VOCÊ É CATÓLICO (A) PRATICANTE?

 

Você é Católico (a) Praticante?


Será que nós estamos vivendo dignamente nossa fé? Estamos sendo Católicos (as) de fato e não apenas de nome? Às vezes ideias errôneas sobre nossa Igreja, àquilo que ela prega, orienta, determina, povoam nossa mentalidade. Às vezes pensamos que fazendo algo que a Igreja orienta, como por exemplo, ir à Igreja na semana santa e aos domingos, pagar o dízimo, fazer obras de caridade, a confissão ao menos anual, etc., já estamos fazendo tudo. E é um engano muitas vezes letal à alma, pois tudo o que a Igreja orienta, sem mínima exceção, é iluminado, concedido pelo Espírito Santo, para se obter a saúde completa dela. Observar e vivenciar somente algumas coisas, aquilo que se gosta, como se comprasse coisas num supermercado, deixando de lado as que exigem mais sacrifícios, mortificações da alma, é enfraquecer e adoecer a alma. Fraqueza que só se percebe quando se depara com situações difíceis na vida, de dor, doença incurável... E se deixa envolver por completo desespero.


De quem é a culpa? "Dos líderes da Igreja", diriam muitos. Será? Será que, quando chegasse à casa de alguém um grupo da Igreja pra fazer leitura bíblica, estudo, um padre convidando para participar de uma missa há tal hora, um grupo de jovens convidando para entrar no seu grupo, um movimento da Igreja convidando a ajudar na preparação de um festejo, e com isto, na aproximação, abrir o interesse para conhecer cada vez mais essa Igreja, sua história, ensinamento... A pessoa aceitaria? De certo, alguns aceitariam, mas bem poucos. As desculpas que surgiriam no momento seriam as mais esfarrapadas possíveis. Toda culpa está em nós.


Não culpemos à Igreja nem seus ministros por nosso comodismo, preguiça, covardia, desobediência... Todos nós temos uma voz interna chamada consciência, que sempre nos fala, nos inquieta, dizendo que está faltando algo, que algo não está correto, que não é bem assim... Os tolos e irresponsáveis são os que não dão ouvidos a esta voz inquietante dentro de si. E os resultados são terríveis. Quando se ouve e se segue esta voz, pode ser dito que se está no caminho da santidade, que é o fazer a vontade de Deus. Com certeza, muitos têm a necessidade de ler a Bíblia, mas não o fazem por preguiça e por não achar isso coisa de católico, apesar de já terem ouvido o conselho e exortação da Igreja, principalmente no mês de setembro, mês dedicado à Palavra. Para que nós católicos (as) façamos diariamente a leitura das sagradas escrituras, para que façamos constantemente com devoção e dedicação estudos da palavra de Deus (a bíblia). Que o diga o jornal litúrgico o DOMINGO divulgados e doados aos domingos na missa em várias igrejas, nos quais tem as leituras do dia (e de toda semana indicadas no final do jornal), que o diga a LITURGIA DIÁRIA publicada em cada mês.


Podemos então atribuir um termômetro para classificarmos os católicos. Se o católico é do tipo que "não está nem aí" para a frequência à Igreja aos domingos constantemente, para o conhecimento cada vez melhor da palavra de Deus e doutrina da Igreja através da leitura (ou escuta) bíblica diária e estudo do catecismo, para entender verdadeiramente o que ela prega e ensina para melhor obedecê-la, em viver a Eucaristia com frequência, em ter um contato (relacionamento) diário com o Criador em oração, em buscar uma vida de santidade e virtuosa... Ele (a) é apenas um "simpatizante", mas não um católico (a) praticante.


Mente, de uma forma descarada, aquele que passa para outra denominação dizendo que era "católico praticante", quando rara e dificilmente pisava na Igreja, raramente lia e estudava a Bíblia e o catecismo da Igreja, não tinha uma oração diária, vivia em desobediência à palavra de Deus e à doutrina da Igreja... E terá que enfrentar isso no dia do seu juízo particular.


Se buscarmos verdadeiramente vivenciar a Igreja de Deus, seus ensinos e orientações através da LEITURA E ESTUDO da bíblia, do catecismo, das encíclicas dos Papas, das homílias dos padres, dos livros de formação doutrinária e de espiritualidade católica enfim, se abraçarmos sem reserva, tudo e verdadeiramente tudo o que a Igreja prega e ensina, ainda que estejamos caminhando nisso (exemplo: sei que preciso ler a Bíblia e o catecismo, mas no momento não tenho dinheiro pra comprá-los, mas tenho consciência e assim que puder comprarei para lê-los e estudá-los), ainda que Deus nos chame deste mundo sem termos concluído por completo esta caminhada, mas se tivermos consciência que fizemos ou estamos fazendo verdadeiramente o que podemos, Deus olhará isso, e podemos ter certeza de que estamos verdadeiramente sendo Cristão Católico (a) Autêntico, caso contrário, apesar de dizermos que somos cristãos vivemos como pagãos e de católicos temos apenas o nome e não a vida.

 

Henrique Guilhon/ Com suplementos do Catequista Aquino.

 

Fontehttp://henriqueviveremdeus.blogspot.com.br/p/catolico-prati…
Leia-o também em: 
http://www.larcatolico.com/…/voc%C3%AA-e-catolico-(a)-prat…/

CONHEÇA E DIVULGUE O ÓTIMO SITE: WWW.LARCATOLICO.COM

 

Contacto

Larcatolico (86) 99964-9541 aquinocatequista@hotmail.com