_04.htm

      RESPOSTA: " A Deus unicamente devemos adorar" mas quem o contesta ? Para provar que nós Católicos infligimos este preceito, é preciso provar através de algum documento oficial da Igreja Católica que ela ensina ou ordena a nós católicos adorar( isto é, considerar como Deus, igual ou mais importante do que Deus) alguma criatura( por exemplo, alguma pessoa por mais santa que seja, os santos) ou algum objeto( como por exemplo, as imagens dos santos). Aos protestantes que acusam a Igreja Católica e a nós Católicos de Idólatra(s) perguntamos: Há alguém entre vós que possa nos mostrar algum documento oficial da Igreja Católica no qual a mesma ensine ou ordene que os Católicos devam adorar Maria Santíssima, São Francisco... demais santos e suas imagens ? Alguém entre vós já viu algum católico(a) defender que Maria ou qualquer outro santo(a) é Deus,  que Deus e Maria ou demais santos(as) são a mesma pessoa, dizendo que Maria, são Francisco ... não é e nem foi Maria, são Francisco ... mas foi Deus, ou pior, que alguma imagem de escultura, gesso, papel ... foi quem fez o céu, a terra e tudo que existe, e por conseguinte, que alguma imagem é Deus ? A verdadeira adoração é um sentimento interno e não uma mera formalidade com gestos e posições, por conseguinte, quando nós católicos afirmamos categoricamente que não adoramos nenhuma criatura por mais santa que seja, menos ainda as imagens que as representa, é inútil que venham teimar conosco os protestantes, pois eles não sabem mais do que nós e Deus o que se passa em nosso intimo, ou sabem? quem lhes deu o direito de julgar as consciências alheias? não é justo nem cristão julgar alguém pelo o que ele já disse que não faz. Julgam intenções e esse julgamento pertence só a Deus!

   Prezado amigo(a) protestante pelo amor de vossa alma e da vossa salvação eterna, nós vos pedimos e exortamos: não deixe que a avareza( o amor exagerado ao dinheiro), que a falta de conhecimento, o preconceito, a raiva, o  ódio à Igreja Católica te leve a continuar dizendo que nós católicos em obediência à Igreja somos idólatras(adoramos os santos e suas imagens) e justamente por insistir com tão absurda, injusta ... Calunia, Mentira ... leve a tua alma ao inferno e te exclua da salvação eterna.

   “Só a Deus prestarás culto, só a Deus servirás" Mt 4, 10; Luc 4,8.perguntamos, o que estes textos nos ensinam ? Resposta: que somente a Deus devemos servir prestando-lhe o culto absoluto de adoração, reconhecendo-o como Criador e Senhor Supremo do universo e da nossa vida, e nestas qualidades rendendo-lhe homenagem e obediência. Deduzir que por tais palavras  e textos se proíbe o culto relativo de veneração aos santos e que não  devemos servir e obedecer a mais ninguém além ou abaixo de Deus é querer tirar de tais textos mais do que eles contém, é ir contra o contexto dos mesmos, de fato, raciocinemos:

   Lemos em Lucas 18,19: ninguém é bom senão Deus, já Lucas 23,50 diz que são José era varão bom e justo. o 1° texto se refere à essencial e infinita bondade do próprio Deus, o 2° significa e se refere a uma participação da mesma divina bondade pela graça. Da mesma forma a essa dupla ideia de bondade corresponde a dupla ideia de serviço e de culto. O amor que devemos ter a Deus de "todo coração"... Cf. Dt 6, 5; Mt 22, 37 não impede nem vai contra deixarmos um espaço no mesmo para amar o próximo como a nós mesmo Cf. Mt 22, 39; Lv 19, 18 ... Da mesma forma a essa  dupla ideia de amor corresponde à dupla ideia de serviço e culto: um devido unicamente a Deus ( o culto absoluto de adoração ) e outro relativo, infinitamente inferior traduzindo-se na veneração que tributamos às criaturas que se santificaram pela graça de Deus. Perguntamos: porque somente a ideia de culto, de veneração, de serviço não admitiria diversos graus como os admitem as ideias ( o dever de) amor, bondade, temor, de honra ...?

   Muitas pessoas só aplicam à palavra culto o significado de adoração e por isso concluem que só existe culto de adoração e que qualquer culto prestado a outro ser que não seja Deus é idolatria. o que é um grave erro! pois esquece ou fingi não saber que culto significa também devoção ou honra religiosa, serviço, reverência, homenagem de adoração ou de respeito. Tudo vai depender de como se usa, a quem e com qual intenção se atribui. VEJAMOS: OBLAÇÕES SÃO OFERENDAS QUE SÃO FEITAS A DEUS OU DEUSES. E PERFUMES, SÃO TIDOS NAS CELEBRAÇÕES (CULTOS) COMO SENDO INCENSOS. NO ENTANTO, AMBAS FORAM FEITAS AO SERVO DANIEL, E ELE ACEITOU, SEM REPREENSÃO ALGUMA DE DEUS. LEMBREMOS QUE DANIEL É UM DOS EXEMPLOS MAIS FORTES NA BÍBLIA CONTRA A IDOLATRIA (DN 6). DANIEL, ASSIM COMO DEUS, VIRAM A INTENÇÃO DO REI NABUCODONOSOR. EXALTAR UM SERVO DE DEUS É ADORAR E GLORIFICAR A DEUS, POR ELE (DN 2:46).

  “Nesse instante, o rei Nabucodonosor atirou-se de rosto em terra, prostrado diante de Daniel; depois ordenou que lhe fossem oferecidos oblações e perfumes.” (Daniel 2:46)  na tradução revista e corrigida de João Ferreira de Almeida, 1969, está escrito que o rei caiu sobre o seu rosto e adorou a Daniel ... vs 46, mas o vs 47 deixa claro que o rei não idolatrou Daniel pois reconheceu o Deus de Daniel como o Deus dos deuses e Senhor dos senhores. Provando que até o verbo adorar tem também sentido amplo de gostar, reverência, homenagem... e não unicamente de adoração a Deus.

   EXISTE NA BÍBLIA ENTÃO, O QUE A IGREJA CATÓLICA RECONHECE COMO CULTO (HOMENAGEM) DE “LATRIA” E CULTO DE “DULIA”. OU SEJA, HOMENAGEM DE ADORAÇÃO E OUTRA APENAS DE PROFUNDO RESPEITO, ADMIRAÇÃO. CONVÉM LEMBRAR QUE:

LATRIA NO GREGO É “LATREYA”, SIGNIFICA ADORAÇÃO,
IDOLATRIA = ADORAÇÃO A ÍDOLOS, OUTROS DEUSES,
DULIA, DO GREGO “DOULEA”, TEM SENTIDO UNICAMENTE DE RESPEITO, SEM ADORAÇÃO.

    LOUVOR, GLÓRIA E HONRA TAMBÉM SÃO ATRIBUÍDAS A DEUS INÚMERAS VEZES NA BÍBLIA (SL 47:2). MAS, SÃO PEDRO ATRIBUI TAMBÉM AOS SERVOS DE DEUS. PORQUE, TODO SERVO FIEL IRÁ DESFRUTAR DA EXALTAÇÃO (LOUVOR) QUE DEUS LHE DARÁ. SERÃO HONRADOS POR DEUS, DE RECEBEREM A VIDA ETERNA. E VIVERÃO GLORIFICADOS POR DEUS NO CÉU ETERNAMENTE. TUDO ISSO NOS LEVA A FONTE DE TUDO: DEUS!
“para que a prova a que é submetida a vossa fé (mais preciosa que o ouro perecível, o qual, entretanto, não deixou de provar ao fogo) redunde para vosso louvor, para vossa honra e para vossa glória, quando Jesus Cristo se manifestar.” (I São Pedro 1,7)

   A IGREJA LOUVAVA, GLORIFICA E HONRAVA OS SERVOS (SANTOS) DESDE A BÍBLIA, CONTINUANDO NO SÉCULO I, DESDE O INÍCIO DE CRISTO ATÉ HOJE. FALTA ESSA SABEDORIA DE DANIEL, PAULO E PEDRO, ACEITA PELA IGREJA DO SÉCULO I, A MUITO CRISTÃOS, QUE ACABAM ATROPELANDO AS COISAS, AFIRMANDO ERRADAMENTE QUE TODA PROSTRAÇÃO, VENERAÇÃO, LOUVOR, CULTO É ADORAÇÃO. MAS, A BÍBLIA NOS MOSTRA CLARAMENTE QUE NÃO!
   É CLARO QUE TODOS OS SERVOS SE COLOCAM NA HUMILDADE (LC 1:38), PORÉM, DEUS EXALTA OS HUMILDES (LC 14:11).

   “A “IGREJA APENAS RECONHECE, CONFIRMA E REAFIRMA ESTA EXALTAÇÃO: A MULHER QUE TEME AO SENHOR  DEVE SER LOUVADA”.” (“PROVÉRBIOS 31,30-31) JÁ QUE TODA MULHER TEMENDE A DEUS, DEVE SER LOUVADA, IMAGINA A MÃE DE JESUS ” ELA É A PREDILETA DAQUELA QUE A DEU À LUZ. AO VÊ-LA, AS DONZELAS PROCLAMAM-NA BEM-AVENTURADA, RAINHAS E CONCUBINAS A LOUVAM.” (CÂNTICO DOS CÂNTICOS 6,9) .

   LEMOS AINDA “DOS OUTROS NINGUÉM OUSAVA JUNTAR-SE A ELES, MAS O POVO TRIBUTAVA GRANDES LOUVORES AOS APÓSTOLOS.” (At 5, 12-13). “POIS, ASSIM COMO TUDO O QUE VOS TEMOS DITO FOI CONFORME A VERDADE, ASSIM TAMBÉM O LOUVOR QUE FIZEMOS DE VÓS JUNTO A TITO FOI VERDADEIRO.” (2.ª Cor 7:14).
  TAMBÉM É SABIDO QUE SACRIFÍCIO DE SANGUE, É PARTE DE CULTO A DEUS OU DIVINDADES. PORÉM, SÃO PAULO DARIA SEU SANGUE, SE O SACRIFÍCIO DE SANGUE FOSSE EM HONRA AOS SERVOS DE DEUS.
“Ainda que tenha de derramar o meu sangue sobre o sacrifício em homenagem à vossa fé, eu me alegro e vos felicito.” (Filipenses 2:17)
  ADORAMOS A DEUS, MAS, HONRAMOS E AMAMOS SEUS SERVOS FIÉIS E GLORIFICADOS! 
Cf.  http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?cmm=18297415&tid=2517356892145646982&na=3&nst=26&nid=18297415-2517356892145646982-5322561027906805278

   O erro de alguns protestantes está em “absolutizar” o sentido de uma palavra. Quando dizemos, por exemplo, que Cristo é o Senhor, então estamos reconhecendo a divindade de Cristo, e que Ele reina de forma absoluta sobre nós. Mas as palavras não são ditas somente em sentido pleno, mas também em sentido relativo. As palavras “senhor” e “servo”, que aplicamos em sentido absoluto a Deus,  também podem ser entendidas em sentido relativo.

    Nós  católicos entendemos de acordo com a Bíblia e com a Tradição perfeitamente explicadas pelo Magistério que somente podemos ser verdadeiramente servos de Cristo no sentido de que somente Ele é Deus, e desta forma o servimos unicamente, porém, querer dizer que o verbo servir nos citados textos: Mt 4, 10; Luc 4, 8; Dt 6, 13 proíbe o serviço, a veneração prestada a qualquer criatura é entrar em contradição com vários outros textos da bíblia, confira :

   Vejamos, agora, com exemplos bíblicos a atitude do povo santo neste sentido, e as utilizações dadas as palavras “senhor”, “senhora”, “servo” e “escravo”, e veremos se estas palavras são dirigidas somente a Deus. Comecemos pelo antigo testamento. Vejamos o que Rute diz a Boaz:

Rute 3, 9 - E disse ele: Quem és tu? E ela disse: Sou Rute, TUA SERVA; estende pois tua capa sobre a tua serva, porque tu és o remidor.

E vamos além: Abigail chama Davi de Senhor e se declara sua serva, prostrando-se diante dele. Vejamos:

I Samuel 25, 23 e seguintes – Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, e desceu do jumento, e PROSTROU-SE SOBRE O SEU ROSTO DIANTE DE DAVI, e se inclinou à terra. E lançou-se a seus pés, e disse: Ah, SENHOR MEU, minha seja a transgressão; deixa, pois, FALAR A TUA SERVA aos teus ouvidos, e ouve as palavras da TUA SERVA.

Será que Davi permitiu ser adorado por Abigail? Claro que não. Ela se diz serva de Davi, e o declara seu senhor, mas também invoca a Deus nos céus como “o” Senhor. Vejam o versículo 26:

“Agora, pois, meu senhor, vive o SENHOR, e vive a tua alma, que o SENHOR te impediu de vires com sangue, e de que a tua mão te salvasse; e, agora, tais quais Nabal sejam os teus inimigos e os que procuram mal contra o meu senhor”.

Aqui ora o senhor que ela se refere é Davi ora é Javé. Claro está que quando ela chama a Davi de senhor ela não o faz da mesma maneira de que quando chama a Javé de Senhor. Portanto, existe distinção entre uma coisa e outra. E vejam esta outra passagem interessante:

Gênesis 16, 8 - E disse: Agar, serva de Sarai, donde vens, e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai, MINHA SENHORA.

Portanto, Sarai era “senhora” de Agar. Será que Agar era idólatra? Ou será que Sarai incentivava a idolatria ao permitir que Agar a tivesse como sua senhora? Claro está, por estas passagens, que as palavras “senhor” ou “senhora” podem ser usadas de maneira distintas daquela quando as usamos para nos referir a Cristo. Leia ainda Gn 25, 21-23. E no novo testamento os apóstolos aceitam serem chamados de “senhor” e também chamam a outros de “senhor” :

Atos 16, 29 e seguintes – Então o carcereiro pediu luz, entrou e lançou-se trêmulo aos pés de Paulo e Silas. Depois os conduziu para fora e perguntou-lhes: SENHORES, que devo fazer para me salvar? Disseram-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família.

Estariam Paulo e Silas ocupando o lugar de Deus ao permitirem que o carcereiro os chamasse de “senhores”? Claro que não. Tanto que na sequencia eles mandam crer no “Senhor” Jesus, o único Senhor! E São Pedro diz:

I São Pedro 2,18 - SERVOS sede obedientes AOS SENHORES com todo o respeito, não só aos bons e moderados, mas também aos de caráter difícil.

E São Pedro também louva a Sarai por chamar Abraão de senhor:

I São Pedro 3,6 - como Sara que obedecia a Abraão, CHAMANDO-O DE SENHOR. Dela vos tornais filhas pela prática do bem sem temor de perturbação alguma.

Efésios 6, 5-8- Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo; Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens. Sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre. aí está, tanto não é proibido servir a outrem, além de Deus, que nestes versículos vemos o apostolo preceituando ao homem que serva a outro homem, logo cumpre distinguir diversas espécies e graus de serviço, e não em absoluto estabelecer que só devemos servir a Deus, vemos também que há diversas espécies e graus de temor.

O próprio Cristo se fez servo de todos nós, ele que é o próprio Senhor:

Filipenses 2,7 - mas aniquilou-se a si mesmo, ASSUMINDO A CONDIÇÃO DE ESCRAVO e assemelhando-se aos homens.

E também São Paulo:

I Cor 9, 19 - Porque, sendo livre para com todos, FIZ-ME SERVO DE TODOS para ganhar ainda mais.

