Por que Você não Vai à Missa com mais Frequência ?

 

Por que Você não Vai à Missa com mais Frequência?  Respostas às principais desculpas para não ir à missa ou à Igreja:

 “Só vou à Missa quando estou com vontade. Às vezes falta disposição e é melhor ficar em casa”.

Acontece que a nossa vida não se move exclusivamente por sentimentos ou gostos pessoais. É preciso reconhecer que as pessoas só agem bem quando são movidas por convicções profundas e eticamente corretas. Observemos as coisas mais importantes que fazemos na vida. Não é verdade que muitas delas nós fazemos sem ter vontade, simplesmente por estarmos convencidos de que são importantes? Mal andaríamos se só fizéssemos as coisas quando tivéssemos vontade. Uns perderiam o emprego, outros não passariam de ano, outros perderiam aquela oportunidade única etc. Imaginemos uma banda na qual os músicos só tocam quando estão com vontade e disposição. Seria um fracasso total! Logo, para não fracassar a nossa vida de fé, não devemos ir à Missa só quando estamos com vontade, mas, pela importância deste encontro com Deus e com a comunidade, devemos ir sempre, porque somos cristãos e estes costumam se reunir aos domingos para um encontro com Deus. Já imaginou se Deus só lhe concedesse o oxigênio para respirar quando você sentisse vontade de ir à missa? Certamente já estaria morto, deixemos então de sermos ingratos.

“É... é que eu sou um católico não praticante”

No início da Igreja muitos cristãos foram mortos por transgredir a ordem do imperador romano que proibia a celebração da Missa. Hoje, muitos cristãos, denominando-se não praticantes, não querem participar da Eucaristia. É muita contradição! Não existe católico não praticante, mas, católico incoerente, precisando de ajuda, pois se diz cristão e não faz o que Cristo mandou: “Fazei isto em memória de mim” (cf. Lc 22,19). Ser católico é fazer parte da família de Jesus, do Corpo de Cristo (cf. Cl 1,18). Não dá para ser Corpo de Cristo sem comungar do Corpo de Cristo na Eucaristia de todos os Domingos.

“Sou muito atarefado: trabalho, estudo, crianças, casa... Vou à Missa quando tenho tempo”

Todos vivem sem tempo. Realmente, são muitas as tarefas que assumimos no dia-a-dia. Mas, se não há tempo para ir à Missa é porque ela não entrou na programação do nosso tempo. Ela não é tão importante assim, não é? Seria, então, uma perda de tempo? Porque todos os seres humanos dispõem do mesmo tempo a cada dia: 24 horas. Ninguém mais, ninguém menos. Empregamos o nosso tempo naquilo que nos parece mais importante e necessário. Se não temos tempo para ir à Missa, ao encontro com Deus e a comunidade, é porque o Senhor da Vida e do Tempo, na nossa vida, só ocupa a vigésima quinta hora do dia! Se das 168 horas da semana não dedicamos uma ao encontro dos cristãos com seu Mestre é porque ele não é nosso mestre, não tem muita importância para nós... Tempo é questão de gosto, de prioridade, quando gosto realmente de alguém ou de alguma coisa, encontro mesmo no meio do cansaço um tempo para ele/ela.

“Pra mim, basta rezar sozinho”

A oração individual é importantíssima para o encontro com Deus. Mas a Missa é diferente. Jesus quer que rezemos na intimidade com o Pai (Mt 6, 5-7). Mas também, muitas vezes ele se reuniu com seus discípulos para rezar, ensinar e enviá-los (dois a dois) para pregar. A Missa é o maior ponto de encontro com o Cristo. Ele mesmo prometeu que jamais faltaria: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estarei aí no meio deles” (Mt 18, 20). Ele nos quer unidos: “Eu sou a videira e vós, os ramos” (Jo 15, 1ss). As primeiras comunidades de cristãos levaram muito a sério o chamado de Jesus a viver em grupo: “eles tinham um só coração e uma só alma. Viviam unidos...” (At 2, 44; 4,32). O grupo dos cristãos católicos se reúne todos os domingos (no Dia do Senhor!) para escutar a Palavra de Deus e comer o Pão sagrado que é seu Corpo. A Missa é uma pausa, uma hora para, EM COMUNIDADE, entrarmos em contato com o Pai NOSSO, o Pai de TODOS nós. Não cada um por si, mas, todos juntos em comunhão com todos os cristãos católicos que, no mundo inteiro, celebram esta mesma liturgia de louvor ao Criador.

Existe muito escândalo na Igreja, a começar pelos padres pedófilos, homossexuais...Tais escândalos terminam invalidando as verdades ensinadas pela religião ou Igreja católica.

O próprio Jesus Cristo já havia nos prevenido que os escândalos seriam inevitáveis (Lc 17,1), e nos alertou que ninguém tem o direito de sair da Igreja por causa dos escandalosos, ou seja, do Joio (Mt 13, 24-30). São Paulo por sua vez nos diz que nós seremos julgados pelos nossos erros e pecados não pelos erros e pecados dos padres, dos outros (Rm 14, 12). O que você diria de um filho que se afastou ou deixou de frequentar a casa de seu pai porque tem alguns irmãos rebeldes? Cometeu grande injustiça! O Padre semelhante a nós é também filho de Deus. O que você diria de alguém que se afastou ou rejeitou Jesus Cristo e sua igreja por causa da traição de Judas? Agiu injustamente, semelhantemente assim faz todos aqueles (as) que se afastam da Igreja por causa das traições ou escândalos dos Padres. Ademais, o fato de haver Professores de matemática, português... Pedófilos, Homossexuais... Isto não invalida as verdades da ciência, semelhantemente, o fato de haver maus padres: pedófilos, homossexuais... Não invalida as verdades da Religião ou da Igreja. Os católicos só vivem uma vida de pecados quando desobedecem a igreja cf. CIC (Catecismo da Igreja Católica) Parágrafo 827.Nunca esqueça : “Quem quer ser bom só procura se espelhar nos bons exemplos, quem não quer ser bom só cita os maus para continuar como estar” QUEM NÃO VAI A MISSA OU SE AFASTOU DA IGREJA POR CAUSA DOS PECADOS E ESCÂNDALOS DO(OS) PADRE(S), FREIRA(S), E DEMAIS CATÓLICOS(AS), DEMONSTRA COM TAL ATITUDE QUE NÃO ESTAVA LÁ POR CAUSA DE JESUS CRISTO!

A missa é monótona e longa o que a torna chata

  Em cada dia são lidos quatro textos diferentes da bíblia (contando com o salmo), existem cinco tipos diferentes da oração eucarística. É verdade que existem orações que se repete em cada missa como, por exemplo: a oração do Pai Nosso, porém, assim como é possível alguém em cada dia fazer a mesma declaração de amor a seu esposo (a), Filho (a), Pai, Mãe, namorado (a)... E em cada dia colocar um grau maior de sentimento de amor na mesma declaração, semelhantemente é possível fazer a mesma oração em cada dia, fazendo nosso o sentimento de cada palavra contida na mesma oração, e repeti-la com maior sentimento.

  Quanto a dizer que a missa é longa e por isso chata é o caso de perguntar: É a missa que é longa ou é o seu sentimento de amor e gratidão para com Deus que é pequeno? Se você acha chato, não se sente bem em passar algumas horas louvando, adorando agradecendo ao pai celeste, junto com seus irmãos na fé, na Igreja, considerada como a casa do pai e casa de oração, como se sentirá bem passar toda eternidade louvando e adorando a Deus , junto com seus irmãos e anjos no céu? Sendo assim você mesmo estar dizendo que o céu não é para você. A missa não é um show feito ou realizado para lhe agradar e se mesmo assim a considera chata, passa a considerá-la como um remédio para sua alma. Ora, ninguém toma um remédio porque é bom, saboroso, mas porque é benéfico, semelhantemente, a missa pode até não ser agradável para você, mas é benéfica para sua alma. Muitos até dizem que não vão a missa porque não se sentem bem na igreja, é o caso de perguntar para tais pessoas: você acha que Jesus Cristo se sentiu bem enquanto estava pregado na cruz por amor a você? Mesmo assim ele lá permaneceu até morrer por ti. Já que não aceitaria ou não suportaria se deixar crucificar por amor a Jesus, aceita e suporte ao menos frequentar a Igreja e participar devotamente da santa missa por amor ao nosso salvador Jesus Cristo.

  É melhor pensarmos bem nas desculpas que damos para não nos comprometermos com o Evangelho de Jesus Cristo e com sua Igreja. Pois está escrito: Porque és morno (indiferente, negligente, infiel... À palavra de Deus e à Igreja de Jesus Cristo) vou vomitar-te. Conf: Apocalipse 3, 15-17. Ai dos filhos (as) rebeldes que vivem acumulando - praticando - pecados sobre pecados. Conf: Isaias 30, 1; 5, 18. 20; Aqueles que pecam contra mim violentam -ferem – a sua própria alma, quem me odeia ama a morte. Conf: Provébios 8, 36.

Livro pesquisado: A Missa me dá tédio de Javier M. Suescun. Paulus/ Obs: com alguns suplementos do Catequista Aquino

Fonte: www.larcatolico.com/products/por-que-voc%C3%AA-n%C3%A3o-vai-%C3%A0-missa-com-mais-frequ%C3%AAncia-/

Leia e divulgue o ótimo site: www.larcatolico.com

**********************************************************************************************************************************************

 

Por que eu tenho de ir à missa no domingo?

