DEUS PROIBIU FAZER TODO TIPO DE IMAGENS E COM QUALQUER FINALIDADE?

 

DEUS PROIBIU FAZER TODO TIPO DE IMAGENS E COM QUALQUER FINALIDADE?

1°-Não falta quem diga: “Os católicos são idólatras”, “os católicos estão indo atrás de ídolos mudos” e para isso recorrem indevidamente a textos bíblicos tais como: Êx 20,4-5; Is 44,9-20; 45 20; Sl 115(114), 4-8...

Façamos uma distinção básica entre “Santo” e “imagem”. Santo ou Santa é um homem ou mulher, servos de Deus, os quais são santos exatamente por terem obedecido fielmente a Deus e se tornado assim modelos de vida cristã. Maria disse: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim, segundo a vossa Palavra" (Lc 1,38).
Imagem é uma representação de alguém. As imagens sagradas são representações de Cristo e dos seus santos. O Deus invisível se tornou visível em Jesus. Por isso a Bíblia diz: “Cristo é a imagem de Deus invisível, o primogênito de toda criatura”. (Col 1,15).
A imagem mais sagrada de Deus que temos em nosso meio é o ser humano: “Façamos o homem a nossa imagem e semelhança” (Gn 1,26). Já que Deus quis tornar visível o seu ser através de Cristo e do ser humano, isso nos diz que as coisas criadas podem ser um reflexo de sua beleza, de sua bondade e de seu poder. Ele quer se manifestar também pelas coisas visíveis. Esse é o sentido da “encarnação” do Filho de Deus. “Quem me vê, vê o Pai” (Jo 14,9) e o que Filipe estava vendo era a face humana de Cristo.
Outra distinção fundamental precisa ser feita: adorar e honrar (venerar).
Adorar é reconhecer alguém como seu Deus e Senhor e a Ele se submeter em obediência, prestando-lhe culto como Criador do Universo. Venerar é honrar, homenagear, respeitar, mas não reconhecer aquela pessoa ou objeto como Deus.
A Igreja Católica ensina que devemos adorar somente a Deus! Quanto às criaturas e às imagens dos santos devemos respeito, honra e veneração. Aliás, a Igreja só venera os santos e os honra, porque foram fiéis seguidores de Cristo e por isso se tornaram para nós modelos de vida evangélica. Suas imagens tem, para nós a finalidade de lembrar a pessoa em nosso meio; Merecem respeito pelo que representa, tal como um retrato de nosso pai ou nossa mãe.
2°-O que diz mesmo a Bíblia sobre imagens?
a) – No célebre trecho de Êx 20, tão citado pelos irmãos protestantes, eles deixam de lado o versículo 3: “Não terás outros deuses diante de minha face”.
A Bíblia condena adoração  a “ falsos deuses, ídolos”, e fazer"  imagens dos falsos deuses" para substituir o lugar do verdadeiro Deus, Cf: Ex 20, 3. 23. Isto é, condena a idolatria, um dos piores pecados que impede a salvação eterna. Cf: Apc 22, 15; 1° Cor 6, 9-10. Isso nunca quisera os Santos! Maria se declarou a “Serva do Senhor” (Lc 1,38) S. Francisco dizia “Meu Deus e meu Tudo.

b) – Na outra passagem muito usada pelos evangélicos está escrito: “Com a sobra faz um deus, um ídolo, diante do qual se prostra para adorar e orar, dizendo: “Salva-me, tu és o meu Deus” (Is 44,17). Ora, a própria citação já fala em se prostrar para adorar, o que não é o nosso caso de católicos, diante das imagens. Ajoelhar-se diante de alguém não significa logo, adoração. Os noivos que se ajoelham diante dos pais e lhes pedem a bênção, não estão adorando os seus pais!
Moisés se prostrou diante do seu sogro Jetro (Ex 18, 7); Betsabé se prostrou diante de Davi (1Rs 1,16 ) e nem por isso cometeram idolatria, porque não se prostraram em adoração e sim em reverência. Citarei mais exemplos abaixo.
Quando não é para adoração, Deus manda fazer imagens.
A Bíblia não é supermercado, onde você escolhe os produtos do seu gosto e deixa os que não lhe interessam. "Toda a Escritura é inspirada por Deus” (2 Tm 3,16). Portanto, não basta tomar este ou aquele versículo, e esquecer os outros igualmente inspirados.
Antes de tudo uma pergunta: Deus proibiu fazer todas e quaisquer tipos de imagens e com quaisquer finalidade? Não, pois quando as imagens não eram para ser adoradas Ele mesmo não só permitiu mas mandou fazer imagens e colocá-las no templo. Confira:
- Ex 25,18: "Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido...";
- Nm 21,8: "Faze para ti uma serpente bronze e mete-a sobre um poste".
-” E no oráculo fez dois querubins de madeira de oliveira... E todas as paredes da casa ( do templo) em redor , lavrou de esculturas e entalhes de querubins...” cf. 1° Reis 6, 23. 29. 32-33. 35. Tradução João Ferreira de Almeida, edição corrigida e revisada, SBTB.
Leia ainda: Ex 31, 1-5 = Ex 37, 1-7; 1° Rs 7, 29; Ez 41, 17-20; 1° Crônicas 28, 18-19; Ex 40, 9-10 =  Sl 74, 3-7...
Deus só proibiu fazer imagens para serem adoradas, isto é, serem consideradas como Deus ou valorizadas igual ou mais do que Deus, Cf: Ex 32, 4; 20, 23; Lv 19,4; Dt 4, 16; Is 44, 17. Fica claro que  No versículo 4-5 de êxodo 20, como nos demais citados, Deus não está proibindo fazer qualquer espécie de imagem ou com qualquer finalidade, pois se assim fosse, toda humanidade estaria condenada, pois quem é que não tem ou não manda fazer retrato, pintura, escultura, desenho , estaria proibindo a profissão do escultor, desenhista, pintor ... Mas está proibindo qualquer tipo de imagem de ídolo e fazer imagem para serem adoradas. Todas as vezes que Deus condena as imagens ele se refere à  " idolatria", na qual se reconhece e considera a imagem como único ” Deus” em substituição ao Deus verdadeiro.

Ora, estamos diante de uma decisão séria: ou aceitamos que a Bíblia se contradiz ou teremos que reconhecer ser falsa a argumentação protestante. Se como os Protestantes explicam: “não farás para ti imagem de escultura, nem figura alguma do que está em cima nos céus ou embaixo sobre a terra... não te prostrarás diante delas...” (Ex 20,4-5) significa que não se pode fazer imagem com qualquer finalidade," exceto adoração", quer dizer que pelos textos acima Deus se contradisse. O que é impossível, portanto, é falsa e errônea a interpretação da maioria dos protestantes a respeito do texto citado e outros semelhantes.
Os querubins que Ele mandou fazer são seres que “estão acima nos céus” e a serpente está “embaixo sobre a terra”. Além disso, se considere o fato de que o Templo e a Arca da Aliança eram os lugares mais sagrados para o Povo de Deus. O Senhor se manifestava na Arca! Pior ainda a serpente de bronze não só foi feita, mas quem olhasse para ela ficaria curado!
Como ainda afirmar com a Bíblia na mão que Deus proíbe fazer todo tipo de imagens e com quaisquer finalidades? Mesmo que não sejam para serem adoradas?

Para que haja idolatria não basta algum ato externo. É necessário que “o outro ser, pessoa (santo (a)) ou objeto (imagem)” seja considerado Deus, com qualidades e poderes divinos, que seja valorizado igual ou mais do que Deus. Ora, nenhum católico (a) "que conhece e obedece à doutrina católica" considera nenhuma criatura (pessoa), por mais santa que seja, nem sua imagem, a coisa mais importante de sua vida e menos ainda como Deus. Dizer o contrário é calunia e mentira que assim como a idolatria fecha as portas do céu para quem morre com tais pecados. Seguindo a ótica protestante até os primeiros cristãos seriam idólatra, pois os primeiros cristãos usavam imagens nas catacumbas de Roma, onde eles celebravam a ceia do Senhor ocultamente, leia e confira em:
http://www.larcatolico.com/…/venera%C3%A7%C3%A3o%20das%20i…/
  A Igreja Católica continua a ensinar, como sempre fez que as imagens dos Santos são para nossa veneração e jamais para adoração, visto que apenas representam servos e servas de Deus.
  A idolatria é condenada pela bíblia, não há nenhuma dúvida. Consequentemente a Igreja Católica também a condena e desde os primeiros séculos.
O papa São Gregório Magno (+604) escreveu que as imagens são colocadas nas Igrejas não para serem adoradas, mas simplesmente para serem veneradas (cf. Epístola XI,13).
O Concílio de Nicéia (787) definiu que “as imagens de Jesus, Maria e demais santos(as) são dignas apenas de uma respeitosa veneração, e não de adoração, pois esta só convém, segundo a nossa fé (católica) a Deus” (cf. Concílio de Nicéia, sessão 7ª, nº 600).
O Catecismo Romano, fruto do Concílio de Trento (1545-63) e o primeiro oficial da Igreja é mais rígido:
“Um dos principais meios de ofender a Deus e transgredir o 1º mandamento é quando se adoram as imagens ou ídolos, como se fossem deus, quando nelas se acredita haver algum atributo ou virtude divina, quando se lhes pede alguma coisa ou confia que delas se há de alcançar, o que a Bíblia condena a cada passo. As imagens de Jesus e dos santos (as) são feitas ou admitidas para se ensinar (ilustrar) a história do antigo e novo testamento, não só para os venerarmos através de suas imagens (representações), mas também para que ensinados pelos seus bons exemplos, regulemos nossas vidas pelas virtudes e santidade deles” (cf. Catecismo Romano, Do primeiro mandamento, 17-18.24).
E o Catecismo Maior do Papa São Pio X nos ensina: o 1º mandamento proíbe-nos a idolatria; prestar a alguma criatura, a um homem, a uma estátua ou imagem, o culto supremo de adoração, devido só a Deus (cf. Do 1º Mandamento, nº 357-360).

 Alerta para os protestantes: idolatria leva ao inferno, porém calúnia também!