Será que Nosso Senhor e São Paulo adoraram a todos nós? Aqui as palavras “servo” e “escravo” aparecem em sentido relativo. Cristo foi servo de todos e São Paulo também o foi! Logicamente que não adoraram a todos, mas serviram a todos. A absurda e errônea exegese que diz que o verbo servir em Mt 4,10 ... significa todo e qualquer serviço e culto, tem contra si não apenas os textos bíblicos citados que falam em servir, homenagear, reverenciar às criaturas, mas também a razão e o bom senso, com efeito, segundo tal protestante, Deus houvera proibido que os soldados servissem à pátria, que o servo servisse ao seu senhor ou patrão, que os filhos sirva, honre ou faça alguma homenagem aos seus pais. Cf. Heresia protestante, pags 16-18, 93-95, de Carlos de laet, editado em 1907, por A. Campos- editor. leia também no google : quinta refutação a francisco

   OBJEÇÃO:  No terço reza-se mais a Maria, que ao Pai, ou seja, a cada dez Ave-Maria, um Pai nosso, teoricamente não deveria ser o contrário? A cada dez Pai nosso uma Ave-Maria? Até nas rezas o Catolicismo Romano é Mariocêntrico e não Cristocêntrico. cf. Heresiologia l, pág. 31, EETAD, autoria de Raimundo Ferreira de Oliveira, 1° edição.

   RESPOSTA: A afirmação do pastor é uma prova que alguns protestantes não estudam o Catolicismo nem mesmo para contestá-lo, e infelizmente quando citam alguma obra ou prática católica a interpretam da pior maneira possível. De fato, o pastor cita o livro: Rezemos o terço, do Pe. Jose Geraldo Rodrigues, editora santuário, 1996. Ora, o livro menciona a carta apostólica do Papa João Paulo ll, que explica : 

    18- O Rosário é ... oração cristã aplicada à contemplação de Cristo. Paulo VI assim o descreveu: « Oração evangélica, centrada sobre o mistério da Encarnação redentora, o Rosário é, por isso mesmo,uma prece de orientação profundamente cristológica. Na verdade, o seu elemento mais característico – a repetição litânica do “Alegra-te, Maria”– torna-se também ele louvor incessante a Cristo, objetivo último do anúncio do Anjo e da saudação da mãe do Baptista: “Bendito o fruto do teu ventre” (Luc 1, 42). Diremos mais ainda: a repetição da Ave Maria constitui a urdidura sobre a qual se desenrola a contemplação dos mistérios; aquele Jesus que cada Ave Maria relembra é o mesmo que a sucessão dos mistérios propõe, uma e outra vez, como Filho de Deus e da Virgem Santíssima ».

   26- Uma coisa é clara! Se a repetição da Ave Maria se dirige diretamente a Maria, com Ela e por Ela é para Jesus que, em última análise, vai o ato de amor. A repetição alimenta-se do desejo duma conformação cada vez mais plena com Cristo, verdadeiro “programa” da vida cristã. S. Paulo enunciou este programa com palavras cheias de ardor: « Para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro » (Flp 1, 21). E ainda: « Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim » (Gal 2, 20). O Rosário ajuda-nos a crescer nesta conformação até à meta da santidade.

  

O “Pai nosso”

32. Após a escuta da Palavra e a concentração no mistério, é natural que o espírito se eleve para o Pai. Em cada um dos seus mistérios, Jesus leva-nos sempre até ao Pai, para Quem Ele Se volta continuamente porque repousa no seu “seio” (cf. Jo 1,18). Quer introduzir-nos na intimidade do Pai, para dizermos com Ele: « Abba, Pai » (Rom 8, 5; Gal 4, 6). É em relação ao Pai que Ele nos torna irmãos seus e entre nós, ao comunicar-nos o Espírito que é conjuntamente d'Ele e do Pai. O “Pai nosso”, colocado quase como alicerce da meditação cristológico-mariana que se desenrola através da repetição da Ave Maria, torna a meditação do mistério, mesmo quando é feita a sós, uma experiência eclesial.

As dez “Ave Maria”

33 ...  À luz da própria Ave Maria, bem entendida, nota-se claramente que o caráter mariano não só não se opõe ao cristológico como até o sublinha e exalta. De fato, a primeira parte da Ave Maria, tirada das palavras dirigidas a Maria pelo Anjo Gabriel e por Santa Isabel, é contemplação  do mistério que se realiza na Virgem de Nazaré. Exprimem, por assim dizer, a admiração do céu e da terra, e deixam de certo modo transparecer o encanto do próprio Deus ao contemplar a sua obra-prima –a encarnação do Filho no ventre virginal de Maria – na linha daquele olhar contente do Gênesis (cf. Gen. 1, 31), daquele primordial « pathos com que Deus, na aurora da criação, contemplou a obra das suas mãos ».A repetição da Ave Maria no Rosário sintoniza-nos com este encanto de Deus: é júbilo, admiração, reconhecimento do maior milagre da história. É o cumprimento da profecia de Maria: « Desde agora, todas as gerações Me hão-de chamar ditosa » (Luc 1, 48).

O baricentro da Ave Maria, uma espécie de charneira entre a primeira parte e a segunda, é o nome de Jesus. Às vezes, na recitação precipitada, perde-se tal baricentro e, com ele, também a ligação ao mistério de Jesus que se está a contemplar. Ora, é precisamente pela acentuação dada ao nome de Jesus e ao seu mistério que se caracteriza a recitação expressiva e frutuosa do Rosário. Já Paulo VI recordou na Exortação apostólica Marialis cultus o costume, existente nalgumas regiões, de dar realce ao nome de Cristo acrescentando-lhe uma cláusula evocativa do mistério que se está a meditar.É um louvável costume, sobretudo na recitação pública. Exprime de forma intensa a fé cristológica, aplicada aos diversos momentos da vida do Redentor. É profissão de fé e, ao mesmo tempo, um auxílio para permanecer em meditação, permitindo dar vida à função assimiladora, contida na repetição da Ave Maria, relativamente ao mistério de Cristo. Repetir o nome de Jesus – o único nome do qual se pode esperar a salvação (cf. Act 4, 12) – enlaçado com o da Mãe Santíssima, e de certo modo deixando que seja Ela própria a sugerir-no-lo, constitui um caminho de assimilação que quer fazer-nos penetrar cada vez mais profundamente na vida de Cristo. 

   Perguntamos ao pastor: como o rosário ou o terço não é Cristocêntrico, se não existe uma só oração da Ave-Maria que Cristo não seja " Bendito"- Bendito é o fruto do vosso ventre "Jesus" , cf. Lc 1, 42 ? vejamos esta explicação de um ateu e de um católico

  

               Terço 10 ave-maria para 1 pai nosso !

Se os católicos adoram somente a Deus e amam mais a ele do que Maria,
então por que no Terço
se reza 10 AVE MARIA E APENAS 1 PAI NOSSO?

Resposta de um ateu:

Bom, não sou católico e não acredito nem na existência de deus nem de Maria, mas, se você usar a lógica, chega exatamente à conclusão oposta, não?
Se você tem que rezar 10 vezes a Ave Maria para ter o mesmo efeito que 1 pai nosso, isso significa que são necessária "10 intervenções" de Maria para equivaler "1 intervenção" de deus, o que faz com que, nesta lógica, para os católicos deus valha 10 vezes mais que Maria, não é verdade? ou seja, A questão está no poderio de cada oração, um Pai nosso é dez vezes mais forte que dez Ave-Maria. Pelo menos essa é minha impressão usando a lógica.

Obs. Para nós católicos a oração do Pai-nosso é a melhor e mais eficaz de todas as orações, feita com fé e sinceridade é a oração mais agradável a Deus. Só Deus pode conceder suas graças e bênçãos. Só Deus faz milagres. Só Deus concede... Os santos apenas pedem; “intercede", são apenas instrumento nas mãos de Deus.

Resposta de um Católico:

O Terço é uma oração de VENERAÇÃO à Santa Mãe de Deus onde também cabe ADORAR a Deus, pois que, na composição de todas as suas orações é Deus o "ALVO" a ser atingido veja:
O Glória: "GLÓRIA AO PAI, AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO. ASSIM COMO ERA NO PRINCÍPIO, AGORA E SEMPRE. POR TODOS OS SÉCULOS DOS SÉCULOS. AMÉM"
Da Ave Maria: "...BENDITO é O Fruto do teu ventre, JESUS"... "santa Maria mãe de DEUS..."
Da Salve Rainha: "...mostrai-nos JESUS, BENDITO FRUTO..."
e ainda "...ROGAI POR NÓS SANTA MÃE DE DEUS, PARA QUE SEJAMOS DÍGNOS DE ALCANÇAR AS PROMESSAS CRISTO SALVADOR, AMÉM"
E para encerrar, é importante ressaltar que todo BOM Católico quando vai rezar, o faz em NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO!
E ainda: PELO SINAL DA SANTA CRUZ, LIVRAI-NOS DEUS NOSSO SENHOR, DOS NOSSOS INIMIGOS!

http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080129104438AAqgUVx

   Como se ver é possível até mesmo a um ateu interpretar positivamente a prática católica do terço, infelizmente o preconceito e a má fé o torna impossível ao pastor e demais protestantes do seu gênero!

   leia ainda estes ótimos estudos :    O rosário é bíblico ? cf. www.veritatis.com.br/apologetica/109-maria-santissima/1258-o-rosario-e-biblico

   A bíblia condena a Ave-Maria e o terço? cf. www.veniteadoremus.com/conteudo/68

   caiafarsa.wordpress.com/oracao-repeticao-de-vas-palavras/

   www.exsurge.com.br/apologeticas/oracoes/textosoracoes/arepeticaonaoracao.htm

   www.exsurge.com.br/apologeticas/oracoes/textosoracoes/aoracaorepetitiva%E9proibidaounao%E9.htm

    OBJEÇÃO:  Epifânio grande apologista do quarto século, diz aos católicos de hoje : não se deve honrar aos santos mais do que é justo, mas deve-se honrar ao Senhor deles. Maria não é Deus, ela é digna de honra, mas não foi dada para adoração. Honre-se Maria, mas adore-se ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Ninguém adore Maria. cf. Heresiologia, pág. 37, idem.

      RESPOSTA: Santo Epifânio de fato foi um grande apologista “defensor da fé ", perguntamos ao pastor de qual fé S. Epifânio era defensor, da fé cristã ou católica? Ora, sendo bispo da igreja católica ( cf. GOMES, C. F. Antologia dos Santos Padres, págs 301-305, Ed. Paulinas - São Paulo, 1979 ) defendia a fé católica, que sempre foi contra e condenou adoração a Maria ou a qualquer outra criatura, que sempre condenou a idolatria, e por conseguinte defendia a fé cristã. S. Epifânio não estava repreendendo os católicos da sua época menos ainda os de hoje - se naquela época não foi preciso, menos ainda agora, com centenas... De  documentos da igreja condenando a idolatria, mas sim estava condenando a seita  dos hereges Collyridianos no século 4° que à virgem Maria prestavam culto supersticioso, contra eles energicamente se levantou Epifânio, que, aliás, ao contrário do que o pastor insinua foi um fervoroso devoto de Maria cf. Heresia protestante, pág. 120,  autoria do grande apologista católico; Carlos de Laet, 1907. Ele promove e ensina com entusiasmo os ensinamentos da Igreja católica sobre Maria na mesma obra em que ele repreende os collarydianos, inclusive a virgindade perpetua de Maria. Cf. (cf.www.ecclesia.com.br/biblioteca/pais_da_igreja/s_epifanio_os_ultimos_dias_de_maria.html ).

OBJEÇÃO: "Por que a religião católica chama Maria de 'RAINHA DO CÉU'? Não lemos no livro de Jeremias que quando os israelitas adoraram a deusa falsa e má chamada 'RAINHA DO CÉU' foram PUNIDOS por cultuá-la (Jr 7, 18; 44, 7-19. 25)?"

O clero romano nega terminantemente que os católicos adoram a Maria …Entretanto, os fatos falam por si só e provam o contrário. Ela é também chamada de Rainha do Céu, o mesmo nome de uma divindade pagã da Assíria (Jr 7.18; 44.17-25) cf.http://arautodecristo.com/2011/08/02/estudo-biblico-mariolatria-e-biblico-a-veneracao-a-maria-ela-e-mesmo-a-rainha-do-ceu-e-a-mae-de-deus

Resposta: Em primeiro lugar, os católicos não consideram a Santíssima Mãe do Senhor como deus nem deusa nem nada do gênero! A verdadeira adoração é um sentimento interno e não uma mera formalidade com seus gestos ou palavras (este povo honram-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim cf. Mt 15, 8). E quando nós católicos afirmamos “terminantemente” que não adoramos Maria, demais santos nem suas imagens é inútil que os protestantes venham teimar conosco pois eles não sabem mais do que nós e Deus o que se passa em nosso íntimo. Ou sabem?

Em segundo lugar, o fato de que uma divindade pagã fosse conhecida como a rainha do céu não significa que o termo não possa ser corretamente aplicado, num sentido completamente diferente, a Maria. O rei pagão da Babilônia, Nabucodonosor, é chamado de rei dos reis por Daniel (Daniel 2, 37), mas isso não impede que Jesus receba o mesmo título (Ap 17, 14; 19, 16).

Terceiro, Maria, que todas as gerações "chamarão de abençoada." (Lucas 1, 48) tem um motivo legítimo para reivindicar o título de RAINHA DO CÉU. Como cristãos, reconhecemos Cristo como o rei do céu (Mat. 19:23-24). e como Rei da linhagem real de Davi: "Ele será grande, será chamado Filhon do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai (Lucas:1:32). As Sagradas Escrituras referem-se especificamente a Maria como a mãe de Cristo mais de 25 vezes.

  Quarto: Já que o destino de todos os cristãos é reinar como reis e rainhas com Cristo no Céu  (Efésios 2,12; Apocalipse 1,6; 5,10), e já que Maria é a cristã mais eminente, não a há nada de errado em conferir a ela o título que Cristo, o Rei dos reis, a agraciou ao torná-la sua Mãe.

Além disso, devemos notar que "a mãe do monarca reinante é conhecida como a Rainha Mãe," (World Book Encyclopedia 2000). Assim, vemos que "Rainha Mãe" denota a mãe (Maria) de um monarca reinante (O Divino Rei, Jesus Cristo).

A Rainha Mãe, "Gebi Rah" em hebraico, era uma insigne honraria, e uma tradição iniciada com o filho de Davi, Salomão. As Sagradas Escrituras mostram que na Antiga Israel ou Judá a mãe do herdeiro designado gozava de um estatuto especial. Natã recrutou Betsebéia e não Salomão em seu plano de confirmar Salomão como rei (1 Reis 1:11-40). Rainha Mãe era uma posição oficial em Israel e Judá. Prestava-se muita atenção na preservação dos nomes das rainhas mães (1 Reis 14:21; 15:2,13; 22:42; 2 Reis 8:26). A destituição por parte de Asa de sua mãe por idolatria (1 Reis 15:13) indica seu caráter oficial. Quando da morte de seu filho, Atalia assassinou seus próprios netos, os herdeiros legítimos, para conservar o poder de que gozara como rainha mãe (2 Reis 11:1-2). A rainha mãe serviu de conselheira de confiança para seu filho [Prov. 31:1). Nas Escrituras, Deus dá uma enorme ênfase à rainha mãe da linhagem real de Davi. Nas Escrituras mais de 25 vezes após a apresentação do rei judeu, a rainha mãe é indicada, e isso todas as vezes. Em todos esses versículos , notem-se as palavras, "e o nome de sua mãe era". Note-se o que o rei faz por sua mãe, levanta-se para saudá-la, homenageia-a e manda porem um trono para ela a seu lado direito.

Vemos assim que Maria tem direito ao título de "Rainha do Céu". Mas onde nas Escrituras Deus diz que terá uma Rainha? Nos Salmos 45, 9.12.17 lemos:

Filhas de reis estão entre suas damas de honra: à tua direita está a RAINHA em ouro de Ofir... Mesmo os povos mais ricos IMPLORARÃO TEUS FAVORES. Farei “TEU NOME SER LEMBRADO EM TODAS AS GERAÇÕES: portanto os povos TE LOUVARÃO para todo o sempre.”