 Para quem são essas linhas? Na Carta Apostólica Nova millennio ineunte, João Paulo II aponta as prioridades pastorais da Igreja para o início deste novo milênio. Entre elas está a Eucaristia dominical, “temos de insistir (...) chamou a atenção especial a dar prioridade à Eucaristia dominical e ao próprio domingo, como um dia especial da fé, o dia do Senhor ressuscitado e do dom do Espírito, verdadeira Páscoa da semana “(n. 35)”“. Talvez você pertença a uma das três categorias de pessoas:

 a) A que você estava indo à missa católica com os seus pais quando você era pequeno e um dia durante a adolescência deixou de ir. Você entrou em uma crise: era hora de parar de ir só porque seus pais foram, e não conseguiu descobrir por que você deve ir. Estas linhas são para você.

b) A que nunca foi à missa católica constantemente. Talvez nem sequer saibam da obrigação de participar todos os domingos. Talvez você acha que seja exagerada que a Igreja pretende que seja esta a prática para todos. Estas linhas também são para você.

c) A de católico que vai à missa e, seguindo o apelo do Papa, ele quer ajudar as pessoas a sentir novamente a necessidade dessa prática como essencial para a vida cristã. Estas linhas quer trazer-lhe algumas ideias que pretende ajudá-lo nesta tarefa. Pré-aviso: Para este artigo terá que pensar e tentar vivenciar, não basta apenas lê-lo.

As razões básicas para a Missa.

 É deitado no chão, sofá, rede ou sentado na cadeira em casa ou em um bar... Curtindo uma preguiça, um som, um esporte, uma cerveja... que quase sempre começam a perder a missa no domingo em resposta a uma atitude extravagante, que é muito difícil de refutar, precisamente por sua falta de racionalidade, aqui você tem alguns pensamentos sobre o preceito dominical e importância da Missa em sua vida. Ele foi escrito para pessoas de fé.

 1. Primeiramente devemos considerar que devemos ir à missa, primeiro, para dar, não receber. Não devemos ir por motivos egoístas ou comercial, espécie de troca com Deus, minha atenção e dedicação de tempo em troca de certos valores, produtos, seja espiritual ou material, temporal ou eterno ... quem se importa ... é o mesmo. Esta raiz do primeiro ponto desvaloriza todos os motivos para não ir com base em uma linha de pensamento egoísta: eu estou aborrecido, eu não sinto nada, não tenho tempo, não tenho vontade, estou cansado, etc.

2. Porque Deus é o Criador e você deve gastar algum tempo semanal para Ele, é a manifestação da vida centrada em Deus e na salvação: viver o ano centralizado na semana da Páscoa, no domingo, Não importa o quão entediado você esteja o seu Criador providenciou um dia da semana é-lhe: "Lembra-te do dia de sábado para santificá-lo, Deus te concede Seis dias por semana para fazer todo seu trabalho, Mas o sétimo dia é o sábado santo, porque dedicado e consagrado ao Senhor. vosso Deus “(Êxodo 20,8-10)”. É certo e justo que tenhamos o dever de lhe obedecer. Faltando à missa seria uma desobediência clara e frontal ( é como dizer a Deus "Eu não quero dar o meu tempo" para Deus, para ouvir a sua palavra, para lhe agradecer, para lhe adorar ...). E apesar da sua desobediência ... Deus merece e tem o direito à nossa obediência, temos como criaturas, servos e filhos(as) o direito de obedecer a Deus nosso Criador, Senhor, Soberano e Pai Celeste. Seria você como uma simples criatura, servo, filho(a) Superior e mais Importante do que Deus: seu Criador, Senhor, Soberano e Pai Celeste? Infelizmente é o que queres dizer com a sua Desobediência, ingratidão e Desamor!! Você acreditaria no amor de um filho, que apesar de dizer que te ama, mesmo podendo, não frequentasse a sua casa, que a frequentasse somente nas festas sociais da família ou a frequentasse raramente(de anos em anos)?

 3. Porque, como um membro da família de Deus, adorar a Deus segundo a sua natureza, juntamente com seus irmãos. Isto requer que a adoração a Deus não está apenas dentro (de seu coração) mas também no exterior (para que outros possam ver a sua fé) e comunidade (para adorar junto com seus irmãos). Isso significa que você encontrar-se com outros para adorar a Deus juntos. Além de seus gostos pessoais, você assiste a missa não para si mesmo (porque você gosta), mas para mostrar a sua reverência ao Todo-Poderoso em comunhão com os outros filhos(as) de Deus e por conseguinte, seus irmãos(ãs). Nosso relacionamento com Deus tem uma dimensão comunitária. Não é o suficiente orar sozinho, sem família, você precisa fazer junto com nossos irmãos na fé. Neste sentido, é um ato de comunhão com nossos irmãos na fé, para compartilhar os frutos e as graças mais importantes da nossa fé que são: a Eucaristia, isto é, o próprio Cristo, a palavra de Deus proclamada e explicada, e a oração litúrgica (de toda Igreja). Neste sentido faltar à missa seria um desprezo de teus irmãos, e uma falta de unidade. É como se estivesse dizendo que a sua oração individual (sozinha) é mais agradável ao criador, é mais eficaz, poderosa... Diante do pai celeste do quer a de todos os filhos (as) de Deus juntos. O que se constituí em grande presunção e orgulho!

 4. Porque você tem que obedecer à Igreja. Não há dúvida, não é um capricho do Papa, mas uma necessidade. No século IV, a Igreja foi obrigada a impor essa regra para garantir ao fiel a vida eucarística no mínimo que eles precisam. Você está ciente da importância que a Escritura dá à obediência... (cf. Adão e Eva, Dilúvio, Abraão, Saul...). A partir desta perspectiva, faltando Missa é um ato de rebeldia.

5. Porque tendo a Igreja dentre os seus mandamentos o de: Participar ativa e piedosamente da missa inteira aos domingos e festas de guarda. Não obedecendo você iria cometer um pecado mortal e não acho que você quer ir para o inferno por isso. Como você sabe que há uma cláusula que obriga o batizado assistir à Missa aos domingos e feriados Santos. É uma obrigação grave, pelo que a sua falha é uma falta grave. Não se esqueça de que um dia você vai morrer... E você vai achar Deus, a quem se senti tentado a ignorar agora... Para dar conta da sua vida...

 6. Porque você precisa da Eucaristia para viver uma vida verdadeiramente cristã. É vital, portanto, que, sem a Eucaristia semanal, não temos força espiritual para viver como um filho de Deus.

7. Porque sem a Eucaristia não teria acesso à vida eterna. Jesus não deixou dúvidas: "Eu sou o pão vivo do céu: se alguém comer deste pão viverá para sempre" "Eu digo a você, se não comerdes a carne do Filho de Deus e não beberdes o seu sangue não tereis a vida em vós "" Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna "(cf. João 6,30-58)

 8. Porque Jesus convida você para a sua mesa e sacrifício. Ele explicitamente ordenou aos seus discípulos para instituir a Eucaristia: "Fazei isto em memória de mim." Assistir à Missa não é apenas fazer o mandamento do Senhor. Não é apenas uma memória histórica, é uma memória que faz isso se realizar e ser aplicável em sua vida. Jesus convida você e irmãos... Não responder, é ser indiferente à sua vocação, seria um desprezo considerável.

 9. Como viver em uma sociedade que, em muitos aspectos não é cristão, a Missa é a primeira maneira de defender, fortalecer e manifestar a nossa fé. É necessário para "proteger" o seu espírito materialista sufocante em torno de nós: que seu espírito pode, pelo menos uma vez por semana "respirar" um ar espiritual. É também ser a primeira ou uma das testemunhas cristã, enquanto outros precisam de seu exemplo. Você percebe o que é um testemunho de fé dado àqueles que não acreditam... Que afirma crer e não mostra o valor que você acha?

10. Porque é muito melhor para uma vida de santidade e agradável diante de Deus ir à missa, que não ir. Pode parecer bobagem... Mas para aqueles que aspiram a alcançar o melhor... Exatamente por esse motivo. Eu não acho que há um plano mais santo e santificante para o domingo.

A contradição do católico não praticante e como ela se torna Vão

   Poucas coisas são mais inconsistente do que o chamado "católico não praticante". É quase uma contradição em termos. Às vezes você ouve alguém dizer de si mesmo, com um toque de orgulho: Sou Católico não praticante... Como “definir o seu modo de ser católico, com um padrão de Desqualificação.” Isso é como uma faixa anormal de católico, mais... Como se ele poderia ser um "bom católico" não praticante. Mas se você pensar sobre isso... na verdade é um termo bastante negativo, que tem pouca honra a quem foi auto-atribuído, porque significa "um católico que não vive como um católico", "um católico que não é um bom católico" "um católico que não parece Católico(a)", "um católico que não vive aquilo que acredita" ou "pensar não vale a pena viver o que ele acredita", "cuja fé não é grande o suficiente para superar a preguiça", " um católico que acredita que sua fé não é importante o suficiente para viver "," não importa quem pensa que você não vive a sua fé "e assim por diante. Um católico que vive como se não fosse, que permanece católica apenas no campo teórico... Também perde a fé... Sua adesão à doutrina católica... Primeiro porque de ser esquecido... É cada vez menos católica. Ele está de acordo com Santo Agostinho: "Aquele que não vive o que pensa, acaba por pensar na sua maneira de viver." Seu relacionamento com Deus será reduzido para compromissos sociais (batismos, casamentos, primeiras comunhões, crismas, funerais...) e necessidades (saúde, trabalho, dinheiro...) que são tão convincentes quanto para fazê-lo concordar que Deus existe e que devemos nos voltar para ele não apenas nos momentos dos nossos compromissos "sociais" e necessidades.