Finalidade das imagens na Igreja Católica

A missão da Igreja é nos ajudar e incentivar a sermos santos, por isso, após consagrar o templo a Deus (Pai, Filho e Espírito Santo), a Igreja lembra, através de alguns templos, o nome de algum santo (a) para, antes de tudo, agradecer a Deus pela santidade que operou na vida de seus filhos (as).
E usa suas imagens simplesmente para:
a) nos lembrar de que a santidade é possível (pois cada imagem sagrada dos santos representa alguém que foi fiel a Jesus Cristo).
b) para nos estimular a sermos santos (espelhando-nos nas virtudes e exortações do santo (a) representado na imagem), pois sem santidade ninguém verá a Deus, ou seja, se salvará (cf. 1Ts 4,3.7; 1Pd 1,15; Hb 12,14), pois imitar os santos é imitar a Jesus Cristo que os santificou por terem sido fiéis servos do Senhor (1 Cor 11,1; Fl 3, 17).
Que fique bem claro: os santos são para nos católicos setas que apontam para Jesus Cristo que devemos seguir, nos espelhando naqueles (as) que os seguiram mais de perto. São exemplos a serem imitados, venerados, porém, jamais adorados. Que o católico (a) que conhece e obedece à doutrina da Igreja Católica não aceita nem pratica a idolatria, ao contrário, com a bíblia na mão, também a condena, como a condenam os santos que o mesmo católico venera e que o inspiram ( seguir e obedecer a Jesus Cristo) pelo exemplos de suas vidas, lembradas por suas imagens. Que mais importante do que ter uma imagem de um santo (a) é ser uma imagem viva de santidade em toda nossa maneira de viver em qualquer lugar ou situação, pois estar escrito: sede santo em toda a vossa maneira de viver. Cf: 1° Pedro 1, 15; 1° Ts 4, 3-8; Tt 2, 11-12; Fl 2, 15-16.

  3°- Respondendo objeções de alguns protestantes:

  OBJEÇÃO: O clero vem destronando Deus e Jesus do coração dos católicos substituindo-os pela devoção às imagens e culto à Maria. Ignoram o profeta Isaias que disse:" Deus não reparte sua glória com imagens de esculturas cf. Is 42,8 e Paulo que referindo-se à idolatria  lamentava ...Rm 1,25 cf. Documentário o Estado do Vaticano, pág. 12, 11° edição, do pastor assembleano, Lauro de Barros Campos.

   RESPOSTA: o pastor  e demais protestantes que gostam de citar Is 42,8 contra a veneração das imagens deveriam saber que a glória que Deus não reparte é sua glória de divindade; mas que, por outro lado, com exceção da glória de ser o único Deus e, como tal  de ser adorado, todas as demais glórias ele dar aos seus santos e deseja que façamos o mesmo. Como prova, está escrito: Deus concede graça e glória cf. (Sl 84, 11ou Sl 83, 12 ), o que ... Deus preparou para nossa glória ( 1 Cor 2, 7), eu lhes dei a glória que me deste ( Jo, 17, 22 ), glória, honra e paz ( sejam dadas ) a todo aquele que pratica o bem ( Rm 2, 10 ) será que Maria e os demais santos não praticavam o bem ??? Leia ainda: Apoc 18,1; São Lucas 12,37; Romanos 2,29; I Coríntios 4,5; I São Pedro 1,7; São João 12,26; Romanos 2,7; 2,10; I Timóteo 3,13; I São Pedro 1,7; I São Pedro 2,7; São Mateus 23,12; São Lucas 1,52; 14,11; 18,14; São João 13,32; Atos dos Apóstolos 13,17; Romanos 8,17; 8,30; I Timóteo 3,13; I São Pedro 1,7; I São Pedro 2,7; São Tiago 4,10... Leia todo estudo do artigo "resposta ao falso documentário o estado do vaticano" em ( caiafarsa.wordpress.com/o-estado-do-vaticano/ ) este estudo como os demais do site refuta as objeções, mentiras, calúnias, críticas ... Contra á doutrina, práticas, história e moral  católica retirada de sites protestantes.

OBJEÇÃO: Os verdadeiros adoradores  adorarão  o pai em espírito e verdade... Cf. Jo 4, 23, Adorar em espírito é usar a mente e o coração em direção a Deus, sem fitar imagens de esculturas que anulam a adoração. cf. Documentário o estado do vaticano, pág. 8, 11° edição.

   RESPOSTA: insistir que a veneração das  imagens se trata de "adoração", é ser muito rude e ignorante no assunto. Os católicos adoram somente a Deus uno e trino, não às imagens. O uso do auxílio físico, como as imagens, pode ajudar a elevar a mente e o coração do homem à presença do invisível, único e verdadeiro Deus, a quem adoramos em espírito e verdade. De fato, Deus sempre foi espírito e isso não impediu o uso de imagens sagradas no culto judaico. “Como vimos o próprio Deus eternamente  Espírito aprovou o uso e mandou fazer tais tipos de imagens, Moisés e outros servos de Deus adoravam em espírito, mesmo tendo feito e usado imagens,” Davi dançando diante da arca, e, por conseguinte das esculturas de querubins, estava louvando e adorando a Deus cf. 2 Sm 6, 13-16, Josué e todo o povo, mesmo estando ajoelhado diante da arca, e por conseguinte das imagens de querubins, estavam adorando a Deus cf. Js 7, 6. Os servos de Deus não acreditavam só no que viam, e no entanto usavam imagens, as imagens não eram e nunca serão, sinais de falta de fé no invisível.

   Ao contrário do que alguns protestantes dizem. Embora acentuasse o caráter íntimo e profundo da verdadeira adoração interna, Cristo estava longe de querer abolir ( acabar ) as manifestações rituais ( culto externo ), ou seja, Jesus em Jo 4, 21-24 simplesmente nos ensina que os ritos externos devem ser a manifestação sincera dos sentimentos e das disposições internas, Jesus não condena o culto externo, mas determina o seu verdadeiro sentido. A prova disso é que ele mesmo participava das cerimônias rituais, do culto externo de Israel: ia ao templo para orar e celebrar as solenidades da páscoa, dos tabernáculos, da dedicação... cf.Jo 5, 1; 7, 14; 10, 22-24 . Instituiu ritos como o batismo cf. Jo3, 3. 5; a ceia sagrada ou eucaristia cf. Mt 26, 26-29 ... Em outras palavras:

   Para lembrar, com mais intensidade, a presença de Deus no meio de nós, usamos naturalmente motivação externa: bíblia, imagens ilustrativas, flores, cânticos, dando um visual nobre e acolhedor, sem pararmos aí evidentemente. Se alguém quisesse tudo excluir na oração e adoração em espírito e verdade, deveria igualmente, rejeitar tudo o que é exterior: templo, iluminação da igreja, bíblia, culto, ornamentação, cânticos... Ficando apenas com o espiritual. Não é assim que descreve a bíblia, Deus usa o material para ajudar a fé espiritual: por isto, além das imagens que Deus mandou fazer, temos água aspergida cf. Ez 36,25; Nm 19,18; incenso cf. Ex 30, 7-8; Apoc 8,3; azeite da unção cf. Ex 30, 25; Tg 5,14; lampadários cf.Êx 39, 37; At. 20,8; tábuas da lei cf. 31,18. Cristo igualmente emprega coisas materiais para criar fé espiritual: água no batismo; pão e vinho na santa ceia, lodo na cura do cego, tempestade apaziguada, a serpente de bronze para ilustrar sua morte cf. 3, 14-15, de sorte que até os lenços e aventais de Paulo se levavam aos enfermos cf. At. 19, 12.

   Não é o fato de alguns protestantes não usarem imagens de Jesus, Maria e demais santos que prova que eles adoram Deus em espírito e verdade, por que se adorar é reconhecer o supremo domínio de Deus sobre todas as coisas, sobre nossa vida e inteligência, quando um protestante se põe a torcer e a manipular a bíblia, diante de uma doutrina da mesma, que não quer aceitar ou acreditar, não estar sendo um verdadeiro adorador em espírito e verdade, e a prova que isso acontece, é o fato de haver protestantes que não acreditam na doutrina da trindade, da divindade de Jesus, do inferno, da imortalidade da alma, da necessidade das boas obras para a salvação, da necessidade do batismo... Etc., etc. afinal, existem milhares de igrejas protestantes justamente por quer nenhuma acredita em todas as doutrinas das outras, e isso, pasmem, usando a mesma bíblia! 

  OBJEÇÃO: Muitos membros de seitas dizem: a afirmação dos católicos de que não adoram os santos e suas imagens, mas apenas os veneram não justifica, pois venerar é o mesmo que adorar.

 
  RESPOSTA Quando um protestante dizer para você que venerar é o mesmo que adorar, pergunte-lhe: você venera ou adora seus pais? se responder que apenas o respeita, lembre-lhe que segundo o dicionário venerar significa " honrar, respeitar" mas que segundo a sua maneira de entender, venerar(= honrar, respeitar) uma criatura é adorar, e adorar uma criatura é idolatria. Diga-lhe que se for dar crédito em suas palavras ou modo de entender, ele não passa 

de um idólatra por venerar= adorar uma criatura( seu pai e sua mãe) e que portanto o mal caiu em cima do feiticeiro, ou seja, que a acusação de idólatra caiu em cima do acusador.

Na própria bíblia em atos 5, 34, tradução corrigida e revisada da SBTB ou no " o novo testamento, salmos e provérbios", ed revista e corrigida, pelos gideões internacionais no brasil , está escrito que Galamiel era venerado pelo povo. Ora não há nenhuma tradução  ou  texto que diz que ele era adorado pelo povo, mas sim venerado=respeitado, acatado, provando assim segundo a bíblia que venerar não significa adorar. Para tirar o protestante da arapuca em que ele caiu armando-a para você, lembre-lhe que os dicionários, de fato, dão um vasto significado do verbo adorar tomando sempre em consideração o contexto no qual é usado, assim como a intenção do autor da época; venerar os ídolos pode significar adorar ídolos ou deuses pagãos, visto serem apresentados e considerados como deuses (as), é neste sentido que a bíblia de Jerusalém ao traduzir atos 19,27 diz que toda a Ásia e o mundo veneram a deusa Ártemis, São Paulo dizia que Ártemis não era deusa cf. Atos 19, 26  porque assim a consideravam cf. Atos 19, 37. Mas no contexto da veneração dos santos e suas imagens, segundo a doutrina católica, venerar quer dizer dedicar reverência, homenagem, respeito e amor. Esta é a intenção da Igreja, afirmar o contrário é mentira, calúnia e má fé, CF. Catecismo da Igreja Católica Parágrafos 1192. 2085. 2112 -14. 29 - 30. 32.

O protestante que faz tal afirmação deve aprender em primeiro lugar, que nenhum dicionário é tratado de epistemologia, de hermenêutica ou de exegese. Saber que qualquer estudo mais sério de sinonímia lhe dirá que não há sinônimo que seja "absolutamente" equivalente. Deve aprender ainda que, se existem duas palavras distintas para designar algo ou alguma ação, é porque cada uma delas dá uma matiz ( sentido ) diferente à coisa ou ação designada, se duas palavras são absolutamente idênticas, a língua tende a eliminar uma delas.