Seu nome será lembrado em todas as gerações. Caiu a ficha? A profecia é realizada em Lucas 1:48: "Pois considerou a humilhação de sua serva: pois sim, doravante TODAS AS GERAÇÕES ME CHAMARÃO abençoada". No Livro do Apocalipse lemos

"Um sinal grandioso apareceu no céu, uma mulher vestida de sol, com a lua sob os pés, e com uma coroa de doze estrelas na cabeça." (Ap. 12:1-2)

Que espécie de mulher usa coroa? As rainhas usam coroas, mas essa mulher parece estar coroada das 'mais altas jóias' da criação, as estrelas, tendo o próprio sol como traje real.


"Enfurecido com a mulher, o dragão foi guerrear contra o resto dos seus descendentes, os que observam os mandamentos de Deus e mantêm o testemunho de Jesus." (Ap. 12:17)


Satã não pôde vencer a mulher [Gen 3:16) então passou a combater seus filhos espirituais, os cristãos, gente que dá testemunho de Jesus Cristo.


DEUS EXALTOU IMENSAMENTE (MAIS DE 25 VEZES) A RAINHA MÃE NA LINHAGEM DOS REIS DAVíDICOS:

1 Reis 2:19 Betsabéia foi, pois, à presença do rei Salomão, para lhe falar de Adonias. E o rei se ergueu para ir ao seu encontro e se prostrou diante dela, e se sentou no trono e mandou colocar um assento para a mãe do rei e ela se sentou à sua direita.

1 Reis 2:20 "Disse ela: Tenho um pequeno pedido a te fazer, não mo negues. E o rei lhe disse: Pede, minha mãe, que não to negarei." (note-se a intercessão da rainha mãe junto ao rei) Vide também:

I Reis 14:21, 31; 15:2,10,13; 22:42;

II Reis 8:26; 12:1;14:2; 15:2, 33; 18:2; 21:1, 19; 22:1; 23:31, 36; 24:8, 12, 15, 18

2 Crônicas 12:13; 13:2; 20:31; 22:2

Há MUITOS TEXTOS nas Escrituras em que Deus reconhece a MÃE de cada um dos reis da linhagem de Davi, após mostrar que a rainha mãe se assenta à direita do rei.

Será que tais protestantes teriam a audácia de blasfemar contra Deus chamando o próprio criador de idólatra por exaltar e elogiar as rainhas mães dos reis davídicos, incluindo Maria por ser a mãe do Rei dos Reis (Jesus Cristo) descendente de Davi? Porque Deus excluiria apenas Maria, aquela a qual encheu de todas as graças (Lc1, 28) e na qual fez grandes maravilhas (Lc 1, 49)?

EXPLICANDO O ÓDIO OU Desrespeito DE ALGUNS PROTESTANTES (QUE SE COMPORTAM COMO FILHOS DA SERPENTE), À MARIA:

Deus disse à serpente, que representa o diabo: “Porei ódio entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a dela; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3,15 conforme os originais.)

O ódio encarniçado de alguns “evangélicos” brasileiros à mãe de Jesus, é uma coisa recente e localizada, que os cristãos primitivos desconheciam. Este ódio cego, insuflado por ditos “pastores” indoutos, muitas vezes ex-presidiários, que inculcam na cabeça dos desavisados que se deve odiar Maria para amar Jesus, quando Maria em todos os tempos, sempre foi venerada por todos os cristãos, como “Mãe de Deus”. É comum encontrarmos “evangélicas” iludidas por tais “pastores” querendo odiosamente mudar de nome por se chamarem “Maria”. Em pesquisa particular, verifiquei o quanto é evitado o nome da mãe de Jesus entre eles. O nome de profetisas, e até de adúlteros, são dados a seus filhos, mas o de Maria, é rigorosamente evitado, o fanatismo beira o absurdo.

A verdadeira atitude dos cristãos primitivos foi deixada de lado, e é vendido o antagonismo ao catolicismo, como “religião”, sem o menor censo crítico de saber, se o que os católicos professam é correto. e se for os “pastores” sofismam forjando que não é. Essa é a receita do protestantismo atualmente no Brasil. Estão sempre atacando e caluniando Maria. Hora caluniam que ela teve outros filhos, ou que é “uma como outra qualquer”, sempre levados por escritos apócrifos do passado. Mas, estão errados, os escritos de seus “reformadores” os corrigirá:

Calvino, os contrariando, aceita o título “Mãe de Deus”. Sustenta a perpétua virgindade de Maria, afirmando que “os irmãos de Jesus” citados em Mt 13,55 não são filhos de Maria, mas parentes do Senhor; professar o contrário, segundo Calvino, significa “ignorância”, “louca sutileza” e “abuso da S. Escritura”. – É confirmado que a palavra “irmãos de Jesus” no pobre dialeto hebraico, significava “PRIMOS de Jesus”. A tradução para o grego apenas manteve a forma como os hebreus falavam, causando tremenda confusão entre os indoutos e recentes “evangélicos”, que nunca encontrarão na bíblia, outro que não seja Jesus, sendo chamado de “filho de Maria”.

Martinho Lutero, contrariando os fanáticos pastores de hoje, escreveu a respeito de Maria em 1522, sendo já protestante:

“O que são as servas, os servos, os senhores, as mulheres, os príncipes, os reis, os monarcas da terra, em comparação com a Virgem Maria, que, além de ter nascido de uma estirpe real, é também Mãe de Deus, a mulher mais importante da terra? No meio de toda a cristandade ela é a jóia mais preciosa depois de Cristo, a qual nunca pode ser suficientemente exaltada; a imperatriz e rainha mais digna, elevada acima de toda nobreza, sabedoria e santidade”.

“Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe um carro de ouro e conduzi-la com 4.000 cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria”.

“Esta única palavra ‘mãe de Deus’ contém toda a sua honra. Ninguém pode dizer algo de maior dela ou exaltá-la, dirigindo-se a ela, mesmo que tivesse tantas línguas quantas folhas crescem nas folhagens, quantas graminhas há na terra, quantas estrelas brilham no céu e quantos grãozinhos de areia existem no mar. Para entender o significado do que é ser mãe de Deus, é preciso avaliar e pesar esta palavra no coração”. (explicação de Lutero para o Magnificat). [Fonte: livro "Maria - Der Weg der Mutter des Herrn", traduzido para o português por Irmã Arturis e publicado em Curitiba no ano de 1982]. (Está sepultado o ódio, a calúnia e a difamação contra Maria).

Ao ler estas palavras de Martinho Lutero, que até o fim de sua vida honrava a mãe de Jesus, que santificava as festas de Maria e diariamente cantava o Magnificat, se percebe quão longe os “evangélicos” brasileiros iludidos, estão da correta atitude para com ela, como mesmo o blasfemo Lutero os ensina, baseando-se na Sagrada Escritura. Vemos profundamente, como os “evangélicos”, se deixaram envolver por uma mentalidade racionalista desses modernos enganadores, que denominam de seus “pastores”, apesar de que em seus escritos confessionais, se lêem sentenças como esta: “Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau” (Art. 21,27) da Apologia da Confissão de Augsburgo)! Não entraram na fila das gerações profetizadas em Lucas 1,48.

Seria Lutero e demais reformadores idólatras por louvar, honrar e bendizer maria? Se apesar de louvar, honrar e bendizer maria não eram idólatras, por que apenas nós católicos seríamos por fazer o mesmo?

caiafarsa.wordpress.com/o-%E2%80%9Cdocumentario-estado-do-vaticano%E2%80%9D-ajudara-o-leitor-nessa-questao-que-e-a-interrogacao-de-milhoes-de-brasileiros/

http://www.exsurge.com.br/apologeticas/maria/textos%20maria/mariaarainhadosceuseolivrodejeremias.htm

Obrigado pastor e demais protestantes por nos ter dado a oportunidade de provar mais uma vez quão infundadas, mentirosas, caluniosas... São as objeções que vocês fazem à doutrina e prática católica. Obrigado por nos ter dado a oportunidade de provar que o católico não aceita a idolatria, de bíblia na mão, também a condena. Como a condenam os santos que o mesmo católico venera e que o inspiram pelo exemplo das suas vidas, lembradas por suas imagens.


Pesquisado e organizado por: José de Aquino Neto (catequista)
catequistaquino@hotmail.com


fonte : www.larcatolico.webnode.com.br/news/veneração das imagens/

para enriquecer seu conhecimento sobre o assunto leia ainda:

cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=doc&cat=90&scat=156&id=802

continuação do site anterior: cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=doc&cat=90&scat=156&id=803

www.filhosdapaixao.org.br/escritos/comentarios/escrituras/escritura_0266.htm

sadoutrina.wordpress.com/2010/06/17/imagens-x-idolatria/

leia os estudos que estão em: www.veritatis.com.br/apologetica/123-imagens-santos

leia os estudos que estão em: www.exsurge.com.br/apologeticas/subtitulos/idolatria.htm

leia os estudos que estão em: vozdaigreja.blogspot.com.br/search/label/imagens%20na%20igreja

leia os estudos que estão em: www.paraclitus.com.br/category/apologetica/imagens-santos/

leia os estudos que estão em: www.montfort.org.br/old/perguntas/index-protestantismo.html

leia o estudo " e as objeções contra as intercessões dos santos", na seção " formação" do site: www.programafalandodefe.com.br/

sadoutrina.wordpress.com/2010/06/17/santos-e-intercessao/

leia o estudo: santos podem ouvir os pedidos? o qual responde irrefutavelmente a objeção que os santos "falecidos" não podem conhecer nossas orações porquer não são oniscientes www.recantodasletras.com.br/artigos/309089  e do mesmo autor www.recantodasletras.com.br/artigos/305275

Veja imagens de esculturas em templos protestantes em caiafarsa.wordpress.com/imagens-em-templos-prostestantes/

www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/imagens/473-os-catolicos-sao-idolatras-porque-quero-porque-quero-porque-quero

vocacionadosdedeusemaria.blogspot.com.br/2009/03/leitor-pergunta-sobre-o-salmo-115.html

 

Fonte: www.larcatolico.com/news/venera%C3%A7%C3%A3o%20das%20imagens/

Leia e divulgue o ótimo site católico: www.larcatolico.com/


 

 


 

Imagens x Idolatria

 

1) Deus proibiu a fabricação de imagens?

Resposta:

Deus proíbe a fabricação de ídolos. De imagens de deuses, pois, visto que só existe um Deus, todos os demais são falsos, são chamados de ídolos. O Egito tinha muitos deuses à base de seres que vivem no céu, na terra e no mar: falcão (deus Hórus), Rá (deus sol), além de deuses em formato de boi, rã, jacaré… Muitas nações faziam e fazem o mesmo. Daí Deus proibir que se faça imagem de algum ser que exista no céu, na terra ou no mar. Mas, deixa claro que proíbe se a intenção for adorar: “Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto.” (Ex 20, 4-5). Tanto que no Seu primeiro Templo, construído por Salomão havia imagens de anjos, bois e leões (1.º Rs 7, 23-25.29.44). E abençoa este Templo, porque sabia que as imagens lá não eram ídolos (deuses), e sim, imagens sagradas (1.º Rs 6, 23-35; 9, 3). Portanto, não sendo imagens de ídolos, a Bíblia não possui absolutamente condenação alguma.

2) Porque a Igreja Católica esconde que a imagem da serpente de bronze foi destruída (2.º Rs 18:04)? Que Deus amaldiçoa o Templo que cobre um ídolo (Jr 32-29)? E que as procissões são idolatrias (Is 46:1)? As imagens devem se quebradas, queimadas, destruídas (2.º Rs 10:26)!

Resposta:

A Igreja Católica organiza as leituras feitas nas Missas de forma que a cada três anos, toda a Bíblia seja lida e pregada nas celebrações. E a passagem da destruição da serpente de bronze, construída por Moisés a mando de Deus, não fica de fora. A serpente foi quebrada porque os israelitas tomaram-na como deusa, e mais ainda, como a deusa Cananéia conhecida como Neustã, da magia.
Ou seja, é como se hoje o Catolicismo ensinasse que a imagem de Maria é uma deusa, e que é Iemanjá, a deusa do mar na religião afro, por exemplo. Algo totalmente sem fundamento na Doutrina Católica. São as passagens em que Deus abomina, detesta os ídolos, que os protestantes e judeus mostram afirmando erradamente que elas também são referentes a todo tipo de imagem católica. E ainda, para completar o grave erro citam 1.º Cor 10:20 onde se diz que os ídolos são demônios, afirmando que toda imagem católica é um ídolo, logo, são demoníacas. Gerando ódio às imagens católicas por parte dos tais ‘evangelizados’, que acabam quebrando, queimando, amaldiçoando as imagens católicas. Os então novos protestantes olham para as imagens católicas, e para os próprios católicos como se fossem do demônio.

3) As imagens que Deus mandou fazer ficavam lá em seus lugares próprios, ninguém rezava diante delas, nem faziam procissões (Is 45:20; Jr 10:05). Porque os católicos fazem tudo isso?

Resposta:

Quanto aos querubins (anjos), não ficavam apenas guardadinhos no santo dos santos. Mas, de sobre estes anjos esculpidos era que Deus falava. E todo sacrifício, holocausto e adoração a Javé eram feitos diante da Arca da Aliança. Isso não quer dizer que tais imagens angelicais sobre a Arca eram adoradas, mas, que serviam de sinais da Presença de Deus durante a realização do culto.
Quanto às procissões, ou seja, caminhada religiosa ostentando algum símbolo sagrado, só para vencer a cidade de Jericó o próprio Deus ordenou que Josué, substituto de Moisés, organizasse 13 delas em 7 dias, se utilizando do Andor, que Javé mesmo mandou fabricar para carregar a Arca. Pois, nem a Arca e nem os anjos nela esculpidos podiam andar sozinhos. A Carta aos Hebreus afirma que aquela procissão foi um ato de fé (Hb 11, 30). Assim como a Arca com os anjos eram recebidos entre aclamações pelo povo, e isso não era idolatria, o mesmo acontece nas procissões católicas (1.º Sm 4, 5; 2.º Sm 6, 13-15)

Mas porque Deus se usaria de imagens sagradas? Para se contradizer? Em Ex 20, 4 proibir a fabricação de imagens e três páginas depois, em Ex 25 mandar esculpir anjos na tampa da Arca da Aliança? Para enlouquecer Moisés e confundir o povo? Claro que NÃO! DEUS é sábio. O que Ele proíbe são imagens de ídolos, falos deuses. E já que Deus aceitou até imagens de ratos e tumores, não vai ser a imagem da mãe de Jesus que Ele vai renegar. Deus sabre a diferença entre imagem sagrada e ídolo!

4) A Bíblia diz para não trocarmos a glória de Deus por ídolos (Is 42, 08)!

Resposta:

O que Javé não aceita é que deixemos Sua Glória para seguir uma religião na qual se crê em outros deuses, que de fato não existem, restando apenas suas imagens de barro ou madeira. Porém, não sendo imagem de ídolo, Deus nunca, repito, nunca, se opôs!!!!

5) A Glória de Deus não pode ser representada por imagens de gesso! Pois, Deus é Espírito e temos que adorar a Deus em espírito e verdade (Jo 4, 24)! Os católicos têm imagens porque só crêem no que podem ver (Hb 11, 3.27)!