  Um problema sério para parar de ir à missa, é que ele significa o início de uma religião egoísta em que Deus ordena o que não é mais a regra, para ser substituído por o que eu sinto, eu acho, eu gosto  etc. Religiosidade no espelho. Um deixou de ficar na frente de Deus para ficar na frente de si mesmo. Como resultado do abandono do encontro semanal com o sagrado, começa um processo de dessensibilização espiritual e de espiritualidade seca e fria, o solo da alma torna-se gradualmente cada vez mais árido para as coisas de Deus, que diariamente se movimentam menos, Pecados que antes eram considerados como espinhos passam a ser rosa, pecados que eram raros passam a serem diários e constantes... Consequência cada vez mais frequente na vida de quem não reza... A alma torna-se gradualmente indiferente, perdeu a sensibilidade espiritual. Isso acontece gradualmente. Quem deixar de ir à missa, num primeiro momento pode ter a impressão de que nada aconteceu como de costume... Mas não é. Já não é teocêntrico, não vivendo centrada na Eucaristia semanal. Deus deixou de ser o centro, e isto é pago... É como o pecador obstinado e impenitente que pode parecer que o seu pecado não tem consequências (porém, a palavra de Deus alerta: Ai dos filhos rebeldes que acumulam pecados sobre pecados cf. Isaias 30,1. Não acumules pecados sobre pecados, pois mesmo por um só não ficarás impune cf. Eclesiástico 7, 8)... Porém, mais cedo ou mais tarde descobre que de Deus não se zomba cf. Gálatas 6, 7. O que faz ter sérias consequências deixar Deus ( tua malícia e infidelidades atraíram sobre ti a punição, vê quanto te foi funesto e amargo abandonar o Senhor teu Deus cf. Jeremias 2, 19; Provérbios 8, 35-36; Pr 1, 24-33). Porém, infelizmente, tal reconhecimento pode ser tarde demais cf. Provérbios 1, 24-28. 31; Amós 8, 11-12; Miq 3, 4; 2° Ped 2, 4-10. 13-22.

  No caminho para ser um católico não praticante, o foco está em abandonando a Missa dominical, Você nunca vai encontrar uma razão positiva para parar de ir à missa, que é virtuoso, que é proveniente de algo valioso, o que dá valor ao ato de ir, que mostra que é melhor do que não ir. Infelizmente quase ninguém parou de ir à missa por uma decisão ponderada com calma, tendo estudado o assunto através da doutrina, Moral e dever cristão e pensado racionalmente decidiu que era melhor não ir. Ou seja, quase ninguém decide parar de ir à igreja. O que acontece é que na verdade é deixado de ir... Sem realmente saber por quê. O INTERESSE é bastante comum: deixa você de ir por um desleixo e preguiça, ou porque tinha vergonha de confessar, e como não confessasse, não conseguia se comunicar nem comungar na missa, passou a não se sentir bem, a não sentir nenhuma emoção, prazer... E por não concordar em não sei o quer, nem procurar conhecer a razão e fundamento da nossa fé parou de ir... E depois não foi no outro domingo... E por ir à missa com menos frequência você se acostuma a não ir... Quase sem perceber... E passa pelo menos a dar alguns motivos na tentativa de justificar o fracasso desse dever fundamental do cristão. O argumento final e definitivo para fechar a boca da mãe, do pai, do irmão (ã), da esposa (o), do amigo (a)... Que convida para que vá à missa é: a) Eu não vou agora, mas quando ficar mais velho. b) Só vou quando tiver vontade. c) Quando tiver tempo. d) Eu não vou à missa porque o padre não pratica as verdades que ensina, ao contrário, é o primeiro a dar mau exemplo ..."

   Tais argumentos não são convincentes, respondamos por parte:

 a) Se você não tem nem o hoje seguro, como pode garantir que estará vivo amanhã, depois de amanhã... Que terá muitos e muitos anos de vida, Que chegará à velhice, afinal, está em seu poder determinar o tempo que vai viver?

 b) Se você aplicar este argumento à sua vida diária verá que não passa de desculpa esfarrapada, de fato, será que você só vai trabalhar, estudar, só faz comida, lava roupa ... quando tem vontade? já pensou se Deus só lhe desse o oxigênio para respirar quando você sentisse vontade de ir à missa? já estaria morto a muito tempo!

 c) Já observou que na maioria das vezes encontra tempo para ir ou fazer o que realmente você quer, ama ou gosta! porquê só para ir à missa não busca nem tenta encontrar tempo para ir ? Já observou que nem tudo que faz, você o faz porque quer ou gosta, como por exemplo: trabalhar, fazer comida, lavar roupa, estudar ... Mas os faz por necessidade, afinal, é Deus que precisa de você ou é você que precisa de Deus, podes garantir que nunca vai precisar de Deus ? Você tem certeza que no domingo estarás tão cansado(a) ou atarefado(a) que não dar para dedicar "uma" das "168" horas de vida que Deus lhe deu durante a semana para trabalhar, estudar ... etc., e nesta uma hora de dedicação a Deus na santa missa lhe agradecer por tudo isso ?

 d) Assim como o mau exemplo do professor de matemática não invalida as verdades da matemática, semelhantemente o mau exemplo do padre não invalida as verdades da Igreja Católica. O padre assim como você é um filho de Deus, com a diferença de ter recebido de Deus uma missão sagrada mais elevada que a sua, você acha justo um filho(a) abandonar a casa de seu pai porque tem um irmão rebelde? porque então pretende fazer ou continuar com tal injustiça? Ademais, saiba que você vai prestar contas a Deus é dos seus pecados e não dos pecados do padre, cf. 2° Coríntios 5, 10; Romanos 14, 10.12; Hebreus 9, 27.

   REFLITA: Já parou para pensar sobre o que Deus quer que você faça diante do convite e dever de ir à missa? Claramente, o mais interessado em que você não vá à missa é o Diabo... Nisto não há nenhuma dúvida e infelizmente é quem você prefere obedecer quando deixa de ir à missa! ir à missa não é uma mera questão de tempo ou de vontade, mas principalmente de amor e gratidão para com Deus, não esconda atrás da sua preguiça, ingratidão e falta de amor para com Deus as suas desculpas para não ir à missa!! Veja ainda outras respostas às desculpas para não ir à missa:   Razões comumente dadas para não ir à missa:

 1. Preguiçoso. "Eu prefiro estar dormindo." Na verdade, as razões que se seguem são apenas desculpas para cobrir está você em primeiro lugar, e Deus talvez em último de suas escolhas, preferências, prioridades...

 2. Não tenho nenhum desejo / Não, eu sinto muito. Há quanto tempo seus desejos são a lei que deve ser obedecida? Seu desejo é mais importante do que a vontade de Deus? Além disso, devemos ir a Missa não para nos satisfazer ou nos agradar, mas para agradar a Deus. Vai à missa para adorar a Deus, agradecê-lo e o honrar e não para honrar... Você. Isto significa que devemos ir à missa porque Deus quer, para fazer a vontade de Deus e não a nossa. E se custa... Quer dizer que Deus não é digno do sacrifício que a tornam ainda mais valiosa e meritório?

 3. Estou entediada. A acusação mais comum contra o Missa é que ela é chata. Reflete muito superficial... Porque na Missa não vai se divertir... E é um problema pessoal em que parece que Deus não é chato, é a perfeição absoluta. Além disso, se tantas pessoas que vão à missa com entusiasmo, alguns até mesmo todos os dias... É que há algo que você não vê... Há algo que você perca... A solução é descobrir o que é a Missa e porque os cristãos a consideram tão importante.

 4. É sempre o mesmo. Se fosse um jogo ou um filme. Seria lógico concordar com você. Mas não é um jogo... É uma coisa viva que está acontecendo agora. “Você não está na missa (pelo menos deveria ser) como um espectador”. Você é um participante. Além disso, a palavra de Deus é uma fonte inesgotável de sabedoria e graças divina. Quer dizer então, que, porque cometemos os mesmos pecados, os mesmos não precisam do perdão de Deus?

 5. Desinteresse. As coisas de Deus não me interessam. Se com esse desinteresse(rejeição) de Deus ... você ficá em apuros ... Vamos ver como resolverá a falta de desejo pelo divino ... isso faz você impróprio para o céu ...

 6. Eu não tenho tempo. Parece que Deus lhe pedir -uma hora de 168 horas que lhe concede por semana, é uma reivindicação muito exagerada. Especificamente, aquele te criou, mantém em seu ser e lhe dá o que você vai sobreviver, e só Ele sabe como é ... - Só merece a 0,59% do tempo que Ele lhe dá. Se você não tem tempo para Deus ... para quem você vai ter?

7. Tenho outros planos melhores. Parece que Deus está interessado em competir com filmes de futebol, bebedeiras, farras, baladas ... Não se esqueça que o primeiro mandamento é "Amar a Deus sobre todas as coisas" ... Se você tem outros planos que você se preocupa e se interessa mais do que com Deus ... Talvez o problema ao invés de ser o terceiro mandamento é antes o primeiro...

8. Tenho dúvidas de fé. A fé é um dom de Deus, pelo qual devamos perguntar. viver afastado de Deus, parar de ir à missa, não é o melhor método para resolver questões de fé e aumentá-la ... A frequência de confissão e sacramentos da comunhão, é a forma mais eficaz para aumentar a fé.

 9. Eu lutei com Deus. "Não foi algo que aconteceu na minha vida (a morte de um amado, um fracasso muito doloroso, uma doença ... ou qualquer outra tragédia) que me fez zangado com Deus, mas porque pedir para fazer isso para mim e não fez ... Por isso que eu vou Missa? é a maneira de mostrar a Deus o meu desacordo com a forma como me tratar. " Algumas pessoas deixam de ir à missa como uma maneira de revolta para Deus. Mas em momentos de dor não é melhor buscar refúgio em Deus e buscar a sua força em vez de reagir como um filho(a) rebelde e ingrato? Ele sabe mais ... também seremos acusado de maltratar e rejeitar quem mais nos ama e morreu por nós ... Certamente é você quem perde ... Por andar longe de Deus!.