   Assim, adorar não é venerar, nem, menos ainda idolatrar. Cada uma dessas palavras tem sentidos diferentes. Adorar significa reconhecer como Deus, criador de todas as coisas. Idolatrar, embora o dicionário não explique isso, significa em certo sentido o oposto, pois designa a ação de adorar uma criatura em vez do criador. Materialmente, a ação de adorar e a ação de idolatrar são idênticas. Formalmente são opostas. Para entender isso o protestante deve saber a diferença entre matéria e forma, na consideração de uma ação, porém, os dicionários não tratam disso, mas para ajudá-lo a entender citaremos um exemplo didático:

   Um médico que opera o coração de um doente e um assassino, materialmente, age da mesma forma: abrem o peito de um ser humano com instrumento perfurador e cortante ( bisturi ou punhal ). Entretanto, formalmente suas ações são opostas, pois um tem por fim curar o homem de quem abriu o peito ( é o médico ), enquanto o outro visa tirar a vida de quem abriu o peito com o punhal ( é o assassino ). Assim quem adora a Deus e quem adora o ídolo materialmente fazem a mesma coisa, que formalmente são opostas. Por isso é que existe as palavras adorar e idolatrar. Semelhantemente, materialmente adorar e venerar são a mesma coisa, formalmente, contudo são opostos. Citemos mais um exemplo didático para ajudar a entender:

   Venerar: respeitar.
   Adorar: prestar culto a divindade, venerar, amar extremosamente.

   Está armada a confusão! O fato de a palavra adorar trazer entre seus significados, o termo venerar, já bastou pra chutarem o raciocínio lógico de lado.      Mas como pessoa culta que você é certamente você se utilizará do seguinte raciocínio:

Hierarquizando as duas palavras, podemos considerar que adorar é uma atitude superior a venerar. Portanto, quem adora, venera. Quem adora, respeita. Não há como existir um sentimento de adoração se não houver respeito. Em contrapartida, é errado dizer que quem venera, adora. Uma pessoa não precisa ser Deus pra ser venerada, respeitada. Pra efeitos didáticos, me utilizarei da seguinte analogia: Observemos um casal que começou a namorar. Como esse casal ainda não se conhece, eles apenas trocam entre si declarações do tipo: “eu te admiro”. Mas esse casal passou anos namorando. Até que chegou o dia em que um virou pro outro e disse: “eu te amo”. Ora, o fato de eles dizerem “eu te amo”, não quer dizer que eles não mais se admiram, mas apenas que o sentimento evoluiu e se tornou superior.

Assim acontece com a veneração e a adoração; Então, quem ama, admira. Mas nem sempre ao admirarmos, amamos. Quem adora, venera. Mas nem sempre ao venerarmos, adoramos.

  É neste sentido que em relação aos ídolos a Igreja Católica proíbe e nos pede que não se acredite em outros deuses afora Deus e até mesmo que não se "venere" outras divindades afora a única cf. CIC n° 2112. Portanto, o católico(a) que conhece e obedece a doutrina católica não acredita nem tem sequer veneração pelos ídolos, falsas divindades, outros deuses, ao contrário, no contexto da veneração dos santos, segundo a doutrina católica, venerar quer dizer dedicar reverência, homenagem, respeito e amor àqueles(as) que abaixo de Deus merecem tais sentimentos pelo povo Deus, pois conseguiram em sua vida de santidade, provar que é possível viver o evangelho de Jesus e atingir a perfeição até onde o homem pode ser perfeito, e por isso é(são) colocado(os) pela igreja como modelo a ser imitado. Esta é a intenção da Igreja.

   De fato, ensina oficialmente a Igreja : Nós adoramos Cristo qual filho de Deus. quanto aos mártires, os amamos quais discípulos e imitadores do Senhor, o que é justo, por causa de sua incomparável devoção por seu Rei e Mestre, cf. CIC; catecismo da igreja católica, n° 957. Em 993 “o Papa João xv através da sua encíclica “Cum conventus esset” realça um dos princípios da veneração dos santos: “ Honramos os servos para que a honra recaia sobre o Senhor que disse; quem vos acolhe, a mim acolhe ( Mt 10, 40), citado na revista pergunte e respondermos 348/1991,pág. 265-266.  

Cristo é o centro de toda a vida cristã, o vínculo com ele está em  primeiro lugar, na frente de todos os outros vínculos e nenhuma criatura jamais pode ser equiparada (considerada igual, menos ainda superior) a Jesus Cristo, pois ele tem em tudo a primazia ( prioridade) cf. catecismo da igreja católica n° 1618. 970 e 792, Compêndio Vaticano II,pág. 109, edição 18°.

 Faço questão de citar os principais livros católicos mais mal interpretados por alguns protestantes para tentarem provar que a Igreja ensina adoração a Maria.

   Glórias de Maria, 21ª edição, editora santuário :

   Maria não tem mais poder que Jesus Cristo, nosso único salvador, o qual com seus méritos nos obteve e ainda  obtêm a salvação, não é mais poderosa que Deus pág. 118. Unicamente em Jesus Cristo está nossa salvação, vida e ressurreição,  pág. 25.  Deus é a fonte de todos bens e o senhor absoluto de todas as graças.   Confessamos também que Maria não é mais que uma criatura e que, quanto obtém, tudo recebe de Deus Pág. 133. 

   Tratado da verdadeira devoção a santíssima virgem, 3ª edição:

   Com toda a Igreja confesso que Maria, não sendo mais que uma simples criatura saída das mãos do Altíssimo, é menor que um átomo, ou antes, não é nada em comparação com a sua majestade infinita, visto que só Deus é "Aquele que é" cf.  pag. 25. Não existe em nossa senhora nenhuma grandeza que não seja apenas reflexo da infinita grandeza de Jesus, comentário ao n° 31, pag. 35. Jesus Cristo nosso salvador, deve ser o fim último de todas as nossas devoções; de outro modo seriam falsas e enganadoras, Porque só nele habita toda a plenitude da divindade, e todas as outras plenitudes de graça, virtude e perfeição. Ele é o único mestre que nos deve ensinar, o único senhor de quem devemos depender, o caminho único que nos deve conduzir, a única verdade em que devemos crer, a única vida que nos deve animar, o único tudo, que nos deve bastar em todas as coisas. Não nos foi dado , debaixo do céu, outro nome pelo qual devamos ser salvos, senão o nome de Jesus, Deus não constituiu outro fundamento da nossa salvação, perfeição e glória senão Jesus Cristo, pag. 61 n° 61.


O que fica bem claro o que já foi dito, que a igreja só venera os santos e os honra, porque foram fiéis seguidores de cristo e por isso tornaram para nós modelo de vida evangélica. Em relação a veneração das imagens ensina: "quem venera uma imagem venera a pessoa que nela está pintada( representada). A honra prestada às imagens sagradas é uma "veneração respeitosa", e não uma adoração, que só compete a Deus, cf. CIC n° 2132.

Segundo o mesmo dicionário, adorar é amar extremamente. E me responda, então: 'Deus amou o mundo: pouco, medianamente, ou em extremo?  A ponto de - conforme está escrito - entregar o seu Filho amado para salvação do mesmo: "Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho único" (Jo 3,16). Por conseguinte, segundo tal protestante e aquele que vulgarmente é denominado de "Pai dos Burros", Deus teria cometido o pecado da idolatria!


Seguindo “a “maneira errônea de entender do protestante, quando alguém diz:” eu adoro chocolate”, estaria considerando que o chocolate é o criador do céu e da terra, quando ele mesmo dissesse: amo extremamente meus filhos, ele estaria cometendo idolatria, já que para ele e o Aurélio, amar extremamente é o mesmo que adorar. Ademais, “no Dicionário Aurélio 3.0 - Século XXI” também é dito que honrar é venerar. E agora? Será que os protestantes que dizem que venerar é o mesmo que adorar  não honrará mais seus pais porquanto - no Aurélio - venerar significar honrar? . E como fica o santo mandamento que diz: "Honra teu pai e tua mãe" (Luc 18,20); bem como a seguinte sentença bíblica que diz: "Se alguém me serve, meu Pai o honrará" (Jo 12,26); ou ainda: "Honrai a todos" (1 Ped. 2,17). Aliás, no mesmo dicionário, "venerar” significa respeitar. Será que o protestante não mais respeitará nada e ninguém, exceto Deus?... Eu creio que não! Pois, certamente, o mesmo continuará respeitando muitas coisas; bem como dando a honra a quem é devida a honra ( Rm 13, 7; Fl. 4, 8 ), não é mesmo?... Neste caso diga-me meu caro protestante: você honra os santos de Deus? Você os respeita? Você os venera? Sim ou não? Caso responda Não, está contra a bíblia, caso responda sim, porque criticam nós católicos por fazer o que a própria palavra de Deus nos pede para fazer. De fato:

   Será que os protestantes  não sabem que a própria bíblia nos pede para venerarmos ( honrarmos ) os santos(as) ? Convida-nos para bendizermos Maria Santíssima cf. “Maria inspirada pelo Espírito santo profetizou: desde agora todas as gerações me proclamarão bem- aventurada, ( Luc 1, 48 ) não se trata de uma simples constatação como traduzem algumas traduções, mas a todos que aceitam a bíblia pede-se uma participação ativa nos louvores a Maria, pois a mulher que teme ao Senhor essa sim será ( deve ser ) louvada ( Prov. 31,30 ), portanto, bendizendo, louvando e venerando Maria nós católicos estamos apenas realizando uma profecia bíblica. praticando a palavra de Deus. Vemos também em Lc 1, 41 que é o Espírito Santo que nos incentiva e inspira para bendizermos Maria  " e Isabel cheia do Espírito Santo exclamou bendita és tu entre as mulheres ", porconsequinte, somente aqueles(as) que não são inspirados pelo Espírito Santo não bendizem Maria. Um anjo com muito respeito bendisse Maria: "ave (salve) Maria, bendita és tu entre as mulheres" cf. Lc 1, 28, será que aqueles (as) que não bendizem Maria são mais perfeitos que os anjos?. Está escrito; Senhor quem habitará no teu santo monte? ... aquele que "honra" os que temem ao Senhor ( Sl 14 ou 15, 1. 4 ), em Jo 12,26 lemos que "Deus honra aqueles que lhes servem" ( obedecem ), isto é, os santos( as ), pois eles o serviram da maneira mais perfeita, e em Ef 5,1 lemos que devemos imitar a Deus. Portanto, se Deus honra seus santos e nós devemos imitá-lo, necessariamente para bem imitá-lo devemos honrá-los também, e como não os  honraríamos nós, vermes da terra, quando os enche de honra o soberano dos céus?. Glória e honra sejam dadas a todos que praticam o bem cf. Rm 2, 10 será que Maria e demais santos não praticaram o bem? 2° Ts 1, 10 . 12 nos ensina que Jesus é glorificado e admirável nos seus santos, visto que Cristo se sente perseguido quando são seus servos ( atos 9, 4 ) e se sente amado, honrado e acolhido quando os são aqueles que lhes amam, honram e servem  ( Mt 10, 40;  25, 40; 1 Jo 4, 20-21 ... ) será que os justo falecidos deixaram de amar a cristo? Deixaram de fazer parte da Igreja, corpo místico de Cristo, deixaram de ser nossos irmãos? Estes textos ensinam que a honra  que se atribui a um santo (a), é em última análise honra a Cristo e a Deus pai, que são a fonte de toda santidade e se sente honrados em seus santos.