Resposta:

As imagens católicas nunca visam representar a plena Glória de Deus. Elas representam o Filho feito Homem (Jo 1, 14), O Espírito Santo em forma de pomba (Mt 3, 16), e o Pai simbolicamente como um ancião (Dn 7, 9-10.13-14), tal como cada se mostrou em algum tempo. Nenhuma imagem, mesmo as de Jesus, são usadas para salvar ninguém, elas são sinais da presença de Deus, dos anjos ou dos seus santos.
Deus sempre foi Espírito e Glória, e isto não impediu o uso de imagens sagradas no culto judaico. Como vimos o próprio Deus, eternamente Espírito aprovou e mandou a fabricação e uso de tais tipos de imagens. Moisés e outros servos de Deus adoravam em espírito, mesmo tendo sido fabricado imagens para o culto. Os servos de Deus não acreditavam só no que viam, e no entanto usavam imagens. As imagens não eram e nunca serão, sinais de falta de fé no invisível.

6) A Igreja Católica aprova e incentiva a fabricação de imagens por objetivo de lucro (Sb 15, 12; Is 44, 10-11; Tt 1, 11)!

Resposta:

Quanto a venda de imagens, vale lembrar que os católicos e os protestantes vendem Bíblia (Palavra de Deus), CDs, livros, camisas… A única diferença é que o Catolicismo inclui as imagens. Mas, a venda e o lucro estão presentes nos dois ramos do Cristianismo. Para se fabricar uma Bíblia, um livro e tudo mais se têm despesas, então se faz necessária a sua venda. O erro é vender só pelo lucro, e com preços acima da média, mas aí, cabe a consciência de cada um.

7) Os Católicos adoram Maria! Aquela imagem não é Maria, Maria não tinha aquele rosto. Nem Jesus! Ninguém sabe como eram!

Resposta:

Olha, se a Igreja Católica fosse idólatra e prepotente como se afirma, já teria ensinado que Maria é deusa e pronto. Que tipo de adoradores de Maria seríamos nós, se negássemos tal adoração? Repito o exemplo da Arca que era acolhida entre aclamações, e não era idolatria! E já falei que Deus não se contradiz, Ele não pode proibir imagens de nada que há no céu e na terra, e depois mandar fazer imagens de querubins, anjos (seres do céu) e da serpente de bronze (ser da terra)!
Quanto a Jesus Ele é representado de barba, pois raspar a barba era abominação para os judeus, e cabelos longos em sinal de consagração (Jr 48, 37; Nm 6, 5; Jz 13, 5). Além de roupas hebraicas, como a túnica (Jo 19, 23). Geralmente é simbolizado com túnica branca, lembrando a pureza gloriosa de Cristo na Transfiguração (Lc 9, 29) e manto vermelho lembrando Seu Sacrifício (Ap 19, 1-16).

Mas, se quiserem insistir que toda imagem religiosa é ídolo, então, além de se ficar chovendo no molhado, vai se transformar Deus num mentiroso, contraditório e idólatra, pois, Ele mandou fazer, e aceitou os que Salomão fez em seu Templo! E olha que neste Templo feito por Salomão também tinha imagens de bois (1.º Rs 7, 25)!… Maria só é mencionada na Missa em um único momento; na oração do “Creio”: ‘… Concebido pelo Poder do Espírito Santo, nasceu da virgem Maria… ’ além disso, ela só é mencionada se o sacerdote quiser ou rezar uma Ave-Maria. Ou então nas poucas ocasiões próprias de cada Paróquia. Mas o Rito Romano se limita ao Creio e as Missas próprias, nas quais ela é lembrada. Portanto, se ela fosse adorada a Missa seria a ocasião ideal, mas, não é o que acontece.

8) Os Católicos adoram o Papa! O Papa na Missa.

Resposta:

Papa é uma expressão popular que o Vaticano adotou, que significa pai. Ele é um Bispo. O Bispo Geral, digamos assim. Não faz parte da Doutrina Católica dizer que o Papa é Deus. O Papa só é mencionado na Oração da Missa, na qual rezamos por ele, para que ele persevere na missão. Não rezamos para ele chamando-o de deus!

9) Prostrar-se e ajoelhar-se é a mesma coisa! E ambos significam idolatria!

Resposta:

Embora a Igreja Católica só use a prostração em ordenações de sacerdotes (diante de Deus) ou em adoração profunda a Cristo, se prostrar nem sempre é adorar? No entanto, nem diante de imagens que representem simbolicamente Jesus (como já foi visto) a Igreja Católica adota a prostração! Porém, tanto é verdade que nem sempre a prostração é adoração, que para surpresa de muitos protestantes, o próprio Deus vai mandar os infiéis se prostrarem diante dos Seus fiéis, no Dia Final (Ap 3:9)! Estaria Deus se contradizendo novamente, ou muitas pessoas não estão sabendo discernir o que é idolatria e o que não é?
Se prostrar é ficar de joelhos, porém, com a face curvada ao solo (Ex 4, 31; 12, 27; 34:8), ou então, deitar-se completamente com a face voltada para o solo, nivelando-se ao chão, lembrando, que somos apenas pó e ao pó voltaremos.
No entanto, a Bíblia deixa clara a diferença entre se prostrar para mostrar respeito e se prostrar para adorar. A intenção é que conta, e a Bíblia sempre deixa claro quando alguém se prostra no intuito de adorar: “se prostrou para adorar (idolatrar)” (Ex 20, 5; At 10, 25-26; Ap 13, 4; 19, 10) ; quando se prostra sem a intenção de adorar, mas, apenas por respeito (Gn 18, 1-3; 19, 1; Hb 13, 2 – Abraão não sabia que eram anjos, pensou ser homens comuns peregrinos; Gn 23, 12; 27, 29; 33, 3.6-7; 37, 5-10; 43, 23; 47, 31; 48, 12; 49, 8; Ex 18, 7; 1.º Sm 25, 41; 1.º Rs 1, 31)! E quando se prostra para adorar o Deus verdadeiro (Jo 9, 38, etc.)
As adorações a Deus eram feitas diante da Arca da Aliança que tinha dois anjos esculpidos sobre a tampa, e não era idolatria, pois, a Arca era sinal de Deus e de lá Ele falava sobre os querubins (Js 7, 6 – Josué exagerou na oração e não agia, Deus lhe chamou a atenção para que agisse e não ficasse só orando, não citou idolatria alguma da parte de Josué-; 1.º Rs 3, 15; 8, 5; 1.º Cr 15, 24; 16, 4.6; 1.º Sm 5, 3)!

10) Venerar é o mesmo que adorar! Culto é o mesmo que adoração!

Resposta:

Venerar = ter profundo respeito, grande consideração (Dicionário Aurélio, revisado).

Claro, como já disse, só quando este profundo respeito se refere a Deus é que atinge o nível de adoração! Aí passa a se chamar veneração adoradora, que só a Jesus é dada! Por isso que venerar nestes casos, também significa adorar. Nós católicos, não temos sequer veneração (profundo respeito de fé) pelas imagens de outras religiões, porém, respeitamos o seguimento religioso de cada pessoa. Veja o que a Bíblia diz:
“Se te abstiveres de calcar aos pés o sábado, de cuidar de teus negócios no dia que me é consagrado, se achares o sábado um dia maravilhoso, se achares respeitável o dia consagrado ao Senhor, se tu o venerares não seguindo os teus caminhos, não te entregando às tuas ocupações e às conversações…
então encontrarás tua felicidade no Senhor: eu te farei galgar as alturas da terra, e gozar a herança de Jacó, teu pai; porque a boca do Senhor falou.” (Isaías 58,13-14)

Ora, se venerar fosse sempre adorar, então Deus estaria mandando adorar o Sábado?!? Claro que não, Ele manda ter profundo respeito pelo sétimo dia da semana!

Culto significa adoração quando feito a Deus e idolatria quando feito a um falso deus (a), quando não, culto significa também venerar (Dicionário Aurélio revisado), que no sentido católico é um culto de meditação, respeito sobre Maria, anjos ou santos.

Obs.: No episódio em que o povo era curado do veneno das serpentes ao olhar para a imagem da serpente de bronze, a Bíblia deixa claro o que a Igreja Católica confirma: não era a imagem que curava ninguém, mas ela estava ali como um sinal da presença misericordiosa de Deus (Nm 21, 4-9; Sb 16, 5-8)

BARUC E AS IMAGENS

Muitos Protestantes estão querendo agora usar o Livro de Baruc contra as imagens católicas, especialmente a de N.ª Sr.ª Aparecida. Mas, e se eu dissesse que os próprios protestantes, e todos os anticatólicos já refutaram e rejeitaram estas passagens do Livro de Baruc? Isso mesmo! O livro de Baruc é tido como NÃO INSPIRADO na opinião dos não católicos, enquanto que o Catolicismo o aceita. Logo, fica sem lógica um protestante usar um Livro que não considera autentico como argumento. E, além disso, não deveria ser o contrário? A Igreja Católica não deveria ter rejeitado este livro que supostamente a desmascara, ao invés de aceitá-lo como inspirado? Tem algo estranho aqui não? Mas, vamos lá:

** As roupas de aparecida – Baruc 06, 10-11 “Eles enfeitam com roupas como se fossem gente esses deuses de prata, de ouro ou de madeira. Mas eles não podem livrar-se da ferrugem nem do caruncho. Depois de tê-los vestidos com roupas caras, são obrigados a limpar-lhes a cara, por causa da poeira que do templo lhes caiu em cima.”

“são obrigados a limpar-lhes a cara, por causa da poeira que do templo lhes caiu em cima.”

Resposta:

Não preciso dizer que Baruc fala de deuses e Maria não é deusa. Por isso a Igreja Católica aceita este Livro. Mas, será que ninguém limpava as fartas imagens de anjos (que ñ estavam nus) no Templo feito por Salomão (1.º Rs 6). Que falta de zelo pelo Templo ele tinha então, hein? Deixava as várias imagens dos querubins toda cheia de poeira… Ou será que as imagens dos querubins podiam se limpar? Será que pelo fato destas imagens de querubins não poderem se limpar eram ídolos? Claro que não…

** A coroa de aparecida – Baruc 06, 08 “Como se faz com a moça que gosta de enfeites, pegam ouro e fazem uma coroa para colocar na cabeça dos seus deuses.”

Resposta:

Tenho uma ‘novidade’ para muitos, Maria já é exaltada (Deus exalta os humildes) pelo próprio nome Myriam que significa senhora, soberana, princesa. Não confundam os que reinam em Cristo, como Maria, com os falsos deuses que em nada reinam de fato (Ap 3:21).
http://solascriptura-tt.org/PessoasNaBiblia/SignificadoNomesPropriosNaBiblia-OsmarJr.htm
http://maisjesus.net/page.php?12

** A carreata feita dias antes de 12 de outubro – Baruc 06, 25 “Sem pés, são carregados nos ombros, mostrando aos homens a sua falta de valor. Até quem cuida deles passa vergonha, pois se um desses deuses cai no chão, ele é que tem que levantá-lo.”

Resposta:

Porque será que os israelitas carregavam a Arca que tinha dois anjos esculpidos em ouro sobre a tampa? Porque os anjos não iam andando sozinhos? (Js 6) Devo lembrar que o próprio Deus mandou fazer o andor da Arca ?(Ex 25) Será que porque os querubins eram imagens que não podiam andar sozinhas, eram ídolos? Eram sem valor algum? Salomão passou vergonha com eles? Não, aliás, todas as adorações a Deus eram feitas diante da Arca (com anjos na tampa), a arca era sinal da presença de Deus (1 Rs 3, 15; 8, 5; 1Cr 15, 24; 16,4.6.37; 2Cr 5, 6).

** “Removeu os altos, quebrou as colunas e deitou abaixo o poste-ídolo; e fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés fizera, porque até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã.” II Reis 18, 04.
E se a serpente fosse quebrada hoje? Também iriam fazer um remendo e transformá-la em outra rainha do céu! “Os filhos apanham a lenha, os pais acendem o fogo, e as mulheres amassam a farinha, para se fazerem bolos à Rainha dos Céus; e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira.” Jeremias 07, 18.

Resposta:

Existem os falsos deuses e deusas tidos como reis e rainhas, mas, Maria é Rainha em Cristo como já vimos. As tábuas da Lei foram quebradas e foram feitas outras. O templo era destruído, e se erguia outro. Logo, se outro sinal sagrado é quebrado, faz-se se outro sim. A serpente foi considerada a deusa da magia (Neustã) é como se os católicos cressem que Maria é Iemanjá, por exemplo. Mas, isso não faz parte do ensinamento do Vaticano.

** Diz a fábula mariana, que a imagem falava com as pessoas, será?

“A língua desses deuses foi feita por um artista; ela está coberta de prata ou de ouro, mas é de mentira e não pode falar.” Baruc 06, 07.

E as pessoas ficam lá, oferecendo promessas, missas e velas em troca de riqueza, paz e saúde, mas a Bíblia diz:

“Eles também não são capazes de dar a ninguém a riqueza alguma, nem sequer uma única moeda. Se alguém lhe faz uma promessa e depois não cumpre, eles não podem reclamar. Não podem salvar ninguém da morte, nem podem livrar o fraco das mãos do poderoso. Não são capazes de devolver a vista ao cego, nem de livrar do perigo homem algum.” Baruc 06, 34-36.

Resposta:

Ora, nenhuma imagem pode curar, mas quando se olhava para a serpente de bronze ficavam curados do veneno das serpentes e escapavam da morte. Deus era Quem os curava mas era necessário olhar para imagem segundo sua ordem. Deus agiu através da imagem que representava uma serpente, quanto mais a que representa alguém que o serviu e que hoje está vivo e pode clamar a Ele (Sb, 16, 5-8; Ap 6, 9-10)

** ídolo e imagem é o mesmo…

Resposta:

Não. Os falsos deuses possuem imagens, mas, os anjos também possuíam imagens que os representava. Ou vai se querer dizer agora que pelo fato dos querubins terem imagens estes eram ídolos. Nem toda imagem é ídolo.

** Mas você pode me perguntar: E os sinais que já aconteceram pelas supostas intervenções de Maria? Ora, a Bíblia diz que surgirá uma besta, que também será uma imagem, e fará grandes sinais:

Resposta:

Da mesma forma que a Bíblia diz que o diabo fará sinais, diz também que Deus fará (Joel 3)! Embora alguns judeus afirmassem (Mt 12, 24), a Bíblia nunca confirmou que satanás tem o poder de curar ninguém, nem para conquistar seguidores (Jo 10:21). Sinais e prodígios sim, mas cura nunca, e mesmo assim só quando Deus permite (Jó 1 e 2; 2.ª Ts 2, 11). Jesus fazia curas e milagres, mas os judeus queriam sinas e prodígios, que é outra coisa (Mc 8, 11).

** “Pelas roupas de púrpura ou linho que vão apodrecendo em cima deles, vocês já podem saber que não são deuses. Ao contrário, eles também serão comidos e se tornarão vergonha para o país.” Baruc 06, 71.

Resposta:

 

Teria então Salomão passado vergonha ao mandar até mesmo bordar querubins nas cortinas e tapetes de linho do templo, não? (1 Rs 6)… Teria esquecido Salomão que os tapetes iam se acabar um dia? Não!!! O primeiro templo feito a Deus foi por Salomão, e mesmo CHEIO de imagens feitas em tecido, madeira e ouro, que não falam, não ouvem, não vêem, não andam, foi abençoado por Deus (1 Rs 9, 3)!!!

** Por isso, Deus te diz hoje: “Eu sou o SENHOR, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura.” Isaías 42, 8.

Resposta:

As imagens não representam a Glória de Deus como já vimos, e vimos antes que até mesmo a Glória de Deus já repousou sobre as imagens angelicais da Arca.

Como podemos ver, o próprio Deus mandou fabricar imagens e abençoou um templo cheio delas. Adorando-as que se consuma o pecado, e não as tendo!

Aula por: Emerson.