10. "Há pessoas que depois se comporta mal." "Eu não quero ser como eles", diz-se seguro. "Além disso, outros não vão à missa e são bons." Claramente, ir à missa não é suficiente. E as duas coisas não têm nada haver uma com a outra. Quem não é honesto, então, é ruim e desonesto ... Pelo fato de não ir à igreja ... que ainda é uma coisa boa, mesmo se eles se comportassem mal depois ? ... A causa de sua suposta desonestidade não é porque não vai à missa. O mesmo não vale para o "bom", vão à missa, não porque são bons, mas para pedir a "bondade" divina para si e para os outros. E "bom" não será se não tiverem uma dimensão importante e prática da bondade e do amor de Deus em si. Ademais, a Igreja não é o lugar dos perfeitos, mas daqueles que, apesar de seus pecados, buscam a perfeição, pedem perdão pelos seus pecados, força para evitá-los, agradecem a Deus pelo dom da vida, demais benefícios e bênçãos ... Enfim, ir à missa não é um concurso de bondade ... Mas é claro que deixar de ir à missa não melhora ninguém ... se alguma coisa o faz com que seja pior, não é o fato de não ir à missa.

 11. Eu não me confessei e então eu não posso tomar a comunhão. Sem comunhão não é um pecado enquanto não se confessa, deixar de ir à missa, sim. Além disso, se tem consciência de pecado mortal, o problema seria resolvido facilmente com uma confissão o mais breve possível ... Ademais, pecados veniais(leves) não impedem comungar uma vez que se faz o ato de contrição"sincera", no ato penitencial da missa.

12. Vai contra meus pais. Ofender a Deus para não fazer seus pais sofrerem com uma uma atitude, não parece muito Inteligente... È o caso de perguntar aos pais ou a qualquer pessoa que queira vos impedir de ir à missa: "julgai vós mesmo, é justo diante de Deus obedecer a vós mais do que a Deus? cf”.“ Atos 4, 19”, “e mostrar para eles a resposta da palavra de Deus:” Importa obedecer antes a Deus do quer aos Homens” cf.Atos 5, 29. 13. O padre me irrita porque além de ser chato sua missa é longa. Por mais chato que você acha o padre, o mesmo não celebra missa para lhe dar um gostinho de prazer, para lhe agradar, nem como um favor. O mesmo é incapaz de ganhar ou perder alguma coisa com a sua presença ou ausência. Quem ganha ou perde, é você: o seu amor por Deus. Além disso... Eu tenho certeza que a cidade em que você vive é grande o suficiente para ser capaz de encontrar um padre que lhe seja simpático... Ademais devemos ir à missa não por causa do padre, mas por causa de Jesus Cristo nosso Senhor e salvador. É a missa que é longa ou é o seu amor e gratidão para com Deus que é pequeno (a)? Um(a) filho(a) se sente mal em passar uma hora na casa de Deus seu pai celeste, como se sentirá bem, então, em passar toda a eternidade com Deus no céu? Isto é sinal que preferes passar a eternidade com o Diabo e seus Demônios no inferno do que passar eternidade com Deus, seus anjos e santos no céu! que péssimo gosto e infeliz troca!!!!!!!!.

 Como desfrutar da Missa

 1. O sistema básico consiste, em primeiro lugar, para ir à missa, ninguém conseguiu apreciar a Missa com base em não ir.

2. O segundo ponto é tentar viver a missa Ou seja, deixar de ser como uma estátua e começar a estar atento, responder, orar, cantar, evite distrações, e assim por diante. Palavras, "desfrutar" da Missa depende mais de você do que dos outros...

3. Estudo. Nenhum outro sistema foi inventado para saber o que você não sabe. Para desfrutar a Missa é preciso entendê-la e para saber o que é a missa Há muitos livros e panfletos... vai encontrar em qualquer livraria Católica.

4. Leia e medite sobre os textos da Liturgia. Tem uma riqueza inesgotável, eles podem sempre produzir novos significados, nuances, dimensões, etc.

 5. Prepare-se. Muito edificantes são orações para preparar o coração para uma reunião tão importante com Deus.

 P. Eduardo Volpacchio capellania@colegioelbuenayre.edu.ar (12/16/01) algunasrespuestas. blogspot.com/2005/10/por-qu-tengo-que-ir-misa-el-domingo.html Obs.: o texto tem alguns suplementos do catequista Aquino

Leia e divulgue o ótimo site: www.larcatolico.webnode.com.br/

 Ler mais: http://larcatolico.webnode.com.br/products/por-que-voc%c3%aa-n%c3%a3o-vai-%c3%a0-missa-com-mais-frequ%c3%aancia-/

Crie o seu web site grátis: http://www.webnode.ptloja grátis

 

 
***************************************************************************************************************************************************************
 
  Por que é preciso participar da missa?
 

A Igreja é uma comunidade de fé, que se reúne por Jesus. Como comunidade ela tem cinco mandamentos que a organizam. Desses cinco, o primeiro é participar da missa todos os domingos e dias santos. Não fazê-lo é deixar de ser comunidade.

 

A missa é a reunião da família de Deus. Toda família que quer aumentar os laços de afeto e solidariedade entre seus membros se reúne uma vez por semana, num almoço mais festivo. É a ocasião para conversar e sentir o interesse e apoio uns dos outros. A perda desse costume é sinal de desagregação da vida familiar.

 

Além da Eucaristia ser o sacramento do sacrifício do próprio Deus, a Igreja não pode renunciar aos encontros regulares de seus membros. Quanto mais valorizamos essa comunidade, mais aprendemos dela e mais a conhecemos. Católico que não se sente membro da comunidade eclesial, que não a estima como sua família, sempre encontrará pretextos para não ir à missa.

 

É como os convidados da parábola do Evangelho, que ao receberem o convite, foram arrumando desculpas para não participar da festa: comprei um campo; comprei uns bois; acabo de me casar. É claro que a verdadeira resposta de cada um era: tua festa não me interessa; tenho mais que fazer do que ir a essa festa. Esnobaram o convite. É o que acontece quando faltamos a missa. Pessoas autosuficientes, que pensam não precisarem de ninguém, e resolvem as coisas sozinhos, fazem pouco caso da reunião da comunidade cristã. Os que aceitam o convite e se reúnem são os simples, os que têm coração de pobre e sentem necessidade de ser curados por Deus e apoiados pelos irmãos e irmãs na fé.

 

Ir à missa é tempo que tiramos para Deus. Se fizermos a matemática das nossas horas semanais, veremos que temos na semana 7 dias, cada dia tem 24 horas; multiplicando as horas pelos dias teremos 168 horas semanais. Dessas, metade passamos dormindo, a outra, trabalhamos, nos divertimos e, muitas vezes, na hora que tiramos para estar com Deus na missa, arrumamos um pretexto. Isso se torna um pecado diante de todo o tempo semanal que temos. Não é Deus que precisa do nosso tempo, somos nós que precisamos estar com Ele, pois se não nos acostumamos a ficar com Ele ao menos um pouco de tempo por semana, como agüentaremos ficar com Ele toda uma eternidade! 

 

Que a querida mãe do Perpétuo Socorro nos ajude a ter um coração voltado para Deus e a entender o que Deus quer nos ensinar na santa missa. Mãe do Perpétuo Socorro; rogai por nós!

Pe. Gelson Luiz Mikuszka, C.Ss.R
Missionário Redentorista
http://www.perpetuosocorro.org.br/index.php?pag=detalhe&codconteudo=1056&codmenu=19&PHPSESSID=0aa2935fdef71d50d637d9ef4fcf8f3f
Leia-o também em: www.larcatolico.webnode.com.br/news/porque você não vai à missa?
 
*****************************************************************************************************************************************
 

Desculpas que damos…

 

Estava eu a refletir sobre uma das coisas que mais fazemos a todo tempo, inventamos “desculpas” para DEUS, para as coisas de DEUS.

Você já percebeu a facilidade em que muitas pessoas têm para inventar programas, inventar coisas para fazer na hora que tem a oportunidade de encontrar JESUS. É de verdade fiquei observando algumas coisas que as pessoas fazem.

Por exemplo:

Para muitos homens o domingo as 16 horas tem o famoso futebol, e se recebe um convite para ir na santa missa, sabe o que ele faz, prefere um futebol do que o SENHOR JESUS que deu a vida por ele, e acaba esquecendo um dos mandamentos de DEUS “ Guardai domingos e festas”. Mas vejo que muitas mulheres também fazem isso, isso não se refere somente aos homens.

É engraçado, mas deixamos as coisas de DEUS, pra quando ficamos mais velhos, ou quando uma enfermidade vem ate nós, ai sim nós lembramos de DEUS, ai lembramos que ele pode nos curar, realizar milagres…

E as outras desculpas que inventamos, ah hoje eu não vou na igreja não, voltei de uma balada vou dormir até tarde, ah não prefiro ficar em casa, não vou hoje na missa estou com preguiça…

Se recebe um convite pra ir a um retiro, ai a pessoa diz assim “ ah não, não vou ter tempo para ir, minha vida esta uma correria” ai perguntamos mas o que vai fazer “ Vou na balada” , vou descansar, to com preguiça…

Perceba na sua vida amado, quantas desculpas você já deu para DEUS, quantas vezes você RECUSOU o convite dele mesmo. Porque eu digo quando alguém  sendo seu amigo ou não amigo te convida para algum evento em que falara de DEUS, é o próprio DEUS te convidando.

Reflita nisso quando JESUS estava indo para o caminho de sua morte na cruz, ele não pensou que não ia ter tempo, ele não queria descansar, ele não teve preguiça… Sabe porque? Acho que você já deve até estar cansado de ouvir isso, mas ele foi ao limite por amor a você!