   Leia o debate do pastor Saul com Orlando fedeli: www.montfort.org.br/old/perguntas/imagens2.html

Comentário sobre o artigo do site: www.montfort.org.br/old/perguntas/herege_saul.html

afeexplicada.wordpress.com/2011/05/06/venerar-x-adorar-x-rosario/

afeexplicada.wordpress.com/2011/05/06/venerar-x-adorar-x-rosario/


Algumas vezes, os gestos externos da adoração e veneração podem ser totalmente idênticos, como: inclinar-se, ajoelhar-se, incensar e etc., mas todos devem saber que os gestos devem ser interpretados de acordo com a intenção de quem os realiza, pois um mesmo gesto pode ser feito com várias intenções, por exemplo: ajoelhar-se ou prostrar-se, na Bíblia, nem sempre significa adoração (cf. Mt 4,9-10), mas também súplica, homenagem, respeito, reverência, saudação.

Confira:
Josué e todos os anciãos se prostraram frente à arca da aliança (a qual tinha duas esculturas em cima – os querubins) até a tarde (cf. Js 7,6). Será que Josué e os anciãos foram idólatras e trocaram o Deus verdadeiro pela arca da aliança? Ou pelas esculturas que estavam em cima da arca?
Abraão, o pai de uma multidão, escolhido por Deus, se prostrou frente aos três anjos que desceriam a Sodoma e Gomorra (cf. Gn 18,2). Teria sido Abraão idólatra por ter se ajoelhado diante dos anjos?
Moisés se prostrou frente ao seu sogro (cf. Êx 18,7). Será que aquele que foi o portador dos mandamentos de Deus foi o primeiro a não obedecer, praticando a idolatria pelo simples fato de se ajoelhar diante de seu sogro?
Davi se inclinou três vezes diante de Jônatas (cf. 1Sm 20,41) e inclinou-se com o rosto em terra, fazendo reverência a Saul (cf. 1Sm 24,8-9).
Jacó, ao ver Esaú e quatrocentos homens com ele, inclinou-se sete vezes em terra, até chegar perto do seu irmão (cf. Gn 33,1-3).
Isaac, próximo de sua morte, abençoou Jacó dizendo-lhe: nações se encurvem a ti e os filhos de tua mãe se encurvem a ti (Gn 27,29, J. F. de Almeida, edição revista e corrigida). Estaria o patriarca Isaac, no fim de sua vida, pedindo para que as nações (os povos) adorassem o seu filho ao se encurvarem diante dele, incentivando, assim, a idolatria?
Sabemos através de Mt 27,29 que ajoelhar-se pode significar até mesmo escárnio, zombaria, pois lemos que os soldados se ajoelharam diante de Jesus para zombar dele, provando assim que ajoelhar-se nem sempre significa adoração. Leia ainda: Gn 23,7; 42,6; 44,14; Êx 18,7; 43,28; Nm 22,31; 2Sm 14,4-22; 1Rs 1,16-23; 2Rs 4,36-37; 1Cr 29,20; Sl 138(137),2; At 16,29; 7,60; Ap 3,9.
Como se vê, existem várias finalidades em que se pode existir licitamente a prostração. Se prostração fosse, em si, proibida, então nenhuma forma de prostração poderia ser permitida ou biblicamente lícita. Todavia, fica claro, biblicamente, que a prostração proibida se refere justamente à que tem por finalidade adorar as criaturas. A prostração adorativa, essa, só a Deus. Se prostração fosse sinônimo unicamente de adoração (à divindade, como querem os protestantes) então, seria difícil explicar os textos bíblicos citados acima, onde existe prostração sem a finalidade de adoração, sem a prática da idolatria.

E AS PROCISSÕES COM IMAGENS DE ESCULTURAS TEM FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA?


Ademais, lemos na palavra de Deus que tanto Davi, Josué e os filisteus fizeram procissões religiosas levando solenemente a arca da aliança, na qual havia duas imagens de esculturas em cima (cf. Êx 25,17-22) – cf. 1°Sm 6,1.4-5.10-18; 2Sm 6,12-18; Js 6,4-16; 2Cr 5,2-8; Ne 12,27-43; e enquanto faziam a procissão eram guiados e protegidos por Deus (cf. Nm 10,33-34).

Vemos claramente com a Bíblia nas mãos, que a arca da aliança, com seus querubins (anjos de ouro), não foi somente colocada num lugar de honra e destaque, onde se celebrava o culto, mas também levada pelos sacerdotes, solenemente, em procissão, dando voltas pela cidade, tocando trombetas.

O fato de uma Imagem ser carregada em procissão igualmente não configura “Idolatria”

Ora, se carregar um objeto em procissão fosse “Idolatria” como se afirma no Protestantismo, teríamos necessariamente que considerar inclusive o Povo de Deus como “Idólatra”. Afinal, também o povo de Deus fez procissões, carregando como objeto de Culto a Arca da Aliança. E isso é narrado diversas vezes no Antigo Testamento: (Ex 25,18) (Números 10,33-34) (Josué 3,3) (Josué 6,4) (Josué 6,9) etc.

Esta procissão, conduzindo inclusive imagens de Querubins, estabelecida por Deus na Bíblia, não é igual a uma procissão qualquer com “...imagens de esculturas feitas de madeira e rogando ao falso Deus que não pode salvar” (Isaías 45,20).

Repare bem: as Procissões que levam imagens dos heróis da fé não são imagens de Deuses, porém não tem como ser Idolatria. Também não é feito nenhum sacrifício a esses Santos, e Heróis da fé. Enquanto os Pagãos: Eles já carregavam suas imagens, considerando-as como Deuses e fazendo sacrifícios. Veja a diferença das duas procissões:

O Católico carrega a Imagem de pessoas virtuosas já falecidas com a mesma “audácia” dos Judeus ao carregarem a venerável Arca da Aliança.

Ainda hoje realizam-se procissões, caminhadas de louvor a Deus pelos santos da igreja, cujas imagens dos santos são conduzidas, a exemplo dos querubins, para lembrar-nos os heróis do cristianismo. Será isso idolatria?

http://www.exsurge.com.br/apologeticas/procissoes/textos%20procissoes/procissoes.htm

Surge a pergunta: o que significa, ou seja, qual a finalidade das procissões, de que a Igreja católica incentiva os católicos a participar, andando atrás de imagens de santos?

   Por favor, leia atentamente 1 Samuel 6, 1-6. 14-16 este texto deixa claro que a arca do Senhor foi devolvida solenemente em procissão religiosa. Os filisteus perguntaram aos sacerdotes como fazer para devolver a arca para o seu lugar, e que orientação receberam? Em primeiro lugar, que deviam oferecer oferta expiatória; depois, que fizessem, para esta oferta a Deus, objetos de ouro, figuras de tumores e esculturas de ratos, porque alguns foram curados de tumores e porque os ratos tinham sido uma grande praga que havia devastado a terra dos filisteu. E por fim, que esses objetos e imagens fossem enviados em procissão, dentro de um cofre, que seguiria no mesmo carro em que seria transportada a Arca do Senhor, esses objetos e imagens foram colocados na grande pedra, o altar, e depois ofereceram holocaustos e sacrifícios a Deus. Qual protestante teria a ousadia de blasfemar contra Deus dizendo que aceitando essa oferta expiatória em forma de figuras e esculturas estaria o próprio Deus aceitando e incentivando a idolatria? Aqui fica provado mais uma vez que: a idolatria está no coração da pessoa e não em objetos visíveis e imagens, que a questão da idolatria não se prende simplesmente a esculturas, imagens ou figuras, mas àquilo que está no coração do homem. Deus feriu os homens de Bete-Semes porque acolheram a Arca sem respeito, desobedecendo a ordem divina em relação a Arca mencionada em: Êx 19,21; Num 4, 5. 15. 20, provando mais uma vez que a Arca e os demais objetos sagrados do templo" imagens dos querubins ... " não eram simples objetos de ardonos, enfeites e menos anda ídolos.  O que Ele proíbe são imagens de ídolos, falos deuses. E já que Deus aceitou até imagens de ratos e tumores, não vai ser a imagem da mãe de Jesus que Ele vai renegar. Deus sabe a diferença entre imagem sagrada e ídolo! Nós católicos aprendemos de Deus esta diferença.

   Hoje, principalmente nos santuários marianos, o povo continua apresentando suas ofertas expiatórias, não mais ratos e tumores, mas parte do corpo que simbolizam as curas obtidas, e isto não é invenção da Igreja Católica, mas trata-se de uma continuação do povo de Deus, dos sinais e gestos de um povo que tem fé e deseja, com sinais visíveis, demonstrar o seu agradecimento ao Senhor pela graça que ele nos concedeu  pela intercessão de determinado Santo (a). As procissões aparecem na Bíblia sagrada em diversas situações e elas exprimem, no gesto de caminhar sempre em frente, além de penitência, devoção, súplica, gratidão, também a nossa peregrinação terrena até chegarmos à nossa morada definitiva Cf. Católico, Sim! Idólatra, Não! pags 71-75, editora: palavra & prece .

   Ainda hoje se realizam procissões, caminhadas e louvor a Deus pelos santos da Igreja que ele nos deu, cujas imagens são, a exemplo dos querubins da arca, conduzidas para lembrar os heróis do cristianismo, da santidade e da fé.