Fonte: sadoutrina.wordpress.com/2010/06/17/imagens-x-idolatria/

Leia-o também em: larcatolico.webnode.com.br/news/venera%C3%A7%C3%A3o%20das%20imagens/

***************************************************************************************************************************************************

 

 

O idólatra e o caluniador

 

Alguns de nossos irmãos pentecostais e evangélicos nos acusam freqüente e sistematicamente de idólatras, porque temos imagens e as veneramos. Não aceitam a diferença entre venerar e adorar. Para eles é tudo a mesma coisa. Eles têm o direito de orar como quiserem, ler a Bíblia como quiserem e de usar ou não usar crucifixos e imagens em suas Igrejas .

O que não é honesto, nem cristão, nem justo é acusar todos os católicos indistintamente de idolatria e colocar-se, eles, como os puros e fiéis e nós os impuros e os infiéis. É um julgamento perigoso porque preconceituoso. Como podem saber se sou idólatra ou não sou? Só porque viram imagens na minha casa? Não serve a minha palavra de que não as adoro? Quem lhes dá o direito de julgar minha consciência? E quando insistem nas suas reuniões, que somos idólatras, cometem crime de calunia contra quase um bilhão de seres humanos.

Acusam-nos de idolatria que não cometemos, mas cometem pecado de calúnia. Parecem cristãos santos, mas não são. Insistem em caluniar os católicos. Pode até acontecer que alguns católicos adorem imagens, mas a maioria quase absoluta não adora. A maioria sabe a diferença entre um ídolo e uma imagem. Deus também sabe. Tanto que permitiu que se fizessem imagens de querubins de ouro e serpente de bronze. Os Israelitas que fizeram uso correto daquelas imagens não cometeram idolatria. Nem nós. O mesmo Deus que pune crime de idolatria, também pune o de calúnia. Tenho imagens lá em casa e sei que não sou idólatra. Sou razoavelmente inteligente para saber a diferença entre imagem e ídolo. Eu tenho Bíblia e sei que ela condena e permite o uso de imagens, Depende porque e para quê. Mas calúnia ela nunca permite! Em nenhuma circunstância. Ao insistir nisso, estão pecando contra a Bíblia que juraram defender...

Não é justo e não é bonito insistir em Acusar alguém pelo que ele já disse que não faz. Julgam intenções e esse julgamento só a Deus pertence!

Pe. Zezinho, scj

http://www.exsurge.com.br/apologeticas/idolatria/textos%20idolatria/oidolatraeocaluniador.htm

Suplemento: Deus proíbe ter ou fazer imagem para serem adoradas, isto é, serem consideradas como Deus, valorizadas igual ou superiores a Deus conf. Ex 20, 3-5; salmos 115(113), 4-8... Porém, quando as imagens não são para serem adoradas, Deus as manda fazer conf. Ex 25, 18-22; 31 1-5; 37 1-7; Nm 21, 8-9; 1° reis 6, 23-35; 7,29; Ez 41,17-20; 1°crônicas 28, 18-19 ... Nós católicos não consideramos os santos nem suas imagens a coisa mais importante de nossa vida menos ainda como Deus. Dizer o contrário é mentira e calúnia que assim como a idolatria fecha as portas do céu para quem morre com tais pecados. leia-o também em : larcatolico.webnode.com.br/news/venera%C3%A7%C3%A3o%20das%20imagens/

*************************************************************************************************************************************************************************

 

 

O que é idolatria?

 

Ídolo é um falso Deus. Uma imagem é só uma imagem, um símbolo, uma lembrança ou um sinal, até o momento em que é adorada. Então vira ídolo.

 

Faca é coisa boa enquanto bem usada. Mal usada vira objeto perigoso. Nas mãos de quem não sabe a diferença vira arma. Mas nas mãos da cozinheira é instrumento de trabalho. Estátuas e imagens nas mãos de cristãos inteligentes são apenas instrumentos de culto. Nas mãos dos cristãos mal evangelizados, se for católico, pode levar à idolatria. Se for crente fanático vira objeto de calúnia porque ele passa a acusar quem não é de sua Igreja de idólatras. Ele se ofenderia se eu o chamasse de assassino só porque tem uma faca em casa. Se ter uma faca e usá-la direito não é pecado, ter uma imagem e usá-la direito também não é. Está lá na Bíblia deles e na nossa. Deus permite e manda fazer imagens, desde que não sejam adoradas.

A palavra "ídolo" é mal usada por uns e outros. Espanta-me pessoas que chamam Jesus de ídolo. Atriz famosa, numa entrevista, interrogada sobre qual era o seu ídolo, respondeu que era Jesus. Enganou-se. Jesus não ocupa o lugar de Deus. Ele é Deus de verdade. Então qualquer tributo prestado a Ele é louvor verdadeiro. Para o cristão Jesus é Deus e não ídolo.

Quando lhe perguntarem sobre o seu ídolo, diga que é cristão e por isso não tem ídolos. Nem diga a uma pessoa que você a adora. Adoração, só Deus merece. Queira bem, curta, admire, mas não adore nem pessoas nem coisas. Guarde essa palavra para Deus: Pai, Filho e Espírito Santo.

Cá entre nós, católicos: católico evangelizado não adora nem santo nem imagem. Ele venera e respeita. Só adora a Deus. Cá entre nós, católicos: evangélico evangelizado não acusa levianamente os outros de idólatras... nem se acha verdadeiro adorador, desprezando os outros como falsos adoradores. Ele respeita e acaba entendendo que tanto na Igreja dele como na nossa há idólatras. Todo aquele que põe alguma coisa acima de Deus é idólatra. Quem julga os outros também é. Diga isso aos irmãos que o acusam de estar nas trevas e na idolatria. Há muitas maneiras de ser idólatras. Uma delas é brincar de Deus e sairmos por aí julgando os outros e achando-os menos cristãos do que nós.

Pe. Zezinho
Informativo da Diocese de Paracatu-MG / Jan-01

Podemos então refletir:

Onde estariam os verdadeiros ídolos e idólatras na sociedade moderna? Idolatrar não é colocar alguém ou alguma coisa no lugar de Deus?

No mundo atual não são os artistas, os cantores, os jogadores e times de futebol, os programas de televisão, a sexualidade, a beleza física e tantas outras coisas que ocupam o primeiro lugar do coração e do pensamento de muitos?

Jesus, certamente, ficaria muito satisfeito se os santos e suas imagens tivessem, pelo menos, metade da importância que as pessoas dão a essas coisas do mundo. Seria um bom sinal, de que era Jesus, e não as coisas do mundo, que reinava no coração da sociedade moderna.

fonte: http://www.exsurge.com.br/apologeticas/idolatria/textos%20idolatria/oqueeidolatria.htm

leia-o também em: larcatolico.webnode.com.br/news/venera%C3%A7%C3%A3o%20das%20imagens/

******************************************************************************************************************************************************************

 

As procissões com imagens de esculturas tem fundamentação bíblica?


A própria palavra de Deus nos apresenta a arca da aliança, revestida de ouro, com querubins (imagens) e levada em procissão.

“Josué disse ao povo, santificai-vos, porque amanhã o Senhor operará no meio de vós coisas maravilhosas. Depois falou aos sacerdotes: Tomai a Arca da Aliança e ide adiante do povo. Eles tomaram a Arca da Aliança e caminharam à testa do povo” (Josué 3,5-6)

“ O povo dobrou suas tendas e dispunha-se a passar o Jordão, tendo diante de si os sacerdotes que marchavam diante do povo levando a arca” (Josué 3,14)

“No momento em que os portadores da arca chegaram ao rio e os sacerdotes mergulharam os seus pés na beira do rio, o Jordão estava transbordante e inundava as sus margens durante todo o tempo da ceifa” (Josué 3,15)

“ Os sacerdotes que levavam a Arca da Aliança do Senhor, conservavam-se de pé sobre o leito seco do Jordão, enquanto que todo o Israel passava a pé enxuto. E ali permaneceram até que todos passassem para a outra margem” (Josué 3,17)

“Josué convocou os doze homens escolhidos, um por tribo, entre os filhos de Israel. E disse-lhes: Ide adiante da Arca DO Senhor, vosso Deus, ao meio do Jordão, e cada um de vós; segundo o número das tribos de Israel, carregue uma pedra no seu ombro” (Josué 4,4-5)

“Pôs também Josué outras doze pedras no leito do Jordão, no lugar onde estiveram parados os pés dos sacerdotes que levaram a Arca da Aliança. E elas estão ali ainda hoje. Os sacerdotes que levavam a Arca permaneceram de pé no meio do leito do Jordão até que se cumpriu tudo o que o Senhor tinha ordenado a Josué que dissesse ao povo, segundo as ordens que lhe deu Moisés. O povo apressou-se a atravessar o rio”. Logo que todos passaram, a Arca do Senhor e os sacerdotes puseram-se de novo à frente do povo” (Josué 4,9-11)

“O Senhor disse a Josué: Ordena aos sacerdotes, que levam a Arca do testemunho, que saiam do Jordão. Josué ordenou-lhes “Sai do Jordão”. E os sacerdotes, que levavam a Arca da Aliança do Senhor, tendo deixado o leito do rio, ao pisarem seus pés a terra firme, as águas do Jordão retomaram seu lugar e correram caudalosas como antes” (Josué 4,15-18)

“Colocarás a tampa sobre a Arca e porás dentro da Arca o testemunho que eu te der. Ali virei contigo ter contigo, e é de cima da tampa, do meio dos querubins que estão sobre a Arca da Aliança, que te darei todas as minhas ordens para os Israelitas” (Êxodo 25,21-22)

“A arca do senhor deu uma volta à cidade e, retornaram ao acampamento para ali passar a noite. Josué levantou-se muito cedo e os sacerdotes levaram a arca do senhor. Os sete sacerdotes, levando as sete trombetas retumbantes, marchavam diante da arca do senhor, tocando a trombeta durante a marcha. Os guerreiros precediam-no, e à retaguarda seguia a arca do senhor. E ouvia-se o retinar da trombeta durante a marcha”. (Josué 6,11-13)

“Partiram da montanha do senhor e caminharam três dias. Durante esses três dias de marcha, a arca da aliança do senhor os precedia, para lhes escolher um lugar de repouso. A nuvem do senhor estava sobre eles de dia, quando partiam do acampamento”. (Números 10,33-34)

“Sete sacerdotes, tocando sete trombetas, irão adiante da arca. No sétimo dia dareis sete vezes volta à cidade, tocando os sacerdotes a trombeta”. (Josué 6,4)

“Dando ao povo esta ordem: Quando virdes a arca da aliança do Senhor, vosso Deus, levada pelos sacerdotes, filhos de Levi, deixarei vosso acampamento e vos poreis em marcha, seguindo-a.” (Josué 3,3)

“Marcharam os guerreiros diante dos sacerdotes que tocavam a trombeta, e a retaguarda seguia a arca, e durante toda a marcha ouvi-se o retinir das trombetas” (Josué 6,9)

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Vemos claramente com a Bíblia nas mãos, que a arca da aliança, com seus querubins (anjos de ouro), não foi somente colocada num lugar de honra e destaque, onde se celebrava o culto, mas também levada pelos sacerdotes, solenemente, em procissão, dando voltas pela cidade, tocando trombetas.

O fato de uma Imagem ser carregada em procissão igualmente não configura “Idolatria”

Ora, se carregar um objeto em procissão fosse “Idolatria” como se afirma no Protestantismo, teríamos necessariamente que considerar inclusive o Povo de Deus como “Idólatra”. Afinal, também o povo de Deus fez procissões, carregando como objeto de Culto a Arca da Aliança. E isso é narrado diversas vezes no Antigo Testamento: (Ex 25,18) (Números 10,33-34) (Josué 3,3) (Josué 6,4) (Josué 6,9) etc.

Esta procissão, conduzindo inclusive imagens de Querubins, estabelecida por Deus na Bíblia, não é igual a uma procissão qualquer com “...imagens de esculturas feitas de madeira e rogando ao falso Deus que não pode salvar” (Isaías 45,20).

Repare bem: as Procissões que levam imagens dos heróis da fé não são imagens de Deuses, porém não tem como ser Idolatria. Também não é feito nenhum sacrifício a esses Santos, e Heróis da fé. Enquanto os Pagãos: Eles já carregavam suas imagens, considerando-as como Deuses e fazendo sacrifícios. Veja a diferença das duas procissões:

O Católico carrega a Imagem de pessoas virtuosas já falecidas com a mesma “audácia” dos Judeus ao carregarem a venerável Arca da Aliança.

Ainda hoje realizam-se procissões, caminhadas de louvor a Deus pelos santos da igreja, cujas imagens dos santos, a exemplo dos querubins, para lembrar-nos os heróis do cristianismo. Será isso idolatria?

http://www.exsurge.com.br/apologeticas/procissoes/textos%20procissoes/procissoes.htm

Suplemento: Surge a pergunta: o que significa, ou seja, qual a finalidade das procissões, de que a Igreja católica incentiva os católicos a participar, andando atrás de imagens de santos?

   Resposta: Lemos na palavra de Deus que tanto Davi, Josué e os filisteus fizeram procissões religiosas levando solenemente a arca da aliança, na qual havia duas imagens de esculturas em cima (cf. Ex 25,17-22) – cf. 1Sm 6,1.4-5.10-18; 2Sm 6,12-18; Js 6,4-16; 2Cr 5,2-8; Ne 12,27-43; e enquanto faziam a procissão eram guiados e protegidos por Deus (cf. Nm 10,33-34). Nenhum destes textos mostra que eles adoraram a arca ou as imagens de esculturas que iam em cima da mesma. Afirmar o contrário é blasfemar, dizendo que Deus guiava o seu povo para a idolatria, protegendo-o enquanto a praticava. Isto prova biblicamente que não é o fato de se fazer procissão levando imagens  que faz ou leva as pessoas a adorá-las, e nem isto é prova de que as estão adorando. “Veja uma dessas procissões em um site de um pastor assembleiano na 4° foto com o nome” queda dos muros de Jericó "

 

 

 

www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao5-ldj-aconquistadejerico.htm-Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2009 )

   Por favor, leia atentamente 1 Samuel 6, 1-6. 14-16 este texto deixa claro que a arca do Senhor foi devolvida solenemente em procissão religiosa. Os filisteus perguntaram aos sacerdotes como fazer para devolver a arca para o seu lugar, e que orientação receberam? Em primeiro lugar, que deviam oferecer oferta expiatória; depois, que fizessem, para esta oferta a Deus, objetos de ouro, figuras de tumores e esculturas de ratos, porque alguns foram curados de tumores e porque os ratos tinham sido uma grande praga que havia devastado a terra dos filisteu. E por fim, que esses objetos e imagens fossem enviados em procissão, dentro de um cofre, que seguiria no mesmo carro em que seria transportada a Arca do Senhor, esses objetos e imagens foram colocados na grande pedra, o altar, e depois ofereceram holocaustos e sacrifícios a Deus. Qual protestante teria a ousadia de blasfemar contra Deus dizendo que aceitando essa oferta expiatória em forma de figuras e esculturas estaria o próprio Deus aceitando e incentivando a idolatria? Aqui fica provado mais uma vez que: a idolatria está no coração da pessoa e não em objetos visíveis e imagens, que a questão da idolatria não se prende simplesmente a esculturas, imagens ou figuras, mas àquilo que está no coração do homem. Deus feriu os homens de Bete-Semes porque acolheram a Arca sem respeito, desobedecendo a ordem divina em relação a Arca mencionada em: Êx 19,21; Num 4, 5. 15. 20, provando mais uma vez que a Arca e os demais objetos sagrados do templo" imagens dos querubins ... " não eram simples objetos de ardonos, enfeites e menos anda ídolos.  O que Ele proíbe são imagens de ídolos, falos deuses. E já que Deus aceitou até imagens de ratos e tumores, não vai ser a imagem da mãe de Jesus que Ele vai renegar. Deus sabe a diferença entre imagem sagrada e ídolo! Nós católicos aprendemos de Deus esta diferença.