LEMBRE-se do primeiro mandamento da Lei de DEUS , “ Amar a Deus sobre todas as coisas”,  quando ele diz isso não quer dizer sobre algumas coisas , mas é sobre todas as coisas mesmo. Você tem cumprido esse mandamento?

Qual têm sido suas prioridades? E as suas desculpas?

E se fosse DEUS no seu lugar, já parou pra pensar nisso…

Se você precisasse dele, e ele disse pra você, DESCULPA, EU NÃO TENHO TEMPO para ouvi-lo agora, ah DESCULPA NÃO DA PARA ANTEDER AQUELA SUA ORACAO, AH DESCULPA ESTOU MUITO CANSADO AQUI NO CÉU PARA ME PREOUCOPAR COM VOCE, AH DESCULPA NÃO TENHO TEMPO PARA VOCE, alias você também não tem tempo para mim não é mesmo?

Pois é amado reflita no dia de hoje aonde você tem colocado DEUS na sua vida!

Ele espera por você todos os dias, como um PAI amoroso que nos ama muito e esta disposto a  cuidar de nós.

Que ele nos abençoe e nos ensine a cada dia sermos mais  amorosos, e entendermos que sem ele nada somos!

DEUS O ABENCOE

http://jaquemorais.wordpress.com/2012/04/24/desculpas-que-damos-2/

*******************************************************************************************************************************************

 

As três desculpas

 
Não faltam desculpas para quem não quer participar da Igreja. Não encontra tempo pra ir à Missa, não encontra motivação para viver em comunidade a sua fé.  "Ah, não posso, não tenho tempo, ando muito ocupado. Ou: vivo para o trabalho, quando chego em casa não tenho mais ânimo pra nada. Ou ainda: ah, quem tem família, com filhos pequenos ainda, não tem condições de participar". Essas desculpas já eram dadas no tempo de Jesus.
E o próprio Mestre ilustrou uma história com as três desculpas que ele ouvia sempre. Alguém preparou uma bela festa e convidou um bocado de gente. Um disse que não podia ir porque tinha comprado uma terra e estava louco pra ver o novo sítio. Outro tinha adquirido cinco juntas de bois pra lavrar a terra e ia começar o serviço. Um terceiro tinha se casado e, claro, mandou pedir desculpas, não podia ir à festa. Ninguém foi, que decepção!
O que tinha comprado o campo representa bem os que têm muitos bens e não se lembram de nada mais fora deles. Pode ser uma casa, uma empresa, uma fazenda, um carro. Se não se tomar cuidado, os bens podem virar donos da gente, ser nossos senhores. A gente é que tem que ser dono das coisas, não o contrário. Os bens materiais podem se tornar um verdadeiro Deus ao qual me sacrifico ou sacrifico os outros. E Jesus disse claro que não se pode servir a dois senhores, a Deus e aos bens materiais, representados no dinheiro. O apego aos bens materiais leva muita gente a não frequentar a Igreja, a não se lembrar do Deus verdadeiro. Já tem seu próprio Deus.
O que ia lavrar a terra com seus novos bois bem pode representar os que não acham tempo pra Deus por causa do trabalho. O trabalho parece que é tudo, não dá mais tempo para fazer nada. Uma boa desculpa para não pisar na Igreja. Diz que não dá tempo, que está cansado. Mas a pessoa não vive só para trabalhar. No início da Bíblia, se diz que Deus trabalhou seis dias na criação do mundo e no sétimo, descansou (Gn 1). E o livro do Êxodo comenta: "Seis dias trabalharás, no sétimo descansarás, que é o repouso do teu Deus" (Ex 10).  Parar, celebrar, ir à Igreja é um modo de reconhecer o senhorio de Deus em nossa vida, que só ele é o nosso único Deus e Senhor.
Aquele que disse que tinha se casado e por isso não podia ir à festa representa os que têm responsabilidade na família e por isso se consideram impedidos de ir à Igreja. Então, a família tomou o lugar de Deus? E Jesus tinha alertado: "Quem amar seu pai e sua mãe mais do que a mim não é digno de mim. Quem amar seu marido ou sua esposa ou seus filhos mais do que a mim, não é digno de mim". Se Deus é o mais importante, então uma visita não pode me impedir de ir à Missa. Nem uma festinha em família, ou uma criança pequena. Deus é Deus e merece o melhor de mim, do meu tempo, do meu amor. "Amar a Deus sobre todas as coisas, acima de todas as pessoas", esse é o mandamento.
Não faltam desculpas para quem não quer participar da Igreja. Os bens materiais que me prendem, o trabalho que me toma o tempo todo, a família que precisa de mim. Apesar da resposta negativa de alguns, Deus continua nos chamando para a festa, que é o Reino de Deus. E abrindo suas portas para outros mais desapegados, mais disponíveis, mais fiéis.
Pe. João Carlos Ribeiro – 03.11.2011
http://www.padrejoaocarlos.com/2011/11/as-tres-desculpas_03.html
 
***********************************************************************************************************************************

 

POR QUÊ IR À MISSA

Por que o alimento espiritual é indispensável para nossa vida.

Sem Cristo vivo em nossa vida, perecemos.

Não há cristão sem missa.

O catolicismo não é uma religião do cristão isolado, intimista, o católico cristão só o é no seio de uma comunidade de fiéis, que se materializa dentre outras coisas, na presença física e espiritual na Missa.

O cristão não pode viver sem ir a missa, sem celebrar a Eucaristia (Acção de Graças).

Na Eucaristia comungamos o Corpo de Cristo e fazemos do nosso corpo um templo de Deus.

Pergunto: pode um cristão viver separado de Cristo? Claro que não. Então, a missa se torna imperativa para nós, imperativa não como obrigação tão-somente, mas um imperativo de vida, imperativo existencial, porquanto nela, missa, recebemos o alimento espiritual e rendemos graças Àquele que nos dá a paz.

Daí porque devemos ir mesmo quando estamos com pouca vontade, aliás, a pouca vontade é mais do que uma razão para ir, é o momento oportuno para pedirmos: Pai, aumenta-nos fé!
Sobre a Santa Missa, Santo Escrivá (Fundador do OPUS DEI) possui ensinamentos preciosos, vejamos:"Assistindo à Santa Missa, aprendemos a conviver com cada uma das Pessoas divinas: com o Pai, que gera o Filho; com o Filho, que é gerado pelo Pai; e com o Espírito Santo, que procede dos dois.
Convivendo com qualquer uma das três Pessoas, convivemos com um só Deus. 

Amemos a Missa, meus filhos, amemos a Missa.

E comunguemos com fome, mesmo que nos sintamos gelados, mesmo que a emotividade não nos acompanhe: comunguemos com fé, com esperança, com inflamada caridade.

Não ama a Cristo quem não ama a Santa Missa, quem não se esforça por vivê-la com serenidade e sossego, com devoção e carinho.

O amor converte os enamorados em pessoas de sensibilidade fina e delicada; leva-os a descobrir, para que se esmerem em vivê-los, pormenores às vezes insignificantes, mas que trazem a marca de um coração apaixonado.

É assim que devemos assistir à Santa Missa.

Por isso sempre desconfiei das pessoas empenhadas em ouvir uma Missa curta e atropelada: pareciam-me demonstrar com essa atitude, aliás pouco elegante, não terem percebido ainda o que significa o Sacrifício do altar.

O amor a Cristo, que se oferece por nós, incita-nos a saber encontrar, uma vez terminada a Missa, alguns minutos para uma acção de graças pessoal e íntima, que prolongue no silêncio do coração essa outra acção de graças que é a Eucaristia. (É Cristo que passa, nn. 91-92)".
 
http://operfumededeus.blogspot.com.br/2009/11/por-que-ir-missa-eucaristia.html
Leia-o também em: www.larcatolico.webnode.com.br/por que ir a missa
 
************************************************************************************************************************************************
 

Porque ir a Missa sempre?

Um freqüentador de Igreja escreveu para o editor de um jornal e reclamou
que não faz sentido ir à Igreja todos os domingos. "Eu tenho ido à
Igreja por 30 anos", ele escreveu, "e durante este tempo eu ouvi uns
3.000 sermões. Mas por minha vida, eu não consigo lembrar nenhum deles
sequer... Assim, eu penso que estou perdendo meu tempo e os Padres e
Pastores estão desperdiçando o tempo deles pregando sermões!"
Esta carta iniciou uma grande controvérsia na coluna "Cartas ao Editor", para
prazer do Editor Chefe do jornal. O jornal continuou com isso por
semanas, recebendo e publicando cartas sobre o assunto, até que alguém
escreveu este argumento:

"Eu estou casado já há 30 anos. Durante este tempo minha esposa deve ter

cozinhado umas 32.000 refeições. Mas, por minha vida, eu não consigo me

lembrar do cardápio de nenhuma destas 32.000 refeições. Mas de uma coisa

eu sei... Todas elas me nutriram e me deram a força que eu precisava para fazer

o meu trabalho.. Se minha esposa não tivesse me dado estas refeições, eu estaria hoje
fisicamente morto. Da mesma maneira, se eu não tivesse ido à Igreja para
alimentar minha fome espiritual, eu estaria hoje morto espiritualmente.
Quando a gente está resumido a NADA... DEUS está POR CIMA DE TUDO!
Fé vê o invisível, acredita no inacreditável, e recebe o impossível!
Graças a Deus por nossa nutrição física e espiritual!"

http://www.sinaisdostempos.org/missa/porque-ir-missa-sempre

Leia-o também em : www.larcatolico.webnode.com.br/por que ir à missa

*********************************************************************************************************************************

 

Porque ir a Missa?

|

A Missa é o culto mais sublime que oferecemos ao Senhor. Nós não vamos à Missa somente para pedir, mas também para louvar, agradecer e adorar a Deus. A desculpa de que rezar em casa é a mesma coisa que ir à Missa é por demais pretensiosa! É querer fazer da reza particular algo melhor que a Missa, que é celebrada por toda uma comunidade! Assim, vamos à Missa para ouvir a Palavra do Senhor e saber o que o Pai fala e propõe para a sua família reunida. Não basta ouvir! Devemos pôr em prática a Palavra de Deus e acertarmos nossas vidas (conversão). O fato de existir pessoas que freqüentam a Missa mas não praticam a Palavra jamais deve ser motivo de desculpa para nos esquivarmos de ir à Missa; afinal, quem somos nós para julgarmos alguém? Quem deve julgar é Deus! Ao invés de olharmos o que os outros fazem, devemos olhar para o que Cristo faz! É com Ele que devemos nos comparar!

http://www.paroquiasfrancisco.com/2010/05/porque-ir-missa.html
 
************************************************************************************************************************************************
 

Por que assistir a Missa todos os domingos?