 Nenhum destes textos mostra que eles adoraram a arca ou as imagens de esculturas que iam em cima da mesma. Afirmar o contrário é blasfemar, dizendo que Deus guiava o seu povo para a idolatria, protegendo-o enquanto a praticava.
Isto prova biblicamente que não é o fato de se fazer procissão levando imagens, nem de se ajoelhar diante delas, que faz ou leva as pessoas a adorá-las, e nem isto é prova de que as estão adorando. Sim, está provado biblicamente que a adoração não está intrinsecamente ligada a posição, gestos ou atos externos, mas à intenção de quem os faz; que o povo de Deus, Davi, Josué, os filisteus... Prestava culto a Deus diante (e usando) sinais visíveis como a arca da aliança e imagens (cf. Js 7,6; 2Sm 6,12-18; Nm 21,8-9...).
Ser católico é seguir os ensinamentos e preceitos da Igreja. Não posso dizer que sou católico se não me esforço para conhecer e obedecer ao que a Igreja ensina. A Igreja ensina que não devemos adorar nenhum santo (a) nem suas imagens, logo, se há católico(s) que faz (em) isso deixam de ser (em) católicos autênticos, pois esta não é uma atitude verdadeiramente católica, visto que a Igreja não a ensina e lhe é contra.
Será isso idolatria? Se não é idolatria e nem errado homenagearmos os heróis da pátria, do futebol... Também não é fazermos o mesmo com os heróis da fé, da santidade... Do cristianismo. Uma procissão é uma maneira simbólica que a Igreja usa para levar o povo a entender, pelo gesto de caminhar atrás de uma imagem, que devem seguir o bom exemplo e as virtudes daquele (a) santo (a) representado (a) na imagem.
Visto que os santos (as) seguiram os passos (exemplos e ensinamentos) de Jesus mais de perto, imitá-los é o mesmo que imitar a Cristo (cf. 1Cor 11,1). Assim como os maus exemplos nos afastam de Cristo (1Cor 15,33; Pr 13,20), os bons nos aproximam (1Cor 11,1; Pr 12,26).
Os santos são a “obra prima de Deus por excelência”. Ora, convém reconhecer o autor em suas obras. Quando veneramos os santos representados nas imagens através de louvores, procissões... É na intenção de contemplar o trabalho da graça divina livremente aceita, é para que Deus seja glorificado em suas obras (cf. Sl 14,4; 2Ts 1,20.12; Eclo 44,1.10-15; Jo 12,26; Ef 5,1) também porque a memória dos santos é, para nós católicos (as), um estímulo para imitarmos Jesus Cristo.

   OBJEÇÃO: E as igrejas, são consagradas aos santos e não a Deus?
  Já outros irmãos protestantes dizem que a prova de que nós católicos adoramos os santos – “valorizando-os mais do que a Deus” – é que os templos da Igreja são erigidos com o nome de alguns santos e não somente com/em nome das Pessoas Divinas (Pai, Filho, Espírito Santo). Por exemplo: A Igreja Católica é mariocêntrica ( Maria é o centro de sua vida eclesiástica) e não Cristocêntrica, pois existem mais templos católicos dedicados em honra e adoração a Maria do que a Jesus cf. Heresiologia I, pág. 31, 1° Ed, EETAD : escola de educação teológica das assembleias de Deus.

   RESPOSTA: De fato, para cada templo que se vai inaugurar existe o “Ritual da Dedicação de Igreja”. Basta conhecê-lo e se verá que a objeção acima não passa de mais uma calúnia de alguns protestantes contra a igreja. Lemos no mesmo:
   “Pelo fato de ser um edifício visível, esta casa é um sinal peculiar da Igreja que peregrina na terra e uma imagem da Igreja que já chegou ao céu. Segundo um costume muito antigo da Igreja, é conveniente dedicá-la ao Senhor com um rito solene ao ser erigida como edifício destinado exclusiva e estavelmente a reunir o Povo de Deus e celebrar os sagrados mistérios” (Pontifical Romano, Dedicação de Igrejas e Altares, Ritual da Dedicação de uma Igreja, 2).
   “De acordo com a tradição comum da Igreja, tanto do Oriente como do Ocidente, se diz também uma especial Oração de Dedicação, mediante à qual se expressa o propósito de dedicar para sempre a igreja ao Senhor e se pede sua bênção” (Idem, 15).
   “Deus, santificador e guia de vossa Igreja, com festivo precônio é-nos grato celebrar vosso nome, porque hoje o povo fiel com rito solene deseja consagrar-vos para sempre esta casa de oração, onde venha vos adorar, instruir-se pela palavra, alimentar-se pelos sacramentos” (Trecho da Oração de Dedicação).

   Fica claro que nós católicos não consagramos nossos templos e nem nosso altares aos santos, e nem lhes oferecemos o Santo Sacrifício da Missa. Nossos templos e altares são dedicados, consagrados, somente a Deus, e só a Deus se oferece o Sacrifício da Missa.
   A missão da Igreja é nos ajudar e incentivar a sermos santos, por isso, após consagrar o templo a Deus (Pai, Filho e Espírito Santo), a Igreja lembra, através de alguns templos, o nome de algum santo (a) para, antes de tudo, agradecer a Deus pela santidade que operou na vida de seus filhos (as), para nos lembrar que a santidade é possível e nos estimular a sermos santos (espelhando-nos nos bons exemplos do santo lembrado), pois sem santidade ninguém verá a Deus, se salvará (cf. 1Ts 4,3.7; 1Pd 1,15; Hb 12,14), pois imitar os santos é imitar a Jesus Cristo que os santificou por terem sido fiéis servos do Senhor (1Cor 11,1). para nos mostrar que é possível seguir fielmente os ensinamentos e exemplos de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, apresentando ao mundo através do nome de alguns templos da Igreja, a vida e exemplo de seus fiés que dignamente e heroicamente o seguiu. Visto que para nós católicos a memória, testemunhos e exemplos dos santos são setas que apontam para Cristo, são incentivos para segui Jesus, mesmo que todos os templos tivessem o nome dos santos, o alvo é sempre Cristo para quem os santos apontam e incentivam a seguir. Ademais, trata-se de nomes diferentes de alguns templos da mesma e única igreja de cristo, não de nomes do fundador ou dono da igreja de Jesus. Infelizmente não podemos dizer o mesmo das igrejas protestantes, pois  muitos de seus templos recebem não o nome de Cristo, mas do fundador da seita ou da doutrina da mesma, por exemplo: Luterana, de Lutero, menonita, de Menno Simons, Igreja Pentecostal do Pastor Sassá, Cruzada Evangélica do Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade, IGREJA EVANGÉLICA DO PASTOR PAULO ANDRADE (O HOMEM QUE VIVE SEM PECADOS   ... outras tem nomes ridículos, exemplos: igreja pentecostal sapato de fogo, ... bola de neve, ... fogo azul, ... Cuspe de Cristo, Igreja a Serpente de Moisés (a que Engoliu as Outras) - RJ, ASSEMBLÉIA DE DEUS CANELA DE FOGO, confira: visaocarismatica.blogspot.com.br/2012/02/nomes-de-igrejas-evangelicasparece.html   Quanto ao fato de alguns templos protestantes terem o nome que se refere a Jesus Cristo, Deus, Espírito Santo não prova que tais "igrejas" foram fundadas por Cristo nem que não tem o seu fundador(a) humano.

    OBJEÇÃO: Está escrito: "Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás [ou renderás culto]" (Mat. 4:10; Luc 4, 8; Dt 6, 13), esse ‘só a ele’ exclui portanto a possibilidade de render culto também a outros além de Deus. Cf. http://portoghese.lanuovavia.org/portoghese_faq_cattolici_04.htm

      RESPOSTA: " A Deus unicamente devemos adorar" mas quem o contesta ? Para provar que nós Católicos infligimos este preceito, é preciso provar através de algum documento oficial da Igreja Católica que ela ensina ou ordena a nós católicos adorar( isto é, considerar como Deus, igual ou mais importante do que Deus) alguma criatura( por exemplo, alguma pessoa por mais santa que seja, os santos) ou algum objeto( como por exemplo, as imagens dos santos). Aos protestantes que acusam a Igreja Católica e a nós Católicos de Idólatra(s) perguntamos: Há alguém entre vós que possa nos mostrar algum documento oficial da Igreja Católica no qual a mesma ensine ou ordene que os Católicos devam adorar Maria Santíssima, São Francisco... demais santos e suas imagens ? Alguém entre vós já viu algum católico(a) defender que Maria ou qualquer outro santo(a) é Deus,  que Deus e Maria ou demais santos(as) são a mesma pessoa, dizendo que Maria, são Francisco ... não é e nem foi Maria, são Francisco ... mas foi Deus, ou pior, que alguma imagem de escultura, gesso, papel ... foi quem fez o céu, a terra e tudo que existe, e por conseguinte, que alguma imagem é Deus ? A verdadeira adoração é um sentimento interno e não uma mera formalidade com gestos e posições, por conseguinte, quando nós católicos afirmamos categoricamente que não adoramos nenhuma criatura por mais santa que seja, menos ainda as imagens que as representa, é inútil que venham teimar conosco os protestantes, pois eles não sabem mais do que nós e Deus o que se passa em nosso intimo, ou sabem? quem lhes deu o direito de julgar as consciências alheias? não é justo nem cristão julgar alguém pelo o que ele já disse que não faz. Julgam intenções e esse julgamento pertence só a Deus!

   Prezado amigo(a) protestante pelo amor de vossa alma e da vossa salvação eterna, nós vos pedimos e exortamos: não deixe que a avareza( o amor exagerado ao dinheiro), que a falta de conhecimento, o preconceito, a raiva, o  ódio à Igreja Católica te leve a continuar dizendo que nós católicos em obediência à Igreja somos idólatras(adoramos os santos e suas imagens) e justamente por insistir com tão absurda, injusta ... Calunia, Mentira ... leve a tua alma ao inferno e te exclua da salvação eterna.