   Hoje, principalmente nos santuários marianos, o povo continua apresentando suas ofertas expiatórias, não mais ratos e tumores, mas parte do corpo que simbolizam as curas obtidas, e isto não é invenção da Igreja Católica, mas trata-se de uma continuação do povo de Deus, dos sinais e gestos de um povo que tem fé e deseja, com sinais visíveis, demonstrar o seu agradecimento ao Senhor pela graça que ele nos concedeu  pela intercessão de determinado Santo (a). As procissões aparecem na Bíblia sagrada em diversas situações e elas exprimem, no gesto de caminhar sempre em frente, além de penitência, devoção, súplica, gratidão, também a nossa peregrinação terrena até chegarmos à nossa morada definitiva Cf. Católico, Sim! Idólatra, Não! pags 71-75, editora: palavra & prece .

 

 

   Ainda hoje se realizam procissões, caminhadas e louvor a Deus pelos santos da Igreja que ele nos deu, cujas imagens são, a exemplo dos querubins da arca, conduzidas para lembrar os heróis do cristianismo, da santidade e da fé.

  Será isso idolatria? Se não é idolatria e nem errado homenagearmos os heróis da pátria, do futebol... Também não é fazermos o mesmo com os heróis da fé, da santidade... do cristianismo. Uma procissão é uma maneira simbólica que a Igreja usa para levar o povo a entender, pelo gesto de caminhar atrás de uma imagem, que devem seguir o bom exemplo e as virtudes daquele (a) santo (a) representado (a) na imagem. cf. Nós, os Católicos Romanos, pag 129, 6° edição, ed: santuário
   Visto que os santos (as) seguiram os passos (exemplos e ensinamentos) de Jesus mais de perto, imitá-los é o mesmo que  imitar a Cristo (cf. 1Cor 11,1; Fl. 3, 17). Assim como os maus exemplos nos afastam de Cristo (1Cor 15,33; Pr 13,20), os bons nos aproximam (1Cor 11,1; Pr 12,26).
   Os santos são a “obra prima de Deus por excelência”. Ora, convém reconhecer o autor em suas obras. Quando veneramos os santos representados nas imagens através de louvores, procissões... é na intenção de contemplar o trabalho da graça divina livremente aceita, é para que Deus seja glorificado em suas obras (cf. Sl 14,4; 2Ts 1,10.12; Eclo 44,1.10-15; Jo 12,26; Ef 5,1), é  porque a memória dos santos é, para nós, um estímulo para imitarmos Jesus Cristo.  

Ler mais: http://www.larcatolico.com/news/venera%c3%a7%c3%a3o%20das%20imagens/

 

**************************************************************************************************************************

 

 

 

NAO TEM O SALMO 115 NA BIBLIA DE VOCÊS NÃO É?

  

Prezado Gregório, a Paz do Senhor. Sim, prezado, tem sim, da mesma forma que a interpretação correta deste salmo, que os protestantes distorcem sobre a Igreja católica. Aliás, a Bíblia católica é mais completa que as protestantes, pois nestas faltam os livros deuterocanônicos. Tirar versículos do contexto e distorcer sua verdadeira interpretação é passatempo predileto do protestantismo desde a Reforma protestante. Está disposto a analisar honestamente o que o Sl. 115 diz ou ainda quer ficar no subterfúgio da falácia protestante?

 

Note o v. 4: “Prata e ouro são os ídolos deles, obra das mãos de homens”. Ídolos de quem? Para alguns desavisados, isso poderia soar logo “ah! É a Igreja católica”. Errado! Veja o v. 2: “Por que diriam as nações: Onde está o Deus deles?” As nações (pagãs). O texto, longe da cavilação protestante, tem que ser entendido no seu devido contexto, que é expressar a comparação do salmista do povo santo com as nações, que estes adoravam ídolos, e afirmavam que esses ídolos eram verdadeiros deuses.  
 

A falácia protestante começa no v. 5. Mas o versículo fala dos ídolos das nações pagãsEstes ídolos eram esculpidos com bocas, mas eles não faziam nenhum uso delas; se lhes clamassem, eles não poderiam responder, nem salvar de suas dificuldades. Os sacerdotes de Baal clamaram a seu ídolo, mas não ouviram nenhuma voz, nem retornou resposta; eles são justamente chamados de ídolos mudos, Hb. 2.18 Is. 46.7 Jr. 10.5;Ire. 18.26,2. Os católicos não clamam às imagens, como os pagãos (para quem as estátuas eram O deus em si) mas oram JUNTO com os santos nelas representados.

 

Agora, o que tem isso a ver com a doutrina católica? Em nenhum momento a Igreja, em seu ensino oficial, diz para alguém adorar uma imagem! Somente alguém de má-fé, preconceito e completo desentendimento da doutrina católica para afirmar tal disparate! As imagens na Igreja não são para serem adoradas mas somente como uma homenagem ao santo representado. Se fazer imagens fosse proibido, Gregório, coitado dos escultores! Deus mesmo NUNCA proibiu fazer imagens, mas as recomenda (Ex. 25.22; IRe. 9.3)

 

Para derrubar a mentira deslavada protestante recorramos ao Catecismo:

 

2112 - O primeiro mandamento condena o politeísmo. Exige que o homem não acredite em outros deuses afora Deus, que não venere outras divindades afora a única. A escritura lembra constantemente esta rejeição de "ídolos, ouro e prata, obras das mãos dos homens", os quais "têm boca e não falam, têm olhos e não vêem..." Esses ídolos vãos tornam as pessoas vãs:

 

    "Como eles serão os que o fabricaram e quem quer que ponha neles a sua fé" (Sl 115,4-5. 8). Deus, pelo contrário, é o "Deus vivo" (Jo 3, 10) que faz viver e intervém na história.

 

2113 - A idolatria não diz respeito somente aos falsos cultos do paganismo. Ela é uma tentação constante da fé. Consiste em divinizar o que não é Deus. Existe idolatria quando o homem presta honra e veneração a uma criatura em lugar de Deus, quer se trate de deuses ou de demônios (por exemplo, o satanismo), do poder, do prazer, da raça, dos antepassados, do Estado, do dinheiro etc. "Não podeis servir a Deus e ao dinheiro", diz Jesus (Mt 6,24). Numerosos mártires morreram por não adorar "a Besta", recusando-se até a simular seu culto. A idolatria nega o senhorio exclusivo de Deus; é, por­tanto, incompatível com a comunhão divina.

 

Da mesma forma como os protestantes desmerecem as imagens católicas eles deveriam desmerecer e criticar publicamente as imagens de personagens históricas em praças e museus. Mas raramente vejo um protestante fazer isso. Por quê? Porque eles irão dizer: “ah! Mas nós não adoramos essas estátuas de D. Pedro I,  Cabral, etc”. Nem nós católicos adoramos imagens de santo algum. São homenagens, representações e não um fim de adoração em si. Somente anticatólicos desinformados que continuam espalhando esta tolice.

 

Assim, o Sl. 115 é muito mal usado por alguns contra a Igreja católica, que o tiram de seu devido contexto. Não pode retirar um texto isolado da Bíblia, sem exegese, e aplicá-lo a bel prazer criando uma doutrina.

 

Os “ex-católicos” dizem: “quando éramos católicos, adorávamos as imagens, pensando que tinham poder. Até lhes pedíamos milagres”. Minha pergunta a essas pessoas é: “quantas vezes freqüentaram a Igreja e estudaram a doutrina católica? Esses ex - católicos eram católicos “de nome”, nada mais.  Qualquer coisa pode ser uma imagem e me ajudar a crescer em minha fé. Uma rocha me faz pensar em Deus, a Rocha da Salvação; um rio me faz pensar que Jesus nos promete água viva. Também um cordeiro nos lembra que Jesus é o Cordeiro de Deus. A luz do Sol, se estou desperto espiritualmente, é um bom sinal de que Cristo é a Luz do Mundo. Todas essas imagens são más?


Os irmãos protestantes que me dizem: “todas as imagens são más” tem problemas quanto lêem que Jesus é a Imagem de Deus (Cl.1.15) e que também NÓS somos feitos à Sua Imagem (Gn.1.26). Jesus é mal, então? E nós?   

A Igreja católica e particularmente as Igrejas Ortodoxas citam a obra de S. João Damasceno "Sobre as Imagens Divinas" para defender o uso de ícones. Ele escreveu em resposta direta à controvérsia iconoclasta que começou no século VIII pelo imperador bizantino Leão III e continuou por seu sucessor, Constantino V. S. João ensinava que representar o Deus invisível é de fato errado, mas ele discute que a encarnação, onde "o Verbo se fez carne" (João 1.14), indica que o Deus invisível ficou visível, e como resultado, é permissível representar Jesus Cristo.

 

Jacó se curvou ao solo diante de Esaú, seu irmão, e também diante de seu filho José (Gn. 33.3). Ele se prostrou, mas não o adorou. Josué, o filho de Nun, e Daniel se curvaram em reverência diante de um anjo de Deus (Js. 5.14) mas eles não o adoraram. “Adoração é uma coisa e o que é oferecido em honra de algo de grande excelência é outra coisa", diz S. João Damasceno. Ele cita S. Basílio, que afirma "a honra dada à imagem é transferida a seu protótipo”. S. João então ensina que venerar uma imagem de Cristo não termina na própria imagem - o material da imagem não é o objeto de adoração - na verdade vai além da imagem, para o protótipo.

Agora, a própria Bíblia profetiza contra os protestantes destruidores de imagens cristãs: Sl. 74. 3-8. Eis que toda obra entalhada, eles a despedaçaram a machados e martelos” (v. 6). Aí os protestantes encontram um problemão, pois estas “obras entalhadas” eram também imagens de querubins (IRe. 6.29). Gregório vai encontrar um problemão com sua teoria anticatólica.  

Agora volto a pergunta ao mesmo Gregório e digo: sua Bíblia tem Mt.16.18, que prova que Jesus fundou a Igreja sobre Pedro? Sua Bíblia tem IITs. 2.15 que prova a Sagrada Tradição? Na sua Bíblia protestante por acaso não tem Ef. 4.4-5, que prova que a Igreja é visível e una? Não tem At. 8.14-15, que fala sobre a Crisma? Não tem Mt.14. 22-24, que prova a Sagrada Eucaristia? Na sua Bíblia, Gregório, tem Ml.1.11, que profetiza sobre a missa (os cultos protestantes não são sacrificiais, logo esta profecia não é para eles)? Tem Jo. 20.21-23 e At. 19.18, que prova (entre outros versículos) aConfissão? Tem ICo. 4.1, que prova a Ordem Sacerdotal? Tem Mt.12.32, que alude ao Purgatório? Tem Lc.1.28, que chama Maria de “cheia de graça” (a tradução mais correta)? Na sua Bíblia ou de qualquer pentecostal tem Ap. 5.8, que demonstra a intercessão dos santos? E muito mais? 

Por tudo isto, cabe perguntar se na sua Bíblia tem estes textos (e muitos mais) ou se é que não quer vê-los?

 

Fonte: www.veritatis.com.br/inicio/espaco-leitor/5428-leitor-pergunta-sobre-o-salmo-115

 

**********************************************************************************************************************

 

 

Genuflexão é idolatria?

Normalmente, o que costumamos ouvir em dialogos com os protestante é que somos idolatras pois nos curvamos diante as imagens, ao Papa e aos bispos e que este ato segundo a Biblia seria idolatria e se baseiam principalmente em Deuteronomio:

"Não te prostrarás diante delas para render-lhes culto, porque eu, o Senhor, teu Deus, sou um Deus zeloso, que castigo a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e a quarta geração daqueles que me odeiam" -Dt 5:9.

O ato de fazer a genuflexão nao significa em si mesmo adorar, isso depende muito do sentimento que se emprega ao faze-lo, porque também pode ter sentido totalmente diferente como o de reverenciar, honrar e de reconhecer que somos uma grande familia da qual Deus estabeleceu e nos colocou os guias, que são as autoridades e também os santos que são nossos exemplos de vida e na qual nao idolatramos.

Quando nos curvamos ao Papa e os bipos os reconhecemos como pastores e com autoridade nao recebida por mâos humanas mas de Deus:

Jeremias 23:4 “Para as minhas ovelhas estabelecerei pastores, que as apascentarão. Não sentirão medo ou pavor e nenhuma delas faltará”

Mateus 23: 2-3 "Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus. Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem"

Hebreus 13:17 "Sede submissos e obedeceis aos que vos guiam (pois eles velam por vossas almas e delas devem dar conta). Assim, eles o farão com alegria, e não a gemer, que isto vos seria funesto."

Romanos 13:1-2 "Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação."

Do mesmo modo fazemos com as imagens, não no sentido de adorar e colocando-as como se fosse ou no lugar de Deus, mas reverenciando aqueles que nos deixaram um testemunho de vida em Cristo, e que assim não perder nossa objetivo que é buscar sempre como o Reino dos céus, seguindo aqueles que nos deixaram o exemplo de santidade e amor a Jesus.

Este portanto não se trata de um sentimento de idolatria, afirmar isto seria um pré-julgamento errôneo da parte dos protestantes que não consideram os exemplos deixados pelos santos e santas, num tipo e egocentrismo onde o "eu e minha interpretação da Bíblia me basta" veja como isso se contradiz com a Palavra de Deus:

Hebreus13:7 Lembrai-vos de vossos guias que vos pregaram a palavra de Deus. Considerai como souberam encerrar a carreira. E imitai-lhes a fé.

Se todas as vezes que alguém se ajoelha ,se prosta frente alguem fosse um ato de adoração diriamos assim então que os soldados romanos antes de crucificar, reconheceram Jesus como Rei, o que é impossivel pois zombaram, o flagelaram e o coroaram de espinhos e tinham um explicito intuito de gozaçao e desprezo:

Mateus 27:27-31 "Os soldados do governador conduziram Jesus para o pretório e rodearam-no com todo o pelotão.Arrancaram-lhe as vestes e colocaram-lhe um manto escarlate.Depois, trançaram uma coroa de espinhos, meteram-lha na cabeça e puseram-lhe na mão uma vara. DOBRANDO OS JOELHOS DIANTE DELE, diziam com escárnio: Salve, rei dos judeus! Cuspiam-lhe no rosto e, tomando da vara, davam-lhe golpes na cabeça. Depois de escarnecerem dele, tiraram-lhe o manto e entregaram-lhe as vestes. Em seguida, levaram-no para o crucificar."

A acusação dos protestante nada mais é que uma falta de compreensão e uma generalização inadequada na ânsia de achar defeitos na Santa Doutrina da Igreja .

Vejamos mais um exemplo dentro da Sagrada Escritura, Josué junto com todos os anciões se prostaram frente a arca da aliança que não era o Deus verdadeiro, e ficaram prostado diante dela , será que Josué e os anciãos foram idolatras e trocaram o Deus verdadeiro pela arca da aliança?

Josué 7:6 "PROSTOU-SE COM A FACE POR TERRA até a tarde DIANTE DA ARCA DO SENHOR, tanto ele como os anciãos de Israel, e cobriram de pó as suas cabeças."

Será que Josué foi idolatra? Como podemos saber se o sentido de seu prostar foi idolatria?

Um outro exemplo temos com Abrãao, o Pai de uma multidão, escolhido por Deus se prostando frente aos três anjos que visitariam Sodoma e Gomorra, seria certo se prostar frente ao anjo fazendo segundo a concepção protestante um ato de adoraçao aos anjos e não a Deus? Teria sido assim Abrãao idolatra?

"Abraão, levantando os olhos, viu três varões em pé, junto a ele. Tanto que ele os viu, correu da porta da tenda a recebê-los e PROSTANDO EM TERRA OS ADOROU " (Gn. 18,2).

Hoje segundo os exegetas acreditam que estes anjos eran a Santissima Trindade, mas o que importa de fato para nós neste assunto é a diferença da interpretaçao e discernimento entre o ato e idolatria e o ato de reverencia.