Quando, no cair da tarde de um domingo, as vias de acesso a uma de nossas grandes cidades congestionam-se com milhares de carros que retornam de um fim de semana no litoral ou no campo, uma pergunta me ocorre, e já nasce triste no meu coração: quantos desses homens e mulheres,sejam maduros, jovens ou crianças, terão ido à Missa, hoje ou ontem à tarde?
E a tristeza se acentua quando vou ao shopping e vejo a imensidão de pessoas que se entregam com tanta voracidade ao consumismo desenfreado. São grandes filas para comer um sanduíche numa lanchonete, para entrar nas salas de cinema, e/ou para aproveitar alguma liquidação na loja da moda…
Também me surpreendo quando passeio por certos pontos da cidade e vejo as enormes filas que dão voltas nos quarteirões, milhares e milhares de pessoas à espera da sua vez para entrar num estádio de futebol: multidões que parecem pensar que o destino do Universo depende unicamente das peripécias de uma bola e da emoção de um gol… Claro que eu não condeno o lazer ou o prazer de um bom passeio, nem sou contra quem vai assistir a um bom filme no cinema, e muito menos poderia ser contra o esporte ou a prática de atividades esportivas. Tudo isso pode ser muito bom e muito saudável. Mas… quantas dessas pessoas, que superlotam os parques e shoppings, terão se lembrado de Deus nas suas horas de folga e de lazer?Quantos, no dia seguinte, voltarão ao trabalho realmente refeitos, não só de corpo como também de alma? Quantos destes poderiam se enquadrar na famosa frase de Santo Agostinho: “Meu coração está inquieto,e não descansará enquanto não repousar somente em Ti”?

Perdeu-se a noção da dignidade e da importância diferenciada do domingo, como o momento insubstituível de culto ao Divino, e também de descanso espiritual, tanto para o indivíduo quanto para a família. Em nossas consciências está se esvaziando do seu real conteúdo o Dia do Senhor. E com esse esvaziamento compromete-se um importantíssimo valor cristão.
Essa é a origem etimológica da palavra domingo: Dies Domini. Não está em jogo aqui uma questão desnecessária, de menor importância. A participação atenta, profunda e proveitosa na Santa Missa é uma condição indispensável para a autêntica vida cristã! Assim o lembrou o Papa João Paulo II: “Tomem a sério o convite que a Igreja lhes dirige, com caráter obrigatório, para participar todos os domingos da Santa Missa”
Que todo domingo seja configurado por essa nossa Fonte de Energia, como dia consagrado ao Senhor. A Ele pertence nossa vida, e somente a Ele se deve a nossa adoração. Todo domingo é uma maravilhosa oportunidade que nos é dada, de beber dessa Fonte, nesse processo de “recarregar baterias” espirituais no dia consagrado ao Senhor. Um momento para refazer as forças do corpo e do espírito, mudando as nossas atividades habituais, deixando a rotina (muitas vezes massacrante) de lado.

Desculpas para o não cumprimento do preceito dominical

Já ouvi dizer que o comparecimento à Missa pode atrapalhar a necessidade de descanso, lazer e/ou integração social. Colocam-se à frente de Deus: a festinha de aniversário, o churrasco, o futebol, o lazer, as atividades sociais… Alguém que realmente pensa assim simplesmente não compreende que as duas coisas, Missa e descanso, não são opostas, mas devem se completar!O passeio, o esporte, o lazer e o repouso são oportunidades para o ser humano serenar corpo e espírito, e se colocar, assim, em condições ideais para entrar em Comunhão com o Criador. E ir à santa Missa, colher os frutos maravilhosos que só a Celebração Eucarística e a Comunhão com Deus pode nos oferecer.

Fonte:CINTRA, Luiz Fernando. Por que ir à Missa aos Domingos? São Paulo: Quadrante, 1989, pp. 3, 4

http://www.tuespetrus.org/?p=428

*****************************************************************************************************************************

 

Por que ir à Missa aos domingos?

 
A Santa Missa torna presente(sem o multiplicar) o único Sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo, que sendo verdadeiro Deus e verdadeiro homem, pagou pelos nossos pecados na cruz. Tal Sacrifício se torna presente na Santa Missa no momento em que o pão e vinho tornam-se verdadeiramente o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor (Catecismo da Igreja Católica, 1366-1367. 1373-1381).
 
O Santo Sacrifício da Missa é incruento (ou seja, sem sofrimento nem derramamento de sangue), é o mesmo e único Sacrifício do Calvário, tornando-se verdadeiramente presente na Santa Missa para que possamos receber os seus frutos e nos alimentar da Carne e do Sangue de Nosso Senhor. Por isso o Sagrado Magistério nos ensina que "o sacrifício de Cristo e o sacrifício da Eucaristia são um único sacrifício" (CIC, 1367).
 
Domingo é o dia do Senhor. São João Maria Vianey dizia: "Um Domingo sem Missa é uma semana sem Deus". A nossa fé nos agrega numa grande família que é a Igreja, de maneira mais particular a Paróquia, onde eu coloco em prática a minha fé. Lá é onde eu recebo o suporte necessário para crescer na formação humana, na espiritualidade e em todos os tesouros sacramentais para minha salvação. A Igreja paroquial é minha casa, é o meu núcleo de fé e vida. Tomemos por modelo os cristãos das primeiras comunidades: "Os que receberam a sua palavra foram batizados. Perseveravam eles na doutrina dos apóstolos, na reunião em comum, na fração do pão e nas orações" (Atos 2, 41-42).
 
Assim como eu preciso fazer uma experiência com Cristo para segui-Lo, eu também preciso fazer uma experiência com a comunidade de fé, que é a Igreja, a portadora do depósito da fé, a extensão do grande corpo de Cristo e da qual eu sou membro. A comunidade é necessária para que a minha fé não seja estéril, morta, sem obras. Na comunidade paroquial, eu faço uma experiência de vida fraterna que faz toda a diferença no mundo de hoje. Na experiência dos apóstolos, o Domingo tem lugar especial por se tratar do dia da ressurreição do Senhor.
 
Infelizmente, ainda ouvimos algumas desculpas imaturas de que não é preciso ir à casa de Deus para encontrar o Senhor, que se pode rezar em casa, pois Deus está em todo lugar e lá não se vê tanto testemunho, etc. Essas idéias acabam quando vamos crescendo no verdadeiro sentido de ser Igreja: "Eu sou e também faço a Igreja; sou discípulo de Jesus Cristo e estou neste caminho por Ele em primeiro lugar.
 
A celebração dominical do Dia do Senhor e da Eucaristia está no coração da vida da Igreja. "O domingo, dia em que por tradição apostólica se celebra o Mistério Pascal, deve ser guardado em toda a Igreja como a festa de preceito por excelência (§ 2177)."
 
O dia do Senhor, o dia da ressurreição, o dia dos cristãos, é o nosso dia, pois foi, nesse dia, que o Senhor subiu vitorioso para junto do Pai. O domingo é o dia em que os fiéis se reúnem para, ouvindo a Palavra de Deus e participando da Eucaristia, lembrar-se da Paixão, Ressurreição e Glória do Senhor Jesus e darem graças a Deus que os 'regenerou para a viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo (§1166 e §1167). O domingo é o dia principal da celebração da Eucaristia por ser o dia da ressurreição. É o dia da assembléia litúrgica por excelência, da família cristã, da alegria e do descanso do trabalho. O domingo é o fundamento e o núcleo do ano litúrgico (§1193).
 
O primeiro mandamento da Igreja "Participar da Missa inteira aos domingos, de outras festas de guarda e abster-se de ocupações de trabalho" ordena aos fiéis que, santifiquem o dia em que se comemora a ressurreição do Senhor e as festas litúrgicas em honra dos mistérios do Senhor, da santíssima Virgem Maria e dos santos (§2042).
 
Antes de qualquer obrigação, o meu relacionamento com Deus deve ser por amor e o meu compromisso concreto exige tempo e espaço para se atualizar, por isso, a minha paróquia é lugar de encontro com Ele e com os meus irmãos na fé, onde eu alimento a minha experiência e vida com o meu Senhor. Não existe uma experiência autêntica de Jesus Cristo fora da comunidade, nela sou formado na Palavra, no Altar, no testemunho e na doação de minha vida.
 
Sabendo de todas essas maravilhas e chamados a renovar o nosso compromisso com Jesus Cristo e com a Igreja Paroquial, como tem sido a sua participação na sua paróquia?
 
Qual tem sido a sua experiência paroquial?
Você vai à Missa todos os Domingos?
 
Nunca é tarde para recomeçar.
 
Abraços fraternos
 
Missão Resgate até o fim!
http://www.resgatealfenas.com/2011/09/por-que-ir-missa-aos-domingos.html
 
********************************************************************************************************************************
 
 

EXORTAÇÃO PARA OUVIR

PIEDOSAMENTE A SANTA MISSA.