   “Só a Deus prestarás culto, só a Deus servirás" Mt 4, 10; Luc 4,8.perguntamos, o que estes textos nos ensinam ? Resposta: que somente a Deus devemos servir prestando-lhe o culto absoluto de adoração, reconhecendo-o como Criador e Senhor Supremo do universo e da nossa vida, e nestas qualidades rendendo-lhe homenagem e obediência. Deduzir que por tais palavras  e textos se proíbe o culto relativo de veneração aos santos e que não  devemos servir e obedecer a mais ninguém além ou abaixo de Deus é querer tirar de tais textos mais do que eles contém, é ir contra o contexto dos mesmos, de fato, raciocinemos:

   Lemos em Lucas 18,19: ninguém é bom senão Deus, já Lucas 23,50 diz que são José era varão bom e justo. O 1° texto se refere à essencial e infinita bondade do próprio Deus, o 2° significa e se refere a uma participação da mesma divina bondade pela graça. Da mesma forma a essa dupla ideia de bondade corresponde a dupla ideia de serviço e de culto. O amor que devemos ter a Deus de "todo coração"... Cf. Dt 6, 5; Mt 22, 37 não impede nem vai contra deixarmos um espaço no mesmo para amar o próximo como a nós mesmo Cf. Mt 22, 39; Lv 19, 18 ... Da mesma forma a essa  dupla ideia de amor corresponde à dupla ideia de serviço e culto: um devido unicamente a Deus ( o culto absoluto de adoração ) e outro relativo, infinitamente inferior traduzindo-se na veneração que tributamos às criaturas que se santificaram pela graça de Deus. Perguntamos: porque somente a ideia de culto, de veneração, de serviço não admitiria diversos graus como os admitem as ideias ( o dever de) amor, bondade, temor, de honra ...?

   Muitas pessoas só aplicam à palavra culto o significado de adoração e por isso concluem que só existe culto de adoração e que qualquer culto prestado a outro ser que não seja Deus é idolatria. o que é um grave erro! Pois esquece ou fingi não saber que culto significa também devoção ou honra religiosa, serviço, reverência, homenagem de adoração ou de respeito. Tudo vai depender de como se usa, a quem e com qual intenção se atribui. VEJAMOS: OBLAÇÕES SÃO OFERENDAS QUE SÃO FEITAS A DEUS OU DEUSES. E PERFUMES, SÃO TIDOS NAS CELEBRAÇÕES (CULTOS) COMO SENDO INCENSOS. NO ENTANTO, AMBAS FORAM FEITAS AO SERVO DANIEL, E ELE ACEITOU, SEM REPREENSÃO ALGUMA DE DEUS. LEMBREMOS QUE DANIEL É UM DOS EXEMPLOS MAIS FORTES NA BÍBLIA CONTRA A IDOLATRIA (DN 6). DANIEL, ASSIM COMO DEUS, VIRAM A INTENÇÃO DO REI NABUCODONOSOR. EXALTAR UM SERVO DE DEUS É ADORAR E GLORIFICAR A DEUS, POR ELE (DN 2:46).

  “Nesse instante, o rei Nabucodonosor atirou-se de rosto em terra, prostrado diante de Daniel; depois ordenou que lhe fossem oferecidos oblações e perfumes.” (Daniel 2:46)  na tradução revista e corrigida de João Ferreira de Almeida, 1969, está escrito que o rei caiu sobre o seu rosto e adorou a Daniel ... vs 46, mas o vs 47 deixa claro que o rei não idolatrou Daniel pois reconheceu o Deus de Daniel como o Deus dos deuses e Senhor dos senhores. Provando que até o verbo adorar tem também sentido amplo de gostar, reverência, homenagem... e não unicamente de adoração a Deus.

   EXISTE NA BÍBLIA ENTÃO, O QUE A IGREJA CATÓLICA RECONHECE COMO CULTO (HOMENAGEM) DE “LATRIA” E CULTO DE “DULIA”. OU SEJA, HOMENAGEM DE ADORAÇÃO E OUTRA APENAS DE PROFUNDO RESPEITO, ADMIRAÇÃO. CONVÉM LEMBRAR QUE:

LATRIA NO GREGO É “LATREYA”, SIGNIFICA ADORAÇÃO,
IDOLATRIA = ADORAÇÃO A ÍDOLOS, OUTROS DEUSES,
DULIA, DO GREGO “DOULEA”, TEM SENTIDO UNICAMENTE DE RESPEITO, SEM ADORAÇÃO.

    LOUVOR, GLÓRIA E HONRA TAMBÉM SÃO ATRIBUÍDAS A DEUS INÚMERAS VEZES NA BÍBLIA (SL 47:2). MAS, SÃO PEDRO ATRIBUI TAMBÉM AOS SERVOS DE DEUS. PORQUE, TODO SERVO FIEL IRÁ DESFRUTAR DA EXALTAÇÃO (LOUVOR) QUE DEUS LHE DARÁ. SERÃO HONRADOS POR DEUS, DE RECEBEREM A VIDA ETERNA. E VIVERÃO GLORIFICADOS POR DEUS NO CÉU ETERNAMENTE. TUDO ISSO NOS LEVA A FONTE DE TUDO: DEUS!
“para que a prova a que é submetida a vossa fé (mais preciosa que o ouro perecível, o qual, entretanto, não deixou de provar ao fogo) redunde para vosso louvor, para vossa honra e para vossa glória, quando Jesus Cristo se manifestar.” (I São Pedro 1,7)

   A IGREJA LOUVAVA, GLORIFICA E HONRAVA OS SERVOS (SANTOS) DESDE A BÍBLIA, CONTINUANDO NO SÉCULO I, DESDE O INÍCIO DE CRISTO ATÉ HOJE. FALTA ESSA SABEDORIA DE DANIEL, PAULO E PEDRO, ACEITA PELA IGREJA DO SÉCULO I, A MUITO CRISTÃOS, QUE ACABAM ATROPELANDO AS COISAS, AFIRMANDO ERRADAMENTE QUE TODA PROSTRAÇÃO, VENERAÇÃO, LOUVOR, CULTO É ADORAÇÃO. MAS, A BÍBLIA NOS MOSTRA CLARAMENTE QUE NÃO!
   É CLARO QUE TODOS OS SERVOS SE COLOCAM NA HUMILDADE (LC 1:38), PORÉM, DEUS EXALTA OS HUMILDES (LC 14:11).

   “A “IGREJA APENAS RECONHECE, CONFIRMA E REAFIRMA ESTA EXALTAÇÃO: A MULHER QUE TEME AO SENHOR  DEVE SER LOUVADA”.” (“PROVÉRBIOS 31,30-31) JÁ QUE TODA MULHER TEMENDE A DEUS, DEVE SER LOUVADA, IMAGINA A MÃE DE JESUS ” ELA É A PREDILETA DAQUELAS QUE DEU À LUZ. AO VÊ-LA, AS DONZELAS PROCLAMAM-NA BEM-AVENTURADA, RAINHAS E CONCUBINAS A LOUVAM.” (CÂNTICO DOS CÂNTICOS 6,9) .

   LEMOS AINDA “DOS OUTROS NINGUÉM OUSAVA JUNTAR-SE A ELES, MAS O POVO TRIBUTAVA GRANDES LOUVORES AOS APÓSTOLOS.” (At 5, 12-13). “POIS, ASSIM COMO TUDO O QUE VOS TEMOS DITO FOI CONFORME A VERDADE, ASSIM TAMBÉM O LOUVOR QUE FIZEMOS DE VÓS JUNTO A TITO FOI VERDADEIRO.” (2.ª Cor 7:14).
  TAMBÉM É SABIDO QUE SACRIFÍCIO DE SANGUE, É PARTE DE CULTO A DEUS OU DIVINDADES. PORÉM, SÃO PAULO DARIA SEU SANGUE, SE O SACRIFÍCIO DE SANGUE FOSSE EM HONRA AOS SERVOS DE DEUS.
“Ainda que tenha de derramar o meu sangue sobre o sacrifício em homenagem à vossa fé, eu me alegro e vos felicito.” (Filipenses 2:17)
  ADORAMOS A DEUS, MAS, HONRAMOS E AMAMOS SEUS SERVOS FIÉIS E GLORIFICADOS! Cf.  http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?cmm=18297415&tid=2517356892145646982&na=3&nst=26&nid=18297415-2517356892145646982-5322561027906805278

   O erro de alguns protestantes está em “absolutizar” o sentido de uma palavra. Quando dizemos, por exemplo, que Cristo é o Senhor, então estamos reconhecendo a divindade de Cristo, e que Ele reina de forma absoluta sobre nós. Mas as palavras não são ditas somente em sentido pleno, mas também em sentido relativo. As palavras “senhor” e “servo”, que aplicamos em sentido absoluto a Deus,  também podem ser entendidas em sentido relativo.

    Nós  católicos entendemos de acordo com a Bíblia e com a Tradição perfeitamente explicadas pelo Magistério que somente podemos ser verdadeiramente servos de Cristo no sentido de que somente Ele é Deus, e desta forma o servimos unicamente, porém, querer dizer que o verbo servir nos citados textos: Mt 4, 10; Luc 4, 8; Dt 6, 13 proíbe o serviço, a veneração prestada a qualquer criatura é entrar em contradição com vários outros textos da bíblia, confira :

   Vejamos, agora, com exemplos bíblicos a atitude do povo santo neste sentido, e as utilizações dadas as palavras “senhor”, “senhora”, “servo” e “escravo”, e veremos se estas palavras são dirigidas somente a Deus. Comecemos pelo antigo testamento. Vejamos o que Rute diz a Boaz:

Rute 3, 9 - E disse ele: Quem és tu? E ela disse: Sou Rute, TUA SERVA; estende pois tua capa sobre a tua serva, porque tu és o remidor.

E vamos além: Abigail chama Davi de Senhor e se declara sua serva, prostrando-se diante dele. Vejamos:

I Samuel 25, 23 e seguintes – Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, e desceu do jumento, e PROSTROU-SE SOBRE O SEU ROSTO DIANTE DE DAVI, e se inclinou à terra. E lançou-se a seus pés, e disse: Ah, SENHOR MEU, minha seja a transgressão; deixa, pois, FALAR A TUA SERVA aos teus ouvidos, e ouve as palavras da TUA SERVA.

Será que Davi permitiu ser adorado por Abigail? Claro que não. Ela se diz serva de Davi, e o declara seu senhor, mas também invoca a Deus nos céus como “o” Senhor. Vejam o versículo 26:

“Agora, pois, meu senhor, vive o SENHOR, e vive a tua alma, que o SENHOR te impediu de vires com sangue, e de que a tua mão te salvasse; e, agora, tais quais Nabal sejam os teus inimigos e os que procuram mal contra o meu senhor”.

Aqui ora o senhor que ela se refere é Davi ora é Javé. Claro está que quando ela chama a Davi de senhor ela não o faz da mesma maneira de que quando chama a Javé de Senhor. Portanto, existe distinção entre uma coisa e outra. E vejam esta outra passagem interessante:

Gênesis 16, 8 - E disse: Agar, serva de Sarai, donde vens, e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai, MINHA SENHORA.