Do mesmo modo o povo de Israel há 3.500 anos atras poderiam achar que a Biblia se contradiz, ou ate mesmo achar que Moises foi o primeiro idolatra, pois aquele que trouxe a palavra de Deus se prostou frente ao seu sogro, cabe aqui uma reflexão:

Sera que aquele que foi o portador dos mandamentos de Deus foi o primeiro a não obedecer? Lembrando que os protestante se baseiam como ja foi citado acima em deuteronomio para dizer que ajoelhar é adoração. Veja Moisés:

Exodo 18: 5-7 "5 Jetro, sogro de Moisés, com os dois filhos e a mulher deste, veio procurá-lo no deserto, onde estava acampado, perto da montanha de Deus.E mandou-lhe dizer: “Teu sogro Jetro vem te ver, acompanhado de tua mulher e de teus dois filhos”. MOISÉS SAIU AO ENCONTRO DE SEU SOGRO, PROSTOU-SE e beijou-o. Informaram-se mutuamente sobre a sua saúde e entraram na tenda."

E será que também o povo de Israel foi idolatra prostando frente a Moisés?

Exodo 4: 30-31 "Aarão repetiu todas as palavras que o Senhor tinha dito a Moisés, e este fez os prodígios em presença do povo.O povo acreditou. E, tendo ouvido que o Senhor viera visitar os filhos de Israel, e que vira sua aflição, INCLINARAM-SE E PROSTARAM-SE."

Exodo 12: 26-27 "E quando vossos filhos vos disserem: que significa esse rito? respondereis: é o sacrifício da Páscoa, em honra do Senhor que, ferindo os egípcios, passou por cima das casas dos israelitas no Egito e preservou nossas casas.” O POVO INCLINOU-SE E PROSTOU-SE."

Enfim não só na Biblia mas existem inumeras citações que podem ser dadas ate mesmo por conta de costume de povos , mas que em si nao representa a idolatria, tudo isso começa a partir de um mal julgamento e uma busca de encontrar erros e difamar a Santa Igreja Catolica Una e Santa.

Mas esta busca dos que estão de fora apenas acaba confirmando a nossa fé, estes irmaos separados (sectários) ao inves de destruir a Igreja somente reforça e reafirma nossa fé de que esta sim é a Igreja de Cristo que é coluna e fundamento da verdade (cf. I Tim 3,15):

" Pois, em primeiro lugar, ouso dizer que quando se reunem como igreja HÁ DIVISÕES entre vocês e em parte eu acredito. Sem dúvida tem que haver GRUPOS SECTÁRIOS entre voces para se demonstre quem contam com a aprovação de Deus"

I Corintios 11:18-19

" Esta Igreja é Sacra, a Unica Igreja, a Igreja Verdadeira, a Igreja Católica, sempre combatente contra toda heresia. Ela pode combater, mas não pode ser vencida. Todas as heresias são expulsas dela, como as ramas ruins são podadas da videira. Ela se mantem arraigada em suas raizes, na vida e em seu amor. As portas do inferno jamais poderão vencê-la "

Santo Agostinho (Sermão aos catecumenos sobre o Credo, 6,14, 395 dC.)

"A Igreja instituida pelo Senhor e confirmada pelos Apostolos, é Una para todos os homens, mas as ideias disparatadas das diversas seitas profanas que tem se separado dela. Não se pode negar que este desgarramento da fé tem surgido devido a pouca inteligência, dos que distorcem o que lêem. Não obstante, enquanto alguns combatem entre si. A Igreja se mantem firme não somente por suas doutrinas, mas por seus adversarios. E apesar de todos se unirem contra ela, ela refuta o erro mais malvado que todos eles compartem, pelo fato dela ser Unica e Una. Todos os hereticos portanto, se unem contra a Igreja, mas apesar dos hereticos se superarem entre si, não podem ganhar nada para eles mesmos.Porque sua vitoria é o triunfo da Igreja entre eles. Uma heresia luta contra uma doutrina diferente, que a crença da Igreja ja condenou em outra heresia- porque não existe nada que os hereticos tenham ou crêem entre si e o resultado é que assim eles afirmam nossa fé enquanto lutam entre si."

São Hilario de Poitiers ( A Trindade, 7:4, Jurgens 865, 356 dC. )

" Portanto é a Igreja Catolica somente que retem um culto verdadeiro. Esta é a fonte da verdade, o domicilio da fé, este é o Templo de Deus. Quem não entra ali ou não sai daqui é um estranho na esperança da vida e salvação (...) Não obstante, devido ao que varios grupos de hereticos estão seguros que são Cristãos e crêem que suas igrejas é a Igreja Catolica, mas vale esclarecer que : a verdadeira Igreja é onde existe a confissão e a penitência e aonde se toma um saudavel cuidado dos pecados e feridas a qual está exposta a carne debil "

   fonte: http://www.exsurge.com.br/apologeticas/idolatria/textos%20idolatria/genuflexaoeidolatria.htm

   leia-o também em : www.larcatolico.webnode.com.br/doutrina-catolica/

 
***********************************************************************************************************************************************************
 
 
 
INIMIGO DE MARIA
Autor: pe. Zezinho
Fonte: Livro "As Diferenças entre Igreja Católica e Igrejas Evangélicas" (pp. 105-106)

 

Carta de Paulo Souza ao Padre Zezinho:

"Maria não pode nada. Menos ainda as imagens dela que vocês adoram. Sua Igreja continua idólatra. Já fui católico e hoje sou feliz porque só creio em Jesus.

Você com suas canções é o maior propagador da idolatria mariana. Converta-se enquanto é tempo. Senão você vai para o inferno com suas canções idólatras" (Paulo Souza - São Paulo/SP).

 

Sua carta chega a ser cruel. Em quatro páginas você consegue mostrar o que um verdadeiro evangélico não pode ser. Seus irmãos mais instruídos na fé sentiriam vergonha de ler o que você disse em sua carta contra nós católicos e contra Maria. O irônico de tudo isso é que, enquanto você vai para lá agredindo a Mãe de Jesus e diminuindo o papel dela no cristianismo, um número enorme de evangélicos fala dela, hoje, com maior carinho e começa a compreender a devoção dos católicos por ela. Você pegou o bonde atrasado e na hora errada e deve ter ouvido os pastores errados, porque entre os evangélicos, tanto como entre nós católicos, Maria é vista como a primeira cristã, e a figura mais expressiva da evangelização depois de Jesus. Eles sabem da presença firme e fiel de Maria ao lado do Filho Divino. Evangélico hoje, meu caro, é alguém que pautou sua vida pelos evangelhos e por isso respeita os outros e não nega Maria. Pode haver diferenças, mas para ser um bom evangélico não é preciso agredir nem os católicos nem a Mãe de Jesus. Você é muito mais antimariano do que cristão ou evangélico. Seu negócio é agredir Maria e os católicos. Nem os bons evangélicos querem gente como você no meio deles.

Quanto ao que você afirma, que nós adoramos Maria, sinto pena de você. Enquanto católico, segundo você afirma, já não sabia quase de Bíblia por culpa da nossa Igreja; agora que virou evangélico parece que sabe menos ainda de Bíblia, de Jesus, de Deus e do Reino dos Céus. Está confundindo culto de veneração com culto de adoração, está caluniando quem tem imagens de Maria em casa ao acusá-los de idólatras.

Ora, Paulo, há milhões de católicos que usam das imagens e sinais do catolicismo de maneira serena e inteligente; se você usava errado teria que aprender. Ao invés disso foi para outra Igreja aprender a decidir quem vai para o céu e quem vai para o inferno. Tornou-se juiz da fé dos outros. Deu um salto gigantesco em seis meses, de católico tornou-se evangélico, pregador de sua Igreja e já se coloca como a Quarta pessoa da Santíssima Trindade, porque está decidindo quem vai para o céu e quem vai para o inferno. Mais uns dois anos, talvez, dê um golpe de estado no céu e se torne a primeira pessoa da Santíssima Trindade. Então, talvez, mande Deus vir avisar quem você vai pôr no céu ou no inferno.

Sua carta é pretensiosa. Sugiro que estude mais evangelismo, e, em poucos anos, estará escrevendo cartas bem mais fraternas e bem mais serenas do que esta.

Desejo de todo coração que você encontre bons pastores evangélicos. Há muitíssimos homens de Deus nas Igrejas evangélicas que ensinarão a você como ser um bom cristão e como respeitar a religião dos outros. Isso você parece que perdeu quando deixou de ser católico. Era um direito que você tinha: procurar sua paz. Mas parece que não a encontrou ainda, a julgar pela agressividade de suas palavras. Quanto a Maria, nenhum problema: é excelente caminho para Jesus. Até porque, quem está perto de Maria, nunca está longe de Jesus. Ela nunca se afastou, tire isso por você mesmo. Se você se deu ao trabalho de me escrever uma carta para me levar a Jesus, e se acha capaz disso, imagine então o poder da Mãe de Deus! De Jesus ela entende mais do que você. Ou, inebriado com a nova fé, você se acha mais capaz do que ela? Se você pode sair por aí escrevendo cartas para aproximar as pessoas de Jesus, Maria pode milhões de vezes mais com sua prece de Mãe. Ela já está no céu e você ainda está por aqui, apontando o dedo contra os outros e decidindo quem vai ou quem não vai para lá.

Grato por sua carta. Mostrou-me porque devo lutar pela compreensão entre as igrejas.

É por causa de gente como você.

Pe. Zezinho

fonte: www.agnusdei.50webs.com/div375.htm

leia-o tambem em www.larcatolico.webnode.com.br/doutrina catolica

*********************************************************************************************************************************************

APRENDA COMO SE DEFENDER DOS CALUNIADORES DA SANTA IGREJA LENDO ESTE PODEROSO SITE:

.

O protestantismo brasileiro se gaba de não ter imagens de escultura nem de prestar honras à criatura ou à Deus através delas, porem a realidade não é bem esta, nesta pagina você ira conhecer as imagens no meio protestante e em templos “evangélico” e utilizado no serviço religioso e para o serviço religioso!

ENTRE ELAS TEMOS:

IGREJA EVANGÉLICA BATISTA

IGREJA EVANGÉLICA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS
IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA
IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA

IGREJA EVANGÉLICA METODISTA.
IGREJA EVANGÉLICA QUADRANGULAR
IGREJA EVANGÉLICA SARA NOSSA TERRA
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS

E muito mais, como VIDEOS dos cultos com imagens de escultura da arca sendo carregada nos ombros (andor) dos fiéis e se prostrando diante delas, enfim uma quase infinidade de uso de imagens de escultura para o serviço religioso no meio chamado “evangélico”.

LUTERO ENSINOU O USO DE IMAGENS, LEIA:

http://caiafarsa.wordpress.com/lutero-ensinava-uso-imagens-crucifixosetc/

———————————————————

SERIAM ESTES OS VERDADEIROS ADORADORES QUE RELATA NA BIBLIA?

CLIQUE NA FOTO E VEJA O VIDEO:

LOUVOR PASTORES PROSTRADOS DIANTE DA ARCA IURD

IMAGEM DE ESCULTURA

IGREJA EVANGÉLICA QUADRANGULAR AGUA VERDE, ARCA CARREGADA EM ANDOR DEPOIS FIÉIS PROSTRADOS DIANTE DA ARCA TOCANDO A ARCA COM A MÃO , PASTORA DIZ: “NÃO É UMA SIMPLES ARCA!!!! TOQUEM NESTA ARCA ELA REPRESENTA A GLÓRIA DO SENHOR A NUVEM DO SENHOR QUE ESTA SOB ESTA IGREJA” ( http://www.youtube.com/watch?v=auRZ_HQdkmU&feature=related

Os 5 Pastores clamando ao pé da cruz . No último domingo dia 22 de agosto na IURD do bairro Canaã em Ipatinga foi realizada uma grande concetração de fé e milagres em favor da familia. Fieis e seus convidados depossitaram seus pedidos de oração ao pé da cruz, onde 5 pastores fizeram um clamor. ( http://jovemdeaco.blogspot.com/2010/08/no-ultimo-domingo-dia-22-de-agosto-na.html )

PASTORES EVANGÉLICOS PROSTRADOS DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA A CRUZ. ——— Os 5 Pastores clamando ao pé da cruz . No último domingo dia 22 de agosto na IURD do bairro Canaã em Ipatinga foi realizada uma grande concetração de fé e milagres em favor da familia. Fieis e seus convidados depossitaram seus pedidos de oração ao pé da cruz, onde 5 pastores fizeram um clamor. ( http://jovemdeaco.blogspot.com/2010/08/no-ultimo-domingo-dia-22-de-agosto-na.html )

01

——PROTESTANTES PRESTANDO HONRA AOS MORTOS——– HOMENAGEM AOS HOMENS DA REFORMA (HOMENS QUE ESTÃO MORTOS)  PROTESTANTE COM IMAGENS DE ESCULTURAS GIGANTESCAS O pastor Philippe Reymond faz culto em comemorações do 5° centenário de Calvino, à frente do muro dos reformadores em Genebra. Salvatore di Nolfi, Keystone.

02

Ana Paula reza diante da imagem de Cristo, no Jardim de Getsêmani A protestante Ana Paula Valadão diante de uma ImagemVai dizer agora OS PROTESTANTES que também é adoração?!

 

03

PASTOR E PASTORA EVANGÉLICA ORAM PROSTRADOS DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA PELOS PEDIDOS FEITO A DEUS DEPOSITADOS NA MESMA Igreja Apostolica Novo Cantico No culto da unção de 30/04/2009 foi uma grande benção, o apóstolo Anderson e a bispa Karina oraram pelos pedidos, nomes, fotos, carteiras de trabalho e curriculos depositados na arca da aliança e houve um grande mover do Senhor, onde vimos curas, caroços que sumiram, libertação e muitos dons derramados. não fique de fora desse mover, participe você também do verdadeiro envio apostólico! todas as quintas-feiras às 20:00h. te esperamos aqui!( http://www.igrejanovocantico.com/2009_04_01_archive.html

04

ALTAR DE IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA REPLETO DE IMAGENS DE ESCULTURA IGREJA LUTERANA Vilnius LITUANIA CONFIRMAR NO LINK-( http://www.liuteronai.lt/titulinis/straipsniai/2005/vilnius/vilnius.htm )( http://amandalithuania2009.files.wordpress.com/2009/05/img_1928.jpg?w=500&h=666)

05

ANJA PRESBITERIANA??? ALGUEM PODE DESCOBRIR O SEXO DESTE ANJO. OU SERIA APENAS UMA PROSOPOPÉIA —– Este anjo guardião repousa no gramado da frente da Casa da Esperança Igreja Presbiteriana na Cimeira Avenue, cuidar do parishoners e transeunt—- -( http://www.emporis.com/en/il/im/?id=418235 )

06

EVANGÉLICO BILLY GRAHAM É HOMENAGEADO COM IMAGEM DE ESCULTURA EM CULTO COM MILHARES DE FIÉIS Billy Graham presidente da convenção evangélica Sul Batista é homenageado com escultura na reunião anual em Greensboro, NCA escultura apresenta um sete-pé-alto representação permanente de Graham 17-pé ao lado de uma cruz.VER O LINK—( http://www.floridabaptistwitness.com/6122.article )ou( AMIGOS E FIÉIS BATISTAS OLHAM ADIMIRADOS PARA GIGANTE IMAGEM DE ESCULTURA FEITA PARA HONRAR Billy Graham ( http://tennesseeguy.wordpress.com/2006/12/13/billy-graham-statue-unveiled-in-nashville-while-son-readies-megabuck-mausoleum/ )

07

IMAGENS DE ESCULTURA IGREJA METODISTA UNIDA TEXAS VER LINK ( http://huntsvillearumc.blogspot.com/2008/08/cross-ministries-in-groom-texas.html )

ALTAR EM INGREJA EVANGÉLICA METODISTA ( Broadway United Methodist Church ) ( http://www.broadwaymethodist.org/broadwaymethodist/ )

ALTAR EM IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA (SANTOS, SANTAS, ANJINHOS E CRISTO CRUCIFICADO) ESTAS IMAGENS ESTÃO NO CENTRO DA IGREJA LOCAL DE MAIOR HONRA DO TEMPLO NO ALTAR.–( http://www.flickr.com/photos/46284343@N00/316165908/ )


 

 

11

IGREJA QUADRANGULAR ASSIS A ARCA CHEGANDO EM ANDOR NO CULTO DIRIGIDO PELO PASTOR YOSEF AKIVA MOMENTO DE MUITA ADORAÇÃO

12

PESSOAS PROSTRANDO-SE E CAIDAS POR TERRA DIANTE DO “PODER” VINDO ATRAVÉZ DA IMAGEM DE ESCULTURA A ARCA?