        

         Quanto não se aflige a Igreja, por ver tantos filhos assistirem, sem piedade, ao santo Sacrifício! Ocupam-se os fiéis, não raras vezes, com o que se passa ao redor, porém, não do que se realiza no altar; observam quem entra e quem sai; oram somente com os lábios, sem que o coração tome parte. Eis seu proceder na presença de Deus três vezes santo! Perguntamos se lhes existe ainda uma faísca de fé na alma e se merecem o nome de católicos. Oh! quanto nos dói o coração à vista de tão culpada irreverência, no momento em que tudo nos convida à mais ardente piedade.

 

         A Igreja católica impõe o respeito para a santa Missa, por estas palavras: "Reconhecer que os cristãos não podem cumprir obra mais santa, mais divina que este assombroso mistério é também reconhecer que não se pode pôr cuidados e diligência suficientes para desempenhá-lo com pureza de coração, com piedade e edificação (Concílio de Trento). Não é necessário, para isso, experimentar uma devoção sensível; basta a vontade firme de assistir atenta e respeitosamente.

 

         A verdadeira piedade, com efeito, não consiste na doçura interior, mas no fiel serviço de Deus.

 

         A piedade ou devoção consiste, segundo todos os mestres da vida espiritual, numa vontade pronta e generosa de fazer tudo quanto Deus quer, e sofrer corajosamente tudo quanto quer que soframos. As doçuras e as consolações sensíveis não são, pois, a devoção, mais um estímulo para a devoção que o Senhor concede conforme nossas necessidades e sua sabedoria. O espírito de fé está sempre ao nosso dispor e podemos, agindo segundo esta fé, servir a Deus com inteira fidelidade e ser do número dos justos que vivem da fé.

 

         Se não tivesses desejo algum e não fizesses nenhum esforço para sair de tua indiferença, então somente, haveria culpa e te privarias de muitos méritos. A este respeito lembrar-te-emos das palavras de Nosso Senhor à Santa Gertrudes.

 

         Esforçando-se, uma vez, em unir alguma intenção particular a cada nota e cada palavra de seu canto, e, sentindo que se achava, muitas vezes, impedida pela fraqueza de sua natureza, dizia no interior, com muita tristeza: "Ah que fruto posso tirar deste exercício visto que sou sujeita a tão grande mudança?". Nosso Senhor, porém, apresentou-lhe nas mãos o Sagrado Coração sob o emblema duma lâmpada ardente, dizendo: "Eis que exponho, aos olhos de tua alma, meu Coração caridoso que é o órgão da Santíssima Trindade, a fim de que lhe peças, com confiança, que faça em ti tudo o que não serias capaz de operar, e desta sorte, eu nada veja, aí, que não seja extremamente perfeito; pois, da mesma maneira que um servo está sempre prestes a executar as ordens de seu amo, assim meu Coração será sempre disposto, em qualquer hora, a reparar os efeitos de tua negligência" (Líber III, c. 25).

        

         Santa Gertrudes admirava, tremendo, o excesso da bondade do divino Salvador, julgou, porém, que seria inconveniente que o Coração adorável de seu Deus suprisse os defeitos de sua criatura. Mas o Senhor animou-a com esta comparação: "Não é verdade que, se tivesses uma bela voz e achasses extremo prazer em cantar, encontrando-te com uma pessoa que tivesse a voz tão áspera, tão desagradável e desafinada que sentisse muita pena em pronunciar e em formar os menores sons, acharias mal que, oferecendo-te para cantar, ela não to quisesse permitir? Assim, meu Coração divino, reconhecendo a inconstância e a fragilidade da natureza humana, deseja com ardor que o convides, senão por palavras, pelo menos por outro sinal, a operar e cumprir em ti o que não és capaz de operares e cumprires".

 

         Oh que palavras de animação e conforto! Estás distraído à santa Missa? Desprovido de piedade? Vai a Jesus, dizendo-lhe: "Deploro amargamente estar tão distraído e rogo a vosso divino Coração que se digne suprir a minha negligência".

 

         Para ajudar a tua boa vontade, indicar-te-emos também a maneira de te comportares na santa Missa. Primeiro, indo à igreja, considera aonde vais e o que vais fazer. Não subas ao templo como o fariseu e o publicano para orar somente, mas entras aí para "oferecer", segundo a palavra de David: "Senhor, sou vosso servo, oferecer-vos-ei uma hóstia de louvor e invocarei vosso santo nome" (Sl. 115).

 

         Entras aí para prestar a Deus o culto mais perfeito, para apresentar a oferta que lhe é mais cara. "A audição da santa Missa, diz um escritor eclesiástico, não é somente uma oração, é um ato de adoração, é uma oferta, um sacrifício divino, visto que todos os assistentes bem dispostos unem-se à ação e às intenções do sacerdote". O mesmo autor explica então o sentido da palavra "sacrificar" e diz que a ação mais excelente, é praticar a mais alta virtude, porque, sacrificando, atestamos a soberania de Deus, seu direito de ser, infinitamente, honrado e glorificado; confessarmos, ao mesmo tempo, nossa dependência absoluta como criaturas, das quais pode dispor à vontade. É por isso que o Sacrifício é o ato de religião mais agradável ao Senhor, e o mais útil aos homens.

 

         Penetrado destas verdades, chega ao pé do altar; formula aí a intenção de ouvir a santa Missa. Tens algumas orações particulares que fazer? Faze-as até a consagração. A elevação, não te ocupes senão com Nosso Senhor: adora-o, oferece-o a seu Pai eterno, expondo-lhe tuas necessidades. Há pessoas que têm escrúpulo de renunciar a suas orações quotidianas pelas da santa Missa. É um erro.

        

         Tuas orações quotidianas, comparadas com as da santa Missa, são tão inferiores como o cobre é inferior ao ouro. Além disso, estas orações podem fazer-se em outro tempo que não seja à hora da Missa, ao passo que não podes dizer as da Missa, tão utilmente, em outro tempo como quando o santo Sacrifício se efetua; e, se te acontecesse não achar um momento para desempenhar estas devoções particulares, esta omissão seria menos prejudicial que a primeira.

 

         Logo que o sacerdote pronunciou, no momento solene, as palavras da consagração, o pão tornou-se o Corpo de Nosso Senhor. "O homem deve tremer, diz São Francisco de Sales, o mundo estremecer, o céu inteiro ficar arrebatado, quando, sobre o altar, o Filho de Deus se entrega nas mãos do sacerdote". Oh! admirável humildade, o Mestre de todas as coisas abaixa-se, para a salvação do homem, até ocultar-se sob as aparências do pão.

 

         Mas, porque os nossos sentidos não percebem a presença do Senhor, não lhe prestamos atenção, e, entretanto, os demônios fogem espavoridos e os Anjos tremem diante de sua face. Assim disse Jesus Cristo a Santa Brígida: "Do mesmo modo que à palavra 'Sou eu!' meus inimigos caíram por terra, às palavras da consagração 'Isto é o meu Corpo!' os demônios fogem".

 

         A semelhança dos Anjos e dos Santos, apliquemo-nos a glorificar o Senhor sobre o altar, e a participar de seu adorável Sacrifício. É excusado dizer que, no momento da elevação, devemos deixar toda outra oração, a fim de levantar os nossos olhos para o altar e adorar, humildemente, o Cordeiro de Deus, oferecendo-o ao Pai celestial. Estes exercícios de fé e caridade devem ocupar-nos todo o tempo, até que Jesus seja consumido pela Comunhão do sacerdote.

 

         Infelizmente, grande número de fiéis não se conforma a nenhuma destas práticas. Continuam a receitar suas orações costumeiras, dedicando-se a uma espécie de devoção rotineira, como se Nosso Senhor não estivesse presente e não fosse preciso ocupar-se dEle.

 

            Caro leitor, não procedas mais assim; no momento da consagração, cai de joelhos como o sacerdote e, repleto de fé e amor, adora aquele que se mostra a teus olhos, sob as espécies de pão e de vinho.

http://www.derradeirasgracas.com/2.%20segunda%20p%C3%A1gina/O%20Poder%20da%20Santa%20Missa/Exorta%C3%A7%C3%A3o%20para%20ouvir%20piedosamente%20a%20santa%20Missa..htm

 

******************************************************************************************************************************************************

 

RESPEITO COM QUE SE DEVE ASSISTIR À SANTA MISSA.

  Diz o Concílio de Trento da santa missa: ”Os fiéis não podem exercer obra mais Santa nem mais divina do que este Sagrado Mistério, no qual a Hóstia vivificadora, que nos reconciliou com Deus Pai, Jesus Cristo, é todos os dias, imolada pelos sacerdotes, devemos ter muito cuidado para fazer esta ação com grande pureza de coração e com a maior devoção exterior possível" (sessão 22). Estas palavras dizem respeito tanto aos fiéis como ao celebrante.

    Código de direito canônico, Cân. 898 — Os fiéis tenham em suma honra à santíssima Eucaristia, participando ativamente na celebração do augustíssimo Sacrifício, recebendo com grande devoção e com frequência este sacramento, e prestando-lhe a máxima adoração.

   A participação na Santa Missa não consiste" apenas" em estar presente na Igreja durante a celebração, porque os bancos e as paredes também estão, mas em participar ativa e sentidamente: ativa no seguir ponto por ponto o desenrolar dela; sentida no unir-se vivamente a Jesus que se sacrifica no Altar entre as mãos do sacerdote.

   Os primeiros cristãos nos deram admiráveis exemplos a este respeito. Segundo o testemunho de S. João Crisóstomo, ao entrar na Igreja, beijavam, humildemente, o assoalho e guardavam, durante a Santa Missa, tal recolhimento que se julgava estar em lugar deserto.