Portanto, Sarai era “senhora” de Agar. Será que Agar era idólatra? Ou será que Sarai incentivava a idolatria ao permitir que Agar a tivesse como sua senhora? Claro está, por estas passagens, que as palavras “senhor” ou “senhora” podem ser usadas de maneira distintas daquela quando as usamos para nos referir a Cristo. Leia ainda Gn 25, 21-23. E no novo testamento os apóstolos aceitam serem chamados de “senhor” e também chamam a outros de “senhor” :

Atos 16, 29 e seguintes – Então o carcereiro pediu luz, entrou e lançou-se trêmulo aos pés de Paulo e Silas. Depois os conduziu para fora e perguntou-lhes: SENHORES, que devo fazer para me salvar? Disseram-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua família.

Estariam Paulo e Silas ocupando o lugar de Deus ao permitirem que o carcereiro os chamasse de “senhores”? Claro que não. Tanto que na sequencia eles mandam crer no “Senhor” Jesus, o único Senhor! E São Pedro diz:

I São Pedro 2,18 - SERVOS sede obedientes AOS SENHORES com todo o respeito, não só aos bons e moderados, mas também aos de caráter difícil.

E São Pedro também louva a Sarai por chamar Abraão de senhor:

I São Pedro 3,6 - como Sara que obedecia a Abraão, CHAMANDO-O DE SENHOR. Dela vos tornais filhas pela prática do bem sem temor de perturbação alguma.

Efésios 6, 5-8- Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo; Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens. Sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre. aí está, tanto não é proibido servir a outrem, além de Deus, que nestes versículos vemos o apostolo preceituando ao homem que sirva a outro homem, logo cumpre distinguir diversas espécies e graus de serviço, e não em absoluto estabelecer que só devemos servir a Deus, vemos também que há diversas espécies e graus de temor.

O próprio Cristo se fez servo de todos nós, ele que é o próprio Senhor:

Filipenses 2,7 - mas aniquilou-se a si mesmo, ASSUMINDO A CONDIÇÃO DE ESCRAVO e assemelhando-se aos homens.

E também São Paulo:

I Cor 9, 19 - Porque, sendo livre para com todos, FIZ-ME SERVO DE TODOS para ganhar ainda mais.

Será que Nosso Senhor e São Paulo adoraram a todos nós? Aqui as palavras “servo” e “escravo” aparecem em sentido relativo. Cristo foi servo de todos e São Paulo também o foi! Logicamente que não adoraram a todos, mas serviram a todos. A absurda e errônea exegese que diz que o verbo servir em Mt 4,10 ... Significa todo e qualquer serviço e culto, tem contra si não apenas os textos bíblicos citados que falam em servir, homenagear, reverenciar às criaturas, mas também a razão e o bom senso, com efeito, segundo tal protestante, Deus houvera proibido que os soldados servissem à pátria, que o servo servisse ao seu senhor ou patrão, que os filhos sirva, honre ou faça alguma homenagem aos seus pais. Cf. Heresia protestante, pags 16-18, 93-95, de Carlos de laet, editado em 1907, por A. Campos- editor. leia também no google : quinta refutação a francisco

   OBJEÇÃO:  No terço reza-se mais a Maria, que ao Pai, ou seja, a cada dez Ave-Maria, um Pai nosso, teoricamente não deveria ser o contrário? A cada dez Pai nosso uma Ave-Maria? Até nas rezas o Catolicismo Romano é Mariocêntrico e não Cristocêntrico. cf. Heresiologia l, pág. 31, EETAD, autoria de Raimundo Ferreira de Oliveira, 1° edição.

   RESPOSTA: A afirmação do pastor é uma prova que alguns protestantes não estudam o Catolicismo nem mesmo para contestá-lo, e infelizmente quando citam alguma obra ou prática católica a interpretam da pior maneira possível. De fato, o pastor cita o livro: Rezemos o terço, do Pe. Jose Geraldo Rodrigues, editora santuário, 1996. Ora, o livro menciona a carta apostólica do Papa João Paulo ll, sobre o rosário que o explica detelhadamente, leia a mesma em: http://www.revistamissoes.org.br/public/images/mcefiles/docs/rosarium_virginis_mariae.pdf   e verá a objeção do pastor sendo refutado. Ademais:

   Perguntamos ao pastor: como o rosário ou o terço não é Cristocêntrico, se não existe uma só oração da Ave-Maria que Cristo não seja " Bendito"- Bendito é o fruto do vosso ventre "Jesus" , cf. Lc 1, 42 ? Vejamos esta explicação de um ateu e de um católico

  Terço 10 ave-maria para 1 pai nosso !

Se os católicos adoram somente a Deus e amam mais a ele do que Maria,
então por que no Terço
se reza 10 AVE MARIA E APENAS 1 PAI NOSSO?

Resposta de um ateu:

Bom, não sou católico e não acredito nem na existência de deus nem de Maria, mas, se você usar a lógica, chega exatamente à conclusão oposta, não?
Se você tem que rezar 10 vezes a Ave Maria para ter o mesmo efeito que 1 pai nosso, isso significa que são necessária "10 intervenções" de Maria para equivaler "1 intervenção" de deus, o que faz com que, nesta lógica, para os católicos deus valha 10 vezes mais que Maria, não é verdade? ou seja, A questão está no poderio de cada oração, um Pai nosso é dez vezes mais forte que dez Ave-Maria. Pelo menos essa é minha impressão usando a lógica.

Obs. Para nós católicos a oração do Pai-nosso é a melhor e mais eficaz de todas as orações, feita com fé e sinceridade é a oração mais agradável a Deus. Só Deus pode conceder suas graças e bênçãos. Só Deus faz milagres. Só Deus concede... Os santos apenas pedem; “intercede", são apenas instrumento nas mãos de Deus.

Resposta de um Católico:

O Terço é uma oração de VENERAÇÃO à Santa Mãe de Deus onde também cabe ADORAR a Deus, pois que, na composição de todas as suas orações é Deus o "ALVO" a ser atingido veja:
O Glória: "GLÓRIA AO PAI, AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO. ASSIM COMO ERA NO PRINCÍPIO, AGORA E SEMPRE. POR TODOS OS SÉCULOS DOS SÉCULOS. AMÉM"
Da Ave Maria: "...BENDITO é O Fruto do teu ventre, JESUS"... "santa Maria mãe de DEUS..."
Da Salve Rainha: "...mostrai-nos JESUS, BENDITO FRUTO..."
e ainda "...ROGAI POR NÓS SANTA MÃE DE DEUS, PARA QUE SEJAMOS DÍGNOS DE ALCANÇAR AS PROMESSAS CRISTO SALVADOR, AMÉM"
E para encerrar, é importante ressaltar que todo BOM Católico quando vai rezar, o faz em NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO!
E ainda: PELO SINAL DA SANTA CRUZ, LIVRAI-NOS DEUS NOSSO SENHOR, DOS NOSSOS INIMIGOS!

http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080129104438AAqgUVx

   Como se ver é possível até mesmo a um ateu interpretar positivamente a prática católica do terço, infelizmente o preconceito e a má fé o torna impossível ao pastor e demais protestantes do seu gênero!

   leia ainda estes ótimos estudos :    O rosário é bíblico ? cf. www.veritatis.com.br/apologetica/109-maria-santissima/1258-o-rosario-e-biblico

   A bíblia condena a Ave-Maria e o terço? cf. www.veniteadoremus.com/conteudo/68

   caiafarsa.wordpress.com/oracao-repeticao-de-vas-palavras/

   www.exsurge.com.br/apologeticas/oracoes/textosoracoes/arepeticaonaoracao.htm

   www.exsurge.com.br/apologeticas/oracoes/textosoracoes/aoracaorepetitiva%E9proibidaounao%E9.htm

    OBJEÇÃO:  Epifânio grande apologista do quarto século, diz aos católicos de hoje : não se deve honrar aos santos mais do que é justo, mas deve-se honrar ao Senhor deles. Maria não é Deus, ela é digna de honra, mas não foi dada para adoração. Honre-se Maria, mas adore-se ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Ninguém adore Maria. cf. Heresiologia, pág. 37, idem.

      RESPOSTA: Santo Epifânio de fato foi um grande apologista “defensor da fé ", perguntamos ao pastor de qual fé S. Epifânio era defensor, da fé cristã ou católica? Ora, sendo bispo da igreja católica ( cf. GOMES, C. F. Antologia dos Santos Padres, págs 301-305, Ed. Paulinas - São Paulo, 1979 ) defendia a fé católica, que sempre foi contra e condenou adoração a Maria ou a qualquer outra criatura, que sempre condenou a idolatria, e por conseguinte defendia a fé cristã. S. Epifânio não estava repreendendo os católicos da sua época menos ainda os de hoje - se naquela época não foi preciso, menos ainda agora, com centenas... De  documentos da igreja condenando a idolatria, mas sim estava condenando a seita  dos hereges Collyridianos no século 4° que à virgem Maria prestavam culto supersticioso, contra eles energicamente se levantou Epifânio, que, aliás, ao contrário do que o pastor insinua foi um fervoroso devoto de Maria cf. Heresia protestante, pág. 120,  autoria do grande apologista católico; Carlos de Laet, 1907. Ele promove e ensina com entusiasmo os ensinamentos da Igreja católica sobre Maria na mesma obra em que ele repreende os collarydianos, inclusive a virgindade perpetua de Maria. Cf. (cf.www.ecclesia.com.br/biblioteca/pais_da_igreja/s_epifanio_os_ultimos_dias_de_maria.html ).

OBJEÇÃO: "Por que a religião católica chama Maria de 'RAINHA DO CÉU'? Não lemos no livro de Jeremias que quando os israelitas adoraram a deusa falsa e má chamada 'RAINHA DO CÉU' foram PUNIDOS por cultuá-la (Jr 7, 18; 44, 7-19. 25)?"

O clero romano nega terminantemente que os católicos adoram a Maria …Entretanto, os fatos falam por si só e provam o contrário. Ela é também chamada de “Rainha do Céu“, o mesmo nome de uma divindade pagã da Assíria (Jr 7.18; 44.17-25) cf.http://arautodecristo.com/2011/08/02/estudo-biblico-mariolatria-e-biblico-a-veneracao-a-maria-ela-e-mesmo-a-rainha-do-ceu-e-a-mae-de-deus

Resposta: Em primeiro lugar, os católicos não consideram a Santíssima Mãe do Senhor como deus nem deusa nem nada do gênero! A verdadeira adoração é um sentimento interno e não uma mera formalidade com seus gestos ou palavras (este povo honram-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim cf. Mt 15, 8). E quando nós católicos afirmamos “terminantemente” que não adoramos Maria, demais santos nem suas imagens é inútil que os protestantes venham teimar conosco pois eles não sabem mais do que nós e Deus o que se passa em nosso íntimo. Ou sabem?