13

PASTOR DA IGREJA EVANGÉLICA SARA NOSSA TERRA PROSTRADO DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA A ARCA EM FORTE CLAMOR–( http://www.saranossaterra.com.br/visualizar.asp?cat=12&cod=4738 ) –ou –(http://www.saranossaterra.com.br/visualizar.asp?cat=17&cod=5761 )

14

IGREJA EVANGÉLICA RENOVADA CARREGA IMAGEM DE ESCULTURA EM ANDOR-(http://lumanas.blogspot.com/2008/04/festa-dos-tabernculos-ano-passado.html

 

17

18

Quatro Angelic trompetista, por Bartholdi, na Primeira Igreja Batista, Boston.

19

Catedral de Santo Egídio – Anjo com água benta – Igreja Mãe do Presbiterianismo – Edimburgo IGREJA PRESBITERIAMA Catedral de Santo Egídio – Anjo com água benta – Igreja Mãe do Presbiterianismo – Edimburgo ( http://photoguide.to/edinburgh/stgiles.html )

20

Bustos de João Calvino sobre a porta de entrada do Museu da Reforma.

21

Busto do reformador Martim Lutero, instalado no câmpus da Escola Superior de Teologia (EST), Morro do Espelho, em São Leopoldo, RS.

22

A Imagem de Martinho Lutero na Catedral Luterana São Nicolau- Helsink

23

Catedral Metodista São Paulo – Houston, EUACatedral Metodista São Paulo – Houston, EUA COMFIRMAR NO LINK- ( http://www.stpaulshouston.org/music_arts/change_ringing_bells.aspx )

24

Igreja de Nossa Senhora Frauenkirche monumento de Martin Luther Dresden Saxônia Alemanha http://www.photographersdirect.com/buyers/stockphoto.asp?imageid=1515314

25

Temos a Imagem de John Knox na Catedral de Edimburgo COMFIRMAR NO LINK- ( http://photoguide.to/edinburgh/stgiles.html )

26

Catedral Luterana São Nicolau – Helsinki COMFIRMAR NO LINK- (http://www.galenfrysinger.com/helsinki_cathedral.htm )

27

(Pleasant Prairie, WI, EUA) – Jesus recebendo o batismo de S. João Batista ( http://www.lambofgodlutheran.org/ )

28

IMAGEM DE ESCULTURA EM IGREJA BATISTA (Shandon Igreja Batista em Columbia SC ) –CONFIRMAR NESTE LINK– ( http://www.baptistpress.com/BPnews.asp?ID=26971 )

29

IMAGEN DE ESCULTURA SANTISSIMA TRINDADE? QUER COMPRAR UMA PARA LEMBRAR DE NOSSO SENHOR? Igreja Batista Emanuel comunidade de McLoud Oklahoma, VER LINK —( http://www.ebcmcloud.com/)


 

31

A ao lado é da Catedral de Santo Egídio- Igreja Mãe do Presbiterianismo- Edimburgo Imagens no pórtico de entrada; santos, heróis e reformadores

32

MAGENS TEMPLO ADVENTISTA EM TORONTO CANADA VEJA NO LINK COMFIRMAR NO LINK- ( http://session2000.adventist.org/photo_of_day/pod_30june2000.html ) OU AINDA –( http://www.adventistas.com/setembro2000/dedicacao.htm )

33

A Primeira Igreja Presbiteriana de Springfield ( http://www.nytimes.com/slideshow/2008/04/20/realestate/0420-LIVI_index.html )

34

IMAGENS DE ESCULTURA NUDISMO COMPLETO (IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA)—–Imagem de comemoração 150 anos em frente a igreja presbiteriana em Minneapolis ( http://www.flickr.com/photos/mmwm/309059154/ )


 

36

IGREJA PENTECOSTAL SOLID ROK statue-of-jesus solid rok igreja IGREJA PENTECOSTAL SOLID ROK statue-of-jesus solid rok igreja COMFIRMAR NO LINK- ( http://www.kiwipulse.com/solid-rock-church-king-of-kings-statue/ )

37

ASSEMBLEIA DE DEUS——- O Honorável Reverendo Glynn Lowry Este retrato busto foi encomendado pelo ritmo da Igreja Assembléia de Deus, a fim de homenagear seu pastor de trinta e seis anos, o Rev. Lowry. Duas versões foram criadas. Um deles foi dado ao pastor na sua reforma e do outro está alojado na igreja onde ele e seu pai trabalharam por mais de sessenta anos. Pace Assembleia tem uma congregação superior a dois mil membros.CONFIRMAR NO LINK-( http://www.randynew.net/sculpture.htm )


 

ASSEMBLEIA DE DEUS DE LIMA PERU FAZ IMAGENS DE ESCULTURA PARA EVANGELIZAR 3 Piece Natividade – Manos Amigas Esta organização sem fins lucrativos ligadas a uma igreja evangélica de Assembléias de Deus está localizado em Lima. Mãos Amigas, que significa “mãos juntas na amizade”, trabalha com oficinas, grupos e associações que fazem cerâmica, jóias, instrumentos musicais e enfeites de Natal em Lima e no altiplano andino.–( http://www.globalgalleryonline.org/prodview56KZLLTT.html )

39

IGREJA PRESBITERIANA Localização: Rua Silva Jardim, 23 – Centro – RJ Praça Rev. Mattathias Gomes dos Santos


 


43

MORMONS IGREJA DOS SANTOS DOS ULTIMOS DIAS DINAMARCA Thorvaldsen’s Christus, Copenhaga, Dinamarca (wikicommons) Thorvaldsen’s Christus (criada para a Vor Frue Kirke na Dinamarca) foi considerada “a mais perfeita estátua de Jesus no mundo”, por um escritor americano em 1896. VER INK( http://www.lightplanet.com/mormons/art/christus.html )


 

45

TEMPLO MORMON

46

ANJO EM MORMON


 


 

49

PRODUTOS RELIGIOSOS EVANGÉLICOS, A ARCA PARA CULTO DA ARCA, MIMIATURA DA ARCA PARA CAMPANHA DA ARCA, CHAVE DA VITÓRIA, ROUPA SACERDOTAL, ETC,ETC

 

51

CULTO DE CLAMOR DENTRO DA IMAGEM DE ESCULTURA DE UM PEIXE

52

Ideia lançada nos Estados Unidos destinada a cristãos protestantes http://news.noticiascristas.com/2007/09/me-no-natal-quero-um-boneco-de-jesus.html http://www.blessedtoys.com/members/joshl/shop.html

53

Ideia lançada nos Estados Unidos destinada a cristãos protestantes http://news.noticiascristas.com/2007/09/me-no-natal-quero-um-boneco-de-jesus.html http://www.blessedtoys.com/members/joshl/shop.html

54

IGREJA QUADRANGULAR DE ASSIS MUITO LOVOR E ADORAÇÃO NO MOMENTO DE INTRODUZIR NO TEMPLO A IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA


 

56

IGREJA EVANGÉLICA CULTO DA ARCA DA ALIANÇA ATO PROFÉTICO OCORRIDO EM PONTA GROSSA NO PARANÁ NA IGREJA PRESBITERIANA VEJA COMO ELES SE PROSTAM DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA ARCA.

57

IGREJA EVANGÉLICA CULTO DA ARCA DA ALIANÇA ATO PROFÉTICO OCORRIDO EM PONTA GROSSA NO PARANÁ NA IGREJA PRESBITERIANA VEJA COMO ELES SE PROSTAM DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA ARCA.

58

CULTO avivamento Seminário evangélico Shekinah, realizado em São José dos Campos-SP datado dia 17.07.2008 SOB O COMANDO DO PASTOR Yossef Akiva OS FIÉIS GRITAM EM LOUVOR TOCAM NA ARCA E SE PROSTRAM DIANTE DELA. ASSISTAM (  http://www.youtube.com/watch?v=iFudaGSrNEM

59

IMAGEM DE LEÃO DE JUDA EM ESTANDART PRINCIPAL É RECEBIDA COM APLAUSOS EM IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS Festa realizada em 2005 na Catedral das Assembléias de Deus em Brasília, sede da Convenção de Madureira. http://www.youtube.com/watch?v=2_NymAJUqzo

60

CDJDI IGREJA EVANGÉLICA Casa Deus Jundiaí MUITOS GRITOS E LOUVORES NA ENTRADA DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA

61

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS NOVA IGUAÇU MOMENTO SOLENE NA ENTRADA DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA COM MUSICA TOCAR DO SHOFAR LUZES O GLORIFICAÇÕES COM A VÓZ

62

MOMEMTO SOLENE DA ENTRADA DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA, MUSICA, LUZES E MUITOS GRITOS DE LOUVOR E GLORIFICAÇÃO

63

Igreja Evangélica Minsitério Betel em Células CULTO A FESTA DOS TABERNACULOS COM A ARCA

64

Igreja Evangélica Ministério Gileade. Momentos emocionantes de uma festa consagrada ao Pai.


 

VEJA OS VIDEOS E DIVIRTA-SE COM AS INCOERÊNCIAS PROTESTANTES:

IGREJA PRESBITERIANA, VEJA COMO TODA COMUNIDADE SE PROSTAM DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA A ARCA:

http://www.youtube.com/watch?v=DP9P1EjP0Yc

SEMINÁRIO EVANGÉLICO SHEKNAH– MUITOS GRITOS, LOUVORES, TOQUES E PROSTRAÇÃO DIANTE DA ARCA:

http://www.youtube.com/watch?v=iFudaGSrNEM

 

IIGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS NOVA IGUAÇU— MOMENTO SOLENE NA ENTRADA DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA COM MUSICA TOCAR DO SHOFAR LUZES E GLORIFICAÇÕES COM A VÓZ:

http://www.youtube.com/watch?v=4lCFAvn_yJo

IMAGEM DE LEÃO DE JUDA EM ESTANDART PRINCIPAL É RECEBIDA COM APLAUSOS EM ASSEMBLÉIA DE DEUS Festa realizada em 2005 na Catedral das Assembléias de Deus em Brasília, sede da Convenção de Madureira:

http://www.youtube.com/watch?v=2_NymAJUqzo

CDJDI IGREJA EVANGÉLICA Casa Deus Jundiaí:

http://www.youtube.com/watch?v=34zV4bjuGo0&feature=related

IGREJA EVANGÉLICA IEPNABE, VEJAM COMO ELES SE RETORCEM DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA A ARCA:

http://www.youtube.com/watch?v=HUahIh0P0Pw

IGREJA EVANGÉLICA ENSINANDO QUE FAZER USO DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA DENTRO DE SUA CASA SERÁ TREMENDAMENTE ABENÇOADO SEGUNDO AS ESCRITURAS.

http://www.youtube.com/watch?v=wHRVULKNVtk

“ADORADORES DO SMILINGUIDO”?

IMAGEM DE ESCULTURA DE UM INSETO DE QUATRO PATAS(não é formiga) PODE, MAS DE MARIA MÃE DE JESUS EXEMPLO DE VIDA E CRISTANDADE NÃO?

CONHEÇA OS “ADORADORES” DO SMILINGUIDO, PERSONAGEM UTILIZADO NA EVANGELIZAÇÃO NORMALMENTE COMO IMAGEM DE ESCULTURA NO MEIO EVANGÉLICO

CLIQUE NAS FIGURAS E VEJA AS COMUNIDADES DOS “ADORADORES” DESTE “INSETO”

SÓ NAS PAGINAS DO ORKUT EM PESQUISA ENCONTRAMOS MAIS DE OITENTA(80) COMUNIDADES EVANGÉLICAS DE “ADORADORES” DO INSETO SMILINGUIDO:

IMAGEM DE ESCULTURA DE UMA

IMAGEM DE ESCULTURA DE UMA “FORMIGA” (quatro patas) ANTENA(chifre) PARA O SERVIÇO RELIGIOSO DE EVANGELIZAÇÃO PARA QUEM ADORA TER UM SMILINGUIDO EM CASA, AGORA VOCE PODE TER UM EM TAMANHO GRANDE

SEGUNDO OS PROTESTANTES NA BIBLIA EXISTE UMA PROIBIÇÃO ABSOLUTA PARA NÃO FAZER IMAGENS, ENTÃO COMO FICA ESTA IMAGENS?

“Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra”. (Ex 20,4)

E AGORA PODE OU NÃO PODE SEGUNDO AS ESCRITURAS FAZER IMAGENS?

IDOLATRIA E FEITIÇARIA - Foram vocês que saíram de entre nós e não o contrário. veja as conseqüencias: Se saíram de entre nós cada um de vocês é um ANTICRISTO, conforme palavras de São João Evangelista: “Ouvistes dizer que o ANTICRISTO deve vir; e já vieram muitos ANTICRISTOS: daí reconhecemos que é chegada a última hora. ELES SAÍRAM DE ENTRE NÓS, mas não eram dos nossos” (1Jo 2,18-19). Agora lhe pergunto: DEUS RECEBE HONRAS DE ANTICRISTOS OU AS REJEITA COMO REJEITOU A ADORAÇÃO DO REI SAUL? Vou citar o versículo: “Agrada-se a Javé com holocaustos e sacrifícios como se agrada com a obediência à sua palavra? Sim, a obediência é melhor do que o sacrifício, a docilidade mais do que a gordura dos carneiros. PECADO DE FEITIÇARIA, eis o que é a rebelião, UM CRIME DE TERAFIM, eis o que é a presunção! Porque rejeitaste a palavra de Javé, ele te rejeitou…” (1Sm 15,22-23) Ora, …………. , sem dúvida, seu culto é tão falso como uma nota de 30 reais. Deus não o aceita por se tratar de culto prestado por REBELDES, pessoas que por PRESUNÇÃO, se insurgiram contra a palavra de Deus. No tempo de Saul a palavra divina era transmitida pelo seu profeta Samuel. Em nossos tempos, pelos que foram legitimamente enviados por Deus, conforme sua santa palavra: “QUEM VOS OUVE A MIM OUVE, quem vos despreza a mim despreza, e quem me despreza, despreza aquele que me enviou” (Lc 10,16). Ao desprezar aos que foram legitimamente enviados, você passou a dar crédito aos outros que se auto elegeram e se auto enviaram. Estes não entraram pela porta, por onde entram os  legítimos pastores. Àqueles Jesus afirma que são lobos ladrões, pois é assim que procedem: sobem por outro lugar menos pela porta.


QUAL É POIS A IGREJA DA IDOLATRIA?

AQUELA QUE É GUIADA PELOS QUE FORAM LEGITIMAMENTE ENVIADOS POR CRISTO OU AQUELA QUE SE REBELOU CONTRA A PALAVRA DE DEUS?

Fonte:www.caiafarsa.wordpress.com/imagens-em-templos-prostestantes/

Leia-o também em : larcatolico.webnode.com.br/news/venera%C3%A7%C3%A3o%20das%20imagens/

 

 

 

 


 

 
 

 

 

 

Contacto

Larcatolico (86) 99964-9541 aquinocatequista@hotmail.com