    Era de observar o preceito da liturgia de S. Tiago: "Todos devem se conservar no silêncio, com devoção, e no esquecimento das coisas terrestres, quando o Rei dos reis, Nosso Senhor Jesus Cristo, vem imolar-se e dar-se em alimento aos fiéis".

   São Martinho conformou-se, exatamente, com esta recomendação. Nunca se sentava na igreja; de joelho, orava com ar compenetrado de um santo respeito e devoção. Quando lhe perguntavam pela razão desta atitude, costumava dizer: "Como não me humilharia, visto que me acho em presença do Senhor?".

   Como outrora a Moisés, Deus poderia ainda dizer-nos hoje: "Tirai os sapatos de vossos pés, porque o lugar onde estais é Santo". Mais santas ainda são as nossas igrejas sagradas, com tanta profusão de unções e orações, e santificações, cada dia, pela oblação do Santo Sacrifício.

   Caro leitor, David eleito de Deus, com grande reverência, aproximava-se da Arca da Aliança, e nós quanta reverência devemos, ao entrar na igreja, onde se acha o Santíssimo Sacramento? Onde estar o Próprio Jesus Cristo nosso salvador, digno não apenas de reverência, mas de toda nossa adoração?

   À vista disto, que pensar dos cristãos que se comportam, na igreja e durante a Santa Missa, como se estivessem na rua, ou em casa? Os Anjos adoram, humildemente e prostrados, a divina Majestade, e entre os assistentes há cristãos que lançam, aqui e acolá, olhares curiosos e provocadores; ocupam-se das pessoas presentes, pensam nos negócios do mundo, nas suas vaidades, falam sem pudor em coisas inúteis, talvez, más. Outros semelhantes aos vendedores no templo que "faziam da casa de oração uma casa de ladrões" procuram negociar e comercializar durante a própria missa, mostrando assim que o seu “Deus” é o dinheiroAs nossas igrejas são mais que uma casa de oração: são a casa de Deus, habitada por Jesus Cristo, dia e noite. Ora, se o próprio Jesus expulsou, a chicote, os profanadores do templo, como tratará estes cristãos audaciosos?

   Dizes: "É necessário responder a quem interroga"- Não é proibido responder a uma pergunta útil nem dizer uma palavra necessária; é proibido, conversar coisas inúteis, fazer observações sobre o próximo, e outras coisas semelhantes que impedem seguir, atentamente, a Santa Missa.

         Jesus Cristo nos preveniu: "Os homens darão conta, no dia do Juízo, de toda palavra ociosa" (Mt. 12, 36). Ora, haverá palavras mais inúteis do que as proferidas durante o Santíssimo e sagrado Mistério do Altar?

   São Crisóstomo opina que os que falam e riem, durante a Santa Missa, merecem ser fulminados na Igreja. Com esta ameaça, o santo Doutor aponta também os que, por direito e dever, deveriam impedir as irreverências: os pais que não repreendem nem corrigem os filhos dissipados; os mestres e amos que não vigiam a atitude de seus alunos e criados.

    São Paulo nos diz que, "ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e nos infernos" (Fl. 2, 10). Com mais razão ainda, devemos guardar esta atitude durante a presença real do divino Salvador, isto é, desde a elevação até a Comunhão.

    Muitas pessoas, homens, sobretudo, têm o mau costume influenciado pelo orgulho de não se ajoelhar nem mesmo durante a consagração; apenas inclinam a cabeça como se Jesus não estivesse presente. Se estivessem na presença dos grandes da terra, em alguma reunião mundana, a força não lhes faltaria, mesmo para tomar atitudes muito mais penosas do que a de estar de joelhos!

   A piedosa imperatriz Leonor, esposa de Leopoldo I, assistia sempre, de joelhos, à Santa Missa. Quando lhe aconselhavam poupar a saúde e servir-se duma cadeira de braços, dizia: "Todos se inclinam diante de mim, pobre pecadora, ninguém de minha corte ousaria sentar-se em minha presença, e teria eu a coragem de fazê-lo em presença de meu Deus e Criador?"

   Terminando, é lamentável e deplorável  certos abusos: o das senhoras e moças que vão à Missa vestidas à última moda, às vezes bastante indecente para lugar tão santo. Estas pessoas não medem a imensa dívida que contraem para com Deus. Jesus Cristo, do alto da cruz, parece dizer-lhes: "Vê, minha filha, estou atado a este lenho, inundado de sangue, coberto de chagas, para pagar o escândalo de teus trajos inconvenientes. Tu, por ironia cruel, apareces aqui ostentando a tua falta de pudor; não te envergonhas de mostrar-te a meus fiéis? Toma cuidado para que tua indecência e tua vaidade não te lancem ao fogo do inferno!"

    A vaidade, o luxo ou a indecência é como uma chama que acende desejos ilícitos até no coração dos justos; que fogo não acenderá nos levianos e impuros! As pessoas adornadas com tanto exagero e com tanta indecência são sempre moralmente perigosas: desviam do altar a atenção dos homens e são a causa de distrações e pensamentos pecaminosos. Quem prepara o veneno comete um pecado mortal, mesmo que não o tome aquele a quem é destinado; o mesmo acontece com estas pessoas: pecam pelo único fato de expor os outros à tentação. Sua falta é ainda mais escandalosa, quando assim se apresentam na Santa Missa. Como responderão por suas vítimas no dia do Juízo? Acrescenta a isso que são uma ocasião de pecado para outras senhoras, a quem servem de figurinos de imitação.

  Teu amor para o divino Sacrifício e a Santa Comunhão crescerá, um tesouro imenso de graças e bênçãos irás ganhar, participando da santa missa e recebendo a santa comunhão piedosa e fielmente. Será, porém, na hora da morte, principalmente, que experimentarás quanto o Senhor é bom para os que honram os sagrados Mistérios do Altar, ao passo que os indiferentes e tíbios meditarão, num amargo, mas inútil arrependimento, o prejuízo que fizeram a seus interesses eternos.

  Pesquisado e organizado pelo catequista: Aquino

 Leia-o em: http://larcatolico.webnode.com.br/products/por-que-voce-não-vai-a-missa-com-mais-frequencia

*********************************************************************************************************************************************************

 

PREPARAÇÃO PARA A MISSA
Oração de Santo Ambrósio

Senhor Jesus Cristo, eu, pecador, não presumindo dos meus próprios méritos, mas confiando na vossa bondade e misericórdia, temo entretanto e hesito em aproximar-me da mesa do vosso doce convívio. Pois meu corpo e meu coração estão manchados por muitas faltas, e não guardei com cuidado o meu espírito e a minha língua. Por isso, ó bondade divina e temível majestade, na minha miséria recorro a Vós, fonte de misericórdia; corro para junto de Vós a fim de ser curado, refugio-me na vossa proteção, anseio ter como Salvador Aquele que não posso suportar como Juiz. Senhor, eu Vos mostro as minhas chagas e Vos revelo a minha vergonha. Sei que os meus pecados são muitos e grandes, e temo por causa deles, mas espero na vossa infinita misericórdia. Olhai-me, pois, com os vossos olhos misericordiosos, Senhor Jesus Cristo, Rei eterno, Deus e homem, crucificado por causa do homem. Escutai-me, pois espero em Vós; tende piedade de mim, cheio de misérias e pecados, Vós que jamais deixareis de ser para nós fonte de compaixão. Salve, Vítima salvadora, oferecida no patíbulo da Cruz por mim e por todos os homens. Salve, nobre e precioso Sangue, que brotas das chagas do meu Senhor Jesus Cristo crucificado e lavas os pecados do mundo inteiro. Lembrai-Vos, Senhor, da vossa criatura resgatada por vosso Sangue. Arrependo-me de ter pecado, desejo reparar o que fiz. Livrai-me, ó Pai clementíssimo, de todas as minhas iniqüidades e pecados, para que, inteiramente purificado, mereça participar dos Santos Mistérios. E concedei que o vosso Corpo e o vosso Sangue que eu embora indigno me preparo para receber, sejam perdão para os meus pecados e completa purificação de minhas faltas. Que eles afastem de mim os maus pensamentos e despertem os bons sentimentos; tornem eficazes as obras que Vos agradam, e protejam meu corpo e minha alma contra as ciladas dos meus inimigos. Amém.

Leia e divulgue: larcatolico.webnode.com.br/

**********************************************************************************************************************************************************


Oração de São Tomás de Aquino para antes da comunhão
Ó Deus eterno e todo-poderoso, eis que me aproximo do sacramento do vosso Filho único, Nosso Senhor Jesus Cristo. Impuro, venho à fonte da misericórdia; cego, à luz da eterna claridade; pobre e indigente, ao Senhor do céu e da terra. Imploro, pois, a abundância da vossa liberalidade, para que Vos digneis curar a minha fraqueza, lavar as minhas manchas, iluminar a minha cegueira, enriquecer a minha pobreza, vestir a minha nudez. Que eu receba o Pão dos Anjos, o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, com o respeito e a humildade, a contrição e a devoção, a pureza e a fé, o propósito e a intenção que convém à salvação da minha alma. Dai-me que receba não só o Sacramento do Corpo e do Sangue do Senhor, mas também o seu efeito e a sua força. Ó Deus de mansidão, fazei-me acolher com tais disposições o Corpo que o vosso Filho único, Nosso Senhor Jesus Cristo, recebeu da Virgem Maria, que seja incorporado ao seu Corpo Místico e contado entre os seus membros. Ó Pai cheio de amor, fazei que, recebendo agora o vosso Filho sob o véu do sacramento, possa na eternidade contemplá-lo face a face. Amém.


Ler mais: http://larcatolico.webnode.com.br/news/oraçoes-diversas

 

Contacto

Larcatolico (86) 99964-9541 aquinocatequista@hotmail.com