Em segundo lugar, o fato de que uma divindade pagã fosse conhecida como a rainha do céu não significa que o termo não possa ser corretamente aplicado, num sentido completamente diferente, a Maria. O rei pagão da Babilônia, Nabucodonosor, é chamado de rei dos reis por Daniel (Daniel 2, 37), mas isso não impede que Jesus receba o mesmo título (Ap 17, 14; 19, 16).

Terceiro, Maria, que todas as gerações "chamarão de abençoada." (Lucas 1, 48) tem um motivo legítimo para reivindicar o título de RAINHA DO CÉU. Como cristãos, reconhecemos Cristo como o rei do céu (Mat. 19:23-24). e como Rei da linhagem real de Davi: "Ele será grande, será chamado Filhon do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai (Lucas:1:32). As Sagradas Escrituras referem-se especificamente a Maria como a mãe de Cristo mais de 25 vezes.

  Quarto: Já que o destino de todos os cristãos é reinar como reis e rainhas com Cristo no Céu  (Efésios 2,12; Apocalipse 1,6; 5,10), e já que Maria é a cristã mais eminente, não a há nada de errado em conferir a ela o título que Cristo, o Rei dos reis, a agraciou ao torná-la sua Mãe.

Vemos assim que Maria tem direito ao título de "Rainha do Céu". Mas onde nas Escrituras Deus diz que terá uma Rainha? Nos Salmos 45, 9.12.17 lemos:

Filhas de reis estão entre suas damas de honra: à tua direita está a RAINHA em ouro de Ofir... Mesmo os povos mais ricos IMPLORARÃO TEUS FAVORES. Farei “TEU NOME SER LEMBRADO EM TODAS AS GERAÇÕES: portanto os povos TE LOUVARÃO para todo o sempre.”

Seu nome será lembrado em todas as gerações. Caiu a ficha? A profecia é realizada em Lucas 1:48: "Pois considerou a humilhação de sua serva: pois sim, doravante TODAS AS GERAÇÕES ME CHAMARÃO abençoada". No Livro do Apocalipse lemos

"Um sinal grandioso apareceu no céu, uma mulher vestida de sol, com a lua sob os pés, e com uma coroa de doze estrelas na cabeça." (Ap. 12:1-2)

Que espécie de mulher usa coroa? As rainhas usam coroas, mas essa mulher parece estar coroada das 'mais altas jóias' da criação, as estrelas, tendo o próprio sol como traje real.


"Enfurecido com a mulher, o dragão foi guerrear contra o resto dos seus descendentes, os que observam os mandamentos de Deus e mantêm o testemunho de Jesus." (Ap. 12:17)


Satã não pôde vencer a mulher [Gen 3:16) então passou a combater seus filhos espirituais, os cristãos, gente que dá testemunho de Jesus Cristo.


DEUS EXALTOU IMENSAMENTE (MAIS DE 25 VEZES) A RAINHA MÃE NA LINHAGEM DOS REIS DAVíDICOS:

1 Reis 2:19 Betsabéia foi, pois, à presença do rei Salomão, para lhe falar de Adonias. E o rei se ergueu para ir ao seu encontro e se prostrou diante dela, e se sentou no trono e mandou colocar um assento para a mãe do rei e ela se sentou à sua direita.

1 Reis 2:20 "Disse ela: Tenho um pequeno pedido a te fazer, não mo negues. E o rei lhe disse: Pede, minha mãe, que não to negarei." (note-se a intercessão da rainha mãe junto ao rei) Vide também:

I Reis 14:21, 31; 15:2,10,13; 22:42;

II Reis 8:26; 12:1;14:2; 15:2, 33; 18:2; 21:1, 19; 22:1; 23:31, 36; 24:8, 12, 15, 18

2 Crônicas 12:13; 13:2; 20:31; 22:2

Há MUITOS TEXTOS nas Escrituras em que Deus reconhece a MÃE de cada um dos reis da linhagem de Davi, após mostrar que a rainha mãe se assenta à direita do rei.

Será que tais protestantes teriam a audácia de blasfemar contra Deus chamando o próprio criador de idólatra por exaltar e elogiar as rainhas mães dos reis davídicos, incluindo Maria por ser a mãe do Rei dos Reis (Jesus Cristo) descendente de Davi? Porque Deus excluiria apenas Maria, aquela a qual encheu de todas as graças (Lc1, 28) e na qual fez grandes maravilhas (Lc 1, 49)?

EXPLICANDO O ÓDIO OU Desrespeito DE ALGUNS PROTESTANTES (QUE SE COMPORTAM COMO FILHOS DA SERPENTE), À MARIA:

Deus disse à serpente, que representa o diabo: “Porei ódio entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a dela; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3,15 conforme os originais.)

O ódio encarniçado de alguns “evangélicos” brasileiros à mãe de Jesus, é uma coisa recente e localizada, que os cristãos primitivos desconheciam. Este ódio cego, insuflado por ditos “pastores” indoutos, muitas vezes ex-presidiários, que inculcam na cabeça dos desavisados que se deve odiar Maria para amar Jesus, quando Maria em todos os tempos, sempre foi venerada por todos os cristãos, como “Mãe de Deus”. É comum encontrarmos “evangélicas” iludidas por tais “pastores” querendo odiosamente mudar de nome por se chamarem “Maria”. Em pesquisa particular, verifiquei o quanto é evitado o nome da mãe de Jesus entre eles. O nome de profetisas, e até de adúlteros, são dados a seus filhos, mas o de Maria, é rigorosamente evitado, o fanatismo beira o absurdo.

A verdadeira atitude dos cristãos primitivos foi deixada de lado, e é vendido o antagonismo ao catolicismo, como “religião”, sem o menor censo crítico de saber, se o que os católicos professam é correto. E se for os “pastores” sofismam forjando que não é. Essa é a receita do protestantismo atualmente no Brasil. Estão sempre atacando e caluniando Maria. Hora caluniam que ela teve outros filhos, ou que é “uma como outra qualquer”, sempre levados por escritos apócrifos do passado. Mas, estão errados, os escritos de seus “reformadores” os corrigirá:

Calvino, os contrariando, aceita o título “Mãe de Deus”. Sustenta a perpétua virgindade de Maria, afirmando que “os irmãos de Jesus” citados em Mt 13,55 não são filhos de Maria, mas parentes do Senhor; professar o contrário, segundo Calvino, significa “ignorância”“louca sutileza” e “abuso da S. Escritura”. – É confirmado que a palavra “irmãos de Jesus” no pobre dialeto hebraico, significava “PRIMOS de Jesus”. A tradução para o grego apenas manteve a forma como os hebreus falavam, causando tremenda confusão entre os indoutos e recentes “evangélicos”, que nunca encontrarão na bíblia, outro que não seja Jesus, sendo chamado de “filho de Maria”.

Martinho Lutero, contrariando os fanáticos pastores de hoje, escreveu a respeito de Maria em 1522, sendo já protestante:

“O que são as servas, os servos, os senhores, as mulheres, os príncipes, os reis, os monarcas da terra, em comparação com a Virgem Maria, que, além de ter nascido de uma estirpe real, é também Mãe de Deus, a mulher mais importante da terra? No meio de toda a cristandade ela é a jóia mais preciosa depois de Cristo, a qual nunca pode ser suficientemente exaltada; a imperatriz e rainha mais digna, elevada acima de toda nobreza, sabedoria e santidade”.

“Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe um carro de ouro e conduzi-la com 4.000 cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria”.

“Esta única palavra ‘mãe de Deus’ contém toda a sua honra. Ninguém pode dizer algo de maior dela ou exaltá-la, dirigindo-se a ela, mesmo que tivesse tantas línguas quantas folhas crescem nas folhagens, quantas graminhas há na terra, quantas estrelas brilham no céu e quantos grãozinhos de areia existem no mar. Para entender o significado do que é ser mãe de Deus, é preciso avaliar e pesar esta palavra no coração”. (explicação de Lutero para o Magnificat). [Fonte: livro "Maria - Der Weg der Mutter des Herrn", traduzido para o português por Irmã Arturis e publicado em Curitiba no ano de 1982]. (Está sepultado o ódio, a calúnia e a difamação contra Maria).

Ao ler estas palavras de Martinho Lutero, que até o fim de sua vida honrava a mãe de Jesus, que santificava as festas de Maria e diariamente cantava o Magnificat, se percebe quão longe os “evangélicos” brasileiros iludidos, estão da correta atitude para com ela, como mesmo o blasfemo Lutero os ensina, baseando-se na Sagrada Escritura. Vemos profundamente, como os “evangélicos”, se deixaram envolver por uma mentalidade racionalista desses modernos enganadores, que denominam de seus “pastores”, apesar de que em seus escritos confessionais, se lêem sentenças como esta: “Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau” (Art. 21,27) da Apologia da Confissão de Augsburgo)! Não entraram na fila das gerações profetizadas em Lucas 1,48.

Seria Lutero e demais reformadores idólatras por louvar, honrar e bendizer maria? Se apesar de louvar, honrar e bendizer Maria não eram idólatras, por que apenas nós católicos seríamos por fazer o mesmo?

caiafarsa.wordpress.com/o-%E2%80%9Cdocumentario-estado-do-vaticano%E2%80%9D-ajudara-o-leitor-nessa-questao-que-e-a-interrogacao-de-milhoes-de-brasileiros/

http://www.exsurge.com.br/apologeticas/maria/textos%20maria/mariaarainhadosceuseolivrodejeremias.htm

Obrigado pastor e demais protestantes por nos ter dado a oportunidade de provar mais uma vez quão infundadas, mentirosas, caluniosas... São as objeções que vocês fazem à doutrina e prática católica. Obrigado por nos ter dado a oportunidade de provar que o católico não aceita a idolatria, de bíblia na mão, também a condena. Como a condenam os santos que o mesmo católico venera e que o inspiram pelo exemplo das suas vidas, lembradas por suas imagens.

Leia este estudo completo em:

www.larcatolico.com/news/venera%C3%A7%C3%A3o%20das%20imagens/

Fonte: http://www.larcatolico.com/products/deus-proibiu-fazer-todo-tipo-de-imagens-e-com-qualquer-finalidade-/

Leia e divulgue o ótimo site: www.larcatolico.com

 

 

Contacto

Larcatolico (86) 99964-9541 aquinocatequista@hotmail